16 de outubro de 2020

PANDEMIA - DE TUDO UM POUCO!

  


                      - Taís Luso


Conforme o dia, minha inspiração para escrever se altera muito. Há dias que bate o pessimismo e fico mais nostálgica, mais introspectiva, com dúvidas e medos, e que sou capaz de morrer pelo meu próprio veneno. Em outros momentos, vejo a parte hilária das pessoas. Enfim, gosto de traçar o cotidiano, mesmo numa pandemia, coisa que nunca sonhei em vivenciar.

Algumas coisas me tocam mais, e despertam em mim uma visão interior mais profunda. Às vezes olho pela janela e vejo a vida linda lá fora, um sol radiante num céu azul, muitas árvores coloridas, prédios bonitos que saíram das mãos dos homens. E vem um lamento pela vida não ser infinita, tal a vontade de viver!

Uma pandemia nos isola dos parentes e amigos, mas também nos aproxima através dos meios de comunicação, pelo celular, por e-mails. Queremos saber dos amigos, queremos falar sobre os cuidados que estão tendo e torcer para que também estejam bem.

Também acontecem coisas bizarras por termos a família em casa todo o tempo. O maridão em quarentena, vira um filho! Parece que, nós, mulheres, estamos num mundo estranho tomando conta do Universo inteiro.

Ontem, ao falar com uma amiga, também em quarentena, disse-me ela que além de artista plástica virou, cozinheira, faxineira e cuidadora. Mas, que é mais fácil cuidar de três mulheres do que do marido. Explodi em gargalhada! É bem assim, ela está certa.

Os homens são bravos guerreiros; enfiam-se dentro de foguetes em busca do desconhecido; enfrentam tempestades em alto-mar, rodeados de tubarões, enfrentam com coragem guerras absurdas etc.   A criança que todos temos dentro de nós  só adormeceu.

Ontem resolvi fazer ovos moles no café da noite. Aqueles ovos que se come nas casquinhas, de um minuto e meio no fogo. São gostosos e leves. Quebra-se a ponta do ovo e come-se com uma colher pequena, mas precisamos ter leveza na mão. Fiquei a olhar a dificuldade do meu guerreiro ao quebrar a ponta do ovo, parecia que estava quebrando um ovo de chumbo! Quando vi, a gema e a clara fizeram a festa na toalha, e foi-se o ovo.

- ‘Fim de ovos moles’, disse-me ele rindo, para comer isso só com um ‘psiquiatra’ do lado!

Logicamente veio uma gargalhada inesperada. Mas tudo bem, quarentena tem de tudo um pouco, lágrimas e sorrisos. Menos mal. Fim de ovos moles!

Não demorou muito, o meu guerreiro sentiu vontade de comer um ‘mingau de Maizena’, docinho, com canela por cima! Igual aqueles que eu fazia para nossos filhos quando crianças... Fiz 'dois' pratos fundos!! Ficou feliz! Eu também fiquei...

Quando tudo acabar, estaremos com 20 quilos a mais – também entre lágrimas e sorrisos. Creio que mais lágrimas.

Contudo, benditos sejam os homens entre as mulheres!



_________________________//________________________





44 comentários:

  1. Taís você foi supimpa, falou de tudo o que realmente está acontecendo nas nossas vidas, nesta louca época de pandemia.
    Quanto ao comportamento masculino ainda vou te contar das carências infantis que rolam por aqui! O que me salva é ser um único homem a me dar tanto trabalho.
    Amei sua crônica amiga.
    Beijinhos, muita saúde.
    Léah

    ResponderExcluir
  2. Você nos faz rir de um tema tão sério. Mas assim vamos, penso que todos entre lágrimas e risos, alguns com mais de um do que do outro. Eu penso que a alma feminina, perceptiva por vezes é levada por esta função do cuidar e que, mesmo que digam que não, o homem gosta muito. Ótima crônica.

