10 de janeiro de 2016

Os Últimos Desejos de Alexandre, O Grande





Alexandre, O Grande, um dos maiores conquistadores da história da humanidade, filho do Imperador Felipe II da Macedônia, nasceu em 20 de julho de 356 a.C. em Pella / Grécia.
Durante sua infância teve como professor o filósofo grego Aristóteles. Sempre apresentou vocação para governar e, aos vinte anos, após a perda do pai, assassinado, assumiu o trono onde ampliou seu domínio através de conquistas e acordos.
Alexandre morreu na Babilônia, a 13 de junho de 323 a.C. com a idade de 33 anos. O império que com tanto esforço edificou e que produziu a união do Oriente e do Ocidente, começou, então, a desmoronar.
Porém, à beira da morte, convocou seus generais e relatou seus três últimos desejos:
1.  Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época.
2. Que fossem espalhados no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados: prata, ouro e pedras preciosas.
3.  Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.
Um de seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões.
Alexandre explicou:
1. Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles não têm o poder de cura perante a morte.
2. Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem.
3. Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.
Pois égestos e desejos tão antigos e já vistos lá em 323 a.C.: "daqui não se leva nada". Mas parece que muitos viventes, em pleno séc XXI, ainda não se deram conta. Ou não tiveram tempo de aprender. Tudo muito estranho aqui na Aldeia...


______________________




22 comentários:

  1. Estive mais de meia hora aqui, no seu espaço.
    Dá para entender que gostei imenso.
    Vim procurar uma imagem e acabei por "levar" daqui muito mais do que isso.
    Gosto da maneira directa e interessante com aborda os assuntos, gosto dos assuntos que aborda, gosto da poesia que escolhe, dos poetas, das imagens...
    Enfim, voltarei muitas vezes.

    Parabéns.

    É bom começar o dia com surpresas agradáveis como esta.

    ResponderExcluir
  2. É uma verdadeira peça de filosofia esses três desejos de Alexandre, O Grande...e logo no Primeiro Ato. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Judeus, Tais, sofreram em Exilio quando governados pela maioria dos grandes imperadores da historia. Alias, todos, salvo um, especificamente Alexandre o Magno. Por isso, muitos clas judaicos tem o costume de nomear seu filho:

    Alexander.

    Bonito, ne? Belo texto!

    bjx

    RF

    ResponderExcluir
  4. Soneto-acróstico
    À sapiência

    Após aquelas fronteiras antes conhecidas
    Levou suas tropas para além, muito além
    E conquistou longínquas terras esquecidas
    Xenofobia nem pensar, não cabia desdém.

    Ainda que tenha um império conquistado
    Não foi só isso que legou pra posteridade
    Deixou a grande sabedoria como legado
    Referindo que é bobagem a propriedade.

    E que nada valem os conquistados bens
    Mais importante é fazer o bem somente
    Alexandre diz que não importa o que tens.

    Grande, como era conhecido este vivente
    Naturalmente merece os nossos parabéns
    O bom senso que legou ainda está patente.

    ResponderExcluir
  5. Su ambición hizo conquistar grandes territorios pero comprendió que nada se llevaba ni podía contra la muerte.
    Un feliz domingo

    ResponderExcluir

  6. Seu post me fez lembrar dessa excelente mensagem de Alexandre, o Grande e de muitas outras fábulas de Esopo que meu pai lia à luz do lampião, quando éramos crianças!
    Infelizmente, hoje, a vida acelerada de nossos tempos modernos, extingue os espaços para essas verdades incontestáveis!
    Belo resgate, Tais!
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Uma lição moral embutida na verdadeira filosofia de vida. Infelizmente, poucos, hoje, dão crédito à mesma... Fica a dica.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. RAZÕES DE UM ETERNO INSATISFEITO

    Vejo-o decrépito,
    O leque dos ossos à flor da mão...
    Um nauseabundo odor de ócio,
    De realização exala,
    Impregnando a sala.
    Do alto de sua poltrona mirante,
    Com ares de “Alexandre, o Grande”, observa...
    Tudo nos seus devidos lugares.
    O orgulho, na estante, reluzindo,
    E ele, aposentado, criando limo.

    Fábio, 09.03.91

    ResponderExcluir
  9. Oi Tais bom dia!
    Uma bela inspiração tua, Taís, de uma grande verdade.
    E já de volta de uma pequenina férias, ainda querendo só mais um pouquinho... rss.
    Te desejo um feliz 2016 para você e toda família, e te agradeço por tudo!
    Um beijão!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  10. Esse texto nos mostra que já tivemos exemplos sobre a impermanência dos bens materiais, mas teimamos em nos apegarmos a eles. Muita paz!

    ResponderExcluir
  11. Palavras de grande significado, que deveriam ser lembradas por todos. A necessidade de possuir muito, os olhos fechados às necessidades de terceiros, a ambição desmedida que assola a humanidade... mostram que do espírito as pessoas deixaram de cuidar. Uma ótima postagem Tais! Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Taisamiga

    Antes de partirmos para Goa (sábado. 16) venho aqui para te desejar (e ao Pedro) um 2016 muito feliz, com saúde e algum dinheiro...

    Poizé, por algum motivo ele foi Alexandre o GRANDE...
    Espero que vás à TRAVESSA e comentes, antes que fujamos...

    Qjs do Leãozão e abç para o Pedro

    ResponderExcluir
  13. Cara amiga Tais, Alexandre era um sábio. Aqui na terra brasilis, por exemplo, precisamos aprender estas velhas verdades, aliás, precisamos evoluir e muito!
    Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  14. Minha querida amiga Tais, na verdade não sabia muito desse Imperador (sempre aprendo por aqui rs), e a mais pura verdade nos salta aos olhos, porque apesar dos tempos, de todo este tempo, e onde estamos chegando, ainda não aprendemos, continuamos a valorizar o que não tem valor, como diz nosso amigo Dilmar, precismaos evoluir.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  15. Realmente ele foi o GRANDE!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Querida Taís concordo com você, estamos involuindo. Meu marido é de opinião que já está se formando uma sub-raça, por aqui nesta terra das "bananias".
    Aqui as lições do GRANDE, não iriam adiantar nada, provavelmente o povo iria fazer um arrastão pegar todo ouro, e ainda violar o caixão para ver se não tinha mais alguma joia dentro.
    É lamentável mas é nossa realidade.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  17. UN POST MUY, MUY INTERESANTE. GRACIAS POR COMPARTIRLO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  18. Oi Taís
    Isso conclui que o homem, mesmo o mais rico e inteligente, adoece, apodrece e não leva nada.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  19. Desejos sábios, com mensagens acertadas...
    Tais, minha querida amiga, tenha um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Tais.
    Alexandre morreu sabendo o que era de fato importante na vida. Precisamos evoluir e da conta que o nosso espirito precisa também ser cuidado, quem nenhum bens matérias compra uma vida, enfim saber que quando morremos levamos somente as nossas boas acoes e ruins, a qual sempre tem um preço a ser pago.
    Um feliz domingo e ótima semana. Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Há mais de dois mil anos o cara já pensava assim. E hoje, a humanidade custa a evoluir, ainda engatinha...
    Beijos, querida Taís!!!

    ResponderExcluir
  22. É de mãos vazias que chegamos
    É de mãos vazias que regressamos!!
    Enquanto o ser humano der mais valor ao materialismo do que aos aspectos morais, o verdadeiro amor pouco há de existir... Enquanto isto a humanidade em si, vai regredindo cada vez mais em seus atos egoístas.
    big bj querida tais.... amo tudo que escreves... é sempre bom evoluirmos com dizeres e saberes deixados por historias passadas.

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso