29 de março de 2010

UM PAÍS DESARRUMADO...



- tais luso de carvalho

Felizmente nem todos pensam como eu: tem gente que é feliz, que tem esperança, tem seu partido político, e acredita em mudanças. Dizem por aí que um dia a casa se arruma. Ter esperança é fundamental para uma vida saudável. Gostaria de tê-la, quanto ao nosso país.

Atualmente nossos políticos nos oferecem duas alternativas: a terapia da aceitação e a terapia do riso. Segundo alguns entendidos em saúde mental, rir é uma forma de libertar-se e de se comunicar. E quando perdemos o hábito de rir começamos a morrer. Então penso que chorar não adianta mais; me matar não resolverá nada, ninguém sabe que existo... (Acho que hoje estou um pouco dramática, vou suavizar.)

Bem, mas seguindo os conselhos mais saudáveis, resolvi, todas as segundas feiras entrar em terapia de apoio - antes de ficar pinel -, assistindo o humorismo do CQC, que na minha opinião é o melhor no estilo. Entro em alerta máximo: fico sabendo de tudo, sem estresse, e ver nossos deputados e senadores constrangidos com o sarcasmo ferino do CQC - que não leva ninguém pra compadre; apenas mostram o que está acontecendo, e dão os nomes...

É muito engraçado ver tanta gente destrambelhada, fugindo dos repórteres, tentando esconder suas caras. Sim, porque poucos falam coisa com coisa naquela casa... A casa do povo precisa ser mais arrumadinha. Decente. Sem vícios.

Deu pra ver que tem gente por lá que não sabe nada sobre os projetos em votação. Eu não tenho obrigação de saber sobre os projetos, mas eles têm: estão ganhando pra isso. E constatar tal descaso, dá medo. As eleições estão chegando e a turma vai viajar como nunca. E os projetos serão empurrados com a barriga. Não estou dizendo nada que já não se saiba. Constataremos tudo no torturante Horário Político Nacional - quando a podridão aflorará à escala máxima. Mas acredito que tais permutas de agressões não farão muita diferença no contexto geral.


Cansei de ser generosa; perdi a capacidade de lidar com certos imprevistos e de ver cuecas, meias e bolsas servirem para outras coisas mais.

Algumas almas caridosas - que ainda acreditam nos homi - andam dizendo por aí que o sofrimento eleva o espírito e serve para o nosso crescimento; e que um dia a gente acerta no alvo. Tá bom...Tô achando uma baita notícia.

Mas quem pensa em crescer e elevar seu espírito vendo seu emprego ir pro brejo e sua família morrer à míngua? Como dá pra crescer se existe – lá pelas bandas de Brasília – gente preocupada em fazer um bom pé-de-meia?

Como dá pra crescer com tanta corrupção sem punição?
Como dá pra crescer com escolas, postos de saúde, asilos e hospitais - em muitos lugares – esquecidos e funcionando à meia-boca?
Como dá pra crescer se os médicos que trabalham na rede pública, por ganharem um salário minguado, precisam trabalhar em outros empregos ficando a população à deriva?
Como dá pra crescer com bueiros entupidos e o caos se instalando, à menor chuvinha, levando tudo pro brejo e a coisa sem solução?
Como dá pra crescer sem emprego, faltando escola, faltando professor e os alunos perdendo o respeito e se atracando nos colégios?
Como dá pra alguém crescer sabendo que segurança é ilusão; que nos parques, nas lojas, nos escritórios, nas ruas e nos Bancos podemos trombar com um '38' fincado na testa?
A base de uma sociedade saudável são suas crianças, e enquanto estiverem abandonadas seremos apenas o que somos, nada mais.

Ah, que programaço sentar na frente da televisão, nesse torturante horário político, com bandeirinha na mão e esperança no coração...
_____________________
obra ilustrativa / Elifas Andreato

25 comentários:

  1. É horrível assistir à agonia de uma esperança ...

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Tais. Isso tudo o que você disse é, como você mesma assume, sabido de todos, não há novidade. Entretanto, temos que admitir que a culpa é 100% nossa, do povo. Quanta gente eu conheço que faz do voto um brincadeira? Que não quer ler ou ouvir nada a respeito de política? Um monte! O povo, boa parte dele, já tem acesso à televisão. Mas o que assistem? Programas de auditório, novelas, BBB. Alguém aí quer assistir ao telejornal da noite? Ninguém. Uma chatisse, dizem alguns. Pois é. Assim não se aprende, não se adquire senso crítico, cultura, razão! E, na hora de votar, dá no que dá. Se bobearmos vão botar de novo o Lula, digo, a Lula do Lula, que no fim será a mesma coisa.

    Também ando desanimado...

    bjão
    Cesar

    ResponderExcluir
  3. Tais, me junto á tua tão bem descrita indignação, depondo tb a bandeira da esperança de que veremos arrumadinho este País!
    Evoluir não é assistir a fome, o casuísmo com a saúde, a educação. Não é assistir a tanta corrupção e nenhuma punição e não ficar impactado diante dessa falta de ação! Mas tb penso que nas próximas eleições, pouco ou nada mude o rumo desta nossa entristecida Nação!

    Abraço solidário!

    ResponderExcluir
  4. Convite
    O livro "Continuando assim..." foi maltratado...

    Resolvi por isso, e porque tanta gente não encontra o livro onde deveria estar (nas livrarias), recontar a história
    Lá no …. Continuando assim…
    www.continuandoassim.blogspot.com

    O livro reescrito não está igual (nem poderia!) ao que foi editado.
    Obrigada a todos os que vão seguindo (pois só assim vale a pena).
    Um obrigada especial a quem ainda não conhece e chega de novo

    Uma reflexão em relação a todo este assunto entre livros, autores e editoras, e um conselho, se me é permitido:

    --- quando vos pedirem dinheiro para editar as vossas palavras, simplesmente digam que não ---
    BJ
    Teresa

    ResponderExcluir
  5. Tais

    Comentar o que, se você já disse tudo, se você foi cristalina em seu texto e expressou exatamente o que sinto a respeito. Se a imagem do palhaço mais o título bastam a sí mesmos. Comentar o que? Sem educação, sem cultura não há o que se arrume. E alcançar um padrão educacional como, com esses governantes? Com escolas que não são escolas, com uma cultura que não é nossa, com uma mídia destruindo nossa cultura e nossas tradições. Como mudar? E a ideologia conservadora e preconceituosa que herdamos e com tanto orgulho carregamos? São tantos os obstáculos. Mas o mundo gira. Se escapamos da obscura Idade Média, quem sabe em mais mil anos escapemos do capitalismo selvagem consumista e alienante. Quem sabe...

    ResponderExcluir
  6. Desculpa Taís,,,..estava a escrever
    sobre Brasil ou Portugal???....até
    nisso somos um País irmão...
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Taís!! td bem??? qto tempo!!!

    Amiga, tb não consigo ter esperança nesse país vendo tanta corrupção e tanto bandido de gravata solto por aí.

    Não assisto CQC, mas já vi alguns videos no you tube e parece ser muito bom sim!!!

    Grande beijo e se a gente não se falar até domingo... uma ótima páscoa!!!!!!

    www.criatividadeenostalgia.blogspot.com
    www.vieouviporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Os caciques são os mesmos. Quando há renovação eles vem dos mesmos covis, tem que fazer alianças tenebrosas senão não há progressos nos seus planos mirabolantes em benefício próprio.
    Perdi a fé nos políticos que NÒS colocamos lá.
    Seríamos entao coautores no descaso com os nossos próprios destinos?
    Beijo, Taís.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Tais por saber nos "provocar" tão bem...Estamos desde já, convocados a descruzar os braços nestas eleições.

    "Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso."

    Edward Everett Hale

    ResponderExcluir
  10. Sem comentários!!!Excelente crônica da nossa situação atual.
    Se tiver um tempinho acesse o site"Casa de Rubem Alves"(no link "Carp Diem" Crônicas).Tem uma crônica "Sobre política e jardinagem" que acho perfeita.
    Ele diz:"Assim é a política. São muitos os políticos profissionais. Posso, então, enunciar minha segunda tese: de todas as profissões, a profissão política é a mais vil. O que explica o desencanto total do povo, em relação à política. Guimarães Rosa, perguntado por Günter Lorenz se ele se considerava político, respondeu: ‘Eu jamais poderia ser político com toda essa charlatanice da realidade... Ao contrário dos ‘legítimos’ políticos, acredito no homem e lhe desejo um futuro. O político pensa apenas em minutos. Sou escritor e penso em eternidades. Eu penso na ressurreição do homem.’ Quem pensa em minutos não tem paciência para plantar árvores. Uma árvore leva muitos anos para crescer. É mais lucrativo cortá-las."
    Um abraço e aproveitoo para desejar-lhe uma "Feliz Páscoa" junto à família.
    Emília

    ResponderExcluir
  11. Olá Tais! Se permitires, faço minhas as tuas palavras. Acrescentando digo apenas que só sinto pelo futuro dos nossos netos e......

    Abraços e confiança em DEUS.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  12. Taís, eu , depois de passar por tanta coisa, militar em outras tantas, estou defendendo algo inédito e impossível mas já que estamos falando de esperanças, sería ótimo se tivéssemos um novo povo a cada troca de representantes. Trocarmos de povo (mesmo que não fosse físicamente). rsrs. É uma lástima termos que passar a vida lamentado. Mas é o modelo de democracia que o mundo adotou como o mais perfeito. Outra lástima, a meu ver. Primorosa a crônica. Um abraço. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  13. Eu sempre acreditei que é a partir da Educação que se transforma um país. Todos os outros pontos frágeis de sua estrutura, - saúde, segurança, etc - começam a se modificar a partir do momento em que se ensina a pensar; o momento em que se dá ao cidadão a chance de desenvolver seu potencial crítico.

    Ensine um cidadão desde criança a pensar e não haverá mais espaço para os currais, para a corrupção, para tanta lama.

    Então,... educar prá quê?!

    Outra coisa me ocorre: desde 2009 estamos novamente ouvindo falar em censura. Pode haver retrocesso maior? Me diga como isso pode ser possível num país governado por pessoas que sabem como ninguém o que é viver sob um regime autoritário, cerceador... Se em algum momento pariram História, agora parecem órfãos da história que os pariu...

    Desânimo é o meu nome. Esperança,... fé,... a gente pensa na descendêndia e insiste, tenta... Sofre.

    Arma poderosa, -
    a fé é uma rosa
    cujos espinhos não se percebe
    tamanha é a sua beleza…


    Um beijo,Taís, bom feriado, e inté!

    ResponderExcluir
  14. Tais eu só não assino embaixo do teu texto, como bato palmas para ti pela sabedoria nas palavras.
    Nós eleitores se cobrássemos mais, se não reelegessemos os "safados", eles teriam vida curta na pol´tica, mas ao contrário enriquecem e se perpetuam no poder.

    ResponderExcluir
  15. A impunidade e essas leis ultrapassadas e frouxas me deixam indignada, amiga!
    Bjkas, lindona!

    ResponderExcluir
  16. Tais,
    Hoje quero lhe desejar uma Feliz Páscoa; renascer em nós a esperança, o amor e o perdão é o que poderíamos tentar por aquele que morreu para nos salvar. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Algum tempo atrás era moda comer ouro em pó na gastronomia refinada dos caríssimos restaurantes.

    Será que algum dia veremos os poderosos do Planalto Central do Brasil engolindo euros, dólares e de sobremesa nossos reais?

    Ainda bem que minha fome é pela Arte.

    Estive por aqui!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Querida Tais

    Estou com o Andrarte: falas do Brasil ou de Portugal? Mas, não admira que o teu excelente escrito seja bivalente: somos os dois, Brasileiros e Portugueses, ou vice-versa, do mesmíssimo tronco familiar... Daí...

    Já andei metido na política e comecei ainda jovem, aos 17 anos, o que quer dizer há mais de meio século. Depois do nosso 25 de Abril continuei na militância. Como sempre, empenhado e entusiasmado.

    Hoje estou farto da politiquice e dos politiqueiros. Ainda vou usando o Sal de Fructa ENO para alguma azia que me resta, mas... prefiro o futebol, jogo jogado apenas. Porque no chamado Desporto Rei também há ices e eiros.

    Por isso gostava de ter ficado muito mais tempo pelas Índias. Lá como cá, não ligava peva às ditas ices e aos citados eiros. E tinha água do Índico a 27/28º, leite de coco e descanso. Sesta todos os dias. Assim - sim...

    Qjs & abs ao Pedrão

    PS - Vou tentar vir aqui com maior frequência. Não juro, porque quem mais jura, mais... mente.

    ResponderExcluir
  19. Oi Tais,

    Seu texto sempre brilhante! Parabéns!

    O povo tem o governo que merece!!
    Fico indignada com pessoas, de bom nível, assistindo "de camarote" a tudo o que você descreveu e que vivem com esse papinho "que o sofrimento eleva o espírito e serve para o nosso crescimento"... e blá blá blá...

    Tem muita gente alienada!

    Também ando descrente.

    Beijos

    Lia♥

    ResponderExcluir
  20. Pois é Taís, eu também já deixei de ser crente! Não acredito mais que que as coisas mudem...então a solução é rir! Rir da anedota que se instalou no (des)governo do seu, do meu país e de outros iguais. É que não aparece ninguém que preste mesmo! A falta de alternativas é chocante, no que toca a políticos!
    O povo? Que se dane, enquanto eles fazem o dito e abençoado pé de meia!

    Não há pachorra para essa gente!
    Um beijo.

    Maria

    ResponderExcluir
  21. Eu não gosto de ser muito fã, mas, assim, só me resta parabenizar; e elevar esse texto ao meu (in) consciente e deixá-lo lá.

    ResponderExcluir
  22. Põe país desarrumadinho nisso!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  23. MAS ENFIM...ESTÁ CHEGANDO A HORA DE LHES DARMOS O TROCO, QUE TODOS NÓS,ESTEJAMOS ATENTOS E CONSCIENTES EM RELAÇÃO A QUEM VAMOS ELEGER

    ResponderExcluir
  24. Menina, se partimos para a terapia do riso (e por conta irmos para um sanatório portanto rimos da mazelas deles) simplesmente nos tiram como palhaços...

    Então, o único jeito é votar consciente na próxima eleição...

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. “só não entendo uma coisa até hoje: por que será que todas os concursos de 'Misse' Brasil, não sei há quantos anos, as moças só lêem 'O pequeno principe'?” (Eu ri!)
    Adoro ‘O Pequeno Príncipe’. Mas você tem razão, não dá para parar por aí!
    Ainda não saiu o resultado da entrevista. Tive uma dinâmica de grupo depois disso, mas acho que não fui muito bem. Continuo na Lan House mesmo, mas to meio desanimada com empregos e namoros em geral. Acho que é por isso que faço tragédia (em copo d'agua)ao escrever... rsrs

    Adoro as suas crônicas, é muito bom conversar com gente que escreve de verdade, é aprendizado. Essa crônica...Uau! Uma crítica feroz ao nosso querido país 'desarrumadinho'rs e infelizmente, cheia de verdades.

    Beijos Taís

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso