9 de maio de 2022

ESSA É A NOSSA CIVILIZAÇÃO ?

 




- Tais Luso de Carvalho


É uma lástima que só paramos para refletir sobre as nossas prioridades após as guerras, os acidentes, as doenças e outras tragédias. Só assim paramos para pensar nas besteiras gigantescas que nós, os humanos, ainda cometemos na vida. Só pensamos quando estamos à beira de um ataque de nervos ou quando entramos numa "gelada". Depois esquecemos e tudo volta ao normal, ao velho e conhecido tranco da "Lei do Menor Esforço", do tudo fácil, tudo ótimo.

Há, em todos nós, um sentimento muito desgastante que se chama competição. Competimos no esporte, competimos no trabalho, competimos em beleza, em conhecimento, competimos em tudo. O tumulto e as pressões que sofrem os atletas, técnicos de esportes, médicos, advogados e diversas  profissões é uma overdose de estresse. Até os políticos se estressam!!! Tão bonzinhos, tão responsáveis, tão éticos! Tão equilibrados...

Viver é como se equilibrar numa corda dependurada de um edifício ao outro: ou você aprende a se equilibrar ou se esfacela lá embaixo. E depois, enche de curiosos pra ver se você morreu ou se sobrou alguma coisa se mexendo.

Viver é difícil, conviver ainda pior, e se manter no topo, dez vezes pior. O ser humano precisa mostrar sua superioridade intelectual, sua força, seu poder, mostrar sucesso em tudo que faz. Sem dúvida que desgasta. Ótimo, mas tudo tem um preço. E de uma hora para outra nos apagamos como uma vela. Não há emocional que possa aguentar tantas cobranças.

Porém, ficamos tão pequeninos e vulneráveis diante das doenças que seria bom pensar neste desperdício de energia antes do drama. Afinal, o que vale a pena? A vivência por aqui é curtinha; raros os que fecham um século de vida. Onde há riscos, estamos presentes, em busca da superação. Virou moda. 

Na verdade, ficamos com os resquícios dos Bárbaros, cometemos atrocidades que até Deus duvida de sua mais encantadora obra: Bárbaros fantasiados de gente evoluída. Parece que o planeta é um enorme Coliseu. Matamos por diversão, por ódio, por vingança, por disputa, por orgulho. O ser humano em certos quesitos em nada mudou. Na medida em que evoluiu de um lado, sofreu a involução do outro.

Abrimos os jornais e lá estão as manchetes do dia mostrando os mais terríveis crimes arquitetados por mentes doentias, em pleno século XXI. Os noticiosos são filmes de terror, ficamos com os olhos esbugalhados e terminamos acovardados, colocando mais grades, mais trancas e mais alarmes em nossas casas.

Tudo continua igual, mesmo depois de termos ido à lua, enviado para o espaço satélites de precisão, tecnologias das mais sofisticadas para matar, mas também avanços enormes na área de medicina para salvar! Vá eu entender!!

Como animais racionais, como seres tidos como superiores, ainda somos pobres vítimas de nós mesmos. E como tudo está globalizado, não paira no ar dúvida alguma desta barbárie toda: assistimos a atos de crueldade e de genocídio através de uma tela de alta definição. E assistimos a tudo isso confortavelmente sentados...  Difícil de acreditar, mas é assim.




_______________________//________________________






38 comentários:

  1. Bunas tardes amiga, Tais, después de una corta inactividad por motivos oculares, pasando a visitar a los amigos poco a poco.
    Una entrada que recoge las malas virtudes del ser humano. Siempre tropezamos con la misma piedra, no escarmentamos. El mundo a pasado por grandes conflictos bélicos y demasiado derramamiento de sangre, como fielmente demuestra y recoge nuestra historia, pero somos incapaces de utilizar el diálogo para llevar a buen término una negociación y una paz duradera. La ambición, el poder... plantea grandes retos que no sé hasta que punto seremos capaces de resolver con la palabra.
    Dios quiera que estos conflictos terminen cuanto antes.
    Un gran abrazo y feliz mes de mayo amiga.

    ResponderExcluir
  2. Tanta verdade aqui,Taís!
    Por vezes quase não acreditamos no que estamos ouvindo e até vendo acontecer... Falta muito de humanidade NA humanidade!
    beijos, linda semana! chica

    ResponderExcluir
  3. É, essa é a vida, isso é viver,
    se não fosse toda essas coisas,
    as nossas vidas não teria graça nenhuma...
    Beijinhos com carinho!!!

    ResponderExcluir
  4. Tu escrito es muy bueno y, sin duda, ayuda a reflexionar.
    Todo lo que expones es muy real.
    Es muy cierto que nunca aprendemos y seguimos actuando mal.
    Un beso. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  5. Deberíamos haber aprendido, los horrres que desata una guerra entre países con la segunda guerra mundial, En este mundo hace falta más solidaridad y más entendimiento y unos dirigentes que nos conduzcán por la senda de la Paz.

    Besos

    ResponderExcluir
  6. As maiores barbaridades a entrarem-nos pela casa. E nós assistimos, com indignação ao que se passa no mundo, sem nada podermos fazer. Para quê tanta competição, tanto stress, tanto ódio? Somos tão contraditórios que as maiores atrocidades são cometidas em nome da paz. Tanto para reflexão nesta sua crónica, minha Amiga Taís.
    Muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Verdad sobre verdad, descrita con precisión y claridad. Es muy duro el panorama que presenta el Mundo en que vivimos. Parece que las sociedades actuales "copiamos" los peores ejemplos. En Europa confiamos en la Democracia pero no conseguimos sociedades justas e igualitarias. Creo que hace muy bien denunciándolo para que empecemos a preguntarnos todos qué podemos hacer para ser un poco más felices -no por el dinero que es lo que produce todos los males- sino porque amándonos a nosotros mismos seamos capaces de querer el bien de nuestro prójimo. La verdad es que en este caos de inmundicia conocemos a personas integras y decentes en el trato familiar y social y que son un ejemplo para todos. Estas personas deberían ocupar los centros de poder y del gobierno de los pueblos. Sin embargo, esta idea no es más que una utopía. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  8. Yo creo que si seguimos así vamos a nuestra destrucción. Te mando un beso.

    ResponderExcluir
  9. George Carlin dizia que, se pensarmos bem, ainda mal saímos da selva.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente a humanidade está cada vez mais individualista e fria.
    Um mundo de verdades na sua brilhante crónica.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. É mesmo difícil de acreditar minha amiga que em pleno século XXI ainda estejamos a assistir a esta verdadeira loucura que é a guerra.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  12. nego-me a "estética do horrivel", que nos entra pela casa "encenada"
    brilhante e dorida, minha Amiga.

    beijo

    ResponderExcluir
  13. Verdade tudo o que escreveu. Comento muito isso: é inacreditável o que estamos a passar em pleno séc. XXI. Não aprendemos nada.
    Beijo
    Coisas de Feltro

    ResponderExcluir
  14. Tais, querida, sempre brilhante em suas abordagens! Não estamos evoluindo como seres humanos. Vemos e participamos do que realmente evoluiu, para nosso conforto, mas o individualismo e a necessidade de poder continuam a dominar o ser humano. Não há topo, sempre se quer mais e mais. E para que???? Que legado deixam os conquistadores, se o maior deles é o que abraça valores dignos de aplausos, voltados para descendentes, tão distantes dos que nos chegam pelos meios de comunicação do mundo inteiro? A competitividade não saudável costuma ser incentivada na infância. Daí para a frente o estrago não terá conserto. Nunca pensei que ouviria falar de guerra na atualidade. Nem de tanta barbárie na convivência entre pessoas e povos. Infelizmente, o ser humano nem sempre o demonstra ser, no exato sentido do termo. Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  15. TAÍS se essa é a sua opinião, então a sua vivência neste mundo é excelente!
    Na minha opinião e tbm experiência de vida com família, conhecidos e alguns que se dizem amigos não é assim...mesmo com as guerras, após acidentes, doenças etc não param para refletir sobre nada, só destilam ódio...

    Nem assim param para pensar...no mundo em redor, só olham para o seu umbigo, infelizmente, este mundo está podre, falando no geral, não em casos específicos

    Pois é, diz bem: Depois esquecem e tudo volta ao normal, do tudo fácil, tudo ótimo.

    VERDADE Matam por diversão, por ódio, por vingança, por disputa, por orgulho.
    Enfim...minha querida amiga
    venho dizer-lhe (como me pediu, quando houvesse post novo)
    fiz agora mesmo um post aqui:
    http://meusmomentosimples.blogspot.com/

    Para não pensar muito no que está a acontecer, pois ver as notícias deixa-me com a tensão alta, vou recordando os meus momentos felizes, beijinho da Tulipa

    ResponderExcluir
  16. Que crónica más bonita y especial, contada con toda veracidad. Cierto que el hombre no ha evolucionado nada en sus comportamientos vestidos de amorosos corderos hasta que sale la maldad, el egoísmo y las ansías de poder. Y como tú muy bien dices, ¿para qué?, si aquí la vida son dos días y los estropeamos con las actitudes y comportamientos.
    Una reflexión buenísima que me ha encantado leer Tais.
    Un cálido abrazo.

    ResponderExcluir
  17. Ayer mismo, mientras tomaba un platillo en un bar, vi que tenían puesta la television. De forma natural, los clientes de las mesas hablaban y reían mientras se alimentaban.
    Al estar sola y cerca del aparato, empecé a fijarme en el noticiario poniendo atención a las imágenes y el sonido. El resultado fue demoledor. Cadáveres de niños en Ucrania daban paso a desolados ancianos contando que se habían quedado solos y ya casi no tenían que comer. Una encuesta rápida daba voz a ciudadanos del Este que se negaban a que Europa dejara de comprar petróleo a Rusia porque, si no, no podrían calentarse y aún hacía frío. Pero nada de eso interrumpía la vida diaria en aquel bar.
    El egoísmo al que está llegando el género humano, el cinismo, me dejó tan mal cuerpo que me fui sin acabar de comer. No le veo solución a esto, Tais.

    ResponderExcluir
  18. O mundo transformou-se em idiotice pura, querida amiga Taís.
    É pena, lastimável mas é a verdade. Sinto comentar assim!
    Beijo,
    Jorge!

    ResponderExcluir
  19. Viver está cada dia mais complicado, querida Tais.
    Hoje o errado passou a ser o certo.
    Excelente a sua crônica.
    Linda semana.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  20. Olá Tais,
    Passando por aqui, relendo esta excelente crónica, que muito gostei, e desejar a continuação de ótima semana, com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde, querida Taís
    fiquei muito feliz por já ter ido ver o meu post mais recente, muito obrigada!
    Sim, é mesmo uma maravilha, grande emoção estar rodeada dessa exuberante natureza! Não minha querida, ainda não conheço a Preikestolen - A Famosa Pedra no Púlpito na Noruega! Nem sei se alguma vez lá irei, acho que não....não é fácil com a idade e as minhas dificuldades em locomoção...
    Já estive nos Fiordes da Noruega em 2007 adorei
    Fiz outros percursos diferentes de agora, fui aos glaciares, muita neve!
    Mas posso passar-lhe o link de alguém que lá foi e eu adorei ler a história do passeio, veja neste blog, aqui:
    https://www.amochilaeomundo.com/2019/08/noruega-preikestolen-a-impressionante-pulpit-rock.html
    Feliz semana e beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Tais, fizeste a análise mais lúcida e completa que já li. Valeu por compartilhar essa reflexão. Beijos.
    https://botecodasletras2.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Um reflexão lúcida e certeira, que subscrevo na íntegra.

    A juntar a esse drama, temos a estupidificação massiva a que as gerações mais jovens estão a ser sujeitas através das redes sociais e que os deixa vulneráveis a quem tiver objectivos menos dignos e até malévolos.

    Acabei de ler no blogue "Vidas" o impressionante testemunho de um professor que, pura e simplesmente, desistiu de dar aulas na Universidade porque se recusa a ser cúmplice desta tragédia.

    Preocupa-me muitissimo o futuro, sinceramente, cada vez mais.Aliás, estou plenamente convencida que acontecerá à Humanidade o que aconteceu aos seres inteligentes que habitaram o planeta anteriormente e deixaram as provas por ele espalhadas e que não conseguimos decifrar convenientemente.

    Peço desculpa pelo tamanho do comentário, minha amiga.

    Caloroso abraço e bom resto de semana, querida Taís :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, querida São, não tenho nada a desculpar,
      escreva o quanto desejares, aqui a casa é dos meus amigos!
      Um beijinho!

      Excluir
    2. Grato abraço , minha querida amiga!

      Feliz final de semana :)

      Excluir
  24. Boa tarde Taís,
    Uma Grande Crónica, que põe a nu tal e qual o mundo em que (sobre)vivemos.
    É inconcebível que em pleno Sec. XXI ainda se assista e vivam cada vez mais atentados à nossa capacidade de ser pessoa!
    Tanta crueldade e falta de compaixão para com o ser humano vamos assistindo cada vez mais.
    A falta de humildade e a ganância serão as causas de tantas tragédias que estão a acontecer e que acabam por nos perturbar.
    Tenhamos muita fé e esperança em dias melhores. Só Deus na causa.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  25. Ora aqui está uma reflexão muito interessante!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  26. " O ser humano precisa de mostrar a sua superioridade intelectual, a sua força, o seu poder " e esta é a principal razão das atrocidades que sempre cometeu e não acredito que alguma vez as coisas sejam diferentes. Sabemos pelos livros, pelos filmes, pela história que nos foi ensinada que houve sempre muitas guerras, cada uma mais bárbara que a outra e, só de imaginar as atrocidades cometidas já ficavamos " paralisados " de espanto ; agora, através de uma tela " de alta definição, vêmo-las todos os dias e sofremos por pertencermos a uma raça capaz, ao mesmo tempo, de feitos maravilhosos em prol da humanidade e de actos de verdadeira carnificina contra essa mesma humanidade. É dificil de entender? Claro que é, mas, se pensarmos que, em cada um de nós há um lado bom e outro mau, facilmente
    perceberemos que, em alguns, a maldade se sobrepõe. Há um livro de Paulo Coelho onde ele diz mais ou menos isto ," toda a gente é capaz de matar, isso vai depender do controle de cada um " e a este controle eu arrisco a acrescentar a educação que se recebe em criança, os traumas vividos e o exemplo que se tem ou não em casa. Li o comentário da nossa Amiga São e concordo em absoluto com ela ; Tais, como queremos uma nova mentalidade se, hoje, os pais são incapazes de impôr limites aos filhos? Como queremos adultos responsáveis se não conseguimos afastar as nossas crianças das redes sociais onde ficam expostas a todo o tipo de violência ? E que exemplo lhes dá a sociedade também? O que vêm os nossos jovens durante e no fim de um jogo de futebol ? Brigas tamanhas e até mortes, como aconteceu aqui em portugal, há dias. Muito haveria a dizer sobre este tema tão pertinente, querida Amiga, mas o texto já vai longo e, se a São te pediu desculpas pelo tamanho do comentário, imagina... o que terei de fazer eu?
    Nada...não vou desculpar-me, Tais, pois já me conheces e estranharias se aparecesse com um texto curtinho, não é verdade? Quero só deixar - te um abraço enorme, carregadinho de amizade, agradecer -te pelo tema que nos leva a reflectir e desejar-te saúde e serenidade a ti e para os teus queridos
    Emilia 👏 🙏

    ResponderExcluir
  27. Quero corrigir ... o que veem os...
    Beijos
    Emilia

    ResponderExcluir
  28. Brilhante crônica sobre o comportamento humano, ainda tão distante do equilibrado Senhor Bom senso e da boa conselheira a Senhora Serenidade. Mil parabéns Taís , pela lucidez da análise. Espero que um dia o auto conhecimento e a seguir uma linda transformação, seja uma prática natural, no dia a dia como o é se alimentar. Grande abraço, moça bonita.

    ResponderExcluir
  29. Excelente crônica, Tais!
    A falta de humildade e a ganância está fazendo o ser humano se tornar individualista.
    Sempre acredito em dias melhores.

    Tenha um bom fim de semana com saúde e paz.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  30. Como nos dices siempre estamos intentando ser mas que el de al lado algo que nos inculcan desde pequeños si no es en casa en el colegio u otras actividades.
    En ocasiones no comprendo como padres quieran que su niño con 8 años lo vean como una estrella de un deporte como el futbol y menos precie a los otros cuando a esa edad tan solo para ellos es un juego. En alguna ocasión vi como los padres por un lado y los entrenadores por otro dando instrucciones y ellos a lo suyo que eran los que jugaban.
    Como nos dices al final es un sin sentido que por un lado se gasten fortunas para curarnos y por otro para matarnos, pero eso es lo que somos los humanos.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  31. Um Tratado sob a forma de Crónica.
    Parabéns Taís, ao"abanar" das consciências que apenas se querem ver no topo das coisas, dos actos, das iniciativas. Andar na frente não garante ganhos dna meta. A competição é saudável quando as regras são claras e cumpridas.Respeito no antagonismo e tudo será bom
    Parabéns renovados.


    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
  32. Olá, Tais,
    Passando por aqui, relendo esta excelente crónica que muito gostei, e desejar um Feliz fim de semana, com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Excelente denuncia. Necesitamos más cooperación, entendimiento, solidaridad y menos competencia y guerras. Besos.
    Feliz día de las madres. Parabens e beijos.

    ResponderExcluir
  34. Querida Taís.
    A minha amiga escreveu uma Crónica tão lúcida, completa e verdadeira sobre a situação que se vive actualmente, que sinto não ter mais nada a acfrescentar.
    Quiçá, seja este o tempo de haver uma viragem global que altere o ritmo alucinante desta onda de ódio, mal-querer, despotismo e desumaninade que empurra o mundo para os tempos da barbárie.


    Um beijinho grande e feliz domingo, Amiga.

    ResponderExcluir
  35. Uma excelente e muito lúcida, crónica como aliás é já seu timbre.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  36. Tanto para reflexão nesta sua crónica.
    É inconcebível que em pleno sec. XXI ainda se assista e vivam situações como as que o mundo está a passar.
    O que será preciso para que o homem aprenda!
    Brisas doces **

    ResponderExcluir


Muito obrigada pelo seu comentário
Abraços a todos
Taís