9 de dezembro de 2012

UM NATAL ENCANTADO



- Tais Luso de Carvalho

Quando eu estiver bem velhinha quero ser sustentada pelas minhas lembranças e ter a lucidez para lembrar do meu Natal Encantado: o de minha infância, o Natal de meus 7 anos. Até então, sempre esperava pelas recompensas do bom velhinho: por ter passado de ano, por ter sido uma boa filha, pelas minhas boas ações e pelas verdades que sempre disse.

Porém, sempre fui meio invocada com um grande armário que ficava na garagem de nossa casa. Sempre fechado, sempre trancado. Chegou um dia que eu tinha de transgredir, tinha de ver o que havia lá dentro. E parti para o trabalho: andei por todos os cantos, por cima e por baixo de tudo  procurando aquela safada chave. E nada. Então peguei uma chave de fenda e comecei a escavar a beirada das portas.

Consegui abrir a primeira porta: só cacarecos! Parti para a segunda porta e dei de cara com bolas, guirlandas, brilhos e penduricalhos  de nossa árvore de natal. Nada me parecia anormal.

Mesmo com o medo, sabia que estava fazendo algo de errado, fui para a terceira porta: dei de cara com uma roupa vermelha, barba, touca, cinto e botas. Estava ali minha inocência, minha infância, minhas fantasias! E fechei a porta deixando lá dentro todo o meu desencanto. Começou ali minha intimidade com a mentira do mundo em que eu vivia.

Por quê? Por que fui arrombar aquele armário que guardava - para mim - uma imagem de amor e de bondade, com a intenção de não trazer à tona um mundo de hostilidades e de violências? Foi-se meu Papai-Noel... Ali, naquele momento, tive a sensação de ficar mais madura - ou despojada de sonhos. Tive uma pequena  amostra do mundo em que eu vivia.

Abri a porta novamente e peguei a roupa vermelha, o cinto e as botas e deixei tudo isso em cima da cama de meus pais, com um bilhetinho (escrito todo errado, mas que corrijo aqui): ‘Pai e mãe: daqui pra frente eu não preciso mais de Papai-Noel, aqui está tudo!’.  Lembro que quiseram me dizer algo, mas eu não quis ouvir; eu acabara de destruir uma de minhas mais queridas ilusões. Eu só conseguia chorar.

Com isso, atesto que temos duas comemorações distintas: a primeira é o Natal encantado da criança; a segunda é o Natal do adulto. Esta última é uma tentativa de estender ao máximo o Natal de nossa infância. Um esforço para resgatar amor, solidariedade, fantasia e ilusões. Mas isso só é possível quando acreditamos na roupa vermelha, na barba branca e nas botas pretas.  Quando a gente descobre a verdade sobre o bom velhinho, só nos resta brincar de faz-de-conta... É o que tenho feito até hoje: com alegria, mas sem ilusões. E com uma incrível saudade.



66 comentários:

  1. Cara amiga

    Muita sensibilidade em seu texto, é verdade que Papai Noel, Cegonha, Coelho de Páscoa, Duendes, são a barreira que separa o maravilhoso mundo da infância do terrivel mundo real. Seus pais quiseram colorir seu mundo infantil, prolongá-lo ao máximo, mas só descobrimos isso quando nos tornamos adultos. Hoje sinto uma grande saudade do tempo em que meus filhos acreditavam no Papai Noel.
    Bernardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bernardo, ótimo Natal pra você e sua família.
      Resta-nos a saudade, e agora, a alegria de adultos.

      Excluir
  2. Simplesmente lindo! Como sempre perfeita em sua colocação, uma dosagem certa entre a razão e a emoção!
    Adorei quando vc diz: " quando estiver velhinha quero ser sustentada pelas minhas
    lembranças"... e o que é a vida senão aquilo que vivemos senão aquilo que guardamos no peito e em nossa memória... é a nossa história que vai sendo contada diariamente, e sendo arquivada, em um computador que nunca envelhece, e que não morre jamais! Nessas horas sentimos saudade, de um tempo que não voltará, mas que jamais será esquecido!
    Eu soube do Papai Noel na escola, mas em casa eu fazia de conta que não sabia de nada...e assim fui levando...lembro-me de uma boneca que eu amava, " Meu Benzinho", mas ela perdeu uma das pernas, e eu não quis mais, e hoje me arrependo, pois poderia ter guardado...
    Sempre estamos abrindo portas umas de verdade outras imaginárias, mas sempre em busca de uma verdade...e a sua chegou, tarde ou cedo, um dia iria acontecer, mas o mais importante,é que tudo isso como vc mesma disse, um dia servirão de lembranças, de uma garotinha levada, curiosa, mas mto, mto feliz!
    Bjos mil.
    Wal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Wall, é verdade, pelo menos deixamos registradas nossas histórias. Cada uma tem a sua, muito particular. Inesquecível.
      Ótimo Natal pra você e sua família. Um dia teríamos de saber a verdade, mas pena que foi tão cedo!
      Beijos!

      Excluir
  3. Gostei muito deste seu texto. Aconteceu algo parecido comigo quando tinha praticamente a mesma idade. Apenas no meu caso foi uma situação fortuita. Conversas entre amiguinhas, umas mais despachadas do que outras, que me levaram a desconfiar e, de seguida, a ter a certeza. Foi apenas uma das minhas desilusões que implicam o crescimento.
    Agora também é bom. Reúno sempre cerca de 30 pessoas em casa e, embora já não tenha crentes, a festa é sempre grande. Os da casa; eu, o meu marido o filho, a filha, a nora e o futuro genro, só recebem os presentes no dia seguinte. Estes aparecem no sapatinho que deixamos junto da árvore de Natal, e são abertos de manhã enquanto vamos tomando chocolate quente e comendo rabanadas.São todos surpresa.
    É uma tentativa de manter um certo encanto.

    Bom, mas o que eu vim aqui fazer foi mesmo dsejar um bom Natal e um ano de 2009 cheio de tudo o que são os seus maiores desejos.

    Um beijo aqui de tão longe mas que vai, certamente, chegar aí com a força com que eu o envio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, tudo será uma tentativa para resgatar a inocência, o sonho e a ilusão.
      Lindo Natal!

      Excluir
  4. É o Natal da Infância (o tal Encantado) que "sustenta" os demais da vida que se vive...

    Um beijo Taís,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande beijo, Lucia, lindo Natal pra você e família!
      Bom tê-la aqui, amiga.

      Excluir
  5. Interessante ler este seu texto hoje, Tais, quando em uma conversa informal com meu filho de 5 anos, tive receio de que seu Natal encantado já não existisse e eu não tivesse percebido! Ele dizia para sua irmã caçula que lobo mau não existe, falava com tanta convicção que me preocupei: ele já foi infectado pelo vírus letal da realidade, quando morrem os encantos e os heróis da infância! Então perguntei se Papai Noel existia, ao que ele me respondeu de imediato: claro que sim! Ufa - respirei aliviada - este Natal está salvo! rsrsrs

    Compartilho da nostalgia de seu texto, sinto a mesma saudade dos tempos do Natal Encantado! Como você, descobri a dura e cruel verdade fuxicando nas coisas de meus pais... Que tristeza entender que Papai Noel não existe, que fomos enganados aqueles anos todos! Mas cresci sem traumas e hoje me alegro muito em trazer de volta o Natal Encantado de minha infância para meus filhos, como isso é bom e como é saudável! Depois dos filhos crescidos, virão os netos... e a certeza de que a vida, com suas magias, sempre se renova!

    Beijo grande, e que o Papai Noel te surpreenda neste ano, trazendo de volta um Natal Encantado...hohoho! rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsss, te dou hohoho!
      Sabe, meus filhos não entraram nessa de Papai Noel! Eles sempre saíram junto pra comprar os presentes pra todos, fazíamos tudo sempre juntos, então eles tinham casa enfeitada, presentes e festa. Mas nunca tiveram a ilusão do Papai Noel, coelho e cegonha. Sabiam desde o começo da realidade, não tiveram desilusão. E até hoje adoram Natal - os presentes!!! Viraram consumistas! rss.

      Excluir
  6. Papai Noel e Cegonha, quando a gente descobre que eles são uma farsa dá uma desilusão danada.
    Mas sabe Tais, eu sofri muito por descobrir que cegonhas nao existia, mas adorei saber sobre papai noel, já que eu nunca recebia nada que pedia. Nem eu e nem meus irmãos e sofria por isso, pois achava que a gente não era importante e nem amados, já que meus primos recebiam tudo que queriam. A diferença era que na minha casa eram 6 filhos e na casa dos meus tios no máximo 2... Então adorei saber que papai noel não existia... Só fiquei sem entender na época o seguinte: Se cegonha não existe, pq aqui em casa tem tanto menino??? Isso devia ser mais bem dividido né??
    adorei sua história de infância! Desde pequena é uma curiosa mesmo heim?? Fiquei rindo aqui disso.
    bjks doces e uma boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra você ver, a tal cegonha nem lembro de minha reação. Acho que nunca levei a sério... A do Papai Noel descobri sozinha, arrombando o armário, louca de medo. E era uma ilusão linda.

      beijão pra você, um lindo Natal - de adulto! rsss.

      Excluir
  7. "A curiosidade matou o gato" (rsssss), desculpe mas não resisti.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está coberta de razão, rssss.
      Beijos, querida.

      Excluir
  8. Querida Taís, tem certas coisas que é melhor não mexermos...tem certas coisas que é melhor deixar como está!
    Beijos,
    Martha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Martha!
      Você tem razão, sim, mas impossível para uma criança de 7 anos e curiosa: paguei bonito...

      Obrigada, um beijão e um lindo Natal pra você e sua família!

      Excluir
  9. Oooh...Acontece com todos nós, de um jeito diferente, mas um dia a inocência vai embora. Minhas filhas, que têm oito anos, estão começando a duvidar... Não tenho coragem ainda de contar. É um restinho da infância. Um abraço grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rovênia! Pois é, penso que dessa maneira até poderá ser melhor, não vai haver traumas, rsrs. Boa sorte na revelação! Elas já devem estar desconfiando...

      Um beijão!

      Excluir
  10. eu tambem queria voltar ao meu mundo do faz de conta onde a espera do papai noel me deixava ansiosa e feliz..hoje a realidade chega cedo demais as crianças é uma pena..porque sonhar é bom..parabéns pelo lindo texto..beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria, é verdade, as nossas ilusões, fantasias de infância nos mantinham longe da uma realidade muitas vezes dura, ainda mais observando a vida dos adultos, cheios de rancores e outros sentimentos próprios dos que 'amadureceram'.

      Bom tê-la aqui, amiga, muito obrigada!
      Beijos, volte sempre.

      Excluir
  11. Querida Taís,
    Foi bom ver você no meu blog e é sempre muito gratificante passar por aqui e sentir que você nunca perde a mão e quem vem não perde a viagem, você continua ótima.
    Meu beijo e meu carinho,
    Dalinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Dalinha, você sempre gentil, carinhosa! Gosto de seu blog, mostra muito o autêntico através de seus poemas. Você escreve o que é. Sem confetes e purpurinas.
      Mil beijos, amiga!

      Excluir
  12. Sensacional Tais, lindo. Você acabou pagando pelo excesso de curiosidade o que é natural da idade. Acho que cada um de nós teve este dia de decepção na vida. O encanto para mim caiu quando meus pais me convidaram para sair com eles e me pediram para escolher naquele momento o meu presente. Sinceramente eu senti um vazio tão grande que não escolhi nada.
    Cadê a magia da surpresa, acho que as luzinhas de Natal passaram a brilhar menos pra mim. Hoje como sei que isto acontece sempre com as crianças, fico pensando, que adultos serão, sem lembranças, sem encantamento. Um grande abraço. Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino sua decepção, Lourdinha, para quem estava esperando o bom velhinho... Você paralisou! Agora é levar o Natal como dá, sem muito brilho, tornou-se uma festa de confraternização, apenas.

      Meu carinho pra você, como sempre adoro você aqui.

      Excluir
  13. E acho que essa é uma boa forma de levar, que a saudade seja a presença...

    Feliz Natal e ótimo 2013!

    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rafael, um feliz Natal pra você também e que 2013 seja melhor do que 2012!

      Um Abraço Natalino!

      Excluir
  14. Querida Tais,fiquei muito emocionada com a leitura que acabei de fazer.Você fez colocações perfeitas que devem, com certeza, caber um pouco na vida de cada um de nós.Lembrei do Natal da minha infância e chorei literalmente.Seu texto está simplesmente maravilhoso.A magia do meu Natal também tem uma história ,mas um pouco triste.Parabéns amiga, pela postagem.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Marli, todos nós temos histórias que emocionam e muito interessantes. Cada vida tem suas riquezas; cada um tem seus tesouros, sejam alegres ou tristes, mas não menos bonitos.

      Grande beijo, amiga!
      Gosto muito de tê-la aqui.

      Excluir
  15. Tais: Lindo texto para não dizer maravilhoso adorei imenso. Feliz Natal com tudo de bom:
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Santa Cruz, um grande abraço pra você aí da querida Lisboa! Muito Obrigada e um lindo Natal pra você e sua família.

      Excluir
  16. Lindo te ler e é mesmo isso que acontece... Acredito que temos que deixar a magia do Natal acontecer durar por tempo indeterminado e quanto mais, melhor. Mesmo nós adultos, gostaríamos de poder acreditar num P.Noel... Lindo te ler! beijos,chica e desde já, FELIZ NATAL!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um lindo Natal pra você também, Chica, e saudades daqueles Natais que você tão bem narrou.

      Beijosss

      Excluir
  17. Oi,boa noite!
    estou seguindo aqui.
    muito bom seu blog seu blog!!
    beijos
    MIRTHY.
    sweet--hope.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem-vinda ao blog, Jéssica!
      Beijos pra você e um lindo Natal.

      Excluir
  18. Nossa que crônica emocionante!
    Lendo aqui percebi que a magia do papai noel é tão contagiante,quanto a decepção de saber que ele não existe,depois...
    Beijos!
    Izildinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, minha querida Izildinha, você aqui sempre me traz muita alegria! Você sabe o tanto que lhe quero bem!
      Mil beijos, que seu Natal seja iluminado, como as almas dos poetas.

      Excluir
  19. Olá Tais,
    Parabéns pelo excelente blogue.
    Voltarei... sem quaisquer dúvidas.
    Boas Festas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Teresa, bem-vinda ao blog!
      Obrigada por suas palavras: seu blog, suas matérias são também excelentes. Recomendo daqui.
      Boas Festas!

      Excluir
  20. Venho hoje muito especialmente, desejar-lhe e a sua Família
    um Feliz Natal.
    Um beijinho
    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Irene, muito obrigada!
      Para você e sua família desejo o mesmo e muita paz para 2013.
      Beijos pra você!!

      Excluir
  21. Querida amiga

    Que neste Natal,
    diante das pessoas que amamos,
    possamos ofertar a elas,
    o melhor presente
    que desejassem receber:
    Nossa vida...
    Nosso carinho...
    Nosso coração.

    Para quem crê na vida,
    Natal se faz a cada dia.
    Que assim seja o Natal
    Em tua vida.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aluísio, muito obrigada, desejo, também, a você e sua família um lindo Natal e um 2013 com muitas realizações e com muita paz.
      Grande abraço, amigo!

      Excluir
  22. Minha querida Tais,

    Tantas lembranças você fez aflorarem em minha alma, com teu belo e real Conto de Natal...minhas ilusões, meus desapontamentos e minhas alegrias...a decepção ao ganhar uma carrocinha de leite quando queria uma boneca, expressa em palavras revoltadas aos meus pais (Papai Noel acha que sou um menino?), os sonhos não realizados e a minha irmã que nunca admitiu ter descoberto a verdade, cultivando uma mentira durante muitos anos...enfim, você me fez viajar à infância e foi muito bom.Como muito bom foi ler este primoroso texto, com sabor de infância.

    Um Natal iluminado para você e sua família...que a magia da Noite Feliz te traga de volta os sonhos infantis.

    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Leninha, esses são os resultados das mentiras. Por que acreditar em Papai Noel, Coelhos e outras coisas que nos empurram? Nunca permiti que meus filhos vivessem, mesmo por pouco tempo, num mundo de faz de conta. Mesmo agora, com essa avalancha de presentes em que faz a alegria dos comerciantes, acho errado. Em nome de quem esses presentes? Dos Reis Magos que vinham presentear Jesus? O sentido já é outro.

      Mesmo assim, desejo Boas Festas pra você e sua família, que reine a paz, a harmonia e a solidariedade.
      Beijos, querida.

      Excluir
  23. Não sei se meu comentario chegou a ser enviado pois tive uma queda de energia aqui em casa. Em todo caso foi mais ou menos assim.
    Quando eu tinha cerca de 7 ou 8 anos me paicontou a mim e a meu irmão a historia de São Nicolau que originou a figuras de papai noel. Ele disse que davamos presentes uns aos outros para lembrar que Jesus recebeu presentes quando nasceu. Entendemos e vinmos aquela explicação como sinal de confiança de nosso pai em nos. Não ficavamos na ilusão do papai noel mas não destruiamos a ilusão de outras crianças. Cada um que acreditasse nop que quisesse.
    Da uma olhda neste texto sobre a figura natalina.

    http://www.steacher.pro.br/christmas.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sig, seu pai teve uma visão mais verdadeira e sábia, talvez. Por que plantar esse tipo de ilusão para depois ter de remendar a mentira contando a verdade e não nos poupando de uma desilusão? É o tipo de coisa que acho que não precisamos. Os filhos precisam de amor, dedicação, carinho e acima de tudo acreditar em seus pais. O resto é balela, é querer suprir outras coisas que faltam.

      Boas Festas pra você e sua família. E se quiser, acredite que 2013 vai ser melhor... rsrs.

      Excluir
  24. ‎.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•★♥ Hoje venho desejar saúde, paz, amor e muita alegria... FELIZ NATAL!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Lilás, Boas Festas pra você e sua família. Que 2013 seja um ano de muita paz para todos nós.

      Grande beijo.

      Excluir

  25. Olá Tais,

    Você ficou mesmo desiludida, pois mostrou a seus pais, com atitude, o seu despertar para a realidade. Passei desta fase de ilusão sem qualquer espanto. Nem me lembro de quando deixei de acreditar no bom velhinho, mas gosto de ver esta magia nas crianças.

    Desejo-lhe um lindo Natal, de luz e amor. Que 2013 seja portador de grandes alegrias e de muita paz.

    FELIZES FESTAS!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera, geralmente os pais tentam espichar o máximo de ilusão nesse Universo infantil tão importante, faz parte da infância, do nosso mundo. Mas isso ficou lá atrás, hoje vejo como algo muito normal tais descobertas. Fui metida, paguei. Hoje só me resta rir de minha desilusão. E não repeti com meus filhos, desde pequenos curtiram que o tal Noel eram seus pais, nós... Afinal, eles que escolhiam seus presentes! Mas contudo, adoro o natal.

      Beijos, amiga, um lindo Natal pra você, também.

      Excluir
  26. Que menininha sapeca e determinada você foi!! (rss) Não existe o bom velhinho, mas cultivamos o renascimento de Cristo em nossos corações, celebrando o Natal com sua verdadeira essência.
    Desejo-lhe momentos de união e amor, ao lado das pessoas que ama, pois estas não têm as cores da ilusão. E que o novo ano lhes proporcione inúmeros momentos de alegria. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs, fui determinada, mesmo, amiga! E me dei mal. Mas hoje está tudo superado e serviu para uma crônica. Sempre se tira algo positivo, não?
      Um grande beijo pra você e Boas Festas!!!

      Excluir
  27. Excelente crônica amiga! Feliz Natal e Ótimo 2013!

    Marco Rocca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marco, obrigada. Um lindo Natal pra você e sua família.
      Que 2013 seja um ano muito positivo!

      Abraços.

      Excluir

  28. En estos días tan especiales llegue a ti mi cariño con el deseo:

    Que siempre tengas palabras cálidas en un frío anochecer,
    Una luna llena en una noche oscura,
    Y que el camino siempre se abra a tu puerta
    Que los problemas te abandonen, los ángeles te protejan, y que la luz te cubra acunándote.

    Para ti y seres queridos Feliz Nochebuena...Feliz Navidad!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Abuela, muito obrigada por suas palavras. Desejo a você e sua família um lindo Natal e um 2013 muito feliz.

      Com carinho.

      Excluir
  29. Tais.
    Em 2013, fruto do constante processo de renovação do blog, estaremos alterando a forma e a função do Urbanascidades, focando os temas na Arquitetura e no Urbanismo, e de certa forma "retornando ao útero", em uma parceria com a Arquiteta Sílvia Gatti, do arquiteturadoimóvel.
    Mas para os que gostam do formato tradicional do Urbanascidades, os conteúdos e a temática atual vai continuar sendo publicada em 2013, agora em novo endereço, http://urbanasvariedades.blogspot.com.br.
    Desta forma, nossos leitores terão 03 opções de blogs, o urbanascidades, o urbanasvariedades e o arquiteturadoimovel. Esperamos poder continuar contando com suas visitas, comentários e participação,
    Um feliz 2013 para todos e muito obrigado por tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paulo, certamente estarei presente em seus blogs, sim! Mudanças são sempre bem-vindas.
      Boas Festas pra você e sua família!

      Excluir
  30. Tais, querida,
    Essa frase: Foi-se meu Papai Noel.....ribombou aqui dentro!
    Quantas lembranças!! Assim me senti quando descobri que não existia Papai Noel...
    Super bacana a sua história de Natal. Adorei!!
    Desejo-lhe um Feliz Natal e um Ano Novo maravilhoso junto da tua familia!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Vilma, cada uma de nós tem uma história sobre o Natal: tive essa, um descobrimento meio amargo, mas tive outras histórias sobre o Natal muito lindas. E assim é nossa vida, o que importa é saber remar conforme as ondas ou saber dançar conforme a música!
      Sempre muito bom ter você aqui.
      Que seu Natal e seu 2013 sejam muito bons!
      Grande beijo!

      Excluir
  31. Olá Tais,

    Que interessante tua reflexão. Gostei de sua menção aos dois natais! Me fizeste pensar sobre a importância que temos e devemos dar às nossas imaginações mas sobre a também verdade de estarmos com os pés no chão da realidade! O encanto e o desencanto, via de mão dupla que encantada a vida.

    Bos festas pra ti!
    Um beijo imenso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, R.Vieira! A vida sempre tem duas mãos, em tudo. A minha reflexão foi fácil, só contei o que eu vivi. Mas como disse á Vilma, é saber levar e aceitar, sabendo que temos encantos e desencantos.

      Um grande beijo e Boas Festas pra você e família!
      Volte sempre, amiga.

      Excluir
  32. Oi Tais!!!

    Que saudade eu estava de ler teus textos!!!! Desculpe-me a ausência! Gostei muito de sua crônica. Fiquei aqui a pensar em quantas fantasias nós adultos tentamos diariamente estender, são muitas!! Será esse nossa luta pela sobrevivência!? Pensei também nas crianças que também têm suas fantasias arrancadas bruscamente. "Dois lados de uma mesma viagem" como diz a canção!

    Um abraço enorme pra ti!
    E que a extensão da fantasia do natal pra ti seja absoluta!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa querida, sei que gostas do meu cantinho! Também adoro você aqui. Um lindo Natal e um 2013 muito feliz.
      Muito obrigada por este intercâmbio de 2012, adorei.
      Grande beijo.

      Excluir
  33. Um felicíssimo natal e um ano tri-legal!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Júlio, muito obrigada, pra você também, muita harmonia e paz.
      Beijos.

      Excluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso