23 de março de 2020

A CRÍTICA FERINA



___Taís Luso___


Se existe algo doentio no meio em que vivemos são alguns críticos de plantão: como gostam de baixar o sarrafo! Eles existem por todos os cantos; possuem uma crítica ferina, lançam suas supostas verdades  e desmancham trabalhos e sonhos. E isso acontece no meio político, nas artes, no meio cultural, no esporte, no meio social, nas famílias...  Estas pessoas se acham no direito de falar tudo o que pensam, pouco importa o sacrifício dos outros. Ver a arrogância e a petulância  de perto é coisa muito irritante. Triste.
Essa desgraça de criticar  tudo o que os outros constroem, em nome de uma crítica 'construtiva', acho lamentável. Deve ser sensacional colocar uma criatura pra baixo do tapete e pisá-la  para que ela se reinvente! Deve ser maravilhoso, sem dúvida. 
Pois bem...  Está postado, no meu outro blog, Das Artes, a segunda parte do meu texto sobre Cândido Portinari, os momentos finais de sua vida. Optei por mostrar a amargura de um homem diante das críticas; a tristeza de um homem que tinha amor por pintar sua pátria e sua gente. Não incomodava ninguém com o seu trabalho (ou incomodava!?). Era admirado e querido, mas tentaram destruí-lo. A crítica chamada de profissional e os novatos que trilharam o caminho aberto pelo mestre Portinari diziam que ele estaria ultrapassado, era a 'hora' do Abstracionismo. Muitos queriam que ele mudasse seu estilo.
É difícil lidar com  gente que se coça para amargurar a vida dos outros em nome de seu falso altruísmo. E de sua inveja.
Não sei de onde essas pessoas  tiram tamanha força a ponto de incomodar tanto. Conviver com gente assim é estressante. Essas pessoas desmontam,  numa bicada,  o que muitas pessoas levam anos para construir.
Quantos relacionamentos se acabam! Quantos empregos se perdem; quantas amizades se desfazem; quantos relacionamentos familiares vão pro brejo; quantos de nossos sonhos não alçam voo por críticas sem fundamento lançadas pelos reformadores do mundo que se julgam no direito de criticar!!
Peguem no batente, criaturas, pintem uma obra de arte digna de ficar na história; escrevam um poema de primeira linha; escrevam um romance digno de ser lido; um conto, uma crônica; naveguem com Amyr Klink numa noite de tempestade; subam o Everest num dia de inverno... 
Mas larguem do pé,  tanta coisa pra fazer...




________ Aqui:   Portinari - Dias de Tristeza / Das Artes_________
       
Cuidem-se, amigos, ficar em casa é a melhor maneira de se prevenir!




50 comentários:

  1. Boa noite de paz e saúde, querida amiga Taís!
    Estava no final virtual, já fiz minhas preces da noite, já pedi a intercessão de São José no dia de hoje pelos que amo muito, pela pandemia...
    Recebi sua atualização e vim ler.
    Estou justamente intensificando minhas preces no sentido do seu post.
    Mesmo com o caos que estamos todos vivendo ainda tem gente que perde tempo para somente criticar. Digo somente porque, justamente por ser tão fácil, os medíocres se prestam ao papel pelas razões bem colocadas em sua crônica, amiga.
    Tanta gente morrendo e se perde tempo com mesquinharia. Ao invés de nós amarmos mais no sentido amplo da palavra.
    Tenho feito postagens justamente sobre aprendermos lição sobre o mal que nos acomete e poucos acreditam que quando o vírus for embora, nós sejamos mais solidários. Que pena sermos tão críticos e pouco compassivos.
    Obrigada, querida, por ter sido sinal, pista divina para mim nesta noite pois a tristeza me abate quando vejo gente criticando com a falsa desculpa que muito bem explicou aqui. Problemas seríssimos precisando da nossa solidariedade...
    Parabéns pela denuncia pertinente, minha amiga!
    Seja protegida do vírus impiedoso!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. em Portugal dizemos que são pessoas que gostam de dar bitaites.
    Não têm nada para dizer mas dizem na mesma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Taís, se as pessoas tiverem esse olhar, parar de apenas se colocar em posição superior, de sabe tudo, de donos da verdade, poderemos sair mais sábios dessa crise do corona... Estamos todos no mesmo nível. E não podemos fazer nada que ele não nos permita, o vírus. Fechadas em casas, vamos criar, inventar e deixar de bisbilhotar e só criticar o que outros fazem... beijos, saúde! chioca

    ResponderExcluir
  4. Esses são os chicos espertos, que nasceram só, mesmo, para dizerem mal de tudo e de todos. Porque a sua inteligência, é movida, somente, pela inércia da ruindade.

    Tenha um bom dia de Quinta-feira amiga Tais Luso. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. falando do Povo português, direi que, o dizer mal de tudo e de todos tem dois nomes: INVEJA E INCOMPETÊNCIA

    Inveja, por não podem ver nos outros aquilo que gostam e não têm
    Incompetência, porque não têm capacidade de fazer o bem feito que as outras pessoas fazem
    Eu direi: "" Dizer mal é fácil...Fazer melhor é que é difícil ""

    O Povo é assim. Sempre foi, é e sempre será

    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  6. Gostei dessa estocada “Essas pessoas desmontam numa bicada”. Uma imagem elegante para colocar no devido lugar os críticos de plantão que a exercem para desmerecer a obra alheia. Acho que já lhe disse isto. Vou repetir-me. Quando eu ensinava literatura, gostava de brincar com os alunos dizendo-lhes: - Quem sabe, faz, quem não sabe, ensina! Elas riam com a “minha verdade”. Embora saibamos que haja muitos críticos que observam a obra alheia com muita uma acuidade e a trate com muito respeito.
    Meu fraternal abraço, minha querida amiga!

    ResponderExcluir
  7. Oi Tais, ótimo texto, adorei!
    Lembrei de uma vez, acho que nos tempos de Orkut ainda foi colocado em um grupo de culinária duas fotos uma de um bolo lindo e maravilhoso ( o que você espera ao encomendar um bolo) e outro todo detonadinho (o que você recebe). A intensão era criticar quem usa fotos de outras pessoas para vender e é claro que o resultado jamais será como o da foto da propaganda. Justo.
    Ganhei muitas inimizades porque critiquei as piadinhas com relação ao segundo bolo "feinho"...(um fala e vem trocentos seguindo a mesma linha) E se esse bolo fosse feito por uma criança pequena, uma pessoa com algum tipo de deficiência, e se essa pessoa lesse aqueles comentários desnecessários...Que dor causaria, valeria a pena?

    Geralmente as críticas não são pensadas antes de serem feitas, infelizmente. Até para criticar temos que ter argumentos e sensibilidade.

    Abração!

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente há gente que usa e abusa da liberdade a que tem direito esquecendo o respeito como prioridade!!! Bj

    ResponderExcluir
  9. Detesto esses críticos, aos quais eu chamo de treinadores de bancada, que criticam tudo e todos como se fossem especialistas. Da arte ao futebol, da economia à política, eles abundam nos media e tentam, a todo o custo, moldar o pensamento da sociedade com comentários destituídos de qualquer ideia construtiva porque normalmente nem sequer têm capacidade para dizer como se deveria fazer. Mas a sociedade está a ficar farta desses "opinion makers".
    Excelente crónica, assino por baixo.
    Taís, um bom fim de semana em segurança.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tais! Que texto maravilhoso e digno de uma completa reflexão a respeito. Alguns são assim mesmo; preferem criticar a compor uma obra digna de ser contemplada ou lida. Não caminham com pés descalços sobre espinhos, pois a tarefa , é assim muito árdua ; nada vem de qualquer jeito e de graça. Tenho uma trilogia para ser publicada , e um amigo já disse de antemão,que a leitura será difícil para os adolescentes por causa da linguagem… Porque será que sempre nos querem dar um banho de água fria?! Que escrevam melhor, que experimentem as várias horas cansativas ante um computador. Não sabem, como é bom ver o trabalho pronto depois de escrever, ser lido várias vezes e poder fechar a capa. Grande beijo. Excelente crônica. Feliz fim de semana .

    ResponderExcluir
  11. Lo que le gusta a uno, puede que no le guste a otro. Hay que ser respetuoso con los gustos de los demás.

    Por desgracia, la crítica suele ser muy destructiva y eso es un mal, de nuestros días.

    Besos

    ResponderExcluir
  12. Excelente texto,pleno de verdades! Em todos os tempos houve críticas e sempre haverá, porque profissionais do ramo, não faltam. Saibamos respeitar as boas e ignorar as destrutivas e imerecidas, como diz o adágio popular:" Os cães ladram, mas a caravana passa"...Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Tais Luso, como podia dizer de todas, e muito pertinente esta crónica.Neste caso, já muito visto, através dos tempos, apetecia dizer a este tipo de críticos, por alma do visado, que no caso já cá não está para rebater: Façam algo, ao menos, para aprendermos!
    beijos

    ResponderExcluir
  14. há quem diga que em cada crítico existe um artista frustrado, amiga Taís.
    estou tentado a dar razão a essas vozes, sem prejuízo das pessoas generosas
    e sábias que a vida também me tem proporcionado.

    gostei muito da crónica.
    bem acutilante, aliás. e acho óptimo! rss

    beijo

    ResponderExcluir
  15. Obrigada, querida Amiga, por me teres dado a oportunidade de conhecer mais a fundo esse Grande Artista brasileiro; li tudo sobre ele, no teu cantinho das artes, onde, de vez em quando, " dou uma fugidinha " Ultimamente, ando bastante ausente dos blogues, apesar do confinamento e, consequentemente, do imenso tempo livre de que disponho; sim, não me falta tempo, não tenho a netinha para cuidar ( está com a mãe em casa), não tenho de conversar com a minha mami, animando-a por causa do virus,enfim....de repente a vida nos mandou um sinal forte de que estava na hora de parar e o ser humano obedeceu e parou. Isto para te dizer que tenho andado ocupadissima comigo mesma; tenho viajado com muita calma a cada cantinho do meu eu mais profundo e nem imaginas, querida Amiga o que tenho encontrado; revejo momentos deliciosos da minha infância, encontro pessoas que comigo brincaram e que já partiram, vejo o meu pai a chegar a casa com uma balinha no bolso , vejo a minha mãe a ensinar-me aquela tabuada enquanto preparava o jantar, vejo também aquele dia em que apanhei uma valente palmada por ter desobedecido e, dali, Amiga, faço outras viagens, para outras paragens, outros momentos, outros encontros , desencontros e encantos. Tenho ocupado os meus dias nesta azáfama e não tem havido vontade para outros afazeres também necessarios, porque, Amiga, estas viagens cansam, entristecem, derrubam, e, dado os últimos acontecimentos da minha vida, não poderia ser de outra maneira. Sabes, Taís, o tema que trouxeste hoje é muito pertinente, aliás, como o são todos e sabemos que muita gente sofre por causa dessas pessoas que só sabem criticar; há pais que só sabem criticar os filhos, que não são capazes de os elogiar uma vez sequer e nem imaginam o mal que isso lhes faz; estragam-lhes a vida para sempre. Penso que cada um de nós já sofreu com as criticas e eu, Tais, não fujo à regra, mas, com o tempo e com a maturidade de que falas no post anterior, comecei a não dar importância a elas; há muito que vivo sem me preocupar com o que os outros pensam, fazendo só o que gosto e tentando a todo o custo continuar com a consciência tranquila, com aquela paz de espirito que tanto aprecio. Tento ser amiga de todos, tento ajudar, tento não criticar, tento colocar-me sempre no lugar do outro antes de criticar determinada postura. Fui sempre assim ? Claro que nao! Já critiquei, já me arrependi de não ter ficado de boca fechada, já fui muito insensata, mas... é nossa obrigação aprender com a idade e, Amiga, isso eu tenho tentado fazer; já aprendi tudo? Também não, mas, continuarei a esforçar-me e, este periodo de isolamento é uma boa altura para uma reflexão profunda sobre o que tem sido a nossa vida e o quanto poderemos fazer para melhorar esta nossa sociedade. Estou profundamente convencida de que o mundo será bastante melhor, depois desta crise. Obrigada, querida Amiga e desejo que tudo corra bem aí no meu querido Brasil Tenho acompanhado as noticias. Beijinhos para os dois
    Emilia





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Amiga, que comentário lindo, fiquei com os olhos... obrigada pelos teus lindos comentários e e-mails, onde trocamos alegrias e também um pouquinho de momentos que fazem parte da vida. Emília, vamos sempre nos arrepender do que fizemos ou deixamos de fazer, mas há tempo sempre para refletirmos, para melhorarmos, enfim, sermos pessoas mais tranquilas. Sim, também acho isso, o mundo ficará melhor, as pessoas serão mais solidárias e menos inimigas.
      Beijinho, cuida-te com essa pandemia que tira um pouco do brilho da vida.

      Excluir
  16. Olá Tais
    O crítico está sempre menosprezando o trabalho do outro, acredito que isso é inveja. Enquanto se critica e se fala mal de alguém, perde-se o respeito e a admiração e isso é muito triste. Bjs querida.

    ResponderExcluir
  17. Achei muito interessante atualmente esta sua postagens. Parabéns!
    Charadas engraçadas com resposta

    ResponderExcluir
  18. Oi Taís,
    Tudo isso se chama INVEJA, mas ela não sobrepõe o invejado. Deus tem u propósito para a humanidade de só de pensar fico toda arrepiada.
    E ainda lá do alto escalão da política querem que nós paguemos as contas da peste que está assolando também no Brasil e não temos nem máscaras para comprar.Pode?
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  19. Há realmente pessoas que vivem para criticar os outros. É frustração e inveja por certo. O seu texto muito lúcido. Gostei de ler. Proteja-se, minha Amiga Taís e que tudo lhe corra bem.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  20. Essa é uma das piores características do ser humana. Se reparar bem, essa postura é estimulada pelos meios de comunicação, tudo em nome das audiências. Uma lástima.

    Um bom domingo, Taís :)

    ResponderExcluir
  21. Taís, a hora era de Portinari mesmo. Abstracionismo? Iberê deu o recado, e como deu. Esta gente gosta de falar mal! Até um poeta famoso, brasileiro, disse que Pollock era uma besta, mentiroso! Pode?
    Beijo, ninha amiga.

    ResponderExcluir
  22. Quem crítica o outro o faz por inveja. É incapaz de fazer algo produtivo e lança a semente do mal e pela vida agora destila o seu veneno sem dó e sem piedade. Parabéns pela crônica admirável.
    Beijinhos e muitos cuidados por aí ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  23. Querida Taís, pisar nos outros deve ser um desporto e deve dar muito gozo. Mas ... ficam tão mal na fotografia!

    Um texto fantástico!

    Terno abraço.

    ResponderExcluir
  24. Queria Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    É muito mais fácil criticar um trabalho feito, do que faze-lo.
    Um fraternal abraço, Amiga, e se cuida com o "inimigo
    invisível".
    Uma ótima semana !
    Sinval.

    ResponderExcluir
  25. Querida Taís, há pessoas que não sabem comentar e acabam ofendendo e não tem o que fazer. Uma ótima semana, se cuida. Beijinhos

    ResponderExcluir
  26. ah, muito bom!!! sabes que tem até um protocolo para criticar quando é absolutamente necessário, primeiro vc fala algo positivo da pessoa, só depois vai ao ponto que tem que ser corrigido, mas nada que seja para destruir, ao contrário. Gente, basta ter empatia que vc não erra nunca!
    Bem, mas estou retomando o blog com uma postagem coletiva para enfrentarmos este duro momento juntos todos em orações ou vibrações positivas. Te convido a participar e divulgar se puderes. Bjs querida!

    https://espiritizareamar.blogspot.com/2020/03/blogagem-coletiva-ave-maria-todos-os.html

    ResponderExcluir
  27. Este é um tema apropriado para uma crônica, que poderá ajudar algumas pessoas. Aos críticos certamente não ajudará em nada. Esse tipo de gente, caso leia esta tua crônica, aproveitará a oportunidade de ouro para apontar mil defeitos nela.
    Depois que li a tua crônica, Taís, lembrei-me de Ariano Suassuna, escritor de reconhecido talento, autor da genial peça Auto da Compadecida, entre outras. Suassuna disse, a certa altura da palestra que deu em Brasília, há alguns anos, que detestava a crítica frontal, isto é, a crítica feita na sua frente. Frisou detestar a pessoa que lhe diz (mais ou menos assim):
    - Detesto aquela pessoa que vem-me criticar, dizendo que falam na minha frente porque não gosto de falar pelas costas.Disse, ainda, Suassuna (mais ou menos assim):
    - Se quiserem falar mal de mim ou do que escrevo, que falem pelas costas, pois assim não saberei da crítica.
    Parabéns, Taís, minha cronista preferida, pela excelente crônica.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  28. Querida Taís

    Parece que as pessoas que criticam por tudo e por nada não têm objectivos na vida, sempre atentas a quem vai laborando e cumprindo os seus sonhos. Hoje em dia há uma grande proliferação de comentadores e críticos, todo o mundo se achando habilitado para apontar falhas.

    E, como bem frisa, é em todas as áreas da vida em sociedade, não nos esquecendo dos núcleos comunitários mais pequenos, na nossa aldeia, no nosso bairro, na nossa rua, retrato fiel do que se passa em instâncias mais alargadas...

    O conceito de crítica construtiva está bastante "estafado", realmente. Quem dela se apropria encontra uma bengala para deitar abaixo tudo o que lhe causa inveja.

    Tantas e belas sugestões apresenta no final desta Crónica, que, se essas almas perdidas resolvessem segui-las experimentariam momentos de grande comprazimento, em vez de estarem "preocupadas" com os outros.

    Minha amiga, excelente Crónica. Aliás, sempre oportuna nas suas observações.

    Boa semana.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderExcluir
  29. Boa noite, Taís
    Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz.
    Clarice Lispector
    Excelente a sua crônica.
    Um beijinho carinhoso
    Verena.

    ResponderExcluir
  30. Olá, Taís!

    Adorei sua crônica, não só na arte há críticos, mas também ao nosso redor há vários.
    Enquanto te lia, revi mentalmente algumas situações.
    Felizmente, há também aqueles que sempre veem algo positivo e tem uma palavra generosa.

    Sua crônica me serviu para refletir sobre como tenho agido em relação ao outro, quando me dou a mostrar a ele minha opinião.
    Sejamos atentos a isso também, ainda mais diante de tudo que está acontecendo, saibamos ser generosos.

    Um abraço,
    Sônia

    ResponderExcluir
  31. Olá Taís, uma bela noite para vocês neste duro recolhimento.
    Eles sempre estão onde menos se espera, estão entrincheirados prontos para bicar, quem se destaca, quem se propõe fazer o diferente. Não é fácil conviver, nem é prudente mesmo. Engraçado como o poder deles é grande afim de levar a loucura uma pessoa. São piores que as noticias falsas nas redes sociais.
    Imunizarmos dela é a grande arte amiga.
    Bom vir aqui e ler tão bela cronica em tempo de tantos entendidos.
    Com todos os cuidados vamos viver.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
  32. Um texto sentido e verdadeiro, no sentido de real, um problema real… Seja a critica a título profissional, seja a nível pessoal, por vezes entre ditos amigos… a critica pode e deve ser construtiva com o cuidado de não pisar, de não inferiorizar, de não ser apenas maldosa…

    Boa semana, abraço e coragem

    ResponderExcluir
  33. Querida amiga Taís, passei para ver as novidades.
    Aproveito para lhe desejar um bom fim de semana e muita saúde.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  34. Normalmente, os medíocres são eles, excomungados de seus próprios labores que se penduram no sucesso alheio, pois criticar o reles ninguém o faz, mas criticar o sucesso dá status ilusório! Gostei da homenagem do Pedro ao grande amor de vocês. Parabéns! Grande abraço! Laerte.

    ResponderExcluir
  35. Os vírus também se abatem
    Bj

    ResponderExcluir
  36. Incomoda, sim, é terrível demais essa gente que faz crítica dizendo construtiva quando você bem sabe que há ali está embutido um gosto pra derrubar, maltratar, de pisar no outro! Você foi ao ponto com excelência! Parabéns, querida!
    Paz e bem!

    Beijinhos,
    Vilma

    ResponderExcluir
  37. Crónica valiosa, actual e oportuna. Saber fazer e fazer saber. Te admiro e te agradeço este desvendar.



    Beijo
    SOL



    Beijo

    ResponderExcluir
  38. Querida Tais,
    Hoje vim reler e
    vim deixar meu desejo que tudo
    esteja bem com Você e com os Seus.
    Bjins de esperança de que
    logo tudo vai ficar vem.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  39. É mesmo lamentável que exista gente assim, invejosa, que se acha dona da verdade ou até mesmo que a sua a opinião é superior!
    Nem todas as críticas são construtivas, mas acho que nem toda a gente sabe distinguir uma boa crítica de uma crítica destrutiva!
    Que haja mais compreensão e bom senso!

    Abraço

    ResponderExcluir
  40. Boa noite querida amiga Tais
    Saudade de vim aqui, acabo de fazer uma postagem justamente para os críticos e julgadores das vidas alheias kkk. Que nem em pandemia consegue se manter calados, amei a sua postagem. Criticar é muito fácil. Os donas da razão são piores ainda, acham que sabem tudo rsrs. Um abençoado final de semana, lembrança ao Pedro. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  41. Oi Taís, deixo meu abraço com desejos de que estejam bem e que a paz possa estar com vocês, mesmo com nossos passos presos.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
  42. He leído la entrada que nos recomendabas y junto a la esencia de la presente, has escrito un texto de una gran poesía. Sí, porque poesía no es sólo rimar, es mirar el mundo que nos rodea y sacar conclusiones del porqué, cada vez que un artista intenta abrirse y enseñarnos generosamente qué es lo que él ve, la jauría que espera agazapada para que nadie sobresalga de la mediocridad, salta sobre él y lo desmonta a dentelladas.
    Conocía ligeramente la obra del pintor, pero nada del hombre. Tu referencia me ha llevado a saber algo de su biografía, lo justo para entenderlo y comprender que alguien capaz de mostrar con tanta verdad, los desastres del mundo como la pureza del cariño, debió sufrir mucho con sus detractores. Esos que está claro que nunca subirán al Everest ni escribirán Moby Dick.
    Pero no olvidemos, que hoy, casi 60 años después de su muerte, su obra y su persona seguirán estudiándose y recordándose, como has hecho tú.
    En cambio, ¿Quién se acuerda de los nombres de sus detractores?

    ResponderExcluir
  43. Querida Taís
    Belíssima crónica! Sabe como dizemos por cá? «A ociosidade é a mãe de todos os vícios». Concordo plenamente consigo:«Façam qualquer coisa», porque há quem veja o cisquinho no olho do vizinho ,mas não enxerga um argueiro no seu.
    Fique bem.Proteja-se.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir
  44. Somente inveja amiga. Nada mais. Desse tipo de gente o mundo está cheio. Bela crônica amiga! Parabéns!

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus. Te cuides!

    Furtado

    ResponderExcluir
  45. A melhor forma de não se ser alvo de críticas... é não falar nada, não fazer nada, e não ser nada!... Mas ainda assim... sempre haverá quem critique tal!... :-))
    Então talvez o melhor mesmo... fosse ignorá-las! Infelizmente... dependendo do contexto e das circunstâncias... tal não é possível!
    Muitos contudo, ainda conseguem reverter o peso das criticas... para puro sucesso... em sua carreira, vidas, obras... morrer, continua sendo a chave do sucesso de muitos! Van Gogh! Genial!!!... mas só depois de morto, por exemplo...
    Enfim! Está no ADN, da grande maioria do ser humano, reduzir o próximo a pó... que se atreva a brilhar, e desde que isso lhe cause algum desconforto...
    Coisa de humanos... de pouco humanismo... fazer o quê?...
    Beijinhos! Por aqui... já em modo de quarentena convicta... pois "a gripezinha" ou o "resfriadinho", como determinado acéfalo da política lhe chamou, está matando adoidado, por essa Europa fora... e quero ver se a bichice, não me leva a mãe, para o andar de cima, para aprender lições de harpa! Já estou na fase, em que já não havendo álcool no mercado, de esgotado que está por todo o lado... estou lavando com gel de banho, item por item que trago do supermercado!... Aqui a coisa está de loucos, mesmo... matando idoso sem piedade...
    Enfim!... Vamos vivendo um dia de cada vez... Tudo de bom, por aí! Cuidem-se bem... que esta virusice, não brinca em serviço! Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir
  46. “Críticos são sujeitos que têm mau hálito no pensamento.”
    (Vinícius de Moraes)

    Boa tarde, querida amiga Taís!
    Li há pouco e me lembrei de você, vim compartilhar.
    Aproveitei e vim ver novos comentários. Ficou bem nítido aqui também que o despeito e a inveja habitam no 💙 do crítico ferino que precisa descarregar a fumaça preta de dentro de si mesmo.
    Tenha dias abençoados e felizes com a proteção do vírus impiedoso!
    Bjm carinhoso e fraterno

    ResponderExcluir
  47. En ocasiones solo criticamos por criticar siendo indiferente lo que hagan los demás.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  48. Boa tarde Taís,
    Uma excelente crónica, como sempre.
    Se existem pessoas criticas até nas famílias ...
    Não há nada de positivo naquelas cabecinhas.
    Infelizmente tenho tido por perto, o que só me faz mal , mas há dias tive que, com palavras delicadas, chamar a atenção para tal facto.
    Há pessoas muito frustradas e amarguradas e a conversa só passa por ver mal em tudo e tantas coisas lindas que a pessoa a que me refiro, tem também. Falo de uma irmã, que faz a minha cabeça e a paciência esgotou-se...Tive que impor algum distanciamento.
    Um beijinho e boa saúde para si e seus familiares.
    Ailime

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por deixar seu comentário, se necessário for, deixarei resposta a alguma pergunta.
Abraços a todos
Taís