15 de setembro de 2016

A ETERNA JUVENTUDE















  - Tais Luso

Estamos num tempo em que é proibido envelhecer. Lembro que minha a, minha mãe, minhas tias envelheceram com muita dignidade. Envelhecer era natural, pé no chão, sem traumas. Eu nem notava que minha mãe estava envelhecendo, tal seu espírito jovem e brincalhão. Cada uma delas curtia sua idade, vivenciava as etapas da vida com classe e com paz, eu notava segurança nelas. Hoje é diferente, é como se nosso potencial físico tivesse algum sentido apenas na juventude.
Contudo, as mulheres sempre foram mais atingidas pelo bullying do que os homens: homem com cabelo grisalho é charmoso; mulher é descuidada. Homem com barriguinha é macho; mulher é desleixada e comilona. Homem com rugas é sábio; a mulher se cobre de cremes anti-rugas. Se estamos magras, estamos doentes; se estamos gordas, estamos com problemas emocionais. Ou na menopausa. Homem 'muito' magro faz parte de um movimento cultural; mulher está anoréxica. Que coisa patética. Dá vontade de morrer - segundo as dramáticas de plantão.
Por que não se fala nas experiências que adquirimos, nas etapas que vencemos, nas nossas histórias de vida, nos filhos que parimos, na família que construímos, nas dores que sentimos? Envelhecer, hoje, é um ato de bravura; é superação. É como se tivéssemos sobrevivido à tragédia do Titanic.
Quando o homem chega nos 90 anos, o quadro que pintam é lindo, chega a ser apoteótico seu final:

- ...Como o seu Lico - com 90 anos - está disposto, um garanhão ! Acabou de ter um filho com uma mocreia de 30!

Perceberam? Ele, com 90 anos é garanhão, ela com 30 é mocreia. (Mocreia é uma gíria brasileira de caráter pejorativo). Contudo, a mulherada  está vivendo uma enorme transformação: malhando como loucas, com músculos do pés ao pescoço - que a Deus duvida de sua obra... Envelhecer não é nada mais do que etapas da vida que precisam ser vividas. Cuidados com o corpo e exercícios é uma coisa; fixar-se numa juventude eterna é obsessão. A fixação por entrar na modinha das filhas, também entra no exagero.
Os animais envelhecem, envelhecem as plantas, os rios, as matas, o planeta. Mas quando atinge os humanos, a coisa se torna problemática. Capacidade, amizade, amor e beleza encontramos no espírito das pessoas, e não nesses malditos números. E nem no tempo. O espírito não tem idade; pode ser bonito e encantador a vida inteira.
Ou muito triste.


_______________________________________


46 comentários:

  1. Vivendo
    Maldito espelho diz que envelheço
    Que esmaece tonicidade muscular
    Talvez tal senilidade seja o preço
    Que todo vivente terá que pagar.

    A degradação corporal é o começo
    Duma velhice que está prá chegar
    E não há como conservar em gesso
    Aura de saúde plena, espetacular.

    Sequer adianta virar pelo avesso
    Tentando desse modo saúde salvar
    Assim ofegante respirando opresso
    Cansado, encostado num espaldar.

    Então descubro que tudo mereço
    Pois aqui não estamos para ficar.

    ResponderExcluir
  2. A idade ensina

    Sei, sou velho, tenho mais de sessenta
    E, sinceramente, ainda não sei qual cor
    Será essa que à esta velhice apresenta
    Se é uma matiz fria ou ardente de calor.

    Mas no fundo tenho uma desconfiança
    Não é amarela, vermelha ou alaranjada
    Tampouco azul cerúleo ou até faiança
    É cor bem neutra que representa nada.

    Porquanto é outonal essa tal de velhice
    Pois quem é velho parecer não deseja
    E pouco importa o que por aí se disse
    Nenhum velho quer do bolo ser cereja.

    E se alguém diz que ser velho é chatice,
    Talvez fique chato quando velho ele seja.

    ResponderExcluir
  3. Onirismo?

    E um belo dia acordamos para a vida
    Em torno apenas um mundo bisonho
    E por dentro talvez uma alma ferida
    Então nada mais resta daquele sonho

    Pois o dia-a-dia diverge da realidade
    Nada que existe será sempre assim
    Infelizmente há muita mediocridade
    Este triste viver é bem mais chinfrim.

    Que sonhos fossem reais eu quisera
    Onde a dureza da vida não existisse
    E a existência fosse apenas quimera
    Estranha a toda e qualquer chatice.

    Viver no mundo assim quem me dera,
    Curtir o feliz deleite da minha velhice.

    ResponderExcluir
  4. Amiga Taís, sua reflexão aqui nos mostra isso mesmo, muitas mulheres sofrem tanto com medo da velhice que, ao imaginar o tempo passando já ficam apavoradas e perdem boa parte da vida por isso, nossa!
    A sociedade feminina é a que mais cobra né mesmo? Pois vejo em rodas sociais, em festinhas, ou coisas assim, as mulheres comentado umas das outras, portanto...
    Acho a Vida muito curta para ficar presa no medo da velhice, estou envelhecendo, ainda bem que com saúde, pois é o mais importante em tudo isso, as fases, todos nós temos de saber viver todas as fases das nossas vidas!
    Muito bom seu texto, amei ler!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  5. Ode da desesperança

    Olha essas sombras tão malvindas
    Amortalhando esta avenida solitária.
    Onde todas esperanças são findas
    E qualquer ente se sente um pária.

    Tudo que é bom por aqui se acaba
    Tal qual se o fim dos tempos fosse
    Pois também a vivência menoscaba
    E absolutamente nada sabe a doce.

    É como se o amor jamais existisse
    E todo mal existente seria herança,
    E a dor do mundo aqui persistisse.

    Na escuridão o frio também avança
    E com ele vem a horrenda velhice
    Que reduz a nada nossa esperança.

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    Porque certo dia alguém me disse
    Que quando aparecer a velhice
    A vida perde a cor
    Desaparece o amor
    Vejo hoje que isso é estultice.

    ResponderExcluir
  7. OI TAÍS!
    VERDADE, VI MINHA MÃE E TIAS ENVELHECENDO E PARECIA TÃO NATURAL E NORMAL QUE COMO DISSESTE NEM NOTÁVAMOS, AGORA, NO ENTANTO, EXISTE UMA CORRIDA LOUCA ATRÁS DE UMA JUVENTUDE QUE É CULTUADA COM TANTO EMPENHO QUE AS QUALIDADES REAIS, AQUELAS QUE VÃO PERMANECER APESAR DO TEMPO QUE PASSAR, PARECE QUE MAIS NADA SIGNIFICAM. SÓ QUE, CHEGA A HORA DE TODOS(AS), QUANDO NÃO HÁ CRENE, CIRURGIA NEM PROMESSA PARA SANTO QUE RESOLVA E NESTE MOMENTO VEREMOS O QUE SOBROU PARA SER VIVIDO.
    SABES QUE ADORO TEUS POST NÉ? MAS EU DIGO SEMPRE RSRSRSR
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Interessante isso,Taís. Vimos nossos pais envelhecendo, tias, avós... De repente todos foram saindo de cena e quando nos damos por conta, somos nós as velhas e velhos da família. Saber isso encarar é preciso....

    Se nos preocuparmos muito e muito em nos manter jovens por fora, tenho certeza que mais cedo envelhecemos...

    Gostei de tua reflexão1 bjs, chica

    ResponderExcluir
  9. Taisinha, como tenho dois elogios para fazer, vou começar pela tela (Série Gêmeos), da artista plástica gaúcha Tina Felice, que, com essas cores quentes, ficou muito boa. O segundo elogio é para a cronista, que com sua capacidade de síntese disse o essencial sobre vantagens e desvantagens da velhice, mostrando a liberdade que a mulher não consegue ter nesse andar do tempo, por ser mais vaidosa que o homem, o que é normal. Uma bela crônica a tua, Taisinha.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  10. Suas palavras são autênticas. Espelham bem o ciclo natural da vida. Felizes somos se, enfrentarmos o mesmo, com a autonomia que a maturidade nos reserva. Ser feliz da vida e com a vida é bem mais que aparências...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Suscribo Tais desde la primera hasta la última palabra de tu atinado enfoque, desde la visión de mismos propias 80 "primaveras".

    ResponderExcluir
  12. Estou de acordo consigo, na verdade o envelhecimento dos homens e das mulheres é visto com critérios diferentes. É a vida...
    Gostei da sua reflexão, é magnífica.
    Taís, tem uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Minha querida amiga Tais, entre o riso e a vergonha li a parte em que listas as diferentes maneiras de lidar com o homem e com a mulher, as proporções para uma mesma situação, mas é fato. E seu Lico ?rs. Hoje uma mulher de 40 ou 50, como muitas artistas, nem perto do que era uma mulher de 40 anos, algum tempo atrás, diria a atriz Suzana Vieira que era falta de cremes caros rs...o mercado masculino de cosméticos não tá muito longe, existe um lado bom, sem os exageros, um maior cuidado consigo, mas se a base interna não for fortalecida de nada adianta, como diria minha falecida vozinha: por cima renda e filó, por baixo um molambo só rs.
    ps. Carinho respeito e abraço.
    ps2. Obrigado por tuas visitas, eu fico sempre muito bem.

    ResponderExcluir
  14. Envejecer con dignidad y lucidez es de ser sabio, pero a toda mujer nos influye el conservar la buena presencia y por eso siempre tenemos que tener un cuidado de nuestro físico, aunque hoy en día el hombre se cuidad tanto como la mujer.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  15. oi Tais, realmente é assim mesmo que acontece. Andamos numa corrida desenfreada para enganar as marcas do tempo, como se envelhecer fosse algo vergonhoso.

    Gostei muito da tua crônica, lindamente ilustrada com tela de Tina Felice.

    Beijinhos/Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  16. Olá, Tais!
    Acho que a mulher e também muitos homens, os chamados metro-sexuais, vêm utilizando muito bem, os tratamentos disponíveis para adiar para cada vez mais tarde, o enrugar do envelhecimento! O que eu acho condenável e desastroso, é o comportamento daqueles que foram tomados pela "síndrome de Peter Pan". A sociedade moderna está repleta desses arquétipos travestidos de seres normais! Os outros, estão como se diz muito hoje em dia:"um ponto fora da curva"!
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  17. Oi Tais,
    Eu nunca liguei para o meu corpo em si: gosto da minha barriguinha safada, meus seios avantajados, minhas pernas gordinhas sem nenhum vasinho e celulite.
    Meu rosto mineiro sem vergonha, lábios grossos com batom vermelho, nariz tinha que combinar com a boca, olhos marrons, olhar malandro e com 69 anos não posso entrar no facebook. Capito?
    A beleza morre para todos, o que fica é a dignidade.

    ResponderExcluir
  18. Taisinha Numa analogia meio simplória vejo a vida como uma escadaria de três lances, no primeiro aprendemos a subir com dificuldade degrau por degrau, temos então a curiosidade a ansiedade pois tudo é novo belo, no segundo lance são as lutas, o trabalho, a descoberta das dificuldades, do amor, do sucesso ou não, mas ainda estamos fortes somos jovens achando que nunca vamos ficar velhos e incapazes. Se vencermos na vida o ultimo lance será mais fácil, mas nos leva ao perigo do orgulho da vaidade de que tudo poderemos sempre. Se não vencermos se fracassarmos, o perigo de ficarmos revoltados, amargos e querermos desistir e maldizer a vida e culpar outros por nossos fracassos . Porém em todas essas fases para cada idade nossa vivencia nossas lagrimas e nossos sorrisos vão ficando em nosso rosto nos sulcos da pele, na brancura de nossos cabelos, na nossa expressão de cansaço, porque viver é sempre uma luta cansativa, até mesmo para ser feliz. No entanto para aprender ou ensinar aqui estamos independente dos que nos acham feios ou bonitos, enrugados, gordos ou magros, flácidos ou durinhos, chegamos até o ultimo lance da escadaria e só temos que agradecer todas estas marcas do tempo em nossos corpos e dar graças a Deus de chegarmos até aqui, apesar de tudo e das opiniões de todos os superficiais que só dão valor à beleza externa.
    Bonita crônica feita por uma pessoa linda por fora e de belos sentimentos .
    Beijinhos Léah

    ResponderExcluir
  19. Tais,

    um texto vigoroso e nítido - sem meias tintas, nem tibiezas!
    gostei muito, minha amiga

    beijo

    ResponderExcluir
  20. Bom dia!
    Eu penso que a maioria desses estereótipos contra as mulheres e o envelhecimento, vem das próprias mulheres! É da gente que surgem essas frases feitas, rancorosas e cheias de inveja e maldade. Nunca vi um homem zombar de uma mulher idosa. Nunca vi um homem criticar, na praia, uma mulher com celulites. Meu marido descobriu o que era celulite através de um comentário meu, quando me olhava no espelho. Estrias? Ele nem tinha idéia.
    Acho que as mulheres tem que repensar a maneira como elas encaram o envelhecer, e principalmente, umas às outras, né?

    ResponderExcluir
  21. Tais, aplaudo o tratamento do tema e a qualidade do texto.
    Sendo mulheres, somos naturalmente vaidosas e gostamos
    de ser bonitas, porém, entrar em obsessão é falta de mente
    assisada...
    Um intelecto alegre, caridoso e inteligente, é o que torna, de
    facto, a mulher bela e simpática.
    Não há espetáculo mais deplorável do que ver criaturas com
    plásticas mal conseguidas, ou pavonearam, sem pejo, falsos
    atributos.
    Envelheçamos cuidadas e preservemos o espírito harmonioso
    e equilibrado!
    Abraço, em sintonia...
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  22. Ainda quero acrescentar que a ilustração é belissima!
    Estive a ver asinteressantes obras da artista...
    Um orgulho para todos os gaúchos!
    Beijo.
    ~~~

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde, querida Tais, envelhecer de verdade, dizem que é para poucos, estou pensando ser verdade. Também lembro de minha avó paterna e minha mãe, quando passaram para a idade madura, porém na época da minha avó, quando ela estava na idade que estou hoje, ela era realmente uma velhinha, minha mãe, infelizmente não a vi envelhecer, pois faleceu. O culto ao corpo tornou-se uma obsessão para continuar jovem, mas há sempre os sinais em alguma parte do corpo de que a idade da velhice chegou. Dias atrás, vi uma senhora de costas e parecia uma jovem linda, cabelo, corpo, quando virou e atravessou a rua, até ri sozinha, uma velha de pescoço enrugado,boca caída e..... o que precisamos cuidar é da alma, claro que os cuidados com o corpo são necessários, porém não uma causa de morte em vida. Fiquei admirada com a foto da tela que postou. Bom gosto! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Marli, certo, o corpo envelhece primeiro, mas já se sabe que o rosto é o espelho da alma; tudo nele aparece, tudo delata nosso espírito. Também o mesmo aconteceu comigo, num dia de domingo num parque... o corpo da mulher era de miss, mas o rosto não; sofrido, judiado. Cuidou do corpo e não cuidou do espírito...transpareceu no rosto. E realmente ela fora uma bela Miss Brasil!
      Beijinho, amiga.

      Excluir
  24. Taís,

    Uma bela crônica com a voz feminina no tom da sabedoria,
    para a reflexão da importância da singularidade, do ritmo
    de cada um com a sua beleza em todas as idades.
    É necessário dizer não para esta corrida fútil da venda
    de uma juventude eterna, sabemos que a alma, o sentir
    são essenciais para viver bem.
    A imagem belíssima (adorei conhecer!).
    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  25. Gostei do seu texto minha amiga e é uma verdade hoje em dia quase que é uma vergonha envelhecer, quando deveria de ser precisamente o contrário pois esta vida é composta de várias etapas e todas elas têm a sua beleza.
    Um abraço e bom Domingo.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  26. Bom dia, Taís. Antes de comentar,agradeço imensamente sua visita,amizade, presença e comentários em meus espaços.
    Nunca pensei que fosse dar um tempo nos comentários e postagens,contudo, em respeito a vocês e a mim, precisei parar. Estou vivenciando uma fase delicada demais,sem ânimo, horrível.
    No Facebook deixei um aviso sobre,mas creio que não viu.
    Tudo o que lá escrevi é uma tristeza só e não consigo reagir.
    Voltarei a escrever nos meus espaços, só não o posso agora.
    Minha gratidão eterna a você e a seu marido,leitores leais.
    Quanto ao teu texto, maravilhoso e verdadeiro. Eu sinto uma dificuldade em envelhecer, ver que muita coisa pesa,principalmente quando poderia ter sido e feito tantas coisas de um modo diferente.
    Ainda assim, também creio que a garra e jovialidade que carregamos dentro de nós, é a que realmente vale.
    Parabéns.
    Fiquem com Deus e sejam felizes.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Patrícia, mesmo você sem ânimo e numa fase delicada, agradeço-lhe imensamente sua vinda aqui! Tudo passa, amiga, as coisas se arrumam com o tempo. Fique bem, não desanime. Invente mil coisas que ajudem você a sair dessa. Não sabia de nada, pois não tenho Facebook.
      Meu carinho, melhores dias pra você.

      Excluir
  27. Tais
    Rematas bem: "espírito não tem idade". Envelhecer é qualidade e não o contrário. De nada me importo que durante muito anos me chamem velho, será mais bonito que idoso. Sobre senhoras, a meu ver, elas devem ser iguais aos homens, pois todos devemos saber envelhecer com qualidade de vida. A propósito, frequento uma Universidade da terceira idade, que usa mesmo o slogan: "envelhecer com qualidade". Cerca de um milhar de alunos a frequentam, sendo mais senhoras. Essa atividade, faz sentir bem sobretudo para uma formação de opinião atualizada.
    Veja e comente o post
    Olinda Capital Colonial – Invasão de Pernambuco
    http://amornaguerra.blogspot.pt/
    BRASIL: SORRISO DE DEUS.
    Abraços


    ResponderExcluir
  28. Boa tarde querida Tais..os anos passam para todos nós.. os abusos que cometemos..
    o nao viver de uma forma saudavel, os pensamentos desregrados..
    tudo vai sendo somado..
    eu sempre me dou 10 anos a menos srs
    parece que funcion sempre me dão bons anos a menos.. e mal sabem que tenho uns brancos pela cabeça srs
    mas vou cortando perto da raiz né srs
    tenho de dar meu jeito..
    importante sermos alegres, a vida nos retribui.. beijos meus querida amiga..
    eu devagar com os blogs.. trabalho e mais trabalho... mas vou dando um jeito..
    publiquei uma parte dos meus livros na amazon tb..
    vamos ver o que rola né.. até sempre

    ResponderExcluir
  29. Oi Amiga, Taís Luso !
    Envelhecer, neste País tão controvertido,
    realmente, é preciso muita coragem para
    continuar vivo...
    Parabéns pelo realismo do texto, que é
    tão lindo!
    Um carinhoso abraço, e uma feliz semana.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  30. Também não consigo entender, Tais, esta 'neura' da juventude eterna. Problema de mulher nada! Tem homem de setenta que se vangloria - ridículo mesmo - que as mocinhas de 20 ainda olham para ele, veja! Olham para mim também, e comentam. Um amigo, certa vez, ouviu o que ela disse para amiga: "aquele velho é o tal que ainda escreve romances".
    É bom ou quer mais?
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  31. Um texto muito inteligente e para reflexão, Tais. Envelhecer com sabedoria e preparados para todas as eventualidades...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. Bom dia querida Tais.
    Envelhecer é um privilegio, queria eu chegar aos 90 anos rsrs. Não compreendo porque tantas pessoas temem tanto o envelhecimento, tenho uma parente que não cuida da saúde, diz que não gosta de médicos, mas de cirurgião plastico ela gosta rsrs. Vivem fazendo plastica uma em cima da outra, falo, falo e nada, estou vendo a hora dela acabar com a propria vida, pura vaidade, sem medir as consequências e nem idosa é, fico a imaginar como sera quando ela passar dos 50 anos. Acho que a pessoa deve ter uma alma jovem, afinal alma não tem idade, e assim sendo o rosto sera sempre iluminado, pela alegria, pelo animo, pelo amor a vida. O que adianta querer evitar o inevitável, mas cedo ou mais tarde o corpo vai envelhecer. Não acho errado o cuidado com o corpo, isso é se amar, mas tudo com equilíbrio, sem exageros. Quanto a sua colocação de como a sociedade ver o envelhecimento dos homens e das mulheres, nunca tinha pensado nisso, fui lendo o concordando com tudo que escrevestes. Uma linda semana para vocês. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  33. É isso mesmo Taís, o espírito não tem idade. Conheço jovens com alma velha e pessoas de idade sempre com espírito jovem.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  34. Amiga Tais, trouxe-nos mais um excelente texto que todas as mulheres compreendem tão bem.
    Desde que nascemos somos sujeitas a toda a espécie de pressão.
    Mas é na fase mais madura, quando devíamos estar a gozar algum descanso, vem a pressão da idade.
    Livra! Ser mulher é obra! :D

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  35. Olá Taís, uma boa noite de paz para uma semana vitoriosa.
    Que a ditadura do corpo, não tente criar seres vazios, bombados.
    Valorizar a casca e esquecer da polpa do fruto.
    Parece coisa de politica, priorizar e fazer o que brilham os olhos em detrimento do que é prioridade. Vi uma construção de quadra perto do esgoto que escorre a céu aberto. A quadra se vê o esgoto fica debaixo da terra pelos tubos, então vamos fazer praça, que o povo vê. Analogia próxima desta ditadura do corpo.
    Abaixo os números e viva o envelhecer-se sem culpa.
    Meu terno abraço amiga.
    Bjs de paz e uma semana abençoada de paz e alegria para voces.

    ResponderExcluir
  36. Olá, interessante como desenvolve seu texto, hoje mesmo, refletia sobre o envelhecer e escrevi no face, aqui deixo um recorte (...) O que é a vida, senão o abrir o peito para o que nos chega, sentir alegrias, tristezas, enfrentar os obstáculos mesmo assustada. Chegar aos 50, 60 e quem sabe aos 70, 80....encantada com a Vida.
    bjs

    ResponderExcluir
  37. Aos amigos da Leninha (blog MULTIPLICIDADE DE MIM – http://helena.blogs.sapo.pt), peço que passem pelo seu blog para se inteirarem de uma notícia.
    Grata
    Aninha

    ResponderExcluir
  38. Esta certo.. conheço jovens de 80 anos e velhos de 20. Quando vc começa a achar que nada vale a pena , que o mundo é uma porcaria, que não ha esperança de futuro... espiritualmente vc esta velho, no sentido mais deprimente do termo. Sou um jovem (de espirito) de 25 anos embora meu corpo tenha bem mais de isso.

    ResponderExcluir
  39. Apasionante tema lleno de interés y sinceridad. Saludos muy afectuosos.
    Franziska

    ResponderExcluir
  40. Cara amiga Tais, a sociedade, realmente, usa pesos e medidas diferentes na avaliação comportamental de homens e mulheres à medida que anos entram nas nossas vidas.
    Ah, tenho ouvido vida a fora: isso serve para mulheres dos oito aos oitenta, entretanto, acho que não é bem assim, pois fico meio sem graça quando vejo uma amiga, nem tão velha, pois deve ter uns cinquenta e poucos (eu com meus 65 sempre me parece nova ou novo alguém com menos de 60), vestindo as blusas das filhas, as quais estão na faixa dos 25.
    Um abração. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderExcluir
  41. Extremamente pertinente o teu texto de análise e reflexão. Mesmo os mais avisados, têm dificuldade em resistir à ditadura dos cânones da beleza.
    Sim, é preciso saber envelhecer!
    Bjinho

    ResponderExcluir
  42. E hoje em dia... a insegurança, por causa do aspecto físico, parece que cada vez começa mais cedo, no que às mulheres diz respeito...
    Felizmente começou há pouquinho um movimento que contraria isso... o movimento sem maquilhagem... em que cada vez mais, estrelas de cinema e do mundo da música estão aderindo, e se mostrando descomplexadamente tal como são...
    Apenas um pequenino exemplo, de tendências, que procuram quebrar barreiras, quanto ao estigma do aspecto imaculado e permanentemente perfeito, que é sempre exigido, em quaisquer circunstâncias, da vida diária das mulheres... a que figuras públicas, estarão sujeitas de uma forma bem mais acentuada...
    Um tema que nos toca a todas nós... e abordado aqui, de uma forma brilhante... com o seu enraizado sentido de humor, que muito aprecio e admiro, Tais!
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana, é verdade, essas artistas nos vendem falsidade! Quantas fãs não fazem o possível e impossível para tornarem-se parecidas? Ninguém tem pele tão linda como elas; cabelos maravilhosos! Vida e tudo muito falso, amiga!
      Beijo grande, obrigada pelo carinho das várias leituras essa noite.

      Excluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso