26 de janeiro de 2010

RETRATO / Cecília Meireles

Obra de Anita Malfatti / 1915

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem esses olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- em que espelho ficou perdida
a minha face?


Cecília Meireles / Flor de poemas – 3ª ed.
Coleção Poiesis – ed. Nova Fronteira, 1972

26 comentários:

  1. Belissimos rios de palavras que nos chamam a atenção para a efemeridade da beleza física. O que vale mesmo é que fizemos de cada momento.
    Um beijinho,
    Maria Emília

    ResponderExcluir
  2. Queria ter escrito esse poema. É o retrato de cada um de nós. É um modelo de poema: despojado, a emoção mais nua, a poeta vai ao osso.
    Um grande abraço, Taís.

    ResponderExcluir
  3. [Amiga Tais

    enigmática derme de palavra, essas de Cecilia; tão próximas, tão distantes, presentes]

    um imenso abraço

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  4. O que se pode dizer diante da construção de tão notória artista do belo? Maravilhoso!

    ResponderExcluir
  5. Também perdi o meu em algum espelho.
    beijo

    ResponderExcluir
  6. Se me permites dar uma resposta a pergunta de Cecília Meireles.

    A Face ficou perdida nos espelhos do tempo.

    Excelente trabalho artístico e palavras tão fortes sobre a inconformidade diante das areias do tempo.

    Direto do Rio.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Menina, mesmo que a vida tire a nossa força, ela também não é só declinio, pois também a vida nos de um bocado de alegria...

    Fique com deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá Tais
    Obrigado pela visita ao meu blog e por estar me seguindo. Volte sempre vou gostar muito
    Esse poema da Cecilia, acho que é o retrato de todos nós que não percebemos que o tempo passou e com ele as mudanças chegaram. Lindo d+.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Mais tarde ou mais cedo, acontece a todos...

    Muito bonito este poema.

    Boa noite para si, amiga

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Cecília Meireles fez poesias que impactam pela simplicidade. Essa é uma delas. Esplendidamente simples.

    Bjs a vc, Tais.

    ResponderExcluir
  11. A mais pura verdade. há quem tente fugir, com plásticas, produtos, mas, mais cedo ou mais tarde, acontece com todos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Tudo passa: o tempo, as dores, a beleza...
    Bjkas!

    ResponderExcluir
  13. Adorei o blog!
    Adoro a Poesia!
    Adoro Cecília Meireles!!

    Belo dia

    beijos
    Elaine

    ResponderExcluir
  14. uau...vaelu dormir mais tarde...
    Cecília é pura e bela como uma flor...
    e Anita é alma perfumada...
    que belas obras destas duas...

    parabéns amiga, pela escolha...

    beijos...que bom estar aqui contigo...

    ResponderExcluir
  15. belo; se acrescentar estraga

    ResponderExcluir
  16. Eu sou meio que apaixonado por Cecília Meireles!!! É um lindo texto!!!!

    ResponderExcluir
  17. Nossa, eu amu esse poema da Cecília. Eu fico imaginando ela escrevendo isso e lembrando do tempo que se foi. NOssa....

    Um super beijo, linda Tais.
    ótimo findi!

    ResponderExcluir
  18. Obrigada pela visista e elogios!!
    E sem problema ter apagado!:D

    Belo Fim de Semana!!

    Beijos
    Elaine

    ResponderExcluir
  19. Oi Tais!!!
    Obrigada pela visita! Adorei saber que tu é daqui de Porto Alegre! E que é artista plástica tb!!

    Bjux!!

    ResponderExcluir
  20. Tais.
    Gosto de garimpar na net blogs que me dizem alguma coisa.Adorei o seu!
    Parabéns!!!
    Emília

    ResponderExcluir
  21. Obrigada pela visita!!
    Não sei o que aconteceu....a postagem desapareceu(coisas da net)
    Gosto muito da Flora Figueiredo..
    Leia:
    "Não deixe portas entreabertas
    Escancare-as
    Ou bata-as de vez.
    Pelos vãos, brechas e fendas
    Passam apenas semiventos,
    Meias verdades
    E muita insensatez."
    (Flora Figueiredo)

    Depois ,vou visitar seu blog de artes...Uma das minhas filhas é formada em "artes plásticas" e aqui em casa se respira todas as formas de arte. Beijos
    Emilia

    ResponderExcluir
  22. Tais, que beleza a Cecícila, e como este poema nos acorda....

    Quero tbm agradecer as suas palavras no meu blog, que foram tão certeiras e tão generosas. E digo que ainda bem que temos amigos e poetas, e gente como você, que chega de repente, já estando tão perto.

    ResponderExcluir
  23. Olá Taís,
    Esse retrato pode fazer parte da vida de qualquer mulher, ninguém está livre de ser este retrato. Um abraço!

    ResponderExcluir
  24. NO MOMENTO, TRABALHO UM JOGRAL COM A OBRA "RETRATO". CRIANÇAS DE 11 ANOS DE IDADE REFGLETEM ATRAVÉS DE DESENHOS E A ORALIDADE ESSA REALIDADE...

    ResponderExcluir
  25. Angélica, você não perdeu o seu
    rosto em um espelho, em algum lugar. Você o deixou em um filho, em um texto, em um momento precioso tal qual uma formatura. Com certeza, você o deixou em pessoas que não são mais as mesmas depois que a conheceram.
    Bjos da Elaine

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso