29 de agosto de 2018

O MEU POETA MARIO QUINTANA





     - Tais Luso de Carvalho

Revelo que aprendi a gostar muito de poesia através de Mário Quintana. É delicioso ler seus poemas quando estamos tristes e amargas. Por sermos acarinhadas e envoltas por doces palavras, a tristeza vai se dispersando e a alma vai ficando leve.
Quando leio Quintana, sinto um poeta que entendeu a vida de uma maneira única, que falava da solidão, da bondade e da felicidade com a mesma tranquilidade que falava na sua doce prometida – a morte.
Falava com a sabedoria de quem não apenas passou pela vida, mas deixou que a vida passasse, que rolasse e que esperneasse... E seguia  adiante com suas musas, com seus sonhos e quem sabe com seus devaneios.
E que delícia são seus poemas que falam de tudo, de uma maneira translúcida, com uma deliciosa ironia e um sarcasmo ferino! Mas assim era ele,  dava a impressão de que brincava com a vida.
Já andei esbarrando com muitos escritores nos shoppings, em livrarias, na Feira do Livro e nos eventos culturais de Porto Alegre;  olhava ali... olhava lá... Via todos, falei com alguns, mas nunca vi o meu poeta. Nunca pude dizer: olha ali o Quintana!!
Mas não sei se ao vê-lo eu não ficaria muda e paralisada! Sim, porque quem conheceu o poeta – ao menos pela televisão – lembra de sua ironia refinada e surpreendente. Dava seu recado sem tradução, e a gente que se virasse, que aprendesse a captar o espírito da coisa.
Aprendi com ele a ver as belezas de Porto Alegre, suas ruas antigas, suas ladeiras, a beleza do vento numa tarde de outono. Aprendi a amar a nossa gente. Aprendi como é linda a simplicidade. Aprendi que é na simplicidade que conseguimos tocar todas as almas. E ele conseguiu. E como conseguiu!
Quando leio o seu poema O Mapa, lembro que também passei pelas mesmas esquinas esquisitas, talvez as mesmas moças eu vi... E caminhei pelas mesmas ruas que ele caminhou. Também já pensei, se no dia em que eu for poeira ou folha lavada, também farei parte do nada!?
Seus poemas consolam. Aprendi que um dia, quando a morte chegar de mansinho e disser: Anda, vem dormir... Talvez eu já esteja preparada.
Levarei a mágoa de nunca ter visto o poeta de perto, ou talvez a pretensão de ter feito parte de seus eternos e belos rabiscos, por ter andado, também, nas ruas de Porto Alegre, e nunca ter sido vista.
Mas depois de ter lido muitos de seus poemas até já perdi minha aflição: que eu passarei e todos passarão, é certo: só não se repetirá o que aconteceu no dia em que Deus o levou, e ao fazer dele  um passarinho!



POEMINHA DO CONTRA

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão... Eu passarinho!

Casa de Cultura Mario Quintana / Porto Alegre


43 comentários:

  1. Este poema é DELICIOSO!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Siempre hay que aprender y si se aprende de un buen poeta se saca mucho mas partido, me imagino que sus versos deben de ser muy buenos, un abrazo.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. Belíssimo texto que li com tanto carinho:)) Adorei.

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta- Feira

    ResponderExcluir
  4. Ele é maravilhoso!Adoro! Pelo menos ficamos com a CADSA dele por aqui... E ele viveu um outro tempo, uma outra P.Alegre. Hoje não teria poesia pra dela falar, tenho certeza!" Teria que tingir de sangue seus poemas.Seria uma pena. Melhor ficar com as lembranças e poesias lindas dele e quando for até a sua casa, todo cuidado é pouco ao passar pelo centro! Aff!! lINDO TEU TEXTO! BEIJOS, CHICA

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, querida amiga Taís!
    Acordar com chuva fina e frio, ainda por cima ler sobre Quintana, tão belamente escrito, com experiência na causa, é prenúncio de um dia onde vou passarinhar feliz ainda que meu voo seja interior.
    Vamos passarinhar e viver sobrevoando tristezas e outros...
    Tenha dias felizes e abençoados!
    Bjm Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem

    ResponderExcluir
  6. Bom dia querida amiga Tais!
    Que lindo que li aqui, pois é minha amiga, a poesia toca as almas de quem também bebem nela o alento da vida que é para todos mais ou menos parecida!
    Sentir a alma do poeta, eis o que você fez!
    Amei ler aqui, como sempre é um bom aprendizado e eu também li muitos livros entre tantos os de poesias, Mário Quintana foi um deles, não tanto quando você que viveu aí na terra onde ele pisou, conterrâneo!
    Aprender a amar a vida, aprendi com os poetas, mesmo que haja tantos contras, mas vencer os contras é somente para poetas do calibre desse que hoje nos dá o seu lindo parecer!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  7. Quintana foi uma autêntica expressão, não só gaúcha, como brasileira. Gosto dele também, querida amiga Taís.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Bom dia amiga Taís!
    Mario Quintana é o poeta de todos,seus poemas são profundos e nos tocam muito.
    Amei ler o texto.
    Bjs-Carmen Lúcia

    ResponderExcluir
  9. Amo Quintana, seus poemas são leves e cheios de vida. Amei seu texto, grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns Taís, também tenho (que não tem?) um apreço especial pelo Quintana, mas ninguém melhor que você para homenagea-lo com tanta competência, ternura e sensibilidade.

    ResponderExcluir

  11. Que bela homenagem Tais, vou ler mais coisas desse poeta de alma doce !
    beijinhos amiga

    Angela
    https://poesiesenportugais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Gostar e admirar a obra de Quintana é um presente maior em vida! Fantástico! Dispensa comentários.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. Lindo o texto que escreveu sobre o poeta Mário Quintana. Também gosto muito da poesia dele. É verdade que só tenho o livro "A cor invisível", mas chega para entender que a sua simplicidade é terapêutica. Sei de cor este poema dele:
    "Quando disserem os médicos
    Que nada há a fazer
    Eu quero que tu me cantes
    Uma canção de bem morrer".
    Um beijo minha Amiga Tais.

    ResponderExcluir
  14. Hermoso homenaje, Tais, al poeta que se fue. Me encantó esa forma en que supones haber visto Porto Alegre con los ojos de él.

    ResponderExcluir
  15. Es hermosa la información sobre el poeta que ha influido en su vida y que tan buenos recuerdos dejó con su obra. Lo que dejamos tras de nosotros es la más importante de las herencias.
    feliz< fin de semana. Saludos cordiales.

    ResponderExcluir
  16. Se puede aprender, tantas cosas, por el solo hecho de leer, que merece la pena encontrar estis buenos escritores, para encontrar esas sabias palabras, que deposita en sus escritos.

    Besos

    ResponderExcluir
  17. Olá, Taís,

    É também o meu. Já estive aí na Casa de Cultura Mário Quintana. E nela fiquei muito tempo perdido... Foi lá também que "perdi minha aflição: tomei consciência que "eu passarei e todos passarão".
    Delicioso seu texto, um belo e acabado perfil de Quintana. De quen sabe o que faz com as palavras para seduzir o leitor.
    Mário Quintana é um belo porto de partida do ontem, do hoje e do amanhã para nos fazer amar a poesia...
    Beijos, amiga!

    ResponderExcluir
  18. OI TAÍS!
    QUE LINDO TEU TEXTO.
    LI, ABSORVENDO CADA PALAVRA E ATRAVÉS DELAS VISUALIZANDO NOSSO "POETINHA" QUE ASSIM ERA CHAMADO CARINHOSAMENTE MAS, TODOS SABEMOS DA GRANDEZA DE SEU TALENTO.
    SEMPRE QUE PASSO PELA "CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA" ME VEM A MENTE QUE ALI, FOI SUA ÚLTIMA MORADA NOS PAGOS GAÚCHOS.
    PARABÉNS AMIGA TAÍS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. o "Poema do Contra" é um verdadeiro tratado de sabedoria do admirável Poeta Mário Quintana...

    nada como o espectáculo de ver passar os "passarões".
    e quando pousam notar que nem sequer as asas de cera... dos passarinhos!

    beijo. minha amiga

    ResponderExcluir
  20. É muito bom ter um poeta que nos inspire a escrever poesias, no meu caso foi o Álvares de Azevedo. Muito lindo este post.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Que linda homenagem ao seu poeta .
    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Ohh, que belas palavras, Taís! As poesias dele provocam mesmo essas emoções na gente. Teu texto ficou maravilhoso, amiga. Parabéns!

    Entrar na Casa de Cultura e visitar o quarto de Mario
    Quintana, sempre mexe comigo. Já fui várias vezes lá. Morou num pequeno espaço e fez coisas tão grandes. Ele foi e continua sendo uma inspiração.

    ResponderExcluir
  23. Boa noite querida Tais
    É amiga alguns poetas nós deixam pensar na vida com mais sabedoria. Um lindo texto que escreveu sobre o poeta Mário Quintana. Um feliz més de setembro para você e para o Pedro. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  24. Sigues a un gran poeta, abrazos y bendiciones.

    ResponderExcluir
  25. Senti toda a beleza e grandiosidade desta crónica, querida Taís. Estou sempre a esbarrar-me com Mário Quintana - em público e em privado. E gosto sempre. Tão poeta! Tão sábio!

    Um abraço de parabéns.

    ResponderExcluir
  26. Honestamente, no conocía a este poeta y traductor (Veo en WP que tradujo a Proust). Ahora que sé que te gusta, lo tendré presente. Me lo apunto.

    Un beso

    ResponderExcluir
  27. Querida Tais, de todas as tuas crónicas ( de vez em quando leio muitas das antigas ) esta foi a que mais me tocou; é pura ternura, amiga, do principio ao fim ; adoro Mario Quintana, embora ainda tenha muito a aprender sobre ele, mas, ao ler a tua crónica invadiu-me aquela serenidade que se sente ao olhar a figura de Mário Quintana ou ao ler o que ele escreve. Parabéns, Tais e muito obrigada pelo momento terno que me proporcionaste. Um bom domingo! Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  28. Uma bela postagem, sobre um poeta que também admiro muito.
    Um abraço, bom domingo, e um Setembro pleno de paz e alegria para todos nós.

    ResponderExcluir
  29. Minha Vizinha Escritora, Taís Luso !
    Este lamento, tão dolorido, de não haver "esbarrado",
    pessoalmente, com o Ilustre Poeta, Mário Quintana,
    transmite-nos este teu belo texto poético, cheio de
    amor !
    Parabéns, querida, um fraterno abraço e uma feliz
    semana.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  30. Lindo este querer Taís e que saibamos aprender Quintanear.
    E passaremos sim com os passarinhos em sintonia a cantar.
    Quintana um dos iluminados que vão sempre ser atuais.
    Belo Setembro com um lindo primaverar-se.
    Abraços amiga e boa semana para vocês.
    Beijo de paz.

    ResponderExcluir
  31. La imagen que nos dejas de este poeta se me asemeja a tu gran descripción de él. Así que me supongo sus poesías serán igual.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  32. Palavras bonitas a respeito do querido poeta!
    Com grande criatividade e sensibilidade ele deixou escritos belos e tocantes...
    Um abç

    ResponderExcluir
  33. Linda crônica, plena de ternura, sobre um poeta simples e muito iluminado.
    Gostei muito!...
    Que seus dias sejam de muita felicidade.
    Beijo.
    Élys.



    ResponderExcluir
  34. Cara amiga Tais, bom demais ler esta crônica, na qual miro-me como quem se mira num espelho em face da convergência de sentimentos em relação a esse anjo que foi Quintana, pois comungo com os teus sentires, haja vista, Quintana representar para mim tudo que falas nesta crônica. Estou emocionado, pois falaste, aqui, as mesmas coisas que eu falo sobre a influência que o poeta exerceu e ainda exerce sobre mim, inclusive como alavanca propulsora em relação ao gosto pela poesia. Também nunca falei com o Mario, apesar de ter ficado diversas vezes próximo do mestre, mas, sempre faltou-me coragem para aborda-lo.
    Obs.: amo a poesia de modo geral e gosto de vários poetas, mas três estão do topo da minha idolatria: Fernando Pessoa, Jorge Luis Borges e Mário Quintana, mas o Mário é o número um.

    Um abração. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  35. Parabéns Tais por esta belíssima homenagem ao poeta Mário Quitana.
    Quintana, o teu poeta e meu também desde que as lides bloguistas nos juntaram.
    Acho que vou guardar esta crónica para reler quando me sentir «triste e amarga». Como não tenho os poemas de Quintana (falha minha) leio a prosa-poética da Tais.
    Agora, esclarece-me: tu triste, ainda vá, mas tu amarga, hum! não acredito.
    Beijo querida amiga. Já tinha saudades de te ler, melhor, "ver". Sim, porque tu mostras-te numa escrita luminosa.

    ResponderExcluir
  36. Tais!
    Que encanto de postagem!
    Uma verdadeira viagem.
    Eu amo Quintana e aprendo com
    Ele a cada
    releitura..
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  37. Oi Tais! Mario quintana e´um dos grandes ícones da literatura brasileira, o “poeta das coisas simples”. Como não gostar do poeta que tanto nos aproximou com as coisas da vida? Esse grande escritor e poeta nos deixou imenso legado para a posteridade, e torcemos para que no futuro ainda se goste de ler. Sei não....Como sempre uma ótima postagem. Sempre nos brindando com um pouco mais sobre tudo. Sinta-se a vontade para escrever o tamanho que desejar em minha pagina. Sempre bem vinda com sua imensa simpatia. Grande beijo. Ótima continuação de semana.

    ResponderExcluir
  38. Minha querida Taisamiga

    Tive a honra e o privilégio de ter conhecido e portanto falado com esse gigante mixuruca como ele me disse que lhe chamavam… em 1982 estava ele paupérrimo e morava num minúsculo quartinho no Hotel Royal do antigo futebolista Falcão. Fomos tomar um cafezinho num boteco dum portuga “A Flor da Mouraria” e tomámos assento num jardim que havia ali perto.

    Estivemos quatro horas conversando e depois ofereci-lhe um jantar. Comeu pouco mas bebeu bastante e falou muito. Como dois jornalistas abordámos milhentos temas e cortámos em m muitas casacas. Já de madrugada e depois de umas cachaças quando fui levá-lo ao hotel contou-me que uma amiga lhe fizera notar que o quarto dele era muito pequenino, ao que ele respondera se bem se recordava, mais ou menos: "Eu moro em mim mesmo. Não faz mal que o quarto seja pequeno. É bom, assim tenho menos lugares para perder as minhas coisas…"

    Nunca mais me vou esquecer dele.

    Muitos qjs do teu amigo também luso
    Henrique, o Leãozão

    AVISO

    Já se encontra na Nossa Travessa o episódio n.º 12 da saga É DIFÍCIL VIVER COM UM IRMÃO MONGOLÓIDE cujo título é Entre dois dias: um louco amor e um suicídio. Tenho de avisar que ele contem cenas eventualmente chocantes por serem eróticas que podem ferir pessoas puritanas ou mesmo falsas puritanas.

    ResponderExcluir
  39. Querida Amiga.
    Adoro a poesia e os poemas de Mário Quintana, pelo que, apreciei sobremodo esta sentida e magnífica crónica.
    Correndo o risco de ser denominada ''quintanista'', estaria sempre a citá-lo que não me cansaria...
    Parabéns pela inspiração... Não lamente por não o ter conhecido pessoalmente... Importante é o conhecer pela sua obra.
    Abraço grande de muita cumplicidade e pesar pela perda do museu.
    ~~~

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde, Taís
    Uma belíssima homenagem à Quintana.
    Gostei imenso, querida.
    Um grande abraço e beijinhos de
    Verena

    ResponderExcluir
  41. Boa tarde, querida Tais,
    surpreendeu mesmo com sua crônica do grande poeta Mario Quintana, penso que as pessoas que se identificam com poesias, com certeza vão amar os poemas de Quintana.Gosto em particular do poema com o título, "Os Poemas". Errado dizer que ele não se casou e nem teve filhos e por isso viveu solitário, ele casou-se com as letras que não o deixavam na solidão. Gostei muitíssimo. Beijos!

    ResponderExcluir
  42. Oi querida
    também gosto muito de Quintana que fala com a alma e mostra as doversas facetas que temos para olhar à vida e mesmo à morte,
    Bom feriado. Bjs

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por deixar seu comentário, se necessário for, deixarei resposta a alguma pergunta.
Abraços a todos
Taís