    ResponderExcluir
  3. Querida Taís,
    Os impactos reais que esta pandemia trouxe para nós homens (benditos entre as mulheres), é ruim também. Viva o “mingau de amido de milho” (dos tempos da vovó), que nos salva o paladar e nossas lembranças!!!
    Mas, ainda nem imaginamos quais mudanças (sobre diferentes e diversas coisas), estão vindo aí?
    Algumas pessoas darão mais valor ao espaço familiar, outras ao convívio social. A única coisa que não se humanizou (nem em tempos pandêmicos), foram estas benditas mídias sociais (hoje ainda mais ativas que antes), devido muitas pessoas cumprirem corretamente esta fase de quarentena.
    A tranquilidade de espírito inexiste dentro e fora dos lares. Então, pedir para existir equilíbrio vindo de algumas pessoas que utilizam Internet, é o fim dos ovos moles, quentes, estrelados ou “pochés”.
    Viveremos mascarados, empapados de álcool 70° e nos valendo do “Delivery” (para quase tudo). Não existe nada de novo e nem de normal... São outros tempos que se anunciam.
    Mais uma bela reflexão.
    Beijos! Bom final de semana! E cuide-se!!!

    ResponderExcluir
  4. Fantástico seu texto, o mais completo resumo da quarentena. todos nós estamos vivendo dias coloridos contemplando a natureza e ao mesmo tempo dias tristes e melancólicos, nos tornamos multi profissionais, mães, professoras, cuidadoras, as super mulheres e assim a vida via, adorei sua reflexão sobre a fragilidade dos homens em casa, isso mesmo viu aqui esta igualzinho. bom final de semana e a você ainda me deixou com vontade de comer mingau de maizena kkk Bjs

    ResponderExcluir
  5. Sim, os maridos são tão desajeitados de vez em quando, mas você não gostaria de sentir falta dele.
     

    ResponderExcluir
  6. Tais, foi bom te ler pra rir um pouco do teu jeito... É danado mesmo..Tu bem sabes como nos cuidamos dessa porcaria toda de vírus. E o que ganhamos de presente? Já uma semana, entrando pela emergência e agora no HMV por pancreatite no Kiko. E é destruidora,arrasa com resultados totamente! UMa tragédia. Assim, foi bom rir aqui disso tudo...Torce aí,tá? bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Chica, parece que a vida conspira, que não basta o que estamos vivendo... vou torcer, vamos lutar, jamais nos entregar!
      Melhoras para Kiko e força aí pra todos!
      beijos!!

      Excluir
  7. Um homem em casa é uma "desgraça" dizem as mulheres. Será mesmo? Ok, pronto. Tenho que acreditar, lol
    .
    Feliz fim-de-semana
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Eu acabei de tocar no assunto e como
    lá eu falei, tudo vai passar.
    Um beijo, força e bom dia.

    ResponderExcluir
  9. Esta crônica escrita com maestria por quem escreve crônicas como se estivesse conversando, pois é difícil escrever com simplicidade, ficou excelente. Tudo nesta crônica retrata um pouco os momentos difíceis que todos nós vivemos nesse período em que o covid 19 está em toda a parte. O que foi dito à respeito da nossa vida em casa já diz bastante das nossas restrições de sairmos. Agora, resta-nos a esperança de que a vacina contra esse vírus venha beneficiar a todos. Gostei muito do humor da crônica, próprio da tua personalidade.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  10. É isso aí ,Taís
    Mais desajeitado impossível ! a nossa esperança é que ficando em casa resolva observar e de sobra aprender um pouquinho das tarefas domésticas que nunca acabam _ lava-se a louça do almoço e já vem da tarde da noite... enfim nós mulheres somos muitas em uma só.
    Dissestes bem _ 'alguns' são mais corajosos nas tarefas complicadas ,no entanto as mulheres já avançaram nessa área também _falta a maioria deles avançar nas tarefas fáceis da casa _lavar passar cozinhar cuidar da criançada, enfim um mundo de coisinhas... rs
    Sempre boas suas crônicas !
    abraço e gostei muito da foto do ovinho mole!

    ResponderExcluir
  11. Olá querida Taís,
    quanto tempo eu não vinha à sua página, não por querer, mas algumas dificuldades do meu dia-a-dia em quarentena.

    Adorei sua crônica, só não gosto de ovo mole, aff ainda mais uma melecação dessa na toalha.
    Seu humor aguçado é bem ´propício para temperar esses momentos angustiantes que parecem não quere acabar nunca. Adorei , sua escrita é maravilhosa.

    Bjs e bom findi@!

    ResponderExcluir
  12. Delícia de crônica, Tais, cheia de reflexões, mas leve, alegre, adorei!
    São nestes momentos simples que estão presentes afetos e cumplicidade que ainda mais em tempos de distanciamento, são mais importantes ainda.
    Abraço, bom final de semana!

    ResponderExcluir
  13. Tais, como não rir dos seus "causos" maravilhosos?? Bom humor é fundamental em todas as situações, mas o agora está a chamar por ele aos gritos. Estamos todos meio estranhos porque não nos reconhecemos. Realizamos atividades que não faziam parte de nossos dias e até algumas para as quais não estávamos preparados (eu!!!!). Lavar, arrumar, passar, cozinhar não faziam parte da minha rotina. Que loucura! Minha irmã Vera está enlouquecendo com meu cunhado kkk. Ela nem consegue ver um filme tranquila porque ele, a todo instante, a interrompe para contar algo que ouviu na tv (só assiste a noticiários). E não adota, como ela, as medidas de segurança necessárias para evitar a contaminação. Ela tem que ficar atrás dele, lavar suas máscaras, vigiar rss. Fico até com pena. Aqui, como sou sozinha, não tenho que tomar conta de ninguém, só de mim rss. E espero que continue assim kkk. Dizer que amei sua crônica é bater na mesma tecla, mas você sabe o quanto admiro seu jeito de escrever. Uma linda semana para você e para o Pedro, sem ovos moles. Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Temos de nos adaptar a estes tempos com o olhar postono futuro mais risonho!!! Bom domingo 🙏

    ResponderExcluir
  15. Hace mucho que no como huevos pasados por agua como los llamamos aquí a decir verdad creo que desde niño que seguro me los abría mi madre.
    Los días del confinamiento total yo perdí unos dos kilos ya que apenas cenaba por no haber hecho ejercicio.
    Tu reportaje como nos tienes acostumbrados maravilloso.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  16. Realmente em todas as circunstâncias as mulheres são as guerreiras... Esta sua crónica, no seu tom de humor é reveladora disso. Gostei imenso.
    Cuidem-se bem.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde Taís,
    Não pude deixar de sorrir perante sua tão bem humorada crónica!
    Homem é mesmo assim e não vale a pena tentar modificar! São especiais…rsssss!
    O final está fabuloso!
    Um beijinho e votos de uma boa semana, com saúde.
    Ailime

    ResponderExcluir
  18. Serão os ovos mal assados que minha mãe me fazia pela tarde? Embrulhava num jornal molhado e metia no borralho. Eu partia a ponta e comia à colher, com açúcar. São deliciosos. A esse mingau de maizena também ela me habituou. Não queria que eu fosse magra. rsss De vez em quando faço.

    Bela crónica, querida Taís, e bem humorada.

    "Benditos sejam os homens entre as mulheres!"

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ovos moles com açúcar? Aqui comemos com sal! Hoje vou comer com açúcar, grande ideia, minha amiga!! rss E vai ser daqui a pouco no café da noite. Obrigada pela dica!
      Beijo, rs

      Excluir
  19. Olá, querida amiga Taís!
    Homens tão importantes, suprem o que não podemos e nós na eles.
    Muito ruim ser babá de grandes, mas o Amor supera tudo, certamente.
    Tive um tio que até morrer foi servido de bandeja pela tia. Achava lindo isso.
    Cada um é nada um, claro!
    Já ouvi essas críticas de muitas amigas.
    Acho que tenho vocacao para bab���... Sem problema.
    Sabe escrever sobre todo tipo de tema.
    Mingau de maisena eu adoro e nada de ovo mole demais. Meio termo para mim, amiga.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  20. Olá Tais! Nós homens somos assim mesmo . rsrs Um dia desses fui trocar a lâmpada que queimou e, quebrei a nova; um desastre! Gosto demais de ovo mole com sal. Mingau de maizena com canela é uma delicia! Minha querida, ai de nós se não fosse vocês ! Grande beijo. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  21. Uns quilos a mais em troca de uns anos de vida a mais.
    Vale a pena.
    Beijo, boa semana

    ResponderExcluir
  22. Gostei bastante deste belo texto principalmente da maneira como acaba - benditos sejam os homens entre as mulheres.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Taís.
    Olhando pelo lado positivo dessa pandemia, ela aproximou e esta fortalecendo os laços familiares. Embora as notícias na TV mostrou alguns casos de casais de primeira viagem que se separaram por não aguentar o convívio familiar.
    Gostei do seu texto, só não gosto de ovos moles, prefiro cozido ou frito, já o mingau de maizena com canela é uma delícia. Estar em família é muito bom, principalmente na roda de chimarrão.
    Uma boa semana.Bjs

    ResponderExcluir
  24. Taís,
    Eu digo amém para para sua
    última frase.
    Para ser franca o que mais fiz
    nesse tempo de restrições foi
    aprender. Como eu tenho aprendido!
    Aqui meu par também
    aprecia mingau e as vezes
    pede de cremogema, pode? rs
    Adorei começar minha leitura
    da semana por aqui.
    Bjins de esperança de que
    logo as coisas vão melhorar
    de verdade e não por falsas
    estatísticas.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  25. Olá Taís! Parece que quanto mais tempo estou em casa mais ocupada ando. Porque há já 5 anos e sete meses que em casa fico muito tempo, só comigo, não é isso que mais me confunde. Eu gosto, gostava que ficar aqui encontrando, digitalizando e ordenando em ficheiros fotos, slides e negativos, mas com entradas e saidas de filhos e netos e preparação de uma ou duas refeições semanais de cerca de 14 Gamitos a semana passava a correr. Desde o jantar de 12 de Março não mais se juntaram todos cá em casa. Em alturas ainda nos juntavamps no jardim de um dos filhos para partilharmos almoço ou jantar. Agora o tempo já não o permite.
    Mas continuo sempre a fazer outras coisas: pintando porcelana, tricotando peças para bebés(agora as amigas começam a ter bisnets), aprendi a fazer bonecos em amigurumi e lá vão para os sobrinhos netos, fazendo brincos de crochet para as netas mais novas e suas amigas,... tudo enquanto vou vendo series na Netflix. Leio pouco. Semenalmente tenho encontro no Zoom com mais quatro amigas. Acompanho muitos amigos mais isolados pelo telefone.
    Mas... tudo isto só me faz sentir a falta de com quem eu mais gostava de estar...
    Beijos Taís!

    ResponderExcluir
  26. Querida Tais, que crónica mais saborosa esta.
    Uma cena do vosso quotidiano, em tempo Covid-19, descrita com humor, verdade e mestria. Adorei!
    Sabes, eu sou mais de ovos estrelados em azeite ou manteiga, salpicados no prato com uma boa colherada de mel. Amo de paixão!
    É um dos meus alimentos conforto. Este e outros, bem mais calóricos, que me ajudam a gerir crises domésticas em tempo de pandemia.
    A balança está confinada no fundo escuro de um armário.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rssss, ovos estrelados com mel?? Acho que deve ser muito bom, vou fazer hoje, no café da noite! Essa crônica está me rendendo receitas de ovos! Depois te conto, acho que esse entrará no nosso gosto, pois comemos batatas cozidas com mel por cima!
      Beijinho!

      Excluir
    2. Posso intrometer-me, Taís? Virgem Santissima me acuda, Teresa! Deu até um arrepio, ao pensar em ovo estrelado na manteiga ou azeite, com uma colherada de mel por cima. Cruz credo....Não fica enjoativo? O meu ovinho é estrelado apenas com um pouquinho de sal na gema e depois pãozinho a molhar na gema mole. Amigas do coração, não sei se irei experimentar as vossas receitas, mas prometo que um dia ganharei corage. Depois conto-vos! Entretanto, ficam dois abraços carregadinhos de amizade e os meus ovinhos cozidos ou estrelados com sal. Já me esquecia...batatas cozidas com mel? Virgeeeee! As minhas são com um azeitinho por cima como as comi ontem à noite. Não se zanguem comigo, viu? Beijinhos mil
      Emilia

      Excluir
    3. rsssssss, tá ótima essa, Emília! Ontem experimentei os 'ovos com mel', recomendo, adorei!!!! Vai nessa, amiga!!! Tenta!
      Beijinhos rss

      Excluir
    4. Se eu tentar, conto -te o resultado da experiência !!! Dorme bem, Amiga do coração! Beijos
      Emilia

      Excluir
    5. Uau!!
      Tais, gosto que tenhas gostado do meu ovo estrelado com mel...
      Agora, só falta a querida amiga Emília trocar o sal pelo mel nos seus ovos.
      Batatas cozidas com mel irei provar um dia destes.
      Beijos e abraços apertadinhos para duas queridas amigas.

      Excluir
    6. Como disse à Taís, vou tentar, mas, não prometo. Ainda me choca mais as batats cozidas com mel. Sou muito batateira, mas, com mel...
      Beijinhos recebidos e retribuidos em dobro ou triplo ou...ou...muitos, mesmo. Sois uns amores e foi bom brincar de ovos. Boa noite!
      Emilia

      Excluir
  27. Ola,!Muito bem escritove real.Obrigado.

    ResponderExcluir
  28. Rsss... Lembrei da música: "O que dá pra rir dá pra chorar..."
    Muito boa a tua crônica. É mesmo assim a questão dos maridos, tem hora que fica desgastante demais! Mas, viva as diferenças!...
    Quanto à pandemia, haja drible e muita fé. Também relax consciente e cuidados para não "pirarmos".
    Bjs e boas inspirações...

    ResponderExcluir
  29. Nossa, amiga Tais!...Este é um tema qual 'pau de dois bicos'. Todos os maridos que por aqui passarem e a lerem vão fazer a vida negra às esposas, se acaso se encontrarem em quarentena, ou, quando estiverem e se algum dia estiverem. Mimo, vida regalada e comidinha boa, ovos moles de Aveiro e doces sempre que apeteça, sim, a Taís é assim que faz com o marido - dirão os respectivos -.
    É nestas alturas que me sinto abençoada, por uma razão que só eu sei...

    Beijinhos, boa semana.

    PS- Tudo brincadeirinha, amiga, não me leve a mal.

    ResponderExcluir
  30. bem séria e divertida a tua crónica amiga.
    compreendo perfeitamente o "drama dos ovos moles".
    seria uma cena de suspense de gelar o sangue se acontecida
    nos meu confinamento. rss

    nessas ocasiões, recomendo à minha amiga a utilização vigorosa
    do rijo "salazar" rss

    beijo
    cuidem-se bem

    ResponderExcluir
  31. Olá, Taís!

    Aqui em casa moramos eu o filho de 21 anos. As vezes fico observando como é desajeitado para algumas coisas, que ao ver, são tão simples de serem realizadas. Um exemplo é procurar algo dentro da geladeira, nunca encontra,rs.

    Ovos moles eu não gosto, mas mingau de maisena gosto muito.
    Assim, entre o convívio diário e as diferenças, vamos tirando ricos aprendizados.

    Um abraço com carinho,
    Sônia



    ResponderExcluir
  32. jajajjajajaja
    mucho ánimo, paciencia y risas con "O maridão em quarentena, vira um filho!"
    Más papilla y neos huevos blandos jajajajajajajajaja

    Besos a los dos

    ResponderExcluir
  33. Você me fez rir, Taís.
    O meu marido esteve internado mas já estamos em casa e ele passa bem.
    É pior do que criança. Teimoso como ele só...rs.
    Virou uma formiguinha. Toda hora procura algo doce.
    Acho que vou fazer um mingau de maizena para ele...rs.
    Ovos moles ele não é muito fã
    Um beijinho carinhoso para você.
    Verena.

    ResponderExcluir
  34. Muito interessante este teu divagar pelo quotidiano dos dias que vivemos.
    Homem em casa todo o dia, não é fácil, mas como dizes, benditos sejam os homens entre as mulheres...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Vizinha / Escritora, Taís Luso !
    Esta pandemia, certamente, alterará as relações humanas,
    dentro e fora dos lares.
    É imprevisível os resultados que virão brevemente.
    Um fraternal abraço, parabéns pelo lindo texto, e uma
    feliz semana !
    Sinval.

    ResponderExcluir


Muito obrigada pelo seu comentário
Abraços a todos
Taís