15 de dezembro de 2016

O PIPOQUEIRO DO MEU BAIRRO




- Taís Luso

Ontem, ao voltarmos do almoço, e quase entrando em nossa rua, eu e o meu ilustre avistamos ele, o pipoqueiro, com sua carrocinha psicodélica, perfumando a rua com o cheirinho de pipoca doce. Ao nos avistar, o homem abriu seu sorriso, nada econômico. Não é todo dia que temos o sorriso de um pipoqueiro; não é moleza empurrar carrocinha e esperar pelos desocupados que querem comer a pipoca que os outros fazem - assim como eu. Naturalmente, ele conhece todos os moradores do bairro e adora um bate-papo. Deve ter lá seus sessenta aninhos, bem alegres - o que lhe acentua um ar mais jovem.
Parar naquela carrocinha foi nostálgico, mesmo depois do almoço. Bate uma vontade louca de comer pipoca, de voltar no tempo. De estancar esse louco relógio da vida. E pipoca é marca registrada de infância, onde pipoqueiros e sorveteiros andavam pelas ruas, empunhando uma corneta, e avisando à criançada a hora do lanche. Então mergulho na minha infância, com meu coração em festa e sem cerimônias. Não é pipoca de micro-ondas, é pipoca de carrocinha! Um ritual que me agrada. Mas a razão dessa crônica, não é a pipoca, é o pipoqueiro!
Homem simpático, sabe falar e adora música. Mas vejam as músicas que a criatura escuta: jazz, tango, MPB, música Italiana, fado. Mas Ué!!... Logicamente demos corda no homem, pois seria interessante ver até onde iria sua história.
Pois bem, sendo a figura  fissurada em música,  nos contou que gostaria de ter sido cantor. E eu, já escrachando, lhe disse que gostaria de ter a voz da Nana Mouskouri ou da Sara Brightman - parecem anjos cantando... Para minha surpresa, perguntou-me se eu já tinha escutado a Sara cantar Chanson D'enfance! Disse-lhe que era uma de minhas preferidas. Pedro, até então postado na sua observação, entrou mar adentro depois do pipoqueiro falar em jazz. Pronto!! Bombou a conversa! E logo veio o tango de Astor Piazzolla, que o pipoqueiro conhecia um monte!
E pensei de imediato que mistério haveria naquele homem, uma vez que pipoqueiro e jazz não combinam muito? E mais Astor Piazzolla?? Mama mia... Só faltaram os clássicos. Mas agora lembro que ouvi ele dizer que gosta demais de Andrea Bocelli...
Enquanto ele enchia o pacote de pipoca e a conversa rolava  caminhando pelos labirintos da vida, descobrimos que o pipoqueiro, até pouco tempo, era animador de eventos! Carregou  o seu arsenal musical por anos a fio.
Só faltou uma coisa: descobrir o que teria acontecido! Mas eu jamais perguntaria sobre isso. Já está de bom tamanho as surpresas que a vida nos apresenta. Talvez um dia pergunte de suas leituras preferidas. Mas juro: se o cara me disser que lê Faulkner, Joyce, Baudelaire, Tchekhov, Nietzsche... Aí me mato!
Ou vou vender pipoca... Leve e solta.







54 comentários:

  1. Pois é, no nosso imaginário do dia-a-dia não há pipoqueiros que cantam, conhecem literatura e falam com desenvoltura. Daí o assombro. Gostei da crônica, interessante e instigante, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Taís,muitas vezes nos surpreendemos com as pessoas,e esse pipoqueiro além de vender pipocas deve ser bem culto.
    Adorei a crônica.
    Bjs e um lindo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Cara amiga Tais, qual o maior mérito do cronista, na minha modesta opinião? A de colocar, sempre que o tema for viável, o leitor dentro da cronica. Pois então, isso ocorre quase sempre nas tuas cronicas. Claro que há vários outros quesitos em os quais tu exercitas pleno domínio, produzindo em nós a satisfação da boa leitura.
    Após a degustação do texto, fico com a impressão de que conversei com o pipoqueiro, senti o cheiro da pipoca, ouvi até os acordes do Piazzolla...
    A existência nos proporciona momentos inesquecíveis, né amiga?
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. oi Taís, em tempos onde parece que uma nuvem cinza cobriu os céus das cidades e tudo já foi visto por nossos olhos e não há mais surpresas interessantes a serem descobertas e a mesmice impere e nos cubra de desagrado pela curiosidade nas ações da humanidade e todos parecem agir feito robôs saídos de uma linha de produção, fazendo tudo mecanicamente,... é bom saber que ainda existam coisas que nos causem espanto. Mesmo que seja o gosto musical do vendedor de pipocas. rs

    Continue inspirada nos presenteando com ótimas crônicas, como esta.

    Beijos. Boas Festas!

    ResponderExcluir
  5. Amiga ... e quantas vidas escondem "algo" semelhante!
    Mas "valeu" pela conversa e todos nós deveríamos "ganhar tempo" em abordagens similares!!!
    bj amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um fim de semana repleto de paz natalícia ... condimentado com muito Amor familiar ... muitos sorrisos e excelentes partilhas!!!

      E ao "bater das doze badaladas" que seu coração se encha de ESPERANÇA em concretização se sonhos e projetos!!!

      Um beijo da amiga Gracinha!!!

      Excluir
  6. Pois é minha amiga por vezes temos destas agradáveis surpresas e são elas que nos fazem ter confiança num futuro melhor.
    Sempre que oiço esta musica do Andrea Bocelli e da Sara Brightman dá-me sempre um arrepio, é de uma grande beleza.
    Um abraço e bom fim-de-semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  7. Taisinha, ficamos os dois surpresos com o que conhece de música o nosso simpático amigo pipoqueiro. No início da conversa, cheguei a pensar que ele estivesse lendo os nomes que citava de cantores, cantoras, músicos instrumentistas e de gêneros musicais. Mas, na medida que a nossa conversa foi se alongando pude perceber que esse novo amigo é um conhecedor de música, principalmente quando disse que gosta muito da parceria do famoso tenor italiano Andrea Bocelli com a célebre cantora inglesa Sarah Brightman. Parabéns pela excelente crônica.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  8. deliciosa crónica, minha amiga.

    pela vivacidade e minuciosa com que descreve esse seu novo amigo
    quase me atrevo a afirmar que ele, o "Pipoqueiro", leu os clássicos todos...

    beijo

    ResponderExcluir
  9. Tais você consegue prender nossa atenção do princípio ao fim nas suas crônicas e nesta ainda me fez rir muito. Realmente o 'seu' pipoqueiro é surpreendente, eu o levaria para casa para continuar esse bom papo, tão difícil de se encontrar hoje em dia.
    Parabéns pela crônica maravilhosa, amei! E pelo seu achado, o pipoqueiro,é claro.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  10. ... rsss, eu é que estou me divertindo com os comentários de vocês!!!
    Todos ótimos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Frequentemente, por detrás de pessoas que, aparentemente, por erróneo juízo de valor, parecem desinteressantes, há um mundo fantástico de humanidade e riqueza que nos atraem, como auras... Então, entabulando conversa, saem coisas idênticas a esta que narraste. Adoro quando me cruzo (ou me faço aproximar) com este género de pessoas. Fascinam mesmo!
    Adorável a forma como narraste, como sempre, aliás.
    BJO, Tais :)

    ResponderExcluir
  12. Como se costuma dizer, " quem vê caras não vê corações " e nao é preciso um diploma nas mãos para se ter conhecimentos sobre vários assuntos; não faltam diplomados, que, exceptuando a área de formação, não conhecem mais nada. É muito bom quando encontramos pessoas de " bem com a vida" apesar de ela lhes dar tão pouco; enchem-nos de alegria, Tais e alem disso dão-nos uma grande lição. Esse vai ter um Natal feliz com toda a certeza. Adorei a cronica, chegou até aqui esse cheirinho a pipoca e, se no video que publiquei a tristeza apareceu, nesse teu encontro foste recompensada. Amiga, " temos sorte, sim, a nossa ceia vai ter fartura, alegria e pessoas queridas sentadas à mesa; saibamos agradecer! Para ti e para os teus, que essa sorte, essa bênção continue em todos os dias que a vida te conceder. Um beijinho grande
    Emilia

    ResponderExcluir
  13. Interessantíssima a cronica do inusitado pipoqueiro, Tais. Que gosta de MPB, musica clássica, opera... Nos causa espanto pelo estereotipo que estamos acostumados. Disse que ele promovia eventos até pouco tempo, talvez fosse ex-funcionário de alguma empresa arregada disso, agora vendendo pipocas, por questão premente de sobrevivência. As vezes a gente se engana, viu, não dá nada. Encontrei um que estudou comigo que vendia pipocas também e falava muito bem de sua atividade informal, e mostrava-se satisfeito com o lucro que obtinha. O segredo era ficar em lugares estratégicos, me contou, porta de cinema, etc. E Feliz Natal, Guria

    ResponderExcluir
  14. É Tais,
    A vida é uma surpresa...minha mãe semianalfabeta sabia a Bíblia inteira?
    Gosto de pipoca, mas só como em casa...Suja os dentes.kkk
    Eu só bebo suco, "sacou"?
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  15. Todo es ambiente navideño, los vendedores que nos ofrecen las palomitas de maíz, la buenas melodías que se van escuchando y los recuerdos que nos vienen de un pasado feliz.
    ¡FELICES FIESTAS AMIGA!

    ResponderExcluir
  16. Tais, que maravilhosa história. Pergunte ao teu ilustre que certa tarde dos anos sessenta almoçamos em uma fina churrascaria de Blumenau e como chovia muito ficamos ao final a esperar uma estiada e eis que chegou um mendigo a nos pedir uma cachaça. Como foi sincero e direto pagamos e o convidamos para sentar-se à nossa mesa. O homem era de uma erudição extraordinária e para testá-lo pedimos que nos compusesse um poema sobre a chuva que não parava. Eis que fornecidos pelo garçom papel e caneta, ele escreveu um poema, que creio ainda o ter guardado com os meus apontamentos antigos. Dizia assim: Esta chuva gotejante / parece de alguém chorando / E faz me lembrar de quando / Na chuva eu chorei bastante... Ali ele contava um rompimento (se nós quiséssemos) ou imediatamente mudava o teor para uma história alegre. O cara era "O CARA!..." Pergunte ao Pedro. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas essa história de vocês é ótima, eu não sabia! Pedro lembrou dessa e de uma outra (já em POA) em que um mendigo se aproximou da mesa do bar e Pedro disse que naquele momento não poderia atendê-lo, que vocês estavam tratando de algo muito sério. Foi na época da PUC. E o homenzinho perguntou: sério, jovem? E o que tem esse mundo para levar tão a sério? Daí sentou-se e ficaram de papo... Olha só o mendigo filosofando!! Já era em Porto Alegre. Lembras disso? Realmente têm umas tiradas na vida que são para guardar. Laerte, adorei teu comentário, fizemos da nossa janta o 'Momento Nostalgia'...
      Um abraço do tamanho dos pampas, amigo! Valeu.

      Excluir
  17. Tais, Tais, gosto de vir aqui porque sempre tem surpresa boa. Hoje foi o pipoqueiro. E a história escondida atrás do carrinho... É amiga, as lições vêm de onde menos imaginamos.

    Sempre bom vir aqui minha querida. Aproveito para desejar boas festas para você e todos os seus amados e amadas. Que seja caloroso e afetuoso o bastante para seguirmos acolhidos pelo ano que chega...

