22 de setembro de 2009

PRIMAVERA / Augusto dos Anjos


Primavera gentil dos meus amores,
- Arca cerúlea de ilusões etéreas,
Chova-te o Céu cintilações sidéreas
E a terra chova no teu seio flores!

Esplende, Primavera, os teus fulgores,
Na auréola azul dos dias teus risonhos,
Tu que sorveste o fel das minhas dores
E me trouxeste o néctar dos teus sonhos!

Cedo virá, porém, o triste outono,
Os dias voltarão a ser tristonhos
E tu hás de dormir eterno sono,

Num sepulcro de rosas e de flores,
Arca sagrada de cerúleos sonhos,
Primavera gentil dos meus amores!


___________________________________
Fonte / Eu e outras poesias
Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos
Porto Alegre: LP&M, 2007
Pg. 164/

6 comentários:

  1. Espero que a tua primavera seja realmente florida e meu outuno eterno bem distante...

    Fique com Deus, menina Tais.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. O grande Augusto dos Anjos, o assustador Augusto dos Anjos, o poeta que subverteu a realidade, que mostrou o outro lado dessa realidade, em imagens que são a expressão de uma visão atormentada da vida, esse Augusto dos Anjos foi também um poeta sensível capaz de falar com delicadeza da primavera!

    Um grande abraço, Taís.

    ResponderExcluir
  3. Olá Taís,
    Fantástico o soneto de Augusto dos Anjos. Bela escolha para celebrar a primavera.Dele, eu tenho paixão pelo soneto, "A Árvore da serra".
    A ilustração ficou linda.
    Concluindo, seu apurado gosto deu brilho a postagem.
    Beijos,
    Dalinha

    ResponderExcluir
  4. Taís,




    Bom rememorar Augusto, em qualquer estação que seja...






    Beijos,







    Marcelo.

    ResponderExcluir
  5. Uma bela saudação à primavera. Que ela nos traga paz e alegria.

    ResponderExcluir
  6. É um sentir, estranhamente melancólico, porque pleno de cor e exaltação, elevada, mas contida, que envolve a imagem e o soneto.

    Belo.

    Beijinhos

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso