27 de maio de 2015

HÓSPEDES ESTÃO CHEGANDO? CALMA...


 -  Tais Luso de Carvalho

Ops... me perdoem, mas esse é um assunto que dá pano pra manga, pois hospedar alguém que não seja bem próximo, é uma tarefa árdua, se não fosse não haveriam tantas regras de etiqueta para  os hóspedes e também para os anfitriões - para não entrarem em colapso.  Se você convida, é outra história, esqueça. Falo daqueles que se convidam, dos encostos... É dureza. Porém, há gente que gosta de hospedar, sim. Conheço uma!

Não gosto de incomodar, mas infelizmente também já fiz essa bobagem há muitos anos - algo que me arrependo - mesmo a convite.  Gosto da minha liberdade e me constrange tirar a liberdade de alguém, ainda mais dentro de sua  casa. Mas  tem  brasileiro que gosta de ir chegando, assim, meio à vontade. Quando nos damos conta, a mala já está dentro da sala, parece que só veio passear. E a noite vai chegando...  Virgi Maria! 

Conheço várias pessoas que estremecem em época de férias, com suas casas de praia que mais parecem pensões ou pousadas, com amigos ou parentes mais distantes, chegando cheios de amor pra dar. Fora algum 'amigo do parente' que cola junto pra aproveitar a 'boquinha'.

Lembro de ter escutado de uma pessoa  que hóspede é como peixe, no terceiro dia começa a feder...  É duro, irmão; mas que hóspede nos traria tanta alegria se a empregada dá no pé e sobra pra nós um trabalho do cão? 

A empregada inventa que a mãe está morrendo justamente quando o hóspede está chegando. A minha sempre foi muito criativa.  Recentemente perguntaram a uma Vip, muito conhecida, que ri feito louca, se ela preferia ser anfitriã ou hóspede. 

- Hóspede, sem dúvida! 
E ela, com três empregadas e com a grana do Tio Patinhas.

Minha  preocupação com os meus hóspedes foi sempre recebê-los com simpatia e mostrar uma alegria de Rei Momo, para dar prosseguimento ao clima festivo da chegada. Lógico que após a partida das criaturas, eu pensava numa clínica de repouso e uns 'Rivotril'. 

Mas, se você está a fim  de receber, mude seus hábitos por um período e deixe o samba tocar... Não dê bola para as escovas de cabelo espalhadas, roupas na poltrona do quarto, o banheiro anarquizado, a mochila e sacolas pela casa, vários copos na pia.  Feche os olhos para não entrar em crise e bola pra frente - não tem outra solução. Depois você coloca ordem na casa.

Contudo,  no final, hóspede ou anfitrião soltarão a língua afiada.  O que foi feito com carinho será esquecido, mas não aquele  olhar  atravessado porque alguém fez 'xixi'  e esqueceu de dar a descarga no vaso... Cruzes, mas pode acontecer, ora. 

Mas ao querido hóspede  é bom lembrar algumas regrinhas: leve um presentinho para os anfitriões, é algo muito simpático, como se você dissesse: 

'Hei, lhe trouxe uma lembrancinha porque vim  sujar sua casa,  fazer você trabalhar,  tirar seu sono e acabar com seu descanso'

E por falar em comida, cuide para não se apossar da geladeira da casa! Ela já tem dono. 

Não esqueça de arrumar um pouquinho o seu quarto, afinal você não está na casa da mãe Joana; nada é seu.

Mas é isso aí, gente: se tudo estiver bom para ambas as partes, então é só deixar rolar e curtir essa verdadeira amizade.

E 5 estrelas com louvor para esse anfitrião que é amigãoÉ gente pra guardar do lado esquerdo do peito!!! 
Mas, eu fora!

___________________________________




36 comentários:

  1. Boa noite Tais! Em Portugal existe um velho ditado que diz que hospede em casa, a partir do terceiro dia ja enerva :-)
    Boa semana para todos

    ResponderExcluir
  2. oi Tais,

    Hilário!
    Entendo este hóspede como o hóspede formal ou informal demais,aquele que de repente te torna estranho na tua própria casa.Terrível!
    Agora ,quando a vibração é irmã,feliz,adorada,daí é um volte sempre com gosto.

    Beijos,

    Cris

    ResponderExcluir
  3. Olá, Taís. Um tema bem escolhido, de que ninguém costuma tratar. Deve ser meio delicado. Eu também não sei hospedar e não gosto de ser hóspede. Afinal, um defeito - de convivência, de camaradagem. Mas, ficar na casa dos outros?!
    Lembro-me de que meu pai dizia (mais uma para teu rol) que visita (ou hóspede, dá na mesma)dá duas alegrias: a hora que chega e a hora em que vai embora.
    Fui.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. TAIS

    Um tema com interesse e útil para reflectir previamente.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. PORTO DAS CRÔNICAS
    CRÔNICAS - POEMAS - VARIEDADES

    22/11/09
    HÓSPEDE... TÔ CHEGANDO !

    Espetacular ler hoje sua crônica,
    onde nos vemos dentro dela, principalmente quem mora num belo lugar onde tenh mar, eu que o diga!
    Saudosamente de ler você,
    Efigênia

    ResponderExcluir
  6. Não há o que questionar em sua crônica há sim a acrescentar. Imagine quando o hóspede é um cunhado folgado ou uma sogra com mania de comando. Lembrei-me de uma piadinha em que um homem levou o cão ao veterinário e pediu para este extirpar completamente o rabo do cachorro, não deixar nem um toquinho sequer. Por que? perguntou o veterinário atônito...É que minha sogra vem passar uns dias em casa e eu não quero nenhuma demonstração de alegria.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Taís, Realmente esse é um assunto interessante e dá o que falar...mas "eu", acho que a pior coisa é quando vc recebe hóspedes, faz tudo mais que perfeito, e no final das contas, ainda saem falando...mas no mais acho tudo normal...
    Valeu pelo comentário deixado no Wallarte.Que bom que gostou dos desenhos.
    Gostei da nova foto.
    Bjos.
    Waleria Lima.

    ResponderExcluir
  8. Oi Taís! Nossa adorei! Acho isso tudo muito bom par saber o que se sente quando é anfitrião e hospede. Eu Já fui hospede , procuro não deixar nada jogado e ajudar em tudo que for preciso. Hoje raramente vou a Bauru e fico como sempre na casa da tia que tem um quarto só pra mim.Se eu tiver que receber alguém de fora fico nervosa, a vida aqui em sampa é corrida demais e td é longe. Diferente do interior.lá recebem muito melhor e estão mais acostumados,ao menos vejo isso em minha família. As amigas sempre vem pra minha casa e dormem por aqui. Dizem que aqui tem paz e eu adoro ser anfitriã nesse caso, pois não preciso me preocupar em fazer sala ou cozinha. Elas se viram e são praticamente de casa.
    PS-Vi vc no blog da minha filha e te agradeço + esse carinho.Obrigada bjão

    ResponderExcluir
  9. Pô, Tais... Justo agora que eu estava prevendo passar uns quinze dias aí na sua casa, com mulher e filha de 2 anos, para conhecer sem maiores custos a bela POA!

    Que droga, agora com essa tua crônica, terei de comprar um arranjo de flores!

    bj
    CEsar

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, querida Tais, peço desculpas pela minha demora em vir aqui, mas ando meio devagar.....
    Quanto à sua crônica, muito bem explicada, gostei muito.
    Eu não gosto de receber e nem de visitar, mas explico existem pessoas que vêm nos visitar e que ficam uns dias conosco, já aviso sintam -se em casa, se quiserem comer algo fora de hora a comida está aqui, querem um café, façam como se estivessem em sua casa. Não gosto quando a visita é visita mesmo e temos que ficar o tempo todo paparicando, aí nunca me saio bem.Um dia quem sabe eu seja uma visita em sua casa com marido e papagaio rssssssssss. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando é visita, só visita, nunca serão hóspedes. Tem de haver um pequeno elo... Aí é que complica.
      Beijo, carinho amiga!

      Excluir
  11. Hóspede só se for muito íntimo, da família mesmo! Mesmo assim, adaptações temos que fazer! Eu NUNCA me hospedo na casa de outros, pra não dar trabalho e por querer manter a nossa privacidade . E uma das coisas mais chatas ´pe a função do banheiro... A menos que cada hóspede tenha sua suite...Mas isso é pra poucos!!!

    E quando lembro nesse tema, não posso deixar de me "arrupiar" ao lembrar da minha cara "cunhadinha" da Itália..Credo!! Vinha c0om mala e cuia cada vez pra mais de um mes! Era horrível. Até que um dia, fiquei doente, de tanto me estressas com a velha! Aí não me sentia nada bem e aproveitei a deixa: disse que estava com com uma doença "muito contagiosa"... Ela cagona de primeira, logo tratou de antecipar sua ida de voooooolta! E aí eu , milagrosmente, sarei!rs... Nunca mais voltou!Graça Dio!!!! Cutufun, saravá e tudo mais que possa fazer pra mantê-la por lá!


    E na praia, nossa filha fica louca da cara pois não vamos na casa dela. Ficamos numa pousada perto, mas no NOSSO cantionho! muito melhor! Detesto incomodar e ser incomodada também!!!
    beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doença contagiosa? Será que a gente não pega através de comentário? rssssssss
      Adorei essas suas histórias, Chica!
      Beijão.

      Excluir
    2. Rssss...Deu certo! Aconselho a tática!rs bjs, lindo fds!

      Excluir
  12. Oi Taís, mas é tão fácil resolver isso:
    Primeiro, quando vou visitar alguém n'outra cidade, levo bastante mistura, não durmo na casa, vou para um hotelzinho para dormir.
    No outro dia almoço e pego estrada. Aqui em casa é a mesma coisa. Apesar da casa ser muito grande, dentro dela só tem 2 quartos, tem um quartinho com banheiro no fundo do quintal e se quiser vir a cozinha é uma dificuldade tem que abrir 2 portas e um portãozinho para entra em casa , aí sim pode comer alguma coisa.kkk. Não tenho visitas!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rss, não é muito fácil, não!! Quando chegam de surpresa, o que você diz? Eu não tenho esse quartinho nos fundos, é apartamento. Mas gostei da sua objetividade!
      Beijo / carinho, felizarda.

      Excluir
  13. Mais uma crónica de arrasar.....E da parte que me tocava, era assim mesmo......Hoje os hábitos alteraram-se, e de vez em quando tenho um jovem casal, 'que toma muito chá' , pelo que chega a ser um prazer a sua companhia.
    Mudam-se os tempos......
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a gente gosta e convida, acho que é prazer. Mas filhos não vale, Andrade...rss
      Abraços!

      Excluir
  14. OI TAIS!
    COMO SEMPRE, TUAS CRÔNICAS NOS DIVERTEM, MAS, TRAZEM MUITA VERDADE.
    NÃO GOSTO DE ME HOSPEDAR NA CASA DE NINGUÉM, PORQUE SEI QUE TER PESSOAS EM CASA, POR MAIS QUE SEJAM AMIGAS OU PARENTES, TIRAM NOSSA LIBERDADE E COMO NÃO GOSTO PARA MIM, NÃO FAÇO AOS OUTROS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zilani, fechou, amiga!
      Obrigada pelo carinho, grande beijo.

      Excluir
  15. Nem me fale em hóspedes, Tais. Procuro não me hospedar na casa de ninguém para não ter que retribuir-rsrs. Além de não gostar de incomodar não me sinto à vontade na casa dos outros. Prefiro declinar dos convites. O pior é que minha casa atrai e quando vejo já estou recebendo até quem eu nunca vi, ou seja, carona das visitas. Como sou uma boa anfitriã, as visitas já se despedem programando o retorno. Pode?? Fico estressada demais, pois a minha rotina fica completamente alterada e acabo ficando sem lugar dentro da minha própria casa. Neste final de semana, por exemplo, vou receber duas pessoas estranhas para mim, oriundas de Campo Grande, mas que são ligadas ao meu marido. Só de pensar já estou exausta-rs.
    Porém, quando se trata de pessoas da minha família, a nível de primeiro grau(rs), são sempre bem vindas, pois sabem se virar e não me perturbam.

    Adorei o tom da crônica.

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cruzes (rss) esse seu comentário me deu um 'nervoso'. Infelizmente herdei esse negócio de 'boa anfitriã' da minha mãe, tia e avó. É praga de família! E encontrar isso nos outros é meio difícil, no caso de retribuição. Hospedar estranhos? Virgi Maria... (Filhos e nossos pais estão fora da crônica)
      Beijinho..

      Excluir
    2. Anônimo13:22

      Sou exatamente como a Vera Lúcia. Não posso me identificar porque, agora mesmo, estou com uma hóspede em casa: foi expulsa de outra casa e vai passar três semanas comigo. Faz só dois dias que ela está lá e já estou estressada porque minha rotina mudou. Preciso aprender a dizer não.

      Excluir
  16. Amiga, devo confessar que também "tô fora" dessa, tendo em vistas as amargas experiências que já passei. Negócio seguinte: quem quiser viajar que arrume grana pra pagar hotel, pensão ou até quartinho de beira de estrada. Essa de incomodar e tirar a privacidade dos outros não dá pra segurar. Valeu, Tais! Um ótimo fim de semana aí no nosso Rio Grande querido!!!Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rssss, 1000% de Objetiva!!! Melhor, impossível.
      Beijo grande!

      Excluir
  17. Tais, não gosto de nenhum dos dois lados (kkk), mesmo quando se trata de amigos reais. Como é bom ficar em um hotel e encontrar as pessoas para passear, tão somente! O mesmo acontece quando estão na cidade onde moro. Tenho grande prazer de pegá-los onde estão hospedados e até de servir de motorista. Mas quero chegar em meu apartamento e me sentir aliviada, por mais prazerosos que sejam os encontros. Sempre aviso quem vem que teremos que comer fora, pois não cozinho (kkkkkk). Assim, fico por conta, sem outro tipo de preocupação. Arrumar o que ficou bagunçado nem dá trabalho, o que incomoda é a falta de privacidade. Sou por demais comodista em meu espaço. Claro que família não conta, pois todos são de casa e tenho liberdade para colocar o que gostam na geladeira e dizer que se virem. A Vera, minha irmã, fica estressada um mês antes e custa a relaxar depois que os hóspedes se vão. É muito preocupada. Agrada tanto que logo querem voltar (heheheheheheh). E não é falta de aviso!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsss, eu era igualzinha a Verinha! Mas é muito estressante. Agora estou igual a você! De uma ponta fui à outra. E a sua é 1000 vezes mais prática, mais normal.
      Diga pra Vera abrir o olho...Eu conheço os dois lados: o antes e o depois da patetice.
      Beijo grande.

      Excluir
  18. Oi Taís! Eu, particularmente, tenho dois filhos que residem em Paulista/PE, mas não os visito com certa frequência porque não fico à vontade, penso sempre que estou incomodando, mesmo sendo filhos, noras e netas. Quanto a receber visitas, o prazer é enorme, isso porque o trabalho não sobra pra mim. Rsrs. Bela crônica amiga.

    Beijos e um ótimo final de semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Furtado, ficamos tão preocupados em não incomodar que o padrão serve para todos. Claro, muitas vezes podemos ofender um filho...é preciso rever. É que tiramos as pessoas da sua privacidade, também não gosto.
      Beijos.

      Excluir
  19. Gostei imenso do texto!
    Os únicos hóspedes que costumo ter são de família, de maneira que não é complicado. Não faço cerimónia.
    Mas ter hóspedes "encosto" não deve ser nada agradável!

    Como hóspede acho que não sou pesada...

    Beijinhos e boa semana:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesada... rss também sinto isso. Gostei do termo.
      Beijo grande, Isabel!

      Excluir
  20. Olá Tais.
    Suas cronicas são tão criativas e bem escritas que não resistir e resolvi ler as postagem que devido a minha ausência virtual não li. Eu não me importo de hospedar nas ferias na casa de veraneio,pelo contrario me sinto mais segura com a casa cheia, mas são pessoas próximas, nunca tive problemas, graças a Deus são pessoas cooperativas. Mas não me vejo hospedando na casa de ninguém, não me sinto a vontade. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mirtes, fico muito contente de tê-la aqui.Obrigada pelas palavras carinhosas. Quando a pessoa é próxima e gostamos muito de sua companhia creio que é um grande prazer. Lógico que não falo de filhos e pais. Mas e 'aquelas'?? Amiga, não é mole! Mas pior do que isso é a gente se sentir mal na casa dos outros. Cruzes!
      Beijo grande!

      Excluir
  21. Taís, esse negócio de ser boa anfitriã não é praga de família, é praga de sulista!
    Percebi isso claramente quando mudei de Curitiba para Mato Grosso do Sul. Aqui as pessoas são muito mais despojadas com hóspedes, não ficam o tempo todo tentando agradar (amei a parte da cara de Rei Momo, hahahaha) e deixam bem claro que tarefas domésticas são uma cortesia do hóspede!
    No início achei muito diferente e, claro, eles também acharam quando precisaram se hospedar em casa, sentiam-se mal com nossos "banquetes", com tanto agrado, com tanto cuidado. Tudo para manter a fama de bom "hospitaleiro". O que, na real, é uma ilusão. Tratando bem ou mal, sempre vão sair falando.
    A vida (e outras regiões) ensinam! ;)
    Ah, e odeio ser hóspede. Prefiro até um hotel de quinta. rs.
    Prezo demais minha liberdade e privacidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,querida MI, achei muito interessante esse teu ponto de vista, e muito certa a tal 'cortesia'. Mas não é o que se vê, com exceções, é claro. É, amiga, a vida ensina, e eu aprendi. Também não gosto de ser hóspede, não seria (mais) de jeito nenhum. Há anos que vou para hotel. Privacidade é minha palavra e atitude que não abro mão.
      Beijos, amiga, que bom que apareceu, é um sintoma que está mais folgada com suas provas e cursinho.

      Excluir
  22. Oi Tais!
    Eu adoro receber, desde que não tenham frescuras e nem sejam mal educados!
    Partilhamos tudo, até os servicinhos....rs
    Na minha família todos gostam de receber, e como bons mineiros, adoramos estar numa rodinha, sentados de preferência numa cozinha, porque mineiro recebe na cozinha, partilhando um delicioso "causo", e tomando um gostoso café com pão de queijo e etc! rss
    Hoje moramos em apartamentos, não temos mais aquelas cozinhas enormes, que cabiam bastante pessoas....Agora tudo é restrito!
    Mas "cruz credo"! Longe de mim pessoas frescas e folgadas!
    Beijão Tais, adorei sua visita!
    Linda tarde!
    Mariangela

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso