30 de maio de 2019

COMERCIAIS - AMAMOS OU ODIAMOS




        - por Taís Luso

Poderia ser melhor esse universo da publicidade nas emissoras de televisão.  Um dos publicitários responsáveis pelos mais bonitos e inesquecíveis comerciais é, entre outros, o publicitário Washington Olivetto. Criou pérolas inesquecíveis. Mas há anos!

É de enlouquecer quando aparecem nas emissoras de televisão, comerciais barulhentos, poluídos e agressivos. Uma gritaria só, e pouco se absorve. A empatia já vem no primeiro dia: é amar ou odiar, deixar correr ou tirar o som e aproveitar o intervalo para tomar água.
Quando entram os comerciais, o som da televisão vai para as nuvens, coisa que dá a impressão de sermos todos deficientes auditivos. Quando nos damos conta, a família está neurótica e em pé de guerra:
- Baixa aí... baixa isso, Baixaaaaaa!!
- Calmaaaaa!! 
Pronto, todos malucos e o reservatório de paciência zerou. A primeira atitude é de raiva, a segunda é de não comprar o produto. Mas parece que os publicitários não percebem esse tipo de coisa. Ou percebem? Existem comerciais bonitos, verdadeiras pérolas.  Não agridem nossos sentidos. Até tocam o coração. Não os coloquei aqui, pois o assunto é outro. O primeiro ponto é nos identificarmos com os anúncios e depois comprá-lo.
Lembro de um comercial sobre um produto para matar baratas. Era de alucinar. Quando olhava aquela esquizofrenia,  juro que torcia pela barata!
Confesso que tenho fobia por baratas, mas nunca gritei daquele jeito ao me deparar com o bicho. Um negócio patológico! Falo desse comercial porque ele entrava dentro da minha casa, e ‘grito’ de mulher é coisa apavorante; é tipo morte anunciada. Mil vezes pior do que ver uma barata. Quando quero ver filme de terror dou uma olhada nesse comercial e fico satisfeita.
Também mostro aqui, um comercial anunciado tendo como cenário uma reunião de condomínio, bem exagerado, mas engraçado. Mesmo que seja exagerado lembra  reuniões catastróficas e que são escolas de neurose e de egoísmo - coisa própria dos humanos. Logicamente o exagero faz parte da criação. Mas no fundo, o objetivo é vender o produto, mesmo num mundo  desabando.
Mas não há dúvida que o mundo da propaganda nas televisões é infinitamente criativo e necessário, mas  seria pedir muito para ajustarem o volume e tornar uma coisa mais  suportável? Caso não dê, deixem assim, é só tirar o volume. Ou mudar de canal.

______________________________________

propaganda de um produto - 
numa  reunião de condomínio: criativo.
propaganda desesperadora! 




42 comentários:

  1. Uma maravilha de publicação em um assunto que quase ninguém cita.

    ResponderExcluir
  2. Que legal,Taís... Realmente não sei o motivo mas o volume dos comerciais nos enlouquece e há algumas ótimas propagandas, mas outras péssimas. Gostei dos teus exemplos, rs Só tu!!! Adorei! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Como en todo, amiga Tais, aquí también tiene que ver con buenos o malos publicistas.
    Sin duda una propaganda desagradable crea anticuerpos y deseos de comprar o contratar un producto de la competencia.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde de paz, querida amiga Taís!
    Não vou ver os vídeos, me desculpe... rs...
    Tenho pavor desse animal referido... Aqui, detetizaram o condomínio no mês passado por uma tal de francesinha que nunca tinha ciência da existência dela... compreie para dentro, um remédio injetável nao tóxico... melhor prevenir do que remediar.
    Quanto aos comerciais, devo lhe dizer que tem muito poucos lindos, eles marcam, falam ao coração de tal forma que até achamos que não estamos na tele.
    Vejo pouca tele como já disse aqui e, se vejo, filtro, como me diz meu padrinho...
    O tom aumenta e eu diminuo logo... nada alto fica bom aos tímpanos.
    Sempre muito boa sua crônica e inovadora.
    Tenha dias de serenidade e comerciais bons!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Há muito que deixei de ver TV. Oiço-a uma vez que o marido vê. Mas ele não vê anúncios. Muda de canal.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. A publicidade tem momentos geniais.
    Outros verdadeiramente deprimentes.
    Aqui em Macau só há momentos deprimentes.
    Ouvir um mosquito a falar da dona é um bom exemplo.
    Quem é que tem como animal doméstico um mosquito?????
    Bjs, bfds

    ResponderExcluir
  7. Dispenso a publicidade... 🤔😊
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Bom dia. Fantástica publicação. Adorei:))

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  9. Saber fazer publicidade é um talento que nem todos os publicitários possuem. Há publicidade muito boa e publicidade muito ruim. Gostei dos dois casos que mostrou no vídeo. Cada um cómico ao seu jeito… As suas crónicas são sempre muito agradáveis de ler.
    Um bom fim de semana, minha Amiga Tais.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

  10. Quando entram os comerciais, o som da televisão vai para as nuvens…
    Olá Tais, é isso mesmo esse som que sobe, e pensamos mas será verdade, ou será que eu mexi no comando?! ficamos perplexos que o som tenha vontade própria ?!!!
    Bem, na reunião de condomínio que tal pulverizar o ambiente com o remédio contra as baratas ?!…
    beijinhos, energias positivas para terminar a semana ! eh eh eh ...

    ResponderExcluir
  11. Un comentario muy real y por cierto mucho cambio los spot a lo largo del tiempo.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  12. Muito bem, Taís. Os comerciais são de lascar. Gostei de recordar, apesar dos pesares, esse da barata. Aliás, estúpido. Não era para gostar.
    Um bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  13. Tais, minha amiga

    é notável a sua persistência na desconstrução dos mitos da sociedade actual
    os seus textos, sempre inteligentes, permitem quase sempre "um outro olhar" sobre factos comuns do quotidiano e, assim, pela ironia ou pela indignação, tornar a vida mais "respirável".

    gostei muito do texto

    que nunca a sua voz se cale e a sua mão se canse.

    beijo, minha amiga

    ResponderExcluir
  14. Olá! Boa noite!

    Neste mundo virtual encontramos de tudo, mas o seu blog é maravilhoso, vale a pena seguir e já estou ficando, com certeza voltarei mais vezes.
    Criamos um blog para nossa escola- RAIMUNDO HONÓRIO, recém-nascido, mas será um prazer ter você seguindo e nos impulsionando com este trabalho virtual que estamos organizando no nosso cantinho que também é de todos!
    Tenha um fim de semana feliz e abençoado. Abraços.

    ResponderExcluir
  15. OI TAÍS!
    RELEMBREI, O DO MATA BARATAS É DE LASCAR.
    OS ANÚNCIOS MUITAS VEZES SÃO REALMENTE DE TANTO MAU GOSTO QUE FAZEM COM QUE AS VENDAS DIMINUAM, ACREDITO EU.
    ALGUNS SÃO COISAS PARA DOIDOS MESMOS E QUANDO ACABAM TEMOS UM GRANDE ALÍVIO SEM TERMOS ENTENDIDO O QUE REALMENTE ANUNCIAVAM.
    ABRÇS AMIGA. BOM FINDI.
    http://zilanicelia.blogspot.com.bcr/

    ResponderExcluir
  16. Bom dia querida amiga! Vim agradecer sua visita e por seguir nosso blog recém nascido. Seja sempre bem vinda!
    parabéns pelas crônicas, muito bem escritas. Um gênero literário que aos olhos de quem não entende é fácil, mas as normas aqui cuidadosamente, você segue. Os temas escolhidos propícios como este aqui apreciado.Parabéns! Abraços

    ResponderExcluir
  17. Mt bonito o teu post mt bem escrito gostei mt bjs bfs

    ResponderExcluir
  18. Excelente crónica, querida Tais.
    Eu não gasto os meus olhos visionando publicidade, mas por vezes oiço pois os "senhores" aumentam o som nos comerciais para chamar a nossa atenção.
    Mas já vi, não minto. Vi aberrações, mas também pequeninas-grandes maravilhas.
    O video que mostras, o da reunião de condomínio é fabuloso!
    Amiga, tu tens fobia de baratas, eu não. Mas de ratos, eu quase morro só de os olhar no papel. Felizmente nunca um rato me olhou de dentro do televisor. Se tal um dia acontecer... ficas sem esta amiga!
    Beijo, bom domingo.

    ResponderExcluir
  19. Oi Taís, muito legal seu texto! Cada vez assisto menos TV, poucos programas, mas não tenho paciência para as propagandas.
    Eu me pergunto, será que tem tanta gente que tem mau gosto e compra um produto relacionado a tal propaganda idiota?
    Uma coisa que me incomoda é também a diferença de volume de som de canal para outro, as vezes vc foge de uma propaganda e cai em um canal com som altíssimo que se tiver alguém dormindo acorda.
    Obs: Experimentei Mortein para para pernilongos e não funciona, imagine se o tal da propaganda vai matar baratas...A pessoa vai gritar de raiva por ter comprado um produto ineficaz.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Tais,
    Essa sua publicação é maravilhosa!
    A abordgem desse assunto é exata.
    O mundo das propagandas realmente é algo
    que me fascina na amioria das vezes.
    Detesto o aumento do volume
    inesplicavelmente como se fossemos
    comprar algo pelo grito.(aff)
    Eu mudo de canal na hora.
    E o 1º vídeo é mais ou menos
    desse jeito uma reunião de condominio,
    se por fora for calma nas intenções
    são exatamente assim.
    O 2º é mesmo de dar medo.
    Brigadin pela ótima postagem.
    Bjins
    CatiahAlc.

    ResponderExcluir
  21. Belíssimo texto, Tais! Diz tudo com propriedade e precisão sem perder a beleza literária, arte que dominas com maestria. Parabéns! Realmente a do Mortein era dose a mamute, para engolir aquela mulher escandalosa - torcer pela barata seria mais inteligente, mesmo. Grande abraço!
    PS. Mudaste o perfil - notei. Para não perder a piada das propagandas, digo que mudou a embalagem, mas o conteúdo com sua qualidade, continua o mesmo e o mesmo sorriso. Abraço! Laerte.

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde Taís,
    Um artigo excelente sobre um assunto que abomino, principalmente se estou a ver algo do meu agrado e durante 10 minutos ou mais a invasora publicidade não larga o monitor.
    Habitualmente mudo de canal...
    Não me prendo nos anúncios e não faço as minhas compras em função dessa gritaria que
    que invade meus momentos de tranquilidade;))!!
    Um beijinho e uma ótima semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  23. Boa noite querida Tais.
    Aqui em casa não assistimos canal aberto. Raramente assisto tv, so mesmo filmes na nefliz, e id. Mas ao ver os videos realmente de enlouquecer o da barata rsrs. Sempre muito criativa amiga e abordando diversos assuntos, cada postagem que lemos, gostamos mais do que escreve, sempre com bom humor. Um feliz més de junho para vocês. Grande abraço entendido para o Pedro e toda sua família.

    ResponderExcluir
  24. Quando reagimos aos anúncios comerciais já o som nos perturbou bastante. algo que deveria ser proibido. É uma ofensa à integridade física e emocional.

    Boa crónica, amiga Taís! Reclamar é preciso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  25. Boa noite querida! Vim agradecer sua visita mais uma vez, seu comentário e dizer que foi com muito orgulho que postamos uma das suas crônicas. Feliz estamos por você ter gostado. Parabéns mais uma vez e que Você seja sempre iluminada para continuar escrevendo tão bem. Abraços da família RH.

    ResponderExcluir
  26. Querida Tais, também faço parte da família RH e somos três prof. Que mantemos o blog. Seja bem vinda querida! bjuss

    ResponderExcluir
  27. Querida Taís, somos três professoras que mantemos o blog RH escrevendo sua história, entre nós, eu a prof Lourdes Duarte. Ficamos gratíssima por não se opor a postagem com sua maravilhosa crônica. obrigada! Seja sempre bem vinda! Abraços da família RH

    ResponderExcluir
  28. Querida Taís
    Antes de entrar aqui passei pelo "ARTES", como muitas vezes faço, embora normalmente não o refira.
    Gosto imenso de Michelangelo!
    Quanto à sua crónica, mais uma vez toca nos pontos essenciais. Ainda me lembro, há muitos anos (os meus filhos ainda eram pequenos) havia um programa sobre publicidade, onde mostravam os melhores anúncios. Não o perdíamos por nada! Era publicidade belíssima!
    Infelizmente isso passou, e agora raramente se vê um anúncio de jeito. Mostram-nos os maiores disparates como se coisas normais fossem, uma barulheira infernal que nos dá vontade de fugir a sete pés!!! NÃO SUPORTO! Comigo não ganham cliente.
    Achei engraçadíssimos os vídeos. Com algum (bastante...) exagero, o primeiro retrata bem o que são as reuniões de condóminos.
    Quando comprei esta minha casa, onde vivo há mais de 40 anos, comecei por acompanhar o meu saudoso marido a essas reuniões. Mas fui só a duas ou três. Desisti! Não tenho arcaboiço para tão grande baixo nível. Passou ele, o pobre, a sacrificar-se, porque alguém teria que nos representar. Agora, que não o tenho, passo sempre procuração ao administrador para me representar.
    Parabéns pela crónica. Está óptima, como habitualmente.

    Desejo uma semana feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  29. Querida Tais, vejo tão pouco televisão que nem sei dizer se o som aumenta ou não, mas sei dizer que já não se fazem pérolas como antigamente. Havia anúncios que faziamos questão de os apanhar, de tão engraçados que eram, mas agora, fugimos deles " como o diabo foge da cruz" . Lembraste daqueles anúncios do " Bombril " aí no Brasil? Só de olhar para a cara de quem o interpretava, já nos riamos. E aquele " camisa nova, Fernandinho ?" Lá para Guaratinngueta, toda a gente dizia isso, quando alguém vestia roupa nova. Por cá também existiam alguns que até hoje estão na memória e usamos quando a situação se assemelha. Hoje em dia , não conheço nenhum que me agrade e também não compro nada que seja publicitado; há anos comprei um produto de limpeza tão eficaz, tão eficaz que me tirou o brilho todo da banheira; ficou limpissima. Uso sempre o mesmos produtos e procuro aqueles que não sejam abrasivos. Como diz, a minha faxineira, o que limpa é a força na mão e por isso basta o sabão normal.. canso só de ouvir oa milagres que certos produtos fazem, seja na limpeza, na roupa ou até no nosso corpo. Milagres...até os santos , hoje, fazem poucos. Amiga, como sempre um assunto interessante, muito bem escrito, como é característica tua. Um beijinho e uma boa semana para os dois.
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Emília, tínhamos sim comerciais ótimos! Falas do 'Carlos Moreno' que ficou conhecido como o garoto do Bom-Bril (rssss) por anos! Um dos comerciais era esse abaixo, mas eram vários dessa linha. O dos cobertores Parayba, meigo, lindinho. E tantos outros.
      Beijo, querida!
      https://www.youtube.com/watch?v=S84DqPYAeT4

      Excluir
    2. É esse mesmo, Tais! Não me lembrava do nome do nome do " garoto Bom-Bril" e fui ao youtube ver. Os cobertores Parayba também eram uma delicia e, como dizes, tantos outros. Aqui aconteceu o mesmo, acabaram os que nos faziam rir e deixaram de ter interesse. ? Obrigada, amiga! Beijihhos e boa noite
      Emilia

      Excluir
  30. É sempre uma escolha cuidadosa o tema, o assunto por aqui. Depois o tratamento da linguagem. Simplicidade, leveza e objetividade. Uma pitada de humor. E claro a invenção. É nela que reconhecemos o sentido do texto, impondo a marca autoral. É o que não falta na sua abordagem, qualquer que seja o tema. De fato, a propaganda interessante escasseia, ao que me parece, em qualquer lugar do mundo. É a tal da globalização. O ruim também se espalha. Mas não esqueça que tudo se resume pela relação que com ela se estabelece... Muito bom o seu texto.
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  31. «A primeira atitude é de raiva, a segunda é de não comprar o produto.»
    Saiu-me gargalhada quando li, porque eu chego a jurar que jamais compraria tal coisa.
    Há, sim, muita violência tanto nos anúncios, como na forma como nos são impingidos.
    Agora invadiram a internet, haja paciência...
    Foi uma ótima inspiração para crónica, que resultou excelente: penso que todos estão de acordo consigo, a não ser que apareça algum publicitário incompetente. Sorrsssss...
    Terno abraço, querida Amiga.
    ~~~

    ResponderExcluir
  32. Estou limpando as lágrimas de riso, Tais!
    Um dos vários motivos, por que me ausentei no outro dia, quando fui até à Ericeira, foi mesmo para ir a uma animada reunião de condomínio por lá... tão animada, quanto o primeiro vídeo... e tão estridente, quanto o segundo vídeo!... :-))
    Mais uma maravilha de publicação, Tais!... Vou rever os vídeos!... :-D E rir mais um pouco!... É que o primeiro vídeo, então... fez-me mesmo... sentir em casa!!! :-D
    Então o som dos comerciais, também por aí, sobe ao infinito e mais além?... Estou vendo, que é um mal, à escala global... ter de aguentar publicidade furando os tímpanos!... :-P
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderExcluir
  33. Oi Tais! Me lembrou exatamente a casa de meus pais. Menina era assim mesmo no horário dos comerciais. Abaixa o volume ! com certeza, que todas as familisa já passaram por isso. Havia alguns comerciais que eu até gostava, O do bombril por exemplo ficou colado na minha mente . Era até agradável aquele cara. Rsrs Boa noite. Grande beijo.

    ResponderExcluir
  34. Os anúncios desde do surgimento da TV cresceram muito em criatividade, mas eu atualmente não presto atenção a nenhum, ou abaixo o volume ou vou fazer alguma outra coisa. Contudo, eles fazem lavagem celebral e registra o desejo da compra nos consumidores. bjs

    ResponderExcluir
  35. Querida Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    Felizmente, assistimos propagandas de bons
    níveis, compensando, assim, algumas não tão
    boas.
    O assunto abordado é bem interessante e o
    texto, como sempre, bem elaborado.
    Um fraterno abraço e um ótimo final de semana !
    Sinval.

    ResponderExcluir
  36. Belo texto, sem comentário publicitário....
    Na actualidade, é tudo EXAGERO.....Lembro um para
    publicitar um novo electrodoméstico....: a bagunça que
    é feita com os velhos equipamentos......um exagero..
    Bom fim de semana.
    Beijo

    ResponderExcluir
  37. Entiendo muy bien tu rechazo a estos comerciales. Personalmente yo mno veo publicidades por ejemplo si leo un diario, me salto la publicidad sin mirarla. La ignoro totalmente. Ni hablar de estas filmadas. Beijo, um ótimo fim de semana pela voce e Pedro.
    Y
    Muchas gracias por tus cariñosos comentarios en casa. Feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  38. Boa tarde, querida amiga, Tais,
    ótimos vídeos para ilustrar sua crônica, realmente as propagandas, na maioria das vezes nos tiram do sério. O vídeo da barata nos assusta, mas são os gritos das mulheres que mais parecem estar ensandecidas, aí, eu também fico com a barata, risos. A propaganda da marca Tigre é interessante, mas podia-se dispensar tanta quebradeira e tantos gritos.Hoje,há propagandas boas, que respeitam os ouvidos e inteligência de quem as assistem.Sua crônica como sempre, mostra a sua excelência ao escrever sobre os fatos que nos rodeiam. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  39. Que legal Taís, voce sempre atenta ao cotidiano, o que lhe faz uma excelente cronista. Este olhar atento, audição afinada e poder de critica aguçado. Uma bela cronica amiga e belamente ilustrada para a critica.
    Somos especialistas em publicidade, mas algumas extrapolam e muito o sentido normal das coisas e o objetivo a ser atingido.
    Parabéns amiga.
    Uma semana maravilhosa para vocês, estava numa estação desativada com o amigo Pedro com sua bela arte.
    Beijo amiga e obrigado sempre pela presença e incentivos.

    ResponderExcluir
  40. Os comerciais são desclassificados, sem nenhuma educação, essa é a verdade. Adorei a reunião de condomínio kkkkk

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por deixar seu comentário, se necessário for, deixarei resposta a alguma pergunta.
Abraços a todos
Taís