    Grande abraço, boas festas e muito obrigada pelo carinho de sempre no Palavras

    Leila Rodrigues

    ResponderExcluir
  18. Que delícia te ler,Taís e me fez lembrar o pipoqueiro da minha infância...Fia uma bela viagem no tempo( e looooooooooooooooooooonga!!) bjs, tuuuuuuuudo de bom,chiuca

    ResponderExcluir
  19. Mais uma vez certifica-se o dito popular: "As aparências enganam..." Por aqui há taxista= engenheiro; serviços gerais= advogado; vendedor= administrador de empresas... e por ai vai... Na 'crise' criaram alternativas... Novos tempos!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. De animador de eventos, a 'pipoqueiro'!
    A vida é mesmo cheia de surpresas agradáveis e desagradáveis...
    É hábito definir como ser inteligente, aquele que tem facilidade em adaptar-se e, sendo assim, não há dúvida que se trata de uma pessoa sobredotada...
    Uma crónica muito interessante e com um acompanhamento musical que muito aprecio.
    Dias de pré-natal muito aprazíveis.
    ~~~ Beijo, querida Taís ~~~

    ResponderExcluir
  21. Há muitas pessoas cultas que têm um trabalho modesto. E isso é bom, até dá para uma conversa interessante.
    Mau mesmo, é ver gente em cargos importantes que são meios analfabetos. E isso é muito frequente.
    Gosto das suas histórias. E esta é bem interessante.
    Querida amiga Taís, tenha um bom domingo, uma boa semana e um FELIZ NATAL.
    Beijo.

    ResponderExcluir

  22. O Amor de uma poetisa não é como os outros...
    É um amor que somente ela consegue transmitir...
    o Amor de uma poetisa é profundo, sincero e verdadeiro.
    porém nem todos conseguem entender, tamanha profundidade dos seus dizeres. A não ser, aqueles que poetisa seus verso nas paredes do seu coração...
    Uma poetisa quando ama se entrega como qualquer outra, mas é nas profundezas de seu sentimento que ela encontra sua inspiração.
    Uma poetisa não ama por amar, ela apenas ama o que lhe faz inspirar.
    Uma poetisa se entrega de verdade, porém ela deixa o seu coração falar.
    O amor de uma poetisa precisa ser valorizado, pois é um dos mais lindos sentimentos que existem.
    Uma poetisa quando ama entrega seu coração as suas palavras ao seus versos. Pois o seu amor pela poesia é maior que qualquer coisa.
    Feliz é a pessoa mulher que possui o dom de poetizar.
    O amor de uma poetisa, fala mais alto que qualquer nuvem carregada, ao destacar seus caminhos em palavras.
    Amo seus escritos, minha poetisa!!
    Deixo-te um abraço carinhoso em cada um deste lar, seguido de um bj em seu coração.. Um abençoado final de ano a cada um de vcs!

    ResponderExcluir
  23. Que frase lindo "o homem abriu seu sorriso, nada econômico."
    Nãom só as pessoas cultas têm interesse para a cultura .
    Abraço

    ResponderExcluir
  24. Oi, Taís Luso, boa noite !
    É sempre assim. De onde menos se espera,
    chega a surpresa.
    Deve ser um homem muto interessante, um
    verdadeiro vendedor, de qualquer coisa,
    principalmente de pipoca doce, cujo aroma
    senti por aqui.
    Um carinhoso abraço, querida.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  25. Querida Taisamiga

    FALHANÇO TOTAL

    Mais um post da SAGA DA ALZIRA que hoje mete assalto. Polícia e xilindró. Pouco recomendável para pessoas sensíveis – ou de doentes cardíacos.
    Como é habitual, peço o obséquio da maior divulgação do texto. Obrigado
    Henrique, o Leãozão (muito envergonhado…)

    ResponderExcluir
  26. Retribuindo os votos de Feliz Natal... Feliz Natal prá você e os seus também amiga e fiel seguidora de longas datas. Beijos!

    ResponderExcluir
  27. A vida às vezes nos surpreende com situações assim. Talvez por isso nunca se deve julgar o livro pela capa. Adoro quando me surpreendem assim. Também eu adoro Andrea Bocelli e esse dueto é maravilhoso. Feliz Natal amiga com muita saúde paz e muito amor. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  28. Gostei tanto de a ler Tais. Cada pessoa é um mundo por descobrir. E até eu fiquei curiosa de saber o que ele lia... Também gosto de pipocas e também elas me levam à infância...
    Música maravilhosa.
    Um Natal BOM e um Ano Novo MELHOR.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Pois cada pessoa tem sua história de vida
    e a vida provoca muitas mutações.
    Foi uma conversa interessante e inesperada.
    mas agradável.
    Aproveito, para lhe desejar a si e sua
    Família um Feliz Natal.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  30. Uma crónica deliciosa e uma música extraordinária.
    Taís, desejo-lhe um Natal muito Feliz e um Ano Novo pleno de sonhos realizados, alegrias constantes, amizade e amor sempre presentes, excelente saúde, e incontáveis momentos felizes.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  31. Boa noite Tais.
    Suas cronicas são sempre interessante. E a humildade de voces acho lindo. Muitas vezes as aparencias enganam. Qual será a historia desse pipoqueiro. Pois pelo relato é uma pessoa culta. O que sera que aconteceu para hoje vender pipoca. Cada um com sua historia de vida. Um lindo Natal e prospero Ano Novo para voces. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  32. No le extrañe que el vendedor hubiera leído a Joyce, incluso a Nietzsche. Yo aún no me he repuesto de la conversación que tuve en Barcelona con el repartidor de una furgoneta, sij con turbante y filólogo de hispánicas, que en un ascensor hizo una crítica de la Metamorfosis de Ovidio que era una tesis.
    La vida puede dar giros que nos vuelvan del revés.

    Le deseo unas muy Felices Navidades.

    ResponderExcluir
  33. No grande palco da vida passam-se os anos,
    mudam-se os capítulos, trocam-se alguns atores
    e alguns espectadores são substituídos, mas a
    verdadeira beleza desta história está nas personagens
    que permanecem nas cenas mais queridas.
    A todas as personagens que estiveram comigo este ano,
    que participam e participarão dos próximos capítulos
    de minha vida desejo Boas Festas, Feliz Natal e um
    Ano Novo cheio de paz, magia e esperanças!!!

    Bjusssssssss

    ResponderExcluir
  34. A vida nos surpreende. Esta é uma história que me desperta muita curiosidade. Mas já entrei em táxi com motoristas que falam expontâneamente da sua trajetória que me surpreendem. Boas festas.
    Este ano tive a boa descoberta de seu blog.

    ResponderExcluir
  35. OI TAÍS!
    É, MUITAS SURPRESAS A VIDA NOS RESERVA E TEU TEXTO SÓ ME PROVA QUE "BATER PAPO" É A MELHOR COISA DO MUNDO, KKK.
    QUE LEGAL, UMA PESSOA QUE PODERÍAMOS JULGAR LIMITADA PELA PROFISSÃO SIMPLES QUE EXERCE, COM TODO ESTE CONHECIMENTO.
    AMIGA, TE DEIXO HOJE MEUS VOTOS DE UM BELO NATAL JUNTO AOS TEUS, REPLETO DE MUITA PAZ E AMOR.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  36. Gostei de reler o seu excelente post.
    O meus votos de um FELIZ NATAL e de um BOM ANO NOVO, querida amiga Tais.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  37. Essas pessoas simples exalam conhecimento e bagagem de vida, é sempre bom conversar com gente assim.

    Beijos e boas festas

    ResponderExcluir
  38. Melhor vender pipoca... que a vida fica logo mais doce... vai ver que foi isso que faltava na vida do pipoqueiro... algo que lhe adoçasse mais os dias... e não me surpreenderia de os seus gostos de leitura, fossem igualmente requintados...
    A vida dá muitas voltas... também fiquei curiosa, sobre o que teria motivado, tão grande mudança...
    Como sempre, um prazer imenso, ler o que escreve, Tais!
    Deixando um beijo imenso, e os meus votos de um Santo e Feliz Natal, para vocês!
    Tudo de bom! Festas Felizes! Antes do final do ano, ainda passarei por aqui...
    Ana

    ResponderExcluir
  39. Maravilhoso Tais!

    🎄🎅FELIZ NATAL🎄🎅

    ResponderExcluir
  40. Minha querida amiga Tais, tão bela e comovente e muito bem escrita história, como disse alguém, quem vê cara não vê coração rs...
    Estou em casa com minha mãe, e estou muito feliz por isso, e quero te desejar tudo e mais para ti, o dr Pedro, teus filhos e todos mais que amas. E obrigado por atravessar mais um ano com palavras boas e reflexivas para mim.
    ps. Carinho respeito e abraço

    ResponderExcluir
  41. Uma boa e simples tigela de pipocas pode demonstrar, nas mãos de Thais Luso, que ela pode ser produto a ser consumido com fina companhia intelectual!
    Feliz Natal, bom 2017!
    Beijos

    ResponderExcluir
  42. Tais
    Há casos em que o homem, quando preciso, deita mão a tudo para prover o seu sustento, quiçá o seu e da familia.
    Felizes Festas Natalinas.

    ResponderExcluir
  43. Querida Taís
    Hoje vim deixar o meu abraço pela festa natalina
    Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo que você viva sempre com muita felicidade.
    Beijos com imenso carinho,
    Gracita


    ResponderExcluir
  44. Interesante relato e impresionante personaje, increíble en estos tiempos.

    Gracias por su visita y comentarios y también ¿cómo, no? por sus deseos de felicidad en estas entrañables fiestas.

    Hoy he acudido -espero que haya sido con el tiempo suficiente- para desearle, de todo corazón, que estas fiestas transcurran en paz y armonía, felicidad y amor. Y deseo que el próximo año le depare la realización de algún sueño largamente perseguido. Un abrazo fraterno desde Alcalá de Henares,

    ResponderExcluir
  45. Oi Tais,
    Obrigada pelo carinho
    Se eu sarar volto, mas colocarei uma postagem por semana
    Um Natal abençoado para você e toda a sua família e amigos
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  46. Boa tarde, querida Tais!
    Como sempre crônica espetacular, de um simples encontro, com uma figura pitoresca, ou com o pipoqueiro você tem o material necessário para nos presentear com uma leitura muito interessante.Lembranças.......Pipoqueiro, vendedor de algodão doce, sorveteiro e tantos outros que fizeram parte de nossa infância maravilhosa. Interessante ele ter um conhecimento tão rico em obras clássicas, revela-nos que é um culto conhecedor ou quem sabe já viveu desta Arte. Tais, aproveito para desejar um santo e abençoado Natal junto à sua família!Beijos!

    ResponderExcluir
  47. Bom dia querida Taís
    Desejo que tenha um domingo de paz e muita luz neste dia natalício
    Um beijo com carinho

    ResponderExcluir
  48. Olá Taís: vim agradecer a simpática visita e dizer que já me tornei seguidora. Gostei muito desta crónica e vou voltar mais vezes.
    Votos de umas Boas Festas e de um próspero ano novo
    Bjn
    Márcia

    ResponderExcluir
  49. Felices fiestas.
    Gracias por pasar por mi blog.
    Es de agradecer.
    Besos

    ResponderExcluir
  50. Querida amiga Taís, mais uma crónica linda!
    Depois de a ler lembrei-me do senhor que nos levou as malas para o quarto do hotel, que, sabendo que éramos de Coimbra, falou da universidade deixando-nos pasmados! Era licenciado em História e conhecia bem a de Portugal.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  51. Nossa, Taís! Estou arrumando as malas para ir a POA só para conhecer esse pipoqueiro, que revela seu coração musical sem mistério. Um pipoqueiro assim em cada esquina deixaria a eternidade mais próxima de todos nós. E da leveza da tua escrita, dizer o quê?
    Beijos,

    ResponderExcluir
  52. Cheguei.......!!Andei por aí e hoje tirei o serão para este
    Blog que me encanta.Coloquei a leitura em dia e a satisfação me
    deixou no nível certo. É um balsamo ler as suas crónicas, que eu
    tomo por verdadeiras, tal a forma divertida e convincente como as conta.
    Sabe que sou seu fã, pelo que não dispenso estas leituras, junto a
    toda a medicina que me acompanha fielmente....
    Não posso deixar passar o momento, sem desejar muito Boas Festas a si e ao 'Respectivo' ( o marido), bem como um Ano Novo livre de males maiores e corações mais abertos e solidários....direi mesmo
    tolerantes.....Eu não sei se conseguirei... vai ser difícil...Fraquezas...
    Abraço

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso