16 de julho de 2023

O IMPORTANTE É SER FELIZ

 

Pôr do Sol no Rio Guaíba - Porto Alegre -RS / Brasil



                 - Taís Luso de Carvalho


Não sei por que algumas revistas colocam a idade de seus entrevistados, logo após a citação de seus nomes. Precisaria? O que tem a ver, inicialmente, a idade da pessoa se não se trata de uma RG, CPF, Título Eleitoral, Passaporte, exames médicos… Acho desnecessário e, para alguns, até constrangedor.

Certo dia, perguntaram a idade de um jornalista muito conhecido em Porto Alegre, na apresentação de seu programa. O jornalista foi direto: nasci em 1912, quando o Titanic afundou. Não; não teria 111 anos! A risada foi geral e a jovem curiosa ficou meio constrangida pela pergunta. Ninguém falou mais em idade depois disso. Não deixou de ser uma indelicadeza, pois há pessoas que não gostam de dizer sua idade. Outras, não se preocupam.

Hoje existe muito pouca privacidade. A curiosidade sobre as pessoas tomou maiores proporções com as redes sociais. Respeitar a privacidade dos outros é coisa do passado. A curiosidade, a obsessão pela privacidade das pessoas incomoda muito. Tudo vai para as redes: “Bens materiais” adquiridos, fotos da família, viagens, fotos na praia em trajes sumários, roupas de marcas, como Louis Vuitton, Chanel, Dior, Ralph Lauren, Versace comprada na última viagem. E por aí seguem as selfies, também, com a conhecida boquinha.

A evolução do ser humano em certos aspectos é lenta. As mulheres, ao entrarem nos 50 anos, pressentem um certo desconforto, como se o seu potencial físico tivesse atingido o limite: para algumas pessoas estamos bem conservadas; para outras, nem tanto, e está feita a fofocada. Se estamos magras, estamos doentes; se estamos gordas, estamos com problemas emocionais. Como devemos estar aos, 50, 60, 70, anos? Adolescentes, e jovens Cocotas? Ou vivermos cada idade com a  respectiva sabedoria  da maturidade? 

Envelhecer, hoje, é um ato de bravura, é como ir para guerra e sobreviver, apesar dos percalços… Envelhecer tornou-se um suplício, uma via-crúcis para muitas pessoas. Muitas mulheres ficam meio desorientadas, e com razão, pois a massiva propaganda da juventude eterna é o que prevalece nas mídias. Que coisa cansativa. Sem falar que o Brasil de hoje não é mais um país de jovens.

Sobre a idade, já escutei muitas pessoas dizerem a outras: assuma!! Não temos nada para assumir diante dos outros e nem satisfação a dar a ninguém! O que temos é a obrigação de vivermos felizes  com a idade que temos, a não ser que alguém queira morrer na flor da idade! Aí dirão: coitadinha, morreu tão jovem! Mas vivemos numa sociedade que envelhecer parece castigo.

A verdade é que não estamos num palco, ninguém nos olha tanto quanto imaginamos, ninguém é o centro do Universo. Somos apenas uma partícula viva zanzando por essa imensidão e meio que perdidos na nossa essência.

Podemos ser pessoas virtuosas ou não. E diante de tudo isso, de todos esses mistérios que nos rodeiam, é muito pouco nos preocuparmos com idade que não é nada mais do que fases da vida. Ser Idoso, Velho, Melhor Idade (seja o que for) não é para preocupar. São os únicos que poderão dizer: missão cumprida, vivemos plenamente, e como valeu a pena!

Capacidade, cultura, amizade, amor e beleza encontramos em pessoas, não em faixas etárias.

Saúde e felicidade para todos meus amigos e leitores.











35 comentários:

  1. Es muy triste que envejecer ahora como tu dices es un pecado o un crimen. Y no importa si ha todos no va llegar. La sociedad lo ve mal. Te mando un beso.

    ResponderExcluir
  2. Uma das coisas que cada um dirá se e quando quiser.
    Beijos, boa semana

    ResponderExcluir
  3. Envelhecer com a sabedoria é muito importante. Claro que sobrevaloriza-se a juventude em detrimento do conhecimento adquirido pelos mais idosos. Mas, é como diz, minha Amiga Taís: o mais importante é ser feliz. O resto da nossa vida é, como referia a minha mãe, quem quiser saber que adivinhe. Gosto sempre de ler as suas crónicas.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. A idade não interessa mesmo. Existem pessoas mais idosas com espirito muito jovem, como existem jovens com espíritos idosos. O que interessa mesmo?
    É SER-SE FELIZ.
    .
    Saudações cordiais. Uma semana feliz
    .
    Pensamentos e devaneios poéticos
    .

    ResponderExcluir
  5. Muito bom,Taís! Preocupação com idade é bobagem. Ser feliz, sim é que importa... De que adianta termos 18 anos e sermos infelizes? Melhor velhinhos felizes do jeito que der!!

    beijos, linda semana, chica

    ResponderExcluir
  6. Todos temos 2 idades, a real e a aparente.
    Quanto à segunda, e esquecendo a imagem fotográfica que exibimos, que pode ser diferente da real, ela pode ser medida pela maturidade que temos, seja no conhecimento, no comportamento, nas palavras que proferimos, etc., etc.
    A falta de privacidade tem 2 culpados: os sistemas e nós próprios. Os primeiros, porque exploram desavergonhadamente todos os pormenores para nos metralharem com publicidade, por exemplo. E nós, porque muitas vezes nos expomos exageradamente, nomeadamente nas redes sociais.
    Em qualquer caso, procuremos ser felizes.
    Magnífica crónica, como sempre, gostei de ler.
    Boa semana, cara amiga Taís.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Muchos mentirán al decir su edad , pero en vez de ponerse años, se lo quitarán.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  8. Bom dia de paz, querida amiga Taís!
    "Tenho a respectiva sabedoria da maturidade."
    A suficiente para nao dar satisfação a dar a ninguém de nada... A NINGUÉM.
    Infelizmente, fui educada, assim como muitos de nós, para darmos satisfação aos outros (estranhos)... Assim que não podíamos nos sujar nas brincadeiras, tínhamos que nos sentar de tal 'modo de menina', brincadeiras comedidas, etc e tal.
    Quando crescemos, caímos na ignorância de viver dando satisfação a quem não paga nossas contas, a 'fingirmos' bons comportamentos (condicionados, estereotipados), numa anormalidade.
    O que somos na rua deveria ser um retrato fiel do 'entre quatro paredes.'
    Oxalá seja assim!
    Eu me dou este direito.
    Desde dezoito anos sou independente e, mesmo senso dócil, não preciso deixar de ser feliz por causa de ninguém.
    Assim, na idade o mesmo se sucede comigo.
    Se me acharem conservada, tudo bem...
    Se me acharem 'acabada', amém!
    Fechou sua crônica com chave de ouro, os valores devem estar cada vez mais polidos. Nós, com o passar dos anos, mais naturais deveríamos ser e estar.
    Tenha também dias de saúde em todos os níveis do seu ser!
    Beijinhos





    ResponderExcluir
  9. Anônimo09:39

    Olá Taís,
    Caramba como passa rápido o tempo
    Parece que foi ontem que tinha meus 18 aninhos!
    E já estou com 33 anos, daqui a pouco vou ter 40 e por aí vai...
    Também acho constrangedor esse negócio de perguntar a idade em púbico.
    Acho que cada um merece ter privacidade quanto a isso,
    E envelhecer deveria ser algo natural, afinal todos passam por isso.
    Amiga, boa semana pra ti, beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Pasa muy rápido el tiempo y los años van dejando su huella. Cada época tiene su encanto. Nos vamos haciendo mayores y eso es algo inevitable. Lo importante es aceptarlo y tratar de ser felices.
    Me parece muy reflexivo tu escrito.
    Un beso. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  11. Verdade Tais envelhecer é um ato de bravura nos dias de hoje. Ou sempre ?
    Lembro que aos vinte e poucos anos ,um tio sempre que me via perguntava _ não vai casar,menina? como se tivesse alguma coisa a ver com isso ... risos
    É sempre assim com idades _ se é criança quer logo crescer, se é jovem quer ser uma mulher para morar sozinha e quando envelhece aí vem as cobranças essas todas que citou na sua crônica . Aquelas perguntinhas inoportunas...
    Sempre rio um pouquinho lendo sua crônica., Taís
    Obrigada por escrever tão bem sobre o nosso cotidiano.
    Um beijo e boa semana, amiga querida

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Taís,
    Outra Crónica magnífica com a qual estou totalmente de acordo.
    Saibamos viver cada dia gerindo da melhor forma a pessoa que somos. A idade é passagem do tempo e felizmente que vamos caminhando.
    Procuremos ser felizes tenhamos a idade que tivermos.
    Um beijinho e uma semana muito abençoada.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. A idade não é igoal por fóra que por dentro. Ha pessoas que tem a pel enrugada mas estão muito jovems em canto á agilidade mental ou física.
    Eu não gostaría de estalucar a minha pele porque vejo os efeutos nefastos que causa na falta de expresão do rosto.
    Ter moitos anos andados tem a grande ventagem de ver a vida, a historia com perspectiva e com experença.
    Penso que devemos aceitarnos como somos em tudas as etapas da vida.
    Não pidemos cambiarnos.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Muito bom! Aprecio sempre muito dos seus textos, belos e assertivos.
    Beijinhos e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Boa Tarde, amiga Tais,
    Mais uma excelente crónica, onde põe o dedo na ferida. De facto assim é. Aqui em vários programas televisivos acontece o mesmo. Perguntas absolutamente desnecessárias, como as da idade, e outras.
    Na verdade, o importante é ser feliz. Tenha a idade que tenha.
    Gostei muito.
    Votos de uma excelente semana, com muita saúde e paz.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Eu sou a primeira a dizer a idade que tenho, pois não tenho vergonha dela e pouco me importo se acham que estou bem parecida ou mal. Hoje, acho importantissima a saúde, como factor de felicidade e, se me assusta a velhice é precisamente por ela tantas vezes nos tirar a lucidez. Que importa viver se não sei quem sou? Isto, sim, para mim é preocupante e, se conheço pessoas com mais de 90 completamente conscientes , outras mais novas já estão " como um " vegetal " e por isso, quero viver o meu dia a dia com serenidade, tentando fazer aquilo que mais gosto, aceitando as minhas fragilidades e as mudanças que a idade provoca no meu corpo. Costumo dizer que me basta " o sofrimento que a vida me possa trazer " e por isso não o procuro fazendo cirurgias plásticas que tantas vezes correm mal. Para quê? Para que os outros pensem que sou mais nova? Que disparate!!! Tanta gente a sofrer em guerras, tanta criança com fome, tantos sem abrigo e nós preocupados em esconder a idade? Mesmo que nas fotos digitais para documentos fiquemos irreconheciveis, pareçamos seres de outros planetas isso é muito pouco comparado com o sofrimento que vemos por esse mundo fora. Sabes, Tais, ganhemos " juizinho pois já temos idade para isso" e vivamos assim como somos, antes que a vida se zangue e nos leve " daqui para fora"; acabam-se .logo as reclamações Beijinhos e parabéns pela crónica. Sempre pertinentes! Saúde, Amiga!
    Emilia

    ResponderExcluir
  17. Bela crônica sem dor Taís. Gosto desta arte dos cronistas de mergulhar no cotidiano e dissecar suas particularidades. Destaque para as selfies, onde digo boquinha e sorriso de Facebook um sorriso forçado em contraste com a mente. Lembro que minha mãe uma pessoa bem esta gordinha e assim ela dizia para as mulheres sem querer constranger, rsrs. Mas vivemos num mundo que busca rejuvenescer a todo custo e assim vemos pessoas defeituosas com os Botox da vida e outras até perdem a vida numa busca desenfreada. Se bem que diminuíram os casos das anoréxicas. Mas a sociedade continua cada vez mais intrometida em querer dar conta da vida do outro e para isso, não há limite de desconfiômetro.
    Uma bela abordagem Taís.
    Beijo e paz amiga e feliz semana para vocês.

    ResponderExcluir
  18. Cierto es que no se puede tener siempre el aspecto; ni del la niñez, la adolescencia, la juventud o de eso que han dado por llamar mediana edad.
    Y como nos dices en el titulo del articulo lo importante es que nos veamos bien y ser felices.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  19. Excelente crônica, Taís.
    Não tenho problema em revelar a minha idade.
    Apesar dos "dodóis" que a velhice me trouxe procuro viver da melhor forma possível.
    Tenha uma abençoada semana.
    Muitos beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  20. Taís:
    conocer la edad de los demás es una curiosidad que todos hemos tenido alguna vez. Pero hay que ser discretos y educados.
    Pienso como tú, que es de mala educación indicar la edad cada vez que se habla de alguien. En alguna ocasión puede ser importante, pero la mayoría de las veces no.
    Beijos e ótima semana pra vocês.

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde Taís! Desde sempre aparentei ter menos idade do que a que estava no cartão de cidadão.
    Por volta dos meus 20 anos não gostava dessa ideia porque pensavam que eu era uma garotinha.
    Agora até acho bastante graça. Há poucos dias num consultorio medico, quando chamaram pelo meu nome e me viram levantar olharam novamente para o impresso para confirmar seria se mesmo a pessoa com a idade que estava no impressoeu. Passado um bocado apareceu outro funcionário dizendo : “onde está a Senhora que diz que tem 82 anos e não parece nada?"....
    Beijos Taís

    ResponderExcluir
  22. Ótima crônica, Taís!
    Vou fazer 58 em setembro, mas não ligo em dizer a minha idade. É fato da vida.
    Acho que as pessoas temem o fim, a morte, e também os julgamentos alheios. Eu já não temo mais nada disso.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde, Taís
    Crônica interessante, bom é viver cada etapa da vida com leveza, aceitando as limitações, tendo um coração grato, infelizmente o ser humano só valoriza a juventude e a beleza, gosto muito da frase do pequeno príncipe: "o essencial é invisível aos olhos." Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  24. Quando nos dizem, em especial, o nosso médico assistente: "Está muito boa para a idade". Isso não nos consola. Antes pelo contrário. É como diz, querida Taís, a idade deveria ser o sinal de que vivemos uma vida cheia de experiências e que podemos dizer missão cumprida. Porque afinal o importante é sermos felizes, qualquer que seja a faixa etária em que nos encontramos.
    Uma Crónica belíssima, minha amiga.
    Desejo-lhe tudo de bom, junto aos seus.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderExcluir
  25. Los años son experiencias y sabiduría. Bonito ESPACIO.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  26. Querida Taís, que excelente crónica! "Quem quiser saber que adivinhe". O importante é ser feliz e a idade é aquela que se sente.
    Um beijo com muito carinho.

    ResponderExcluir
  27. Bom dia Taís.
    Adorei a publicação e o
    tema abordado.
    Outro dia ouvi uma entrevista
    em Podcast de nome Mano a Mano
    com o Mano Brown.
    A entrevistada era Glória Maria,
    e ela explicou que
    não diz a idade
    e disse o motivo.
    Contou tbem que
    apenas uma amiga
    sabe e que haveria
    de dar o dados
    quando fosse solicitada.
    Adorei a entrevista
    e a postura
    da Glória sobre
    o assunto.
    https://open.spotify.com/episode/7Cp1UH7ummJ0VS0Hw9PuNG?si=D8cno6mIRXOfUnFHGXgsww.
    Deixo o link
    para se desejar conferir
    a rica e entrevista.
    Quanto a mim, vivo
    muito bem com minha idade:
    sessenta anos.
    Bjins de ótimo fim
    de semana.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  28. Boa noite querida amiga.
    Felizes são os quê tem o privilégio de chegar a velhice com momentos felizes e dever cumprido quê na minha opinião é ser feliz e contribuir para a felicidade de quem amamos e do nosso próximo . Quando eu tinha 24 anos disseram que não chegaria ao 30, com 33 deram um pouco mas de alguns meses rsrs. Por último meu médico disse que teria que fazer algo para chegar aos 40, aqui estou com 50 anos kkk. Mas certa estava minha filha que senpre dizia mãe vamos ficar duas velhinhas juntinhas rsrs, que assim com a permissão de Deus seja quê possamos viver intensamente cada minuto permitido por Deus. Quando temos uma alma jovem, tendo sempre vontade de viver e manter sonhos o corpo pode até sentir a idade , mas temos mas disposição de muitos jovens. Um feliz fds para vocês.

    ResponderExcluir
  29. Gostei de reler a sua excelente crónica.
    Boa semana, cara amiga
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  30. Olá, amiga Tais,
    Passando por aqui, para desejar uma ótima semana, com muita saúde e paz.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Olá Taís,

    Concordo perfeitamente que a idade é meramente um número nem é necessária para a nossa apresentação. Nada tem a haver com a nossa personalidade.

    Quanto a isso de a sociedade cobrar demasiado o envelhecimento, sinceramente é uma coisa que não me preocupo. As pessoas simplesmente sentem a necessidade de falar sobre o que for. Sentem a necessidade de julgar tudo e mais alguma coisa. Simplesmente não ligo. Tanto a isso como tantas coisas mais. E acredite... é muito melhor! (E estamos a fazer a nossa parte para uma sociedade melhor).

    Beijinhos Taís! Como é bom ler as suas reflexões 🤗

    ResponderExcluir
  32. Queridona, como eu gostei de seu texto e do tema escolhido. Também nunca entendi isso de colocar a idade nas revistas, enfim. A idade nunca foi uma questão pra mim, mas beirando os 50 e na menopausa, confesso que ela tem me assustado. Tenho tanta coisa pra fazer antes dos 50 chegar que acho que a ansiedade tomou o lugar do verbo aproveitar. E desde que tomei essa lucidez tenho tentado não me apavorar com que falta conquistar, mas sim aproveitar a minha caminhada até aqui.
    Obrigada pela reflexão, beijo, beijo e carinho.
    She

    ResponderExcluir
  33. Sim , o importante é ser feliz, considero que manter em alta a autoestima é importante, ter alguns cuidados pessoais apesar da idade. Admiro as pessoas que já com 80 ou 90 anos ainda se deslocam para ir ao salão cuidar dos cabelos e das unhas. Mas a obsessão para se manter jovem é triste, só traz frustrações. Enfim, lidar com o envelhecimento, que não considero como a melhor idade, requer gosto pela vida e saúde em equilíbrio para poder usufruir o que pode nos ofertar. Uma excelente reflexão. Boa tarde.

    ResponderExcluir
  34. Olá, amiga Tais,
    passando por aqui, para desejar um feliz fim de semana, com muita saúde e paz.
    Beijinhos com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  35. Qué bonita fotografía de ese sol en atardecer sobre ese mar calmo que transmite tranquilidad. El objetivo de la vida qué razón se tiene al decir que debe ser buscar la felicidad. Y el paso del tiempo, carrera inexorable cuyo camino todos transitamos, no debe ser óbice a vivir la vida alegre, en plena felicidad propia, y con alegría y optimismo por esa vida que nos ha sido dada. No hay que hacer caso de lo que digan los, sino que hay que vivir la vida con conciencia propia, con la máxima alegría
    Feliz verano y un fuerte abrazo desde Mallorca.

    ResponderExcluir


Muito obrigada pelo seu comentário
Abraços a todos
Taís