16 de fevereiro de 2010

E AGORA, JOSÉ ?


Sem palavras...

- Tais Luso de carvalho

Quarta-feira de Cinzas, após cinco dias de sonhos já dá pra esquecer dos reis e das rainhas, dos pierrôs apaixonados, do luxo dos carros alegóricos, das deusas televisivas e do ritmo dos tamborins.

Já dá pra esquecer do maior ‘Espetáculo da Terra’ e voltarmos à realidade de povo de terceiro mundo: de muita gente pobre e analfabeta, de gente doente e desamparada, de uma enorme desigualdade social, de aposentados desprotegidos - com seus vencimentos minguados -, de uma educação precária, de uma segurança a desejar, de um Estado que se perdeu em assumir seus deveres para com seu povo.

Viemos sonhando desde o Natal, com uma fantasia vermelha que nos traria mais calor humano, presentes, reunião cordial no núcleo familiar; viemos sonhando com um Ano Novo que sempre prometeu muita saúde, dinheiro e paz: nada mais existe de tão repetitivo e de tão ilusório.

Pelo menos o Carnaval serve para afogar as mágoas, a vida dura, dar diversão ao povo e cobrir de purpurina aos muitos que se vestem com dificuldade o ano inteiro por este Brasil afora. É nossa cultura, como é o futebol: carnaval e futebol são sinônimos de 'povo brasileiro', por isso há de se respeitar.

Sinto que depois de assistirmos a tanto luxo, tanta alegria - quase que por tempo integral nas televisões - temos de voltar a conviver com a nossa realidade humilhante, e ver em cada esquina o abandono dos humildes; ver a corrupção sem punição e conviver com gente que foi eleita para fazer e não faz.

A ilusão se foi... e agora, José? - lembrando Drummond.

_____________________
Foto acima: do blog    Sexto Sentido



29 comentários:

  1. Felizmente, passado o carnaval, está na hora de acordar para a realidade da vida.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Tatá,
    Nem sabes o que é detestar a folia e morar no Rio de Janeiro, rs.
    Saudades.
    Como sempre, adorei sua crônica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. A vida é para nós o que concebemos dela. Para o rústico cujo campo lhe é tudo, esse campo é um império. Para o César cujo império lhe ainda é pouco, esse império é um campo. O pobre possui um império; o grande possui um campo. Na verdade, não possuímos mais que as nossas próprias sensações; nelas, pois, que não no que elas vêem, temos que fundamentar a realidade da nossa vida .
    (Fernando Pessoa)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Delicioso cheiro de grama molhada, crepúsculo radiante são só para alguns olhos. O meio como produto do meio, não o contrário naturalistas.
    Talvez o mundo agreste tenha dado almas agrestes, João Cabral de Mello Neto

    ResponderExcluir
  5. Tais, sao textos como este que me fazem passar horas e horas nesta blogosfera.

    Quem nao tem palavras sou eu, a nao ser para lhe agradecer por tao importantes verdades, que nao sao unicas no seu pais...

    Beijo e um bom rsto de semana para si

    ResponderExcluir
  6. Tais, fiquei muito contente com a sua visita e comentário.Respondi lá mesmo, e quando tiver um tempinho passe por lá.
    A vida volta a sua realidade...
    As máscaras serão substituídas(ou não)e cada um procura seguir o seu bloco, no trabalho,em casa e na vida.
    As serpentinas e confetes darão lugar aos compromissos nossos de cada dia.
    Vamos à luta!!!
    Um abraço
    Emília

    ResponderExcluir
  7. Bonito texto, com questões importantes. E lembrou Drummond.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Depois da euforia, apenas a calmaria.

    Eu adoro seus textos, um beijo

    ResponderExcluir
  9. "A grande ilusão do carnaval: a gente trabalha o ano inteiro por um momento de sonho, pra fazer a fantasia..."

    É sempre um prazer ler tuas crônicas.
    Um abraço,
    mR.

    ResponderExcluir
  10. É isso, Tais. Pão e circo para o povo, para que assim, feliz e de barriga inchada, ele nos deixe locupletar à vontade! - pensa o político de ontem e de hoje.

    bjão

    ResponderExcluir
  11. Resta-nos aguardar....mas com José
    ou um Barão, mudará?????

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Taís, eu vi o seu comentário e meu blog. A respeito da parte onde fica os seguidores é porque eu tinha feito umas alterações no blog, logo, acabei esquecendo de colocar o gadget de seguidores. Mas, caso se interesse o link é esse:http://philosophie-filosofia.blogspot.com

    Outra coisa, eu adorei tuas crônicas, muito divertidas!!! Força sempre!

    ResponderExcluir
  13. querida passando rapidinho para te dizer que tem um selo para vc no meu blog Mimos e selos de amigos.. chama-se Selo prêmio- Superior Scribbler
    espero que vc aceite.. me fará feliz..beijão saudade..outra hora passo para ler hoje não da mesmo..

    ResponderExcluir
  14. Taís, a imprensão é que cada palavra escrita por você fez ecos em meu ouvido carioca... Até parece que o peso de suas palavras cai mais profundamente aqui!

    O carnaval sempre me concedeu apenas uma coisa... alguns dias de descanso para passar com a familia.

    Tomar folego para o resto ano. onde vou enfrentar tudo o que você descreveu...

    Parabéns, muito bom ler você!!!

    Abrç.

    ResponderExcluir
  15. Oi adorei seu Post, obrigada pela visitainha no meu Blog, adoroooooo quando me visitam!
    Esta sua crônica está muito boa, é muito difícil mesmo voltarmos a realidade drástica que temos em nosso país. Ah! se fosse todo ano carnaval né, cidades e pessoas cheias de alegria e vivendo um sonho. Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olá Tais
    Acabou a fantasia , agora é hora de encarar a realidade nua e crua. A miséria, a fome, a violência. Lamentavelmente depois que sonho acaba nada mais resta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Cara Tais

    Estou de volta e logo procurei atualizar meus blogs e por a leitura dos blogs favoritos em dia. Tenho que dizer que "E agora José?" cai como uma luva no momento em que o nosso país vive, aliás, é uma encruzilhada que se arrasta desde a Independência. "Mulher Vazia" é como um complemento, embora tenha sido escrito antes. Quantas delas não vemos nos desfiles de carnaval?
    Agora..."Retrato" de Cecília...não tem como comentar é ler, reler, reler e sentir....simplesmente sentir a força das palavras.
    Um grande abraço
    Bernardo

    ResponderExcluir
  18. A gente podia mesmo é trazer toda a alegria do carnaval dentro do nosso ser e externar isso em bondade e responsabilidade com o mundo. Uma corrente de alegria sempre e sempre...

    ResponderExcluir
  19. Oi Tais, adorei tua visitinha e vim aqui retribuir. Tenho certeza que adorarei também teus comentários no meu cantinho.
    Gostei da crônica deste post, é verdade, agora é hora de cair na real e continuar na luta. Ainda bem que temos esse carnaval tão lindo, essa ilusão que, por alguns momentos nos anestesia da dureza de viver. Nossas forças estão sempre precisando de um refresco para seguir vivendo, convivendo e tentando amenizar esses paradoxos que a vida nos apresenta, uns com tanto e outros sem nada. E agora, José? É. Pois é. Alguns de nós ainda terão pela frente o "caminhando e cantando e seguindo a canção"... Lindo blog, beijo grande.

    ResponderExcluir
  20. E agora todos seguem o curso natural de suas vidas e seus dias serão tão verdadeiros ou fictícios como os próprios dias de Carnaval, porque muitos, apesar de estarem nas aveninas por algumas noites, com toda a alegria possível, mesmo lá, carregavam um coração triste.

    Beijinhos amiga

    ResponderExcluir
  21. Oi, Tais.

    Carnaval, pior em Olinda que dura mais do que devia, neste fim de semana ainda tem mais, este é o Brasil e sua total falta de medida, tudo bem, Brasilia tambem esta ainda em carnaval no seu Governo e o o governador sai ou não sai, fica ou não fica, toma vergonha ou será que sabe o que significa?

    Beijo adoro teu espaço e desculpe a falta de acentos e pontuação estou apressada.

    Renata

    ResponderExcluir
  22. Muito boa sua crônica, concordo em prosa e verso. Obrigado por acompanhar meu blog.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  23. Olá Taís,
    Gostei muito do texto, porque é a realidade, passam os anos e não vemos mudanças; os pobres estão cada vez mais pobres, quanta sujeira estamos vendo no governo!!!
    Quando estava lendo seu texto, me lembrei da música Construção do Chico Buarque; seu texto e a música falam da opressão e a falta de respeito as pessoas humildes e da banalização do amor, além de outros temas importantes.

    Táis,
    Tem um presente para você no meu Blog, espero que você goste. Um abraço!

    ResponderExcluir
  24. http://meudivaenacozinha.blogspot.com/2010/02/selo-1.html

    Ganhaste um selo, rs.

    ResponderExcluir
  25. Oi, Taís!

    Vim retribuir sua gentileza de seguir um de meus blogues. Obrigada!

    Veja que coincidência! Abordei o assunto de seu post, - com o qual concordo em gênero, número e grau -, em meu blogue, Medo de Avião. Deixo-lhe um fragmento do texto que, em muitos momentos, é mergulhado em ironia:

    Tudo voltou ao normal...
    Muito óleo de peroba
    lustra as caras-de-pau,
    pra lá e pra cá,
    em avião
    ou em carro oficial.
    Lustra até ilustres
    sorrisos
    em cela especial.

    Bjs, Taís. Mais uma vez, obrigada pela visita e por me seguir. E inté!

    ResponderExcluir
  26. Olá amiga. Foi uma surpresa sua visita, mas maior ainda o seu trabalho que encontro nestas páginas. Dei uma "voltinha" nos dois, parei neste e percorri com mais atenção. Aqui deixo sinal da minha passagem, pois espero voltar em breve. Tudo de bom para ti, simpática amiga.

    ResponderExcluir
  27. carnaval eu questiono todos os anos, acho que é a festa da cultura ao inutil que vivemos

    ResponderExcluir
  28. Tua escrita é diferênciada. Dá pra ver experiência no uso das palavras. Por isso sigo me experimentando...

    Mas deixa o José em paz...ele não tem nada a ver com a nossa perdição..


    bjoss

    ResponderExcluir
  29. É daqui a pouco é páscoa, o maior milagre, pois deveria ser o sinal que é possivel vencer a morte a ascender aos céus...

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso