27 de julho de 2009

PISEI NA BOLA!


- tais luso de carvalho

Ninguém está livre de cometer algumas gafes; e quando cometemos temos duas saídas: rir ou chorar. Eu nunca chorei, muito pelo contrário, fico pior. Não paro de rir. Tenho consciência de que tenho alguma ‘falha’ nisso.


Mas esse é o nosso perfil: não somos durinhos de cintura; temos samba no pé, uma coisa muito nossa que nos diferencia dos outros povos. Não levamos muito a sério certas etiquetas e protocolos que a sociedade muitas vezes impõe. Quando a coisa é demais, levamos para o lado da piada. Já notaram como fica simpático quando um chefe de Estado quebra as regras de um protocolo? Por que será que gostamos tanto disso? É que no fundo todos gostam da simplicidade; ninguém agüenta muita pompa, porque na verdade, tudo que é demais soa falso. No fundo, todos nós fazemos as mesmas coisas.


Aquela mosca que Obama matou - com um sopapo -, rendeu matéria no mundo inteiro. Quem não mata um bicho desses? Quem não faz um auê com uma barata? Mas também não quero dizer que devemos sair por aí aprontando feito louco.


Ontem eu aprontei, cometi um deslize: sabem, aquele ataque de riso, aquela coisa meio histérica que acontece quando cometemos uma gafe? Pois é, eu pisei na bola. E não consegui parar de rir, e tratei de passar a ‘batata quente’ pro meu marido.


Fui dar um telefonema de felicitações à minha comadre. E perguntei quantos aninhos ela estava fazendo... A coisa já começou mal; essa pergunta não se faz.
Disse-me:
- (...)
- Ops... Mas você está enxuta!
E comecei a rir; foi um elogio infeliz, como se a criatura estivesse despencando. Ela está ótima.
Mas não parei por aí...
Olha - disse eu - se você precisar de uma dentista, que arranque dente, descobri uma que é show de bola! Fala comigo, é di-vi-na! Uma mão de anjo!


- Mas PÔ!!! Tô fazendo aniversário e você vem me dando nome de dentista pra arrancar dente!!! PÔ!!!!!
- Não... Péra, eu quis dizer caso você venha a precisar! Mais adiante, bem mais...
Vi que o negócio ficou pior e não tinha arrumação, e comecei a rir sem conseguir parar, pois vi a ‘mancada’ horrorosa que dei.


Minha intenção era dizer que nunca tinha encontrado uma dentista tão boa! Só que disse na hora errada e na data errada. E passei o telefone para o Pedro.


- PÔ, Pedro, a sua mulher está com algum problema? Tô de aniversário e ela fala em arrancar meus dentes!
Não havia mais nada a fazer com aquele episódio dramático... Ele apenas disse que eu estava com muita dor de cabeça.


- Mas... O que tem uma coisa com a outra? Perguntou ela.
- Pois é, também não sei! Quando ela está com dor de cabeça acontece isso...
E eu rindo sem parar da embrulhada que fiz; a comadre é tri de vaidosa!


Mas levei uma lição: parabéns é uma coisa que se deve dar e sair correndo. Sem muito papo. Não temos muito a acrescentar por 40 anos afora. Ainda não inventaram coisa mais criativa do que desejar saúde e dinheiro.
Desculpe essa, comadre, sei que você vai ler essa crônica, mas o que importa é que lhe quero muito bem: estou me penitenciando publicamente. Vamos guardar essa no 'Diário da Família'.
Beijão.



23 comentários:

  1. suzane de carvalho22:39

    Santo Antonio dos bola-fora, valei-me...pioe que essa só um amiga há tempos atras num velório, ela cumprimentando a viúva "oiiiiiii, tudo bem?" acompanhado de duas bitocas de serem trocadas em clube de tenis...agora...verdade seja dita: eu já fiz piores...
    ré confessa...

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaha... eu eu rindo do lado de cá, sua boba!
    Essa vai ficar pra história das gafes da família. Tu vais ver, arrancar meus dentes... kkkkkkkk.
    Taís, obrigada pelo carinho!!!

    Beijão,

    Jane

    ResponderExcluir
  3. Bastante divertida a crônica.

    Muito bem!

    Todos nós temos uma história que manqueja...

    Felicidades, Taís.

    ResponderExcluir
  4. OOOOOOOI, Taís,
    Olha eu aqui outra vez!!!!
    Pois é amiga,se alguém me oferecesse um bom dentista, para arrancar dentes, eu iria adorar, sinal que eu ainda não havia entrado na terceira dentição.Mas, que você pegou no pé da comadre pegou. Eu particularmente, não tenho muito problemas com idade.Agora nestas férias fui a festa de 25 anos de casado de meu irmão. Uma de minhas cunhadas, metida a crente, chegou para mim e disse: Este teu vestido está muito imoral para tua idade. Eu respondi: Tu tá doida, menina!!! desde de quando eu tenho idade... A questão é que sou peituda. E por opção, uso metade dos peitos dentro do vestido e metade fora. E a cunhadinha ficou chocada. Eu com minhas gafes, também, só faço rir ou levar na brincadeira.
    Beijos e saudades.
    Dalinha Catunda

    ResponderExcluir
  5. Delícia de crônica, Taís! Bem, pelo que pude entender, a vítima desse teu deslize foi a Jane, que respondeu logo aí acima. Bom, com todo o respeito que devo a esta moça, o bem da verdade é que ela de fato não precisaria se preocupar, pois está na cara (literalmente) que ela é bela e formosa, e que tua gafe foi um mal-explicado.

    Agora, pensemos numa outra situação. Suponha que a Jane não fosse bela, como é, mas um pobre duma feinha! Ahaha! Aí, minha cara amiga cronista... Tu poderia ir atrás de outra comadre! Que essa você já teria magoado inexoravelmente!

    1 bj
    Cesar

    em tempo: todos aí escrevem bem e têm blog? É o Pedro, é vc, e agora a Jane (de quem já vou roubar umas dicas de bons tira-rugas masculinos!)? Que turma mais letrada e inspirada!

    ResponderExcluir
  6. É ela, Cesar... Minha bonita e simpática comadre! Aliás, avisei que escreveria algo sobre o episódio: deu boas risadas lendo a crônica... Ainda bem.

    Obrigada pelo teu comentário, sempre excelente.
    Bj
    Tais

    ResponderExcluir
  7. izildinha18:16

    Querida Taís,
    Tua maneira de escrever me fascina, além da desenvoltura de uma grande escritora que é,tem habilidade para humor que é uma coisa muito difícil de se fazer.Amei tua crônica, de um humor incrível,estou aqui rindo muito e com todos os meus dentes escancarados graças a Deus.
    Te conhecer, foi um dos presentes que a vida me deu, com um certo atraso?Não,foi um presente bem embrulhado e lapidado...Tuas pinturas são fantásticas...Aqui curvando-me.
    Tua fã.
    Izildinha.

    ResponderExcluir
  8. Nossa! Izildinha... Essas são as coisas boas da Internet: conhecer gente assim, com essa sensibilidade e delicadeza. Esses elogios não devem ser pra mim, mas o amor é cego... rsrsrs.

    Amiga, por que não deixaste teus endereços do blog e do site? Acho que tens de mostrar teus poemas. Falaremos por e-mail.
    Um grande beijo, obrigada pelo teu carinho.
    tais

    ResponderExcluir
  9. Juro que voltei para ver teu comentário, e,aproveitei para rir mais um pouco, até o segundo capítulo e dá-lhe batata frita! rsrsrs.
    Mas vai ter o outro capítulo.
    Tua fã.
    Fique com Deus!
    Izildinha

    ResponderExcluir
  10. Se não colocarmos o riso essa vida tornar-se-ia insuportável. Transformas-te uma provável gafe num divertido conto.
    Um grande abraço e obrigado mais uma vez pelos comentários ao Quintana Eterno.

    ResponderExcluir
  11. Olá minha nova seguidora.

    Acho que tua gafe foi muito leve.

    Já aconteceu contigo de estar numa mesa almoçando com colegas de trabalho, e de repente, com a boca cheia, saltar uma tosse incontrolável e repentina, que não dá tempo de segurar, por cima dos pratos dos outros?

    Bem, nunca aconteceu comigo, mas sempre é possível.

    legal ter umanova leitora.
    Abraços
    Ademir

    ResponderExcluir
  12. Passei
    para dar uma olhadela
    a este seu blog
    e desejar
    bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  13. A vida sem o sorriso nos lábios não é vida!

    A sua postura perante a vida eé muito positiva!

    Admirei seu blog!

    ResponderExcluir
  14. Maria Lúcia Meireles11:20

    És chistosa, hein, Tais! Quase morri de rir. kkkk
    Fiquei a imaginar a expressão do seu rosto. Muito engraçado mesmo!

    Mas quando acontece essas coisas é melhor não prosseguir mesmo,
    geralmente, a emenda fica pior do que o soneto. kkkk
    Sua comadre deve ter ficado preocupada com sua saúde mental.

    E seu marido ainda diz que estava com dor de cabeça...
    Muito boa mesmo a sua crônica, engraçada pra caramba!

    Deus a conserve assim, Taís, com essa cabeça excelente, cheia
    de ideias maravilhosas para escrever para seus leitores.
    Sabes que sou uma de carteirinha e tudo, né?
    Parabéns! Excelente!!!!
    Um abraço,
    Maria Lúcia.

    ResponderExcluir
  15. Na verdade há momentos em que parece que era melhor não dizer nada. Sei o que é isso de fazer asneira e ter vontade de rir. A comadre também sabe e vai entender. Um beijinho,
    Maria Emília

    ResponderExcluir
  16. Fazer uma gafe é natural e perdoar também.Pior é qd a pessoa leva a sério e vira sua inimiga e parte pra briga.Pior ainda é qd procura envolver mais gente. Arre!!!

    ResponderExcluir
  17. Julguei que era apenas eu que tinha um talento natural para estas habilidades das quais posso falar de cadeira. mas assim, fico muito mais confortada. Você não só deu a mancada como ficou insistindo nela.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  18. TAIS, QUANDO A GENTE VAI LENDO SUA CRÔNICA, JÁ VAI RINDO DE TABELA, POIS VOCÊ FAZ DUMA "GAFE" UMA CRÔNICA, SEM IGUAL, E REALMENTE QUEM NUNCA SE DEU DE FRENTE COM UMA SITUAÇÃO DESTAS NA VIDA.
    OBRIGADA POR SEU CARINHO A "ISABELLA". QUE NESTE MOMENTO TEM SIDO UMA FESTA,
    BOA SEMANA,
    EFIGENIA COUTINHO

    ResponderExcluir
  19. Huhauhauahua... Taís q gafe feia hein???hehehehe... as vezes a gente comete umas gafes q só percebe melhor depois, quando já é tarde d+ rsss... Já aconteceu comigo milhares de vezes, poderia fazer uma lista de tantas gafes q já cometi rssss...

    Bjossss

    ResponderExcluir
  20. Cruzes... Mais você foi maligna demais. KKKKKKKKK

    Direto do Rio.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Olá Taizínha! Mto engraçado mesmo, eu tb tenho essa de começar a rir e não parar mais, a barriga chega a doeeeer....vou narrar uma:
    - eu estava com uma amiga no centro da cidade, quando de repente ela encontrou a prima, e fêz um escândalo quando à viu...Falou bem alto o nome dela, e disse Oiiiiii, tdo bem prima?
    A prima meio acanhada ...respondeu:
    Tdo bem!
    E a minha amiga fêz outra pergunta: - E o tio está bem? -
    - a prima ficou sem graça e respondeu: O meu pai morreu há 6 anos!
    A minha amiga, não sabia o que falava, então saiu com essa:
    - Ah! Então ele deve estar bem aonde está! Vc não acha?
    Bjos.
    Wal.

    ResponderExcluir
  22. Putz, no começo comecei a rir do teu post, mas ai lembrei um micos próprios, ai pronto, me solidarizei...

    Hua, kkk, ha, ha, pior que é sério.

    Fique com Deus, menina Tais.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  23. Olá Tais,

    Tudo bem?
    Nem vou fazer muitas perguntas...rrrsss!
    "Pisei na Bola".
    Adorei, enquanto lia quase me matava de rir...!
    Amiga, tens uma baita veia humoristica!
    As famílias que se cuidem, vais explorar muitos causos...!

    Bjs
    Vera

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso