18 de janeiro de 2017

O SILÊNCIO É DE OURO...



- Taís Luso

Essa é uma das atitudes mais difíceis a serem tomadas: silenciar. Na maioria das vezes, seja nos relacionamentos familiares, no trabalho ou na roda de amigos, é preciso usar dessa estratégia, do silêncio. Sentir o ponto exato de calar não é fácil. Podemos mostrar nas entrelinhas do silêncio, algo que cale mais fundo do que uma palavra provocativa. Um olhar substitui muitas palavras.
É de se pensar naquelas intermináveis discussões onde as acusações predominam. Todo aquele que acusa com certa agressividade, jamais voltará atrás. Seu orgulho não pode ficar ferido! Já está tomado pela paixão e vaidade que uma discussão acarreta. Mas nada daquilo colocado em confronto vale mais que a paz ou merece uma noite de insônia.
Porém, se o silêncio for mal usado, se o silêncio for para encobrir uma mentira não será silêncio, será uma grande injustiça. É uma linha muito tênue a observar nessas horas. Nesse caso a palavra se faz necessária, o silêncio não atingiu sua finalidade.
Não raro confundimos silenciar com omitir. Silenciar é zelar para que o estrago não seja maior. Calar em nome do bom senso. Eu já me arrependi de ter falado, porém nunca me arrependi por ter ficado calada. Não deixaria que alguém fosse condenado se minha palavra servisse para inocentar.
Segundo Sêneca os desgostos da vida nos ensinam, cada vez mais, a arte do silêncio. E um dia cada um aprenderá a medida certa para ser mais feliz.

________________________

Existe no silêncio uma tão profunda sabedoria que às vezes
 ele se transforma na mais perfeita resposta!
(Fernando Pessoa)


44 comentários:

  1. Parabéns!Falaste tudo, nada a acrescentar! Adorei e assim penso! Omitir-se não é silenciar, mas silenciar pode ser muitas vezes, o melhor...

    bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  2. Taís,muitas vezes o silêncio se faz necessário,mas quando é preciso falar para desabafar ou inocentar alguém,a palavra tem que ser precisa e no momento certo.
    Adorei o texto.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Silêncio de ouro

    Há hora de falar e de ficar calado
    Contudo, mais diz o homem silencioso
    Se falar é bom, silêncio é precioso
    Já que nalgum ponto, assunto é esgotado.

    E não falar é comunicar-se figurado
    Enquanto um falante pode ser belicoso
    Se estiver num destravamento copioso
    Pode ficar então, chovendo no molhado.

    E perde-se o mais das vezes, quem fala muito
    Porque, são tantas as minúcias que detalha
    Que acaba não dizendo nada que lhe valha.

    Porquanto o silêncio deve ser um intuito
    Falando pouco, tem qualidade de vida
    Pois, ouça mais, terá existência divertida.

    ResponderExcluir
  4. Me quedo con el silencio para meditar, para esperar, para no molestar...si nada sale de nuestros labios que sea bello, mejor el silencio.
    Abrazos y gracias por esta entrada.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde, querida Taís!
    Tao bom o silêncio em todos os sentidos e saber silenciar mente e corpo (também o coração) das coisas ruins ou não tão boas, é sabedoria pura e grande Dom!
    Bjm muito fraterno e um abençoado 2017!

    ResponderExcluir
  6. Exato, Taís. O silêncio, quando não comprometedor da vida cotidiana, é por demais valioso. Tive esta experiência, quando advogado no Júri, há anos!
    Meu abraço, moça bonita!

    ResponderExcluir
  7. Excelente reflexão! A inteligência emocional orienta-nos para sabermos calar e ouvir... Rico aprendizado.
    Como diria o prêmio Nobel de Medicina de 1903, Roberto Koch: “Um dia a humanidade terá que lutar contra a poluição sonora, assim como contra a cólera e a peste”. Talvez o silêncio seja uma dessas armas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. No sé si será la edad, pero cada vez valoro más el silencio. O, por lo menos, escuchar sonidos naturales.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Boa noite querida Tais.
    Nem tenho palavras, já disseste tudo. Há um enorme diferença no silencio e omissão. Omissão é falta de amor, se calar contra algo injusto é falta de amor, caráter e ainda pior covardia. Eu já passei por algo bem dificil, o falar ou calar diante de algo injusto. Optei por falar, mesmo sabendo que ira sofrer por isso, mas que saber nada é comparável a se calar diante de algo errado. Hoje eu deito e durmo em paz pois sei que fiz o certo. E o silencio é algo valioso nos momentos certos. Como dizem o silencio vale ouro. Mas uma postagem maravilhosa e muito reflexiva. Amiga vim tomar o sorvete com cobertura, deixou um pouco para a gente, a minha filha também que e ainda mandou perguntar se é de chocolate kkk [ brincadeira] Uma linda sexta- feira. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  10. Oi Taís
    Por isso é que se diz que o silêncio vale ouro. Sabendo o momento exato de silenciar somos mais verdadeiros e ponderados e com esta postura não nos ferimos e nem causamos feridas em outros corações pois uma palavra agressiva no contexto de uma conversa acalorada tem o poder de romper laços que julgávamos indestrutíveis. Falar sim quando a nossa palavra tenha como objetivo ser a promotora da paz, da justiça e da serenidade.
    Beijos minha querida

    ResponderExcluir
  11. Na verdade, em muitas ocasiões o silêncio é uma arte e necessário.
    Magnífica reflexão, gostei muito.
    Taís, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Muito correcta a frase de Pessoa, como sempre sábio. Sabes Tais, sempre fui uma pessaoa " de pacio curto" como se costuma dizer, mas com o passar dos tempos fui aprendendo a controlar-me, até porque ha pessoas que não merecem a nossa resposta. Há amigas que eu sei, quando dizem alguma coisa querem a minha resposta sincera e a essas eu digo o que penso, mas com outras aprendi que o que querem é que eu concorde, que diga sempre " amen" às suas atitudes; estas,, primeiro, eu evito encontrar e, se não conseguir, deixo-as falar e,ou silencio ou digo " amen; não merecem a minha sinceridade. Custa-me muito ficar calada quando vejo uma injustiça ou quando me falam de outras pessoas e não estão a ser correctas; aí sim , falo sempre só que com mais cautela e menos rispodez. Creio que só o tempo nos vai dando essa consciência de falar o necessário e escolher a melhor maneira de o fazer, de modo a que não criemos um conflito ainda maior. Não gosto de pessoas que estão sempre de acrdo comigo, Tais e convivo com algumas, porque acredito que não sejam sinceras; não é possivel que eu tenha sempre razão ou que as minhas atitudes sejam perfeitas; isso, simplesmente não existe . Amiga, parabéns pela crónica, muito pertinente numa sociedade em que o " politicamente correcto" é moda. Um bom fim de semam. Um beijinho
    Emilia

    ResponderExcluir
  13. o silêncio por vezes é eloquente, tem razão, Tais
    mas costuma dizer-se também que "quem cala consente"
    por vezes é necessário também.
    e falar alto - com murro na mesa, se necessário.

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Manuel, tudo depende do momento, da situação. Por vezes o silêncio se faz necessário, outras vezes a palavra fala mais alto. Mas lhe digo que quando se tem razão, quando a verdade está conosco, não há argumento que a gente não derrube; a força da nossa palavra triplica. E penso que não há necessidade de um barraco.
      Beijos.

      Excluir
  14. Excelente! Uma das melhores cronicas que eu já li por aqui. Sabia, Tais Luso! Bjusss!

    ResponderExcluir
  15. Olá Taís,
    Magnífica reflexão sobre o silêncio.
    Como disse o imperador romano Marco Aurélio: «O silêncio é uma resposta demolidora».
    A mim, não me preocupa o silêncio falso e invejoso. Preocupa, e muito, o silêncio da revolta, solidão, tristeza e desistência. Fala quem sabe, amiga.
    Beijo e bom fim-de-semana.

    ResponderExcluir
  16. O silêncio aplicado na altura certa....., é sempre mais
    assertivo, que uma ´bronca'. Eu aplico muito o silêncio....
    Se resulta....
    Mais uma bela crónica.
    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Oi Tais,
    Eu não tenho costume de ficar calada, veja uma bobeira: hoje fui ao açougue, o açougueiro aguçou minha vontade e disse: amanha vou fazer um bolo salgado com queijo, aí por brincadeira disse: leve um pedacinho pra mim e ele respondeu: tá aqui a receita, copie e faça.
    Como mineira que não tem papa ma língua disse: pode guardar sua receita, eu não preciso receita para fazer esse bolo. Esqueceu que sou mineira?
    Bom domingo
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  18. Muito verdadeiro seu post,amiga!Obrigada pela visita.Paz Profunda para seu fim de semana!Beijos sabor carinho.Donetzka

    ResponderExcluir
  19. Cheguei por curiosidade. Li este texto. Gostei. Li o segundo, e fiquei com vontade de ler mais. Vou voltar.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderExcluir
  20. ...nas horas certas é precioso mas pode virar-se contra quem tanto quer silenciar!
    Gostei de ler...bj amigo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gracinha, aí depende da situação; há situações que é melhor o silêncio, outras os argumentos. Mas quando a discussão descamba, quando parte para um bate-boca terrível, leva à baixaria, aos barracos, nada melhor do que encerrar o 'papo'. É degradante.
      Beijo, amiga.

      Excluir
  21. Dizem que quando um não quer, dois não brigam. E é totalmente verdade. Se alguém quer brigar, discutir a qualquer custo, é melhor se calar mesmo. Muito bom esse texto. Posso dizer meu relacionamento coma as pessoas mudou totalmente quando passei a fazer isso. Silêncio é ouro, é tesouro.

    ResponderExcluir
  22. Um belo texto minha amiga e estou completamente de acordo com o Sêneca.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  23. Gostei muito deste texto sobre o silêncio. Eu amo o silêncio. Mas se é preciso falar, também não me calo. O difícil é essa arte, de que fala, de saber o instante que preserva tanto as palavras como os silêncios...
    Uma boa semana, Taís.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Encantado com tanto de positivo nas suas palavras que nos poderá fazer refletir!
    Uma boa semana.
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. Taisinha, gosto de modo especial desse tema, que é tratado nesta tua ótima crônica com muita correção: silêncio. Como tu dizes, silenciar diante de alguém que fala com suposta convicção, como se fosse o dono da verdade, é tarefa muito difícil. Também não é fácil saber em que momento devemos calar, pelos motivos mais diversos. Mas, o que é mesmo importante é silenciar, quer numa conversa particular, quer quando estamos entre amigos, parentes ou conhecidos. Sempre que fiquei em silêncio em conversas tumultuadas, sai lucrando, no que diz respeito à minha paz, minha saúde. Gostei muito. Parabéns.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  26. EL SILENCIO ES MONUMENTO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  27. Cara e sábia amiga Tais, perfeito o pensamento do também sábio poeta Fernando pessoa. Pois é, haja sabedoria e discernimento para conciliar silêncio e palavra; haja tato e percepção usar estas ferramentas na justa medida, sem frustrar ou magoar alguém. Não é fácil exercitar a arte do convívio.
    Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  28. Siempre seremos tan esclavos de nuestras palabras como dueños y señores de nuestros silencios. Sin embargo, como muy bien señala, hay veces que el silencio es cobardía y cooperar con el mal que otros hacen.

    Interesantísimo y muy bien desarrollado tema. Gracias por las palabras que ha dejado usted en mi blog. Saludos cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
  29. Não matem as avenidas da Liberdade

    ResponderExcluir
  30. Calo-me. Silencio-me. E, neste caso, quem cala, não consente. Só concorda com os seus argumentos. Dá-lhe razão. E há tanta luz em suas palavras, há um esplendor de luz, que até as sombras ficaram iluminadas. E para quem disse que iria calar-se já dou um pretexto para se fazer supor que oculto alguma coisa (rsrs). Então, me calo, pois gosto de observar a cadência do meu silêncio. Parece eterna.
    Beijos, minha cara amiga!

    ResponderExcluir
  31. Brilhante post.
    Concordo plenamente, o silêncio é do ouro.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  32. Oi Linda
    Eu só olho para corrigir, nunca falo. Da mais certo.
    Beijinhos
    minicontistae

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só olho para me corrigir, nunca falo.Da mais certo( Aprendemos com os erros)
      Beijinhos
      Minicontista2

      Excluir
  33. Querida Amiga, Taís Luso, boa noite !
    Uma aula de advertência e bom senso,
    com a qual concordo plenamente.
    Parabéns pelo assunto abordado, de
    relevante importância.
    Um carinhoso abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  34. Hola Taís. El silencio es bueno pero es mucho mejor hablar, charlar con quien sea aunque lo hagamos con una vecina un poco cotilla, siempre sacaremos algo bueno de esa conversación.
    Un saludo desde Madrid

    ResponderExcluir
  35. Uma boa noite Taís!
    Uma observação perfeita de que o silenciar jamais pode cobrir uma injustiça.
    E sabemos o quão grande é arte do silencio bem gerenciado.
    Muito bom texto para gritar aos ouvidos para não silencio que faz estragos irreparáveis.
    Meu terno abraço
    Bjs de paz amiga.
    Que a semana esteja linda e leve com paz.

    ResponderExcluir
  36. O silêncio tal como as palavras... tem que ser muito bem gerido... e por vezes pode ter também um efeito dúbio...
    Há silêncios que não defendem... mas que compactuam...
    Há palavras que denunciam e se fazem necessárias... por vezes para repor verdades...
    O silêncio ajuda à convivência... mas para mim tem um defeito... nem sempre é esclarecedor... pelo que por vezes... tem mesmo de ser interrompido... com algumas verdades...
    Um excelente texto que nos deixa a pensar sobre esse ténue ponto de equilíbrio, que nem sempre é fácil encontrar... entre o falar... e o calar...
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  37. Querida Tais:

    Me quedo con esta frase de William Hazlitt, literato ingles: “El silencio es el gran arte de la conversación”.

    Hay momentos que es preferible callar.

    Un fuerte abrazo amiga

    ResponderExcluir
  38. Olá Taís!

    Cheguei aqui por acaso, mas não foi por acaso que gostei do seu magnífico texto repleto de sabedoria.
    Deixo um beijinho e vou adicionar-me aos seguidores...

    ResponderExcluir
  39. Tocaste, muito bem, os pontos essenciais sobre o ato de calar e ou de falar perante alguma circunstância da vida em que, direta ou indiretamente, estejamos envolvidos. A prudência é sempre a melhor atitude. Para mim, não é difícil adotá-lo porque sou ponderada por natureza. Meço as palavras, não gosto de ser mal interpretada. Mesmo assim, ocorrem mal entendidos.
    Bj, Tais :)

    ResponderExcluir
  40. Querida amiga Tais, pego para mim as lições deste texto, silenciar, a arte de saber silenciar. Muito falei, antes de entender que tenho duas orelhas e uma boca. Mas meus últimos anos de vida amadurecimento 50 anos em matéria de silenciar sem culpa, apenas ouvir e se não precisar falar, calar-se. Talvez seja o peso de meu meio século que faço este ano, confesso que tenho um pouco de medo, e o medo também me cala...sem partir para meus comentários recheados de dor e angústia, um belo texto, uma bela lição.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  41. Muito importante observações. O silenciar e omitir, mas fica ainda nos entremeios as interpretações dadas para cada uma destas ações.
    Muito bom texto como de costume. bjs

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso