30 de julho de 2020

POR QUE TANTA PRESSA?





               - Taís Luso de Carvalho
Quando se é jovem parece que o tempo que se tem pela frente é infinito, aquela coisa do 'dá e sobra'. Sobra tempo pra se correr atrás do supérfluo, da fama, do belo, de dançar, nadar, estudar, praticar esporte, viajar para os lugares mais exóticos do planeta e conhecer gente muito diferente, tão diferente que talvez nem exista! Haja fôlego.
Porém, um dia a gente pega mais idade e encara o que a vida não esconde. Com o tempo a coisa fica diferente, mas num ponto bom, como os melhores vinhos. Não dá para nos amarrarmos à juventude eterna como se nela morasse toda a felicidade. Ela é rápida, tanto quanto a vida.
Conheci uma pessoa que ao aposentar-se entrou na onda de viajar. Claro, por que não? Tinha em mente conhecer o mundo, e lá se foi ela com uma amiga mais jovem,  com outro pique de vida. Passou um mês batendo canela pelo continente asiático, mas tudo um pouco apressado. Foi a muitos lugares, mas, na verdade, pouco viu de toda aquela beleza. Pouco desfrutou. Voltou muito cansada, não aguentou o tranco. Sua viagem deveria ter sido feita com mais calma, mais estudada e menos alucinante. A melhor viagem é aquela que traçamos dentro do nosso ritmo e do nosso gosto.
A rotina assusta muitas pessoas. A calmaria é confundida com tédio. Vejo pessoas da  Idade se mexendo como adolescentes: nadam, dançam, viajam, estudam  num ritmo pesado. Não leva muito tempo para sentirem-se demolidas, mas não desconfiam da causa. Calma, amiga! Que montanha-russa! Para onde esta gente quer ir com tanta pressa?
Com o passar do tempo deu para perceber que não quero isso pra mim, e nem aguentaria tal tranco. Quero ter calma e poder ver na rotina algo saudável, como realmente é. Não sei por que a rotina é tão mal falada; ela tem seus encantos, já é nossa velha conhecida, não há muito desgaste. 
Lembro de uma vez que fizemos uma dessas viagens estabanadas com uns amigos, fomos em três carros para a Argentina e Uruguai, ambos países ao sul do meu estado. Tudo foi muito divertido e também cansativo, um frio imenso! Teria sido uma ótima viagem se feita no nosso ritmo e mais programada. 
Também temos de pensar com quem viajar, isso é fundamental.














41 comentários:

  1. Começando do final,concordo...Viajar com outras pessoas é muito complicado. Temos que ser muito amigos, senão a amizade na certa acaba...
    Prefiro nossa independência e não sou de me misturar,rs... Sou fechada mesmo!E pra viajar, não me venham com roteiros com hora marcada pra tudo..Aí passo! Prefiro nem sair de casa! Gosto de passear, caminhar, museus só em dias de chuva pra não perder a luz e brilho do céu e quando encontramos um cantinho legal ali ficamos ,tomamos café, sem pressa...E costumamos viajar pra lugares calmos e lá ficar. E voltamos aos mesmo sempre que dá! beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Adoro viajar, mas não gosto de o fazer sozinha. Exceptuando as viagens para África para me juntar ao marido, nunca viajei sozinha. Mas não sou muito amiga das rotinas. Penso que estou numa idade em que já não me restará muito tempo de vida e tenho tantos sonhos ainda para realizar.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  3. Devagar, que temos pressa
    Sempre que vou
    Levo mais de 20 comigo
    Onde? Pouco interessa
    Importa é ir devagar
    Devagar que temos pressa

    estou a brincar
    mas na verdade
    o que interessa é ir, não importa o lugar

    e não paramos!
    somos "Desenhadores de Sonhos"
    e é pelo sonho que vamos

    https://www.youtube.com/channel/UCzFqo9yGslHPVBtupR7tasQ/videos

    (todos esses vídeos foram feitos por mim)

    ResponderExcluir
  4. Esta pandemia está a ensinar-nos que não faz sentido nenhum andarmos sempre em correria.
    Bjs, bfds

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho a mesma opinião!!! Bj

    ResponderExcluir
  6. Um texto bastante interessante de que gostei bastante de o ler.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  7. viajei pelo seu texto, minha amiga Tais
    com gosto. como um mergulho na água dos meus rios de infância
    e sem pressas. que a "vida boa" (nunca a boa vida) se colhe
    como quem colhe amoras! muita pressão estraga.

    beijo
    todos bem, verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ou menos, na medida do possível, o covid 19 não brinca. Ainda em quarentena. Quando Flexibilizam o isolamento, os contágios e óbitos sobem! Muito preocupante, Manuel.
      Beijo, um bom fim de semana, que estejam bem aí em Portugal.
      Até mais!

      Excluir
  8. "Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo." (José Saramago)
    Excelente crónica, querida amiga.
    Beijo, fica bem, bom fim-de-semana.

    ResponderExcluir
  9. Querida Vizinha / Escritora, Taís Luso !
    Já vivi todas essas loucuras.
    Não as repito, faz tempo. A ansiedade é a
    maior estimuladora. Não há nenhum prazer
    nisto. Tudo tem que ser feito com total
    equilíbrio.
    Belos, assunto e texto, Amiga !
    Parabéns ! Um ótimo final de semana e
    um fraternal abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  10. Taís,
    Eu aprendi com a Vida
    que fazer tudo com calma
    é muito mais proveitoso.
    Temos uma casal de amigosafilhados
    e viajamos juntos pelo menos
    três vezes por ano.
    E sempre nós foi (eu e meu par)
    renovação de forças para a nova fase.
    Concordo com seu texto que
    "não adianta correr".
    Quero muito envelhecer
    em paz e com alegria.
    Como sempre ler aqui
    é uma dádiva.
    E quanto ao "correio"
    ainda me orientam a aguardar.
    Não se aflija porque voltando
    eu reconfirmo o endereço
    e reenvio no mesmo dia,
    é hora.
    Bjins de bom fim de semana
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  11. Outra vez você está com razão. omo sempre! Da última vez que viajei, voltei a Belo Horizonte. E uma das minhas filhas me perguntou outra vez Belo Horizonte. Disse-lhe vou só para ficar o mais tempo que eu puder na Praça do Papa. E sorri. E por que esta bobagem de ficar na praça do Papa. Respondi-lhe como noa rumores: "lã se tem um belo horizonte". Talvez, no meu caso, não precise de mais do que isto! Risos!
    Parabéns pelo belo texto, minha amiga! É o que faço. Sem trégua e sem pressa!
    Beijos, minha amiga!

    ResponderExcluir
  12. Boa noite Taís.
    A calmaria do nosso cantinho é bom, mas quem tem oportinidade de viajar deve aproveitar a chance de conhecer outros lugares, outras paisagens, é só escolher um lugar calmo.
    Eu ando preferindo a calmaria, seja em casa ou em passeios, não curto aglomerações. Deve ser a idade.
    Que agosto seja diferente.
    Bom fim de semana. Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Bom dia de sábado, querida amiga Taís!
    Não faço mais nada com pressa nem pressão.
    Ando devagar porque já tive pressa...
    Acordo com toda calma do mundo, percorro as horas do dia com toda paz, sem correrias.
    Já fiz, no passado, viagens em grupo, mas não me escravizava com ir onde não quissesse.
    Não tenho problema de ir sem grupo agora. Só a gente e muito bom. Sem nenhuma confusão de nenhum tipo.
    Quanto ao teor do post, voltando à pressa, quando favo devagarzinho o dia, ele fica levezinho.
    Muito bom ler seu post na calmaria da noite que me despeço dos blogs.
    Tenha um sossegado final de semana, amifa!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  14. Olá!


    Sabe, Dali e den Bosch, são os pintores preferidos!

    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  15. Bom dia de feliz Agosto querida amiga. Lendo sua crônica, lembrei de uma máxima atribuída aos mineiros, de que mingau quente se come pelas bordas e assim se chega ao centro, onde está um pedaço de queijo.Vamos com calma e ciência que a vida espera de nós.
    Os exemplos estão bem ilustrativos.
    Show de crônica para esta pressa de querer vida normal diante uma pandemia.
    Beijo amiga. Tudo de bom para vocês.

    ResponderExcluir
  16. Um texto com o qual muito me identifico! Adorei ler!
    Gosto de viver a vida sem pressas, nem pressões, nem metas bem delineadas e quantificadas... para desfrutar plenamente da experiência, sem me desgastar com cobranças a mim mesma... que tudo isto passa rápido demais...
    Como já alguém disse... não faço planos para a vida, para não estragar os planos que a vida pode ter para mim...
    Beijinhos, Tais! Bom fim de semana, e votos de um excelente Agosto... que seja bem mais leve e menos preocupante!...
    Ana

    ResponderExcluir
  17. Integralmente de acordo consigo, Taís.

    Ainda em pausa, fazendo um périplo pelos blogues amigos para agradecer os cumprimentos que me deixaram na minha publicação transata.

    Um Agosto melhor do que Julho, num Inverno confortável.
    A Europa em vaga de calor... Um calor muito seco...
    Abraços
    ~~~

    ResponderExcluir
  18. Revejo-me neste seu texto, querida Taís. Sim, para quê tanta pressa? A rotina dá uma certa estabilidade e quando resolvemos sair dela para fazer coisas diferentes já vamos revigorados.

    A "loucura" de se aproveitar o máximo na chamada "terceira idade"dá mau resultado. Programando e seguindo o ritmo que conseguimos aguentar é o ideal. Vejo quando viajo com a minha filha que o ritmo não é o meu. O tempo tem de ser aproveitado, é não deixar escapar nada como se não houvesse amanhã :)

    E por falar em ritmo, adoro o dinamismo que imprime à sua escrita. Estamos a ler e a "ver" tudo. Mesmo lindo!

    Bom domingo, minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderExcluir
  19. Diz a sabedoria pop+ular que: "" Devagar se vai ao longe""
    .
    Domingo feliz
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Mi naturaleza tranquila me hace comprender muy bien lo que nos cuentas y cuánta razón tienes en cuanto a la importancia al escoger los compañeros de viaje para que sea un éxito y vuelvas feliz y descansado.
    Alguien muy cercano se fue a realizar una parte del Camino de Santiago, un viaje que llevaba preparando largos años. Pensaba ir solo, pero en el último momento el marido de una amiga insistió en irse con él y casi sin haberse tratado a fondo, partieron los dos.
    Mi amigo tardó poco en comprender que se había equivocado de compañero, porque siendo ese señor una magnífica persona, resultó que tenía una característica que también a mí me provoca terror cuando me toca alguien así sentado a mi lado en una comida o una reunión: Era un auténtico pesado. Un charlatán que ni subiendo las cumbres ni en un restaurante se callaba, enhebrando un monólogo con otro de lo más vacío.
    Aquella verborrea continua que lo agotaba mentalmente, hizo que mi amigo acabara por separarse de él en la tercera etapa con el pretexto de que como tenían distinto ritmo de paso, no quería forzarlo a una velocidad que fuera nociva para su salud.
    Ni sé como pudo resistir tanto. Una experiencia así puede acabar contigo.
    Un beso, Tais.

    ResponderExcluir
  21. Muito bonito o post! Faco o viagem desde Buenos Aires para Santa Catarina em Janeiro, para as ferias. E verdade que o viagem e cansativo, mais bonito mesmo!!!! acho bom nao ir com pressa na vida, e melhor , gostei do post! Te espero pelo o meu blog! Beijao

    ResponderExcluir
  22. Minha querida amiga Taís,
    O povo está beirando o “Lago Guaíba” sem máscara, estão nas praias do “Rio de Janeiro”, como se nada estivesse ocorrendo de grave no “Brasil” e no Mundo.
    Tudo bem, os governos liberaram quase tudo... Mas, a questão hoje nem é seguir diretrizes dos governantes sobre flexibilização do isolamento social... É uma questão de razoabilidade. Muitos precisam parar de brincar com nossas vidas, porque, sem saúde não existirão trabalhadores, alunos e muito menos eleitores. Acabou o medo do inimigo, mas, o inimigo não desistiu de abater suas vítimas, pois, não estamos de férias, mas sim, de quarentena.
    A dura realidade, é que será preciso mais que uma vacina, para nos colocar de pé outra vez.
    Mais um texto pontual, qual gostei muito.
    Beijos, bom começo de semana e mês!!!

    ResponderExcluir
  23. Boa noite Taís
    Feliz mês de agosto. Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Sua postagem é exatamente exata, querida amiga Taís.
    Que venha, o mais rápida solução, nesta vacina, melhor, nestas tantas vacinas! Grande abraço.
    Beijos, amiga!

    ResponderExcluir
  25. Excelente crônica, Taís
    Vamos viver um dia de cada vez.
    Muita calma nesta hora!
    Linda nova semana.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  26. Ótimo texto, Tais, muitas verdades!
    Envelhecer é auto conhecimento contínuo e não só em idade mais avançada. Também é pessoal e comparação é uma furada, na maioria das vezes.
    Amo rock and roll, adoraria ver Metallica em um show ao vivo, mas meu corpo não aguenta, não! rs Não se trata de espírito envelhecido, é razão, por mais que eu não goste disso.
    Adorei o texto e reflexão!
    Boa semana, abração!

    ResponderExcluir
  27. Oi, Taís, saudade!!!
    Está certíssima em todos os pontos que abordou. Na correria não apreciamos devidamente o caminho e o destino. Muitos fazem aquelas excursões mirabolantes e até afirmam ter conhecido vários países. Sequer tiveram tempo para desfazer malas rss. E alguns companheiros de viagem eram, realmente, malas rss. A pressa não é boa na juventude e, pior ainda, quando já temos uma certa bagagem de conhecimento. Nada tenho contra a rotina, velha companheira. Só não estou gostando dela, hoje, pela imposição necessária do afastamento.
    Companheiros de viagem precisam ser muito bem escolhidos, razão pela qual sou extremamente cautelosa nesse sentido. E prefiro passear com minhas irmãs, com calma, um destino de cada vez.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida...saudades de você, por onde andas?
      Que surpresa agradável, adorei te ver!!! De vez em quando te vejo noutros comentários do meu blog.
      Beijinhos, muita saúde pra você, um dia acaba esse pandemônio!!!

      Excluir
  28. Ei Tais! Cá estamos , de volta, aos poucos. Muito verdadeiro tudo isso que escreveu. Eu mesmo me pego saudoso de um tempo que se foi, mas fico na minha , sempre esperando o momento certo para fazer as coisas; confesso que a falta de dinheiro , as vezes me segura as rédeas . rsrs Com o passar do tempo , a gente vai descobrindo as coisas, que ainda estavam encobertas numa juventude fantasiosa e apressada .... Adorei sua postagem bastante reflexiva. Grande beijo. Feliz dia.

    ResponderExcluir
  29. Por quê pressa? Acho que a calma facilita uma melhor apreciação das coisas belas da vida. Bela e pertinente a tua crônica Taís. Parabéns!

    Beijos e muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
  30. Estou passando para agradecer a gentil presença na minha “CASA”.
    Com os preparativos para ir de férias amanhã não tenho possibilidade de ler e comentar, o que farei, com o maior prazer, quando regressar, no finalzinho do mês.
    Até lá, tudo de bom, e Obrigada!
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  31. Taís,
    Regozijo-me por navegar nas águas da sabedoria e do bom senso. Gostei muito da sua crónica.

    Abraço

    ResponderExcluir
  32. Boa noite Taís,
    Essa lição de escolher quem vai com a gente a passeio ou em qual viagem, eu já aprendi e já faz muito tempo. Hoje eu quero viagens mais planejadas e bem mais ao meu gosto e tempo. Parabéns pelos pontos sempre relevantes em seu texto. Ele nos propõe uma ótima reflexão.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  33. O ritmo de vida varia com a idade e de pessoa para pessoa. E também se deve adequar às circunstâncias, como no caso presente da pandemia. Em qualquer caso não devemos forçar esse ritmo, principalmente quando a idade já pesa...
    Excelente crónica, gostei de a ler.
    Bom fim de semana, querida amiga Tais.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  34. Penso como você, minha Amiga Tais. Não há como seguirmos o nosso próprio ritmo sem canseiras desnecessárias. E não vale a pena corrermos atrás do tempo... Gostei muito da sua crónica.
    Um beijo e muita saúde.

    ResponderExcluir
  35. Oi bom dia ! lindo blog, adorei.
    https://epossivelsonhar46.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  36. Tienes una gran vida, felicitaciones por todos tus viajes :). Es cierto, estás en un lindo momento, que sigas disfrutando de la vida. Saludos desde El Blog de Boris Estebitan.

    ResponderExcluir
  37. A programação cuidada é o ponto de partida para o sucesso da viagem. Também há grupos fantásticos que nos ajudam a desfrutar sem correrias. Outras vezes é mesmo preciso sofrer um pouco para atingirmos os nossos objetivos. Cito como exemplo o Egito. Vale a pena o esforço.

    Bela crónica, Taís! O bom senso tem que comandar os nossos passos. Atravessamos um tempo em que até temos medo de entrar num avião.

    Abraços a viajar pelo Atlântico.

    ResponderExcluir
  38. Penso que o ritmo muda conforme nossa etapa de vida. Já houve épocas que eu ia de um programa a outro e sem nenhum esforço, era puro prazer. Atualmente, gosto de ter tranquilidade para fazer cada coisa. Gosto de ter pausas, o rítmo frenético não faz mais parte da minha agenda. Ótima reflexão

    ResponderExcluir
  39. Já tive uma dessas experiências, mas mais novo..., mesmo assim,"nunca mais".
    Agora quero viver ainda muitos anos;pelo que, vamos com calma,saboreando
    cada momento que a vida dá, para poder dizer "a vida é bela".
    Muitos anos de vida para si......,para nós.
    Abraço

    ResponderExcluir


Muito obrigada pelo seu comentário
Abraços a todos
Taís