1 de fevereiro de 2019

COMIDAS MUITO ESTRANHAS



      - Taís Luso
Hoje trago umas comidinhas diferentes. Se a chamada exótica gastronomia do planeta dependesse de gente como eu - estaria com os dias contados.
É ótimo conhecer países diferentes: seu povo, sua cultura e sua gastronomia, porém, certas coisas ficam 'difíceis'. Mas é assim;  vão se acostumando com a ideia: o homem come o bicho, o bicho come o homem, e quem ri por último ri melhor!
Ao dar uma voltinha lá pela China, através dos documentários, percebi que os chineses adoram espetinhos de qualquer coisa: besouros, lagartas, bicho-da-seda, marimbondos, cobras, escorpiões... aquelas coisas estranhas para os  ocidentais. Os espetinhos são vendidos na rua. Fora às frituras, existem comidinhas mais saudáveis, como a lagarta ao molho (foto acima), não entope as artérias, deve ser uma sensação maravilhosa mastigar lagartas. Superação!
Os indianos, por sua vez, adoram suas lacraias e baratas gigantescas fincadas no espeto. As baratas me deixam muito aflita, são enormes, horrorosas, fico alteradíssima, tenho uma enorme fobia por baratas e coisas semelhantes, bichos que se escondem. Eles mexem terrivelmente com meu sistema nervoso. Mas, longe deles sou equilibrada. Podem crer.
Em Taiwan, vi um prato da pesada: testículo de porco - Nossa Senhora!! Pegam pesado. Na Tailândia a coisa é  mais leve, eles comem o bicho-da-seda, em espetinhos ou ensopado, deve ser uma gostosuuuura!
Mas, fiquei impressionada foi com o Japão: lá, existe um peixe chamado Fugu. Esse peixe possui um veneno mais forte do que o cianeto. Este prato tem de ser preparado por cheffs, com 4 anos de curso especializado no corte. Aprendem a retirar uma bolsa venenosa, perto das brânquias – órgão respiratório. Além desta bolsa, há veneno na pele e no fígado. Contudo, 70% dos candidatos - os fugu cheffs - são reprovados. Comer Fugu não deixa de ser uma roleta russa. É um prato muito solicitado justamente por ser excitante, desafiador, como se fosse um esporte radical. Dizem que seu gosto não é lá essas coisas... O importante é a adrenalina.
coisas que não se consegue transmitir num texto, jamais conseguiria transmitir minhas náuseas ao ter visto uma pessoa comendo um polvo vivo, ou seja, o San nakji, na Coréia do Sul. Ao ver aquilo fiquei mal! Vejam como se come esse negócio:
1- Pegue o polvo da tigela que é levada à sua mesa;
2- Estique os tentáculos do polvo para baixo; pegue a cabeça do bicho e molhe num molho de sua preferência e vá empurrando goela abaixo, lutando contra as pernas do bicho, pois elas se negam a descer. Ficam se debatendo fora de sua boca. Esse é o ponto máximo da náusea gastronômica.
Mas, se você quer comer direitinho,  pegue o bicho, enrole todo num pauzinho, abra a boca e mande! Desce que é uma beleza. Porém, para os que não são chegadinhos num polvo, o ensopadinho do bicho da seda desce melhor...
Também temos, aqui no Brasil, um prato exótico para saborear: o Turu! Esse molusco comprido e molengão, hospeda-se em árvores podres na ilha de Marajó e no interior da Amazônia. Também é comestível... (foto). Deve ser delicioso!
Casu marzu, é um queijo produzido na região da Sardenha, Itália. Coisa fina, produzido com leite de ovelha. É chamado de queijo podre, devido ao seu processo de maturação, feito com larvas vivas de moscas. É considerado tóxico quando as larvas morrem. Portanto só pode ser consumido com as larvas vivas, passeando lá por dentro... Mas por ter sua fermentação exagerada (estado de decomposição), o governo italiano proibiu sua comercialização por motivos de saúde. Porém é encontrado no Mercado Negro.
Encerrando, no final de tudo, tomem uma cachacinha ao molho de serpentes! Todas essas maravilhas devem ser um sonho de consumo de muitos turistas, em busca de superação!

(reedição)
espetinhos de escorpiões etc...
sopa de escorpião
aranhas fritas
macarrão
Sushi decorado
sopa bicho da seda
queijo Casu marzu
formigas saúva - Amazonas / Brasil

                    Turu / ilha de Marajó - Brasil                          peixe Fugu  - Japão                           
cachaça ao molho serpentes e ervas


55 comentários:

  1. Cruzes... Não :)))

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta - Feira

    ResponderExcluir
  2. Dio mio!!! Nem MORTA eu comeria!!!😂😂 Sou sas comidinhas normais e básicas ...bjs chica

    ResponderExcluir
  3. Gostei da descrição, Taís! Por tudo isto ao fim de alguns dias em Macau e China quando chegámos a Hong-Kong a nossa primeira refeição foi... no Mac Donalds!!!
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  4. Estou retornando de um tempo dxe descanso e venhho aqui conhecer esta culinária muito exótica, porém tenho certeza que não conseguiria comer.
    Un abraço, Elys

    ResponderExcluir
  5. De todos los platos que no muestras o describes creo que solo comería las patas del pulpo pero cocidas y sobre los testículos de cerdo yo nunca los comí pero oí decir de personas que los comían después de una preparación.
    Aquí también había un tipo de queso con gusanos pero desde luego yo ni lo probaría.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  6. Amiga Taís, somente você consegue ter o bom humor de escrever um texto assim, adorei!
    O texto é claro, sim adorei ler, consegui rir, algumas caretas não foram deixadas de lado, pois só de imaginar comer "essas proteínas" achei que, se visse alguém comendo fecharia os olhos!
    Estou rindo ainda, "...pegue o bicho, enrole tudo num pauzinho, abra a boca e mande!..." rsrs.
    Adoro rir, fiquei imaginando a gente conversando pessoalmente, seriam boas risadas!
    Abraços bem apertados minha amiga linda e querida!

    ResponderExcluir
  7. olá Taís, isso é que foi um curso de culinária!
    proteínas a valer, algumas ainda vivas
    do mais bizarro…
    prefiro dizer: venham as saladas, feijão, grão… arroz, massa, sopa,
    nada que mexa ainda no prato nem na minha barriga!
    ainda bem que podemos escolher outra coisa nas listas das nossas ementas!
    deixo votos de um bom fim de semana,
    Angela

    ResponderExcluir
  8. Cobra comi, mas era muito pequena. Diziam que fazia bem ao reumatismo. Licor de lagarto bebi, mas tinha um desconhecimento total acerca da bebida. Ostras afrodisíacas comi uma. Engoli inteira.

    É chegada a a hora de abrir um simples licor de canela, de fabrico caseiro, que uma amiga me ofereceu ontem. É que estou um pouco enfastiada ...

    Falando sério: adorei conhecer todas essas iguarias: o saber não ocupa lugar, é provérbio antigo. Ia até jurar que as baratas mexem as patas na travessa.
    É chegada a hora do delírio.

    Excelente crónica, minha amiga Taís. Veio-me à ideia o célebre filme Papillon: todos os insetos eram acepipes para o prisioneiro.

    Bem ...
    vou no licor!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Me quedo tan solo con un buen pulpo a la gallega y nada más.
    Besos.

    ResponderExcluir
  10. Quem pegou pesado desta vez foi a amiga Tais! Credo!!
    Que coisa horrorosa. A descrição das 'iguarias' orientais já me provocou náusea, ao chegar ao final e ao ver as imagens, foi o fim da picada! Jesus.

    Essa de comer o polvo vivinho da silva nem dá para crer. Haveria de ser bonito o polvo enrolar-se na garganta do comensal e asfixiá-lo.
    Há coisas que até o Diabo duvida...:))

    Beijos, Tais, bom Domingo e excelente semana.
    Só com frutinha e legumes!

    ResponderExcluir
  11. Nossa! Fico imaginando o polvo lutando no meu estômago e só de pensar já me dá náuseas.Mas há gosto para tudo, não? Mas eu não me arrisco, prefiro um arroz, feijão e ovo kkkk
    Um ótimo final de semana. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Zélia, eu não consigo entrar no teu blog, me passa um e-mail!
      Beijo

      Excluir
  12. Só de ver deu-me volta ao estômago....
    Há realmente gostos para tudo!
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  13. Minha Amiga

    Isto é que é! Um post de arrasar, com iguarias que é um gosto. Usos e costumes de outras terras e outras gentes. Comidas muito estranhas para nós e que não ingeriríamos por nada. A não ser em situação de emergência, desaparecidos numa floresta dias e dias. Já vi isso acontecer num filme. Diz-se que essas proteínas podem salvar-nos a vida. Só em caso de extrema necessidade, realmente.

    Querida Taís, uma publicação instrutiva que nos leva numa viagem gastronómica quase alucinante.

    Bom domingo.

    Beijos

    Olinda

    ResponderExcluir
  14. Nao contem comigo hehe bjs

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga Tais, AMEI esta tua (aberrante) incursão gastronómica.
    Amei, porque nada provei!
    Já olhei algumas das "iguarias" que mostras, mas jamais me passou pela cabeça provar alguma. Acho que morria logo a seguir a engolir...
    É inacreditável o que comem na China e na Índia. Insectos, então, voam todos para dentro do estômago. Há um ditado que diz "Chinês come tudo o que voa, menos avião.»
    Vou almoçar... se conseguir!
    Beijo, querida amiga.

    ResponderExcluir
  16. "Tô fora", como se diz no popular. Mas já comi muito siri mole cru, lavado com a própria água do mar. E camarão. Ambos pescados por mim. Hoje não o faria. Também já coloquei gotinhas de limão num tipo de marisco que chamamos de lambreta por aqui para abrir a concha e depois a degustava crua. Catada na hora. Já pesquei, na adolescência. para alimentar a mim e à família. Hoje lambreta só temperada e aferventada com uma cerveja gelada, rss.
    Gostei de conhecer com detalhes o exotismo desses pratos orientais... Ainda bem que não planejo andar pelas bandas de lá, assim não conhecerei o exotismo da gastronomia deles.
    Um bom domingo, Taís!

    ResponderExcluir
  17. Bom minha amiga vejo que a gastronomia por aqui, e´das mais diversificadas. Rsrs Já havia ouvido a respeito e fico , com certeza com a famosa comida mineira. Ja´comi carne de gambá e não me lembro de já ter comido outro prato exótico. Deixo aqui um desejo de feliz semana. GRande beijo. Ainda não temos atualizaçoes.

    ResponderExcluir
  18. Tais!
    Eu tenho curiosidades a respeito
    da gastronomia,
    mas nessa linha meu estomago não aceita.
    E olha que adoro siris, caranguejos
    e até ostra, mas quando chego no povo:
    socorro!
    Adorei ler.
    Feliz nova semana.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  19. Boa noite, querida Tais,
    sua crônica nos mostra a cultura da culinária em alguns países, infelizmente ou felizmente não é a "nossa praia", mas é bom conhecermos o gosto de outros povos. Só de imaginar o polvo lutando para não ser devorado me deixou aflita.
    É muita coisa para eu assimilar como refeição ou um lanchinho no meio da rua. Penso que nem que me pagassem eu comeria algo assim. Parabéns pela crônica instrutiva. Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Boa noite, Tais
    Olha que eu gosto de bichinhos mas estes eu não comeria nem morta..rs
    Excelente a sua crônica.
    Beijinhos de
    Verena

    ResponderExcluir
  21. Taís, minha Amiga, eu era incapaz de provar qualquer destes pratos que refere.
    O mundo é deveras diversificado… Mas fico-me pela nossa comida…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  22. Definitivamente, nããããooo!!!
    Não comeria nada disso, nem se me oferecessem muito dinheiro.

    ResponderExcluir
  23. Uma verdadeira viagem ao mundo culinário.
    Na verdade são surpreendentes determinados hábitos de algumas culturas.
    Essa do polvo é impressionante.
    Gostei muito desta partilha Taís.
    Bj

    Olhar D'Ouro - bLoG
    Olhar D'Ouro - fAcEbOOk
    Olhar D'Ouro – yOutUbE * Visitem & subcrevam

    ResponderExcluir
  24. Tais,

    um excelente cardápio para jantar com "inimigo de estimação" (todos temos, ainda que mesmo imaginários, né? ).

    tenho um "amigo", ao que parece, tão rente de adrenalina, a quem vou sugerir o peixe Fugu do Japão, confeccionado - naturalmente - não pelo Chefe mas por estagiário reprovado.

    e tenho também uma "amiga" a quem vou sugerir um escorpiãozito, engolido como polvo
    ela adoraaaaaaa!...

    excelente e divertida crónica.

    beijo

    ResponderExcluir
  25. Siempre se ha dicho que nuestra especie ha podido sobrevivir a lo largo de millones de años por su capacidad para comer las cosas más sorprendentes. Recuerdo haber leído en un libro cuyo título es "Nuestra especie" el autor es un antopologo muy conocido, que en ciertos pueblos la falta de proteínas de origen animal era tan grande que llegaban a comerse los gusanos que crecían dentro de los muertos en descomposición. Después de conocer este hecho cierto, aún y así, me iba sintiendo mal con los menús que otros pueblos llegan a preparar. Todo es una cuestión mental. Interesante, divertido e instructivo relato el que nos ha ofrecido. Gracias por compartirlo. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  26. onde se lê "rente" deve ler-se "carente" ,,,
    peço desculpa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsss, o comentário está tão engraçado que está desculpado!
      bj

      Excluir
  27. Uma viagem gastronômica de gosto peculiar e paladares finos e exigentes
    Fico com meu trivial aqui do ocidente. É mais seguro e de melhor sabor
    Uma cronica bem divertida e instrutiva
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Ay querida Tais, qué de casos, muchos que ponen los pelos de punta.Me encantan las comidas exóticas, pero al ver algunas de las que publicas hoy, prefiero por precaución seguir con las que conozco... sin riesgos.
    .

    ResponderExcluir
  29. Ainda bem que abordou este tema, acaba por ser um modo de esconjuarmos em comum estas práticas... Os chineses dizem que somos muito cínicos por não comermos cães...
    Há dias vi um vídeo do youtube em que uma tailandesa grelhou favos cheios de larvas de abelhas e comeu-os deliciada, com a cera... Fiquei agoniada... O que seria ver comer os exemplos que trouxe... Dizem que as pernocas de rãs e lombinhos de cobra são melhores do que frango... admito o seu consumo em casos de muita carência...
    Então, hoje tivemos humor negro... Sorrsss...
    Abraço grande, querida cronista.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  30. Oi Taís! Retornando, e aqui encontrando pratos maravilhosos para eles. Não sei, mas acho que morreria de fome. Rsrs.

    Beijos,

    Furtado

    ResponderExcluir
  31. E os belgas e holandeses comem arenque crua
    abraço

    ResponderExcluir
  32. Tais Luso a mim até a ler ou a ouvir a designação desses orientais pratos me causa náuseas, mesmo tendo vista em Angola na província da Lunda, grupos de mulheres a transportar à cabeça, os seus cestos de lagartas para cozinhar. Ainda que que, tenha guardado este provérbio muito usado pela minha mãe: "o que não mata, engorda!".
    Como não tenho em ordem a leitura da suas crónicas, de que sou apreciador, aqui voltarei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Your post is very interesting.
    But I do not have to eat everything ... :-)
    Greetings.

    ResponderExcluir
  34. OI TAÍS!
    NÃO ME LEVE A MAL AMIGA SE EU TE DISSER QUE PASSEI MAL AQUI KKKKK, O TEXTO ATÉ SUPORTEI, SOBRE ALGUMAS COISAS JÁ HAVIA LIDO A RESPEITO, MAS, AS FOTOS, SÃO DEMAIS KKKK
    EU IRIA PASSAR FOME EM ALGUNS DESTES LUGARES POIS NÃO COMERIA NADA DISSO, NUNQUINHA...
    ESTIVE EM TUA OUTRA PÁGINA E AMEI A POSTAGEM SOBRE AS IGREJAS, SÃO LINDÍSSIMAS.
    ABRÇS
    https://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  35. Querida Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    Então, batizo todos estes pratos com o nome de
    " DEUS ME LIVRE ". kkk
    Um carinhoso abraço, Amiga, e uma ótima semana.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  36. Não consigo imaginar o que eu seria capaz de comer se estivesse morrendo de fome... mas todas as iguarias aqui apresentadas não me salvariam a vida, estou convencida...
    Só de ver essas imagens, que já conheço de alguns PPS's que recebi, fico nauseada.
    Baratas enormes (ODEIO baratas) lagartas, e tudo que é rastejante... perco as estribeiras, fico mesmo fora de mim. Os outros... é uma repulsa tão grande que custa descrever.
    Sei que tudo isto depende da cultura de cada povo, e para eles estas iguarias são de lamber os dedos... mas eu dispenso.
    E até lhe digo mais. Eu adoro viajar, mas nas viagens ao estrangeiro passo muita fominha 😊 Quem me tira a comidinha portuguesa (também gosto de restaurantes brasileiros...) obriga-me a fazer dieta. 😁
    E agora vou ver se preparo um bom lanche, que esta postagem fez-me fome...

    PS - Em Moçambique um criado não me deixou deitar insecticida num monte enorme de formigas brancas (enormes, gordas, nojentas) porque queria aproveitá-las para fazer caril. Ele e os amigos deliciaram-se!!!

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


    ResponderExcluir
  37. Querida amiga sabes que sempre gosto muito de ler suas cronicas, mas esta passei de retro, não consegui, senti um nojo ao ler o que se come neste mundo de Deus e parei no meio, não gosto de ver nem de pensar, que pessoas comam estes insetos, :{, baratas? Deus me livre.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  38. Tanta coisa estranha 😁
    Não comia nenhuma 😂
    Obrigada pela partilha amiga, estou sempre a aprender 😉
    Beijinho

    ResponderExcluir
  39. Querida Tais, já vim aqui algumas vezes, mas, confesso, não terminei a leitura, umas vezes por estar quase a sentar-me à mesa para almoçar, e outras por ter terminhado de comer há pouco e ter medo de que a digestão fosse perturbada. Finalmente, agora, quase 1 da manha, já sossegada no meu quarto, assistindo as noticias do Brasil, li este post até ao fim, sem ter medo de precisar de correr para o banheiro ou então de ter problemas com a digestão por já ter jantado há muito. O que mais me impressionou, Tais, foi imaginar aquelas perninhas de polvo a descer garganta abaixo, tentando agarrar-se com as ventosas para evitar uma morte tão cruel. Isso é pura tortura, amiga! Tadinho do bicho! Ser engolido vivo! Os outros, preparados em churrasquinhos....já se toleram mais, embora eu não fosse capaz de os comer. Bem...nunca senti fome, aquela de doer, porque se sentisse e não houvesse outra alternativa, claro que qualquer um de nós se atiraria a eles como se fossem bifes de picanha, frango à passarinho ( adoro ) ou então coraçõeszinhos no churrasco e outras iguarias que muito apreciamos. Não vou dizer que não gostei da crónica, pois tenho medo que, em represália, repitas a dose, por isso, Amiga, ADOREI conhecer pormenores da cultura desses paises e espero que continues a partilhar connosco informações importantes, pois assim já saberemos o que esperar quando decidirmos viajar para lugares tão diferentes. Obrigada, querida amiga! Não me tiraste o sono; estou calma e os olhinhos querendo fechar. Boa noite e muitos beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Emília, eu não comeria de jeito nenhum essas comidas que postei, e não coloquei o polvo se debatendo para não judiar muito de vocês. Lógico que ao ver na televisão, corri para o banheiro, com uma ânsia enorme, um horror! Interessante a cultura dos povos tão diferenciadas. Emília, eu não como galinha ao 'molho pardo', nem pagando! Porém, gostei de pesquisar e saber dos outros povos, não só da gastronomia como das vestimentas etc. O que um muçulmano, por exemplo, pensaria das vestimentas das brasileiras? Estou indo nos extremos... Vocês sabem do que estou falando, né? E o que os ocidentais pensam das vestimentas de outros povos? Pois é, acho que vale a pena conhecermos mais de todos. É enriquecedor, só se ganha.
      Um beijo, querida!

      E um beijo aos demais, também, que tão bem comentaram aqui nessa postagem!

      Excluir
  40. CADA UM COM SEU CADA UM.
    COMIDA E BEBIDA SÃO COSTUMES.

    ResponderExcluir
  41. A diversidade de costumes da humanidade é riquíssima. O que a nós, ocidentais, parece "exagero", encontra acolhida em outras mesa, com muito prazer... Interessante seu post.

    ResponderExcluir
  42. Aguentei-me enquanto lia o seu texto. Mas ao chegar às fotos fiquei com dor de barriga... este post é uma ruindade... vou beber qualquer coisa para aliviar...
    Taís, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde, querida amiga Taís!
    Pensava eu inocentemente que era 'Boa boca'... estava iludida... ufa! Deu náuseas certas combinações. Creio que sou saudável (rs) ...
    Felicidades e bênçãos para você!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem
    😘😘😘

    ResponderExcluir
  44. Oi Taís,
    Mama mia o queijo que comi agora a pouco voltou. Pomba! Não tinha outra coisa para nos oferecer? Um lombo assado recheado, arroz branco, farofa e vinagre?
    O Brasil é o melhor lugar do mundo, mesmo com as roubalheiras.kkkk
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  45. Queridos leitores,

    convidamos-vos a ler o capítulo 7 do nosso conto escrito a várias mãos "Ecos de Mentes". Esta semana pela mão da Tixa Falchetto, interpretando Helena.


    https://contospartilhados.blogspot.com/2019/02/ecos-de-mentes-capitulo-7.html

    Sempre com o mesmo carinho por vós,
    saudações literárias!

    ResponderExcluir
  46. Querida Taís, já tinha visto estes exóticos pratos e continuo assustado.
    Não tem um que possa dizer, este eu aceito e como.
    Estranho esta coisa de costumes
    Uma boa cronica Taís
    Meu abraço de paz e luz.
    Beijo amiga

    ResponderExcluir
  47. Eu não teria coragem de comer.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    O blog está em HIATUS DE VERÃO até o dia 23 de fevereiro, mas tem post novo. Comentarei nos blog amigos nesse período.

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  48. E no Oriente... cão e gato... é considerado também um pitéu dos deuses!... Sendo que os segundos, são assados vivos... para se obter uma expressão de sofrimento artístico dos pobres bichos no prato... que me chocou por demais... vi há tempos uma reportagem, sobre tal arte culinária, num jornal on-line inglês... que me repugnou e revoltou de uma forma, que nem consigo pôr em palavras...
    Eu... nem sushi, me atrevo!... Sou muito tradicional, naquilo que como... e não me aventuro, engolindo coisas... que não sei identificar... e que não estejam convenientemente cozinhadas... nem em casa... muito menos, num qualquer restaurante... por muitas etiquetas e comprovativos de regras de higiene, que ostentem...
    Beijinhos, Tais! Continuação de uma feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus!!! Difícil de acreditar! Também não tenho palavras para expressar meu horror e minha indignação. Não sabia desse fato... (do primeiro).
      Beijo, Ana!

      Excluir
  49. Boa noite Tais
    Minha amiga vou aqui vomitar e já volto rsrs. Meu Deus jamais comeria nada disso . Comida chinesa normal ainda como. Mas o resto estou fora . Tem gosto para tudo. Enorme abraço. Lembrança ao Pedro.

    ResponderExcluir
  50. O ler sobre o San nakji, como se come, confesso que estrebuchei. Não consigo entender porque se como barata, escorpião, não consigo!

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por deixar seu comentário, se necessário for, deixarei resposta a alguma pergunta.
Abraços a todos
Taís