12 de março de 2016

COISAS DO COTIDIANO...



                - Tais Luso

Gosto de escrever sobre coisas simples do nosso cotidiano, porque de alguma maneira todos nós passamos por situações semelhantes, umas tristes e outras de tão tolas chegam a ser hilárias. Mesmo assim prefiro rir de besteiras do que chorar indignada. Já basta esse país mergulhado num mar de lágrimas.

Pois ontem fui às compras. Foi-se o tempo em que eu zanzava de salto alto dentro de um shopping. Então saí à procura de sapato baixo.

Já alterada, entrei na quinta loja onde vi um sapatinho vermelho, enfim meu estilo, daqueles tipo Neon, que se enxerga a 200 metros no escuro. Discreto. Sim, tem de haver uma compensação: baixo sim, discreto nunca! Mas lá veio a  moça com um número menor do que eu pedi...Pela cara, coisa boa não era:

Moça, eu pedi o 35, esse é número 34!
Não temos 35, mas o 34 vai ceder, o couro é muito macio, pode levar!

Por opção, fiquei calada. 
Segui meu caminho. Entrei numa loja para escolher uns CDs de música instrumental. Só consigo escrever com esse tipo de música ao fundo, escutar voz me atrapalha. A garota olhou pra mim, pegou o CD do Chitão e Xororó e disse:

Adoro esse, chegou hoje!
Moça, eu não tenho delírios com os Xororós!  Putz.

Desanimada e já cansada de estar andando há horas, segui  caminhando e dei de cara com uma blusa do meu estilo. Pô, enfim! E lá veio a moça com várias blusas... Fiquei tão feliz que pensei em levar uma de cada cor! Porém...

Mas moça, tamanho G (grande)?
Mas encolhe, senhora. Tenho uma igualzinha! Na primeira lavagem já encolhe.
Mas então deve ser muito vagabunda!!!

Rodar a baiana, num momento desses, seria uma terapia! Mas não quis pegar pesado, pesei as atitudes e escolhi a melhor.

Depois de muito caminhar, vim para casa. Cheguei aqui, coloquei a chave na porta e ouvi uma voz que me esperava para curtirmos nosso café...

Você deve estar cansada!! Comprou o shopping?
Por hoje nada, querido!
Mas  você é muito exigente!
– Ah, sim... Talvez volte para pegar um livro de autoajuda ...
Autoajuda? Não encontrou outra coisa?
Não; não sou nada exigente… 

Ficou rindo… e eu quase explodindo de mau humor...


__________________________



31 comentários:

  1. Se quando às compras vais
    Num footing tão insano
    Não compra menos ou mais
    São coisas do cotidiano.

    ResponderExcluir

  2. Saiu às compras dona Taís
    Com todo humor reunido
    Nada comprou do que quis
    Fez alegria do marido.

    ResponderExcluir
  3. Não suporto ir às compras. Apenas o tempo de encontrar aqueles produtos da lista que levamos na mão. Se o tempo for superior a 30 minutos começo a sentir falta de ar no corpo e na carteira...
    Gostei de a acompanhar entrando e saindo cada vez mais contrariada...

    ResponderExcluir
  4. Que maravilha ,Taís. As palavras nos prendem.Quando chega o fim, dá pena! Que tarde essa e aconteeeeeeeeeeeeeece nos shopings e ainda mais agora, nessa crise, querem te vender até a alma das mães delas... E o final, hilário! bjs, tudo de bom, lindo domingo! chica

    ResponderExcluir
  5. Querida Taís
    Sair para fazer comprar precisa se imunizar com uma dose colossal de bom humor pois essas falas e desatenções são preponderantes no comércio.
    Um lindo dia querida
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Linda amiga Tais, acho que os versos do Jairclopes alegra todos os maridos que pagam as contas das suas mulheres,rsrs!
    Amiga, moro no centro de São Paulo e não consigo comprar quase nada quando saio às compras, incrível como está difícil achar o que nos agrade, somos do tempo em que tudo era de boa qualidade né mesmo?
    Ri sobre o tamanhos, tanto do calçado quanto o da blusa, é assim, vendedores não preparados, ainda por cima ficam andando atrás da gente, isso é de irritar!
    Amei, como sempre, ler aqui, o cotidiano muitas vezes é mesmo hilário!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, Taís como sou "acomodada"... Faço minhas pequenas compras pela internet ou por telefone... Vantagem preciosa da qual não abro mão... Gosto e já me habituei tanto!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. En general me gusta ir de compras, pero lo mejor es ir cuando uno no necesita nada así encuentras lo que buscas.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  9. Tais

    Foi mesmo pouca sorte, não encontrado sequer uma atendente profissional, das que sabem entender o/cliente. Já no século passado escreveu Fernando Pessoa, numa crítica comercial: "´não há empregados maus há é patrões que têm empregados maus". Nesse Shoping, os patrões são mesmo maus e assim as empregadas não têm possibilidades de brilhar.
    A comentar Baíha e a lenda, no meu blog, BRASIL: O SORRISO DE DEUS, que se vai encaminhar para ser história pós cabralina do Brasil.
    http://amornaguerra.blogspot.pt/

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Pois cara Taís, já aconteceu com minha esposa de sair para comprar coisas simples, mas voltar para casa com as mão vazias, cansada e irritada com o mau atendimento recebido. Tua cronica também traz-me à mente um relato do antigo comunicador e político gaúcho Adroaldo Streck sobre o mau atendimento do comercio de Porto Alegre. Relato esse lá dos anos setenta, portanto a coisa vem de longe.
    Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde querida Tais srs sempre querem nos empurrar as coisas né.. vendedor tudo enrolão.. tem que se ter uma paciência..
    meu pai passou por essas coisas com um sapato.. queria um tipo, o cara só vinha com outro.. querem sempre empurrar as tranqueiras.. shopping nem tem aqui srs mas deve ser complicado.. trocentas lojas e um mais picareta que o outro né.. um feliz dia Tais bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi Taís,
    Para passar tanta raiva, eu voltaria pra casa descalça, meias a gente tem de montão.
    Você é muito educada pro meu gosto.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  13. Oi Tais, precisamos nos sercar com ótimos humores pra enfrentarmos os mal humores alheios, e conseguirmos as nossas almejadas comprinhas! E se conseguirmos...
    E sempre acontece como a Shirley nossa amiga disse rsss...
    Beijão Tais, feliz semana amiga!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  14. Sobre este Post.....vou enviar um e-mail......
    É só um minuto....
    Beijo

    ResponderExcluir
  15. rsrsrs...
    Só rindo, Tais. Por isso é mais gostoso falar e ler sobre as coisas do cotidiano-rs.
    Também não vou a shoppings de salto. De jeito nenhum. Prefiro um estilo mais descontraído e confortável (tênis, rasteiras ou sapatilhas).
    As vendedoras andam apelando, isto quando se dispõem a nos dar um bom atendimento. Elas precisam vender para faturar a comissão e vão empurrando tudo, como se tivéssemos um manequim ou número adaptável a qualquer tamanho. E quando dizem que 'ficou lindo' quando você está vendo no provador que ficou uma droga? Só mesmo com muita paciência para não escorregar na elegância-rsrs.

    Adorei ler.

    Feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tenho que rir, Tais. O cotidiano é rico em ocorrências que, embora nos sejam hilárias depois que passam, nos incomodam muito. Às vezes, fico brava (rss). Querem vender algo que não nos serve, que não nos interessa, que não nos fica bem. Ou não nos dão a atenção que merecemos. O melhor de seu dia foi encontrar o maridão e tomar um café em casa. Você não foi exigente, embora esse direito lhe pertença. Queria apenas receber o que procurava. Gosto muito de suas crônicas. Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Eita coisa difícil achar o que se quer... Acabo comprando o que não quero e sempre digo depois: "Me transformo numa macaca peluda se eu fizer essa asneira de novo". O pior é que eu faço.
    Beijos, Taís!!!

    ResponderExcluir
  18. Taís isso acontece o tempo todo, hoje em dia ninguém sabe ou é ser profissional seja lá em que função for, isto é muito irritante é de nos tirar do sério.
    Boa sorte na próxima tentativa, beijinhos.
    Léah

    ResponderExcluir
  19. Boa noite Tais.
    Você é demais rsrs, já lhe disse que ler as suas postagem, e uma relaxamento. Não gosto de ir ao shopping, meu marido um dia me disse que eu era a unica mulher que não gostava de fazer compras, parei olhei para ele e perguntei é mesmo você tem outras ? ele ficou tão nervoso que depois fiquei me perguntando não porque do seu comentário, mas porque ele ficou tão nervoso rsrs. Acho fazer compras chato demais, de sapato alto nem pensar, se de rasteira já acho um martilho de sapato alto é castigo. Hoje em dias as vendedoras está cada vez mais incompetentes, uma coisa que odeio é ser seguida, já a minha filha acha que isso é algo bom, ter alguém disponível para mostrar as coisas para ela, como sempre digo gosto não se discute. Se entrar em uma loja e me empurrarem as coisas, não compro nada rsrs, e se começarem a ser me seguir, parecendo um fantasma, saiu da loja. Esse dias estou meio irritada, acho que não teria a sua classe ao passar por essas vendedoras rsrs. Oferecer sapato com numero menor é um cumulo do absurdo. E dizer que uma roupa encolhe rsrs, haja paciência. Uma feliz noite para vocês. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  20. Ah! Taís
    Ir ao shopping e chegar em casa nesse estado? Na minha pequena cidade tem lojas de sapatos de todos os tipos e eu adoro comprá-los.Aqui todos me conhecem, vêm uma porção de moças e descarregam tudo pra mim e sempre comprava, haja vista que eu tenho um guarda-roupas estreito que virou guarda calçados.
    Sabe o que estou usando? Chinelo de dedo de pano. Pode? A Grécia inteira fez morada nos meus pés.kkk
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  21. Hoy en día, las empleadas de las tiendas de calzado, tienen poca preparación, deben de estar cansadas y no se molestan en enseñarte modelos para animarte a comprar.
    A mí me encantan los zapatos, los de tacón alto, mucho más, yo sola los elijo y si me quedan bien, me los llevo, sé siempre lo que busco.
    Agradezco tus palabras en mi espacio.
    Cariños y buena semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  22. LAS COTIDIANIDADES SON A VECES MUY DIVERTIDAS.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  23. Hoje estou com sorte.....dois " Lusos " a visitarem o meu cantinho; pena não ter deixado lá umas palavrinhas. Quanto a compras, detesto fazê-las e só vou quando realmente preciso. Andar a passear pelos shoppings só pelo prazer de ver as vitrines, nem pensar; vou lá para ir ao cinema ou quando necessito de algo que não encontre nas lojas da minha cidade. Detesto ir às compras de supermercado e a minha sorte é que o meu marido gosta e me ajuda naquele montão de coisas que se precisa a cada mês. E colocar tudo nos seus devidos lugares? Meu Deus!!!! Um horror.
    Tais, obrigada pela visita e volte sempre, mas não fique à porta....entre, fique à vontade e pode remexer tudo que ninguém a vai aborrecer; não há funcionários na " loja" e a dona não costuma ser desagradável para com os " clientes" E se fogem? Não posso correr esse risco.
    Beijinhos
    Emilia

    volte sempre, da próxima com algumas palavrinhas

    ResponderExcluir
  24. Rsrsrsrsrsrsr! Dá vontade de continuar lendo, seus textos, Tais!... De leitura imparável, do princípio ao fim...
    Tem dias assim... em que parece que não tem mesmo nada que sirva à gente... mas depois... lá vem um... em que a gente só encontra coisas que sirvam, até a carteira ficar doendo...
    De qualquer forma... há que ficar atento... pois vendedor, sempre arranja argumento, para convencer a gente... de que até sapato apertado... cresce!... :-D
    Beijinho! Continuação de boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  25. Um momento um pouco difícil , o de fazer compras, pois na ânsia de vender querem nos convencer com argumentos sem sentido algum.
    Um abrasço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  26. Olá, Tais
    Essa de "sapato que cede, que alarga, que se dá ao pé" é antiiiga...
    Mas a da blusa que encolhe, eu não conhecia não! O mundo anda doido, minha amiga, não liga, não.
    Mas marido se engana quando diz que você é exigente, você é mas é "mulher inteligente", que não vai na onda dos outros: apoio.
    Agora, diz aí: chegar em casa e ter marido esperando pro cafezinho compensa tudo ;)

    bjn amg

    ResponderExcluir
  27. Uma vez a muito tempo fui na conversa do vendedor e levei um numero menor de sapato, o vendedor, que me atendeu, disse que não tinha meu numero, e qualquer coisa podia trocar, Chegando em casa, provei e me senti desconfortável com o sapato justíssimo. Votei pra trocar no intervalo do almoço, e perguntei pelo vendedor, foram chamar e quando soube do que se tratava, nada de aparecer, mandaram chamar ele novamente, e ele nada. Até que um colega dele vendedor também, disse: denuncie ele ao gerente, ele é acostumado a fazer isso, e acaba nos prejudicando, "entrega ele". Fiz isso não, fui noutra loja da rede, num rua ao lado, e encontrei o mesmo sapato , agora com meu numero. Mas é isso, eles fazem tudo pra empurrar o produto. Detesto também quando tem aqueles vendedores fungando o nosso cangote: - Já foi atendido, senhor? Gosto de compra em lojas tipo a C & A, que você escolhe sem ser importunado e vai direto para o caixa pagar. Beijos, Tais Luso.

    ResponderExcluir
  28. Retrato fidedigno do cotidiano Taís.
    Eu sou bloqueado, tenho que comprar o que os meus olhos agradam,
    não adianta vir com opções, que vou embora serenamente.
    Engraçado com o exercício do "empurrômetro" é praticado no comercio.
    Eu figo quero um chinelo de couro, a moça vem oferecer sandalias Rider, me poupe viu!
    Um abração com carinho amiga.Bju

    ResponderExcluir
  29. Taisinha,

    Tantos amigos teus (nossos) já fizeram comentários tão bons sobre "Coisas do cotidiano...", que a mim resta dizer que, a cada dia que passa, tu escreves melhor, nesse gênero tão importante e agradável que é a crônica, com esse estilo tão pessoal, que tem a tua marca.

    Beijinhos daqui do escritório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Pedro, há anos que me encontrei no gênero 'crônica'. Lembro que fui tateando para encontrar meu estilo, colocar meu traço. Li montes de cronistas e com eles aprendi muito. Tenho muito gosto por elas, e quando fazemos o que gostamos, a coisa flui bem mais fácil...torna-se um prazer, o mesmo que pintar uma obra.
      Bem, mas falando nessa crônica, cheguei em casa transfigurada! Nada deu certo naquela tarde maldita. Ainda bem que teu cafezinho me amansou...rs
      beijinho!! Adiante!

      Excluir
  30. OI TAÍS!
    LI O ÚLTIMO POST SOBRE O "RUI CASTRO" E LOGO VOU LÁ PARA COMENTAR, MAS POR UM IMPULSO E PELA IMAGEM QUE ILUSTRA ESTE, RESOLVI LÊ-LO E COMO SEMPRE, ME DIVERTI MUITO. ÉS UMA EXCELENTE CRONISTA E TUA VEIA CÔMICA TORNA AS LEITURAS MUITO BOAS E "PRA FRENTE".
    A PARTE DOS SAPATINHOS ME FEZ RIR POIS ME VI EM TEU TEXTO JÁ QUE TAMBÉM COSTUMAVA IR A TODOS OS LUGARES COM MEU SALTO ALTO E AGORA ESTOU ME RECICLANDO COM OS BAIXINHOS E PENSO EXATAMENTE ASSIM, TEM QUE SER RASTEIRINHO? TUDO BEM, MAS TEM DE SER "CHEGUEI" TAMBÉM, ENTÃO ME VI ALI.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso