4 de junho de 2024

OS NOSSOS HÓSPEDES !



    OS NOSSOS HÓSPEDES

                                                                          - Taís Luso de Carvalho

 

Ops... me perdoem, mas esse é um assunto que dá pano pra manga, pois hospedar alguém que não seja bem próximo, é uma tarefa árdua, se não fosse não haveriam tantas regras de etiqueta para  os hóspedes e também para os anfitriões - para não entrarem em colapso.  Se você é quem convida é outra situação. Falo daqueles que se convidam, dos encostos... É dureza. Porém, há gente que gosta de hospedar, sim. Conheço uma.

Não gosto de incomodar, mas infelizmente também já fiz essa bobagem há muitos anos - algo que me arrependo - mesmo a convite.  Gosto da minha liberdade e me constrange tirar a liberdade de alguém, ainda mais dentro de sua  casa. Mas  têm  pessoas que gostam de ir chegando, assim, meio à vontade... Quando nos damos conta, a mala já está dentro da sala, parece que só veio passear. Mas a noite vai chegando...  

Conheço várias pessoas que estremecem em época de férias, com suas casas de praia que mais parecem pensões ou pousadas, com amigos ou parentes mais distantes, chegando cheios de amor pra dar. Fora algum amigo do parente que cola junto pra aproveitar a boquinha.

Lembro de ter escutado de uma pessoa  que hóspede é como peixe, no terceiro dia começa a cheirar mal...  É duro, irmão, mas que hóspede nos traria tanta alegria se a empregada se manda e sobra pra nós um trabalho de cão? A empregada inventa que a mãe está morrendo justamente quando o hóspede vai chegar! A minha sempre foi muito criativa.  

Recentemente perguntaram a uma pessoa muito conhecida e badalada no Brasil, e que ri feito louca, se ela preferia ser anfitriã ou hóspede. 

- Hóspede, sem dúvida! 

E ela, com duas empregadas e com a grana do Tio Patinhas.

Minha  preocupação com os meus hóspedes foi sempre recebê-los com simpatia e mostrar uma alegria de Rei Momo, para dar prosseguimento ao clima festivo da chegada. Lógico que após a partida das criaturas, eu pensava numa clínica de repouso e uns 'Rivotril'. 

Mas, se você está a fim  de receber, mude seus hábitos por um período e deixe o samba tocar... Não dê bola para as escovas de cabelo espalhadas, roupas na poltrona do quarto, o banheiro anarquizado, sacolas pela casa, vários copos na pia.  Feche os olhos para não entrar em crise e bola pra frente - não tem outra solução. Depois você coloca ordem na casa.

No final da história, hóspede e anfitrião soltarão a língua afiada.  O que foi feito com carinho será esquecido, mas não aquele  olhar  atravessado porque alguém fez 'xixi'  e esqueceu de dar a descarga no vaso... Cruzes, mas pode acontecer, ora. 

Mas ao querido hóspede é bom lembrar algumas regrinhas: leve um presentinho para os anfitriões, é algo muito simpático, como se você dissesse: 

'Hei, lhe trouxe uma lembrancinha porque vim  sujar sua casa,  fazer você trabalhar,  tirar seu sono e acabar com seu descanso'. 

E por falar em comida, cuide para não se apossar da geladeira da casa! Ela já tem dono. Não esqueça de arrumar um pouquinho o seu quarto, afinal você não está na casa da mãe Joana; nada é seu.

Mas é isso aí, gente; se tudo estiver bom para ambas as partes, então é só deixar rolar e curtir essa verdadeira amizade.

E 5 estrelas com louvor para esse anfitrião que é amigão! É gente pra guardar do lado esquerdo do peito!!!

Mas, eu fora.

 

 

                               

______________________///______________________ 





36 comentários:

  1. Siempre es dificil invitar alguien y complacerlo. Te mando un beso.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite de Paz querida amiga Taís!
    Receber em casa, só filhos e famílias.
    Amigas? Cafezinho na cafeteira...
    Muita coisa mudou desde a pandemia.
    Sua crônica mostra uma realidade bem marcante.
    Também estou fora...
    Tenho três amigas aqui que vieram já em casa para um bate-papo e lanchinho, consequentemente...
    Agora, preferimos sair um pouco por perto, arejar e não dá peso para a anfitriã.
    Gosto de ficar a sós com meus botões. Conviver, fora de casa em lugares agradáveis.
    Tenha um junho abençoado!
    Beijinhos


    ResponderExcluir
  3. Chegaram ontem a Mariana e o namorado.
    Hóspedes destes eu ADORO receber.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Thanks for your sharing

    ResponderExcluir
  5. Prezada Taís, temos hospedado hóspedes, principalmente familiares, por quatro semanas e até seis semanas. Tem sido maravilhoso desde que o marido Pieter construiu a Rose Suite no andar de baixo. Uma mega tarefa cavando 60 toneladas métricas de sujeira e depois criando um corredor, um closet, uma sala de caldeiras, um quarto com chuveiro, um banheiro, uma sala de estar com cozinha compacta, uma oficina e uma despensa. Manter sua privacidade é essencial e isso funcionou bem para ambos os lados. Só que algumas pessoas nunca reconhecem nada...
    Abraços,
    Mariette

    ResponderExcluir
  6. Ri muito te lendo,Taís... Cou um delicado jeitinho e muita rezaq de padre, me livrei de uma cunhada que chegava do exterior e ficava mais de uma mês em nossa casa. AFFFF... Fede mesmo , nem precisa os 3 dias,rs... Tem cada um folgado!

    Fiquemos em nossas casinhas se em hotel não podemos ir,rs...
    beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Tai uma questão complicada. Tenho sentimentos dúbios em relação a receber hóspedes. Se for alguém muito próximo, por um lado a satisfação da presença e depois a insatisfação pela perda da liberdade mas nunca tive que hospedar ninguém aqui em casa por mais de 3 dias. É um tempo aceitável...por outro lado, fui obrigado a me hospedar na casa de um cunhado por 15 dias quando minha casa pegou fogo e estava em reformas. Eu, minha esposa e meu filho. Depois de 3 dias eu já estava tenso por estar tomando o espaço da casa de alguém.

    abraços.

    ResponderExcluir
  8. Hospitality,
    really everything has changed after the pandemic!
    Now that I think about it,
    I haven't hosted anyone since the pandemic
    nor have I been a guest!!
    Thanks for the post, it got us thinking!!

    ResponderExcluir
  9. No has podido describirlo mejor, querida Tais.
    Es un tema complicado y, sin duda, delicado.
    A mi tampoco me gusta quitar la libertad a nadie.
    Y me gusta respetar la intimidad.
    Nos dejas una realidad.
    Un beso,
    Felices días.

    ResponderExcluir
  10. La familia aumenta y tus hijos se presentan con sus futuras parejas . Es razón de lógica, que los atienda y los aloje en casa, viniendo de otra ciudad.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Antonia, os hóspedes que me refiro são os amigos, amigas e parentes distantes, jamais nossos filhos, pais e avós, que são considerados "de casa". Esses sempre serão bem-vindos.
      Uma boa semana, paz e alegria.

      Excluir
  11. Sou adepto do "cada um no seu quadrado", principalmente os tirados a espertos, que convenientemente, ignoram o próprio "desconfiômetro". É realmente chato lidar com gente assim.

    Um abraço. Tudo de bom.
    APON NA ARTE DA VIDA 💗 Textos para sentir e pensar & Nossos Vídeos no Youtube.

    ResponderExcluir
  12. Está aí um problema que nunca tive. Nunca hospedei ninguém, nem de ninguém fui hóspede.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  13. Rogério V. Pereira20:42

    Passei, até à minha adolescência, por experiência parecida, se bem que muito diferente. Meus pais e minha irmã vivemos, primeiro num quarto só e depois alargando o espaço. Minha mãe, era a titular de uma casa enorme, seis grandes quartos todos ocupados com hóspedes. Todos vivendo, cada família em cada quarto... A relação era marcada por profundo respeito pela privacidade e pela assumida disciplina no uso do que era comum... do ponto de vista da vivência e da amizade, ficaram profundas marcas...

    Sabias, por acaso, que José Saramago passou na sua infância semelhante vivência?

    Obrigado por me teres lançado em tão saudosas memórias...

    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Querida amiga, interezante post, siempre tengo
    Invitados en casa, familia, amigos de mis hijos y los
    Recibo con mucho cariño, pero llegada la noche cada
    Cual a su casa.
    Cariños y besitos 💋

    ResponderExcluir
  15. Avere degli ospiti richiede un senso di responsabilità....ma anche gli ospiti debbono cercare di comportarsi educatamente.
    Un caro saluto

    ResponderExcluir
  16. Não aprecio ser hóspede , de maneira alguma!

    E detesto encostos, como diz....

    Minha querida Taís, beijinho de tudo de bom :)

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, Taís
    Crônica interessante, lembrei da minha infância, na época morávamos em Olinda - PE, quando a minha tia nos hospedou na sua casa, devido a uma enchente, a água entrou e perdemos muita coisa. Minha tia nos recebeu super bem, nunca esqueci essa hospitalidade amorosa, ela já faleceu, um forte abraço.

    ResponderExcluir
  18. Querida Tais, esse problema eu jamais terei. Em minha casa só dorme família chegada.
    Gosto de animados e demorados jantares cá em casa. Mas no fim, a família fica, os amigos vão… cada uma para sua casa ou, se forem de longe, para uma unidade hoteleira que previamente eu indiquei.
    Aqui em casa as regras são estas. Regras que sigo no sentido inverso: jamais apareço de surpresa em casa de amigos ou conhecidos, ou familiares. Se está tudo combinado, apareço, convivo divertida (se for o caso), e saio para dormir em minha casa ou num hotel próximo.
    Em casa dos meus pais todo o mundo aparecia, comia, dormia… e eu, cansei de tanta bagunça.
    Não sei se já te disse que adoro hotéis. Pudesse eu e vivia num hotel. De 5 estrelas, claro. Juro. A minha família sabe e leva na brincadeira. Talvez um dia me visitem num hotel de Lisboa. Pode ser de 4 estrelas. O de 5 estrelas fica para quando me sair o Euromilhões. Para começar… tenho de jogar. Eu sei!!!
    Beijo, amiga querida. Gostei muito de te ler. Assunto sério.. Como eu te entendo…

    ResponderExcluir
  19. Um tema muito interessante. Não gosto de incomodar nem de dar trabalho, por isso mesmo quando vou a um local onde moram amigos, fico sempre em hotel e depois combinamos nos encontrar para comer juntos ou apenas por a conversa em dia.
    Conheço umas pessoas, cheias de dinheiro, que usam e abusam da hospitalidade de cada um, só para não pagarem hotel , apenas avisam que vão chegar e quem as recebe que se oriente e ainda por cima, são daquelas que nada agradecem, se fosse comigo, já há muito que lhes tinha recusado dormida.
    O que não faço aos outros não aceito que façam a mim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  20. Como nos dices hay familiares y amigos que solo se acuerdan de ese tipo de vinculación en algunos momentos y el resto del tiempo si te vi no me acuerdo.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  21. Olá, amiga Taís,
    Crónica muito interessante e oportuna. De facto ter hospedes que não conhecemos é sempre um tiro no escuro. Tanto pode dar certo como pode dar errado. Mesmo muitas os que conhecemos nos causam incómodos...
    Gostei de ler.

    Deixo os meu votos de feliz fim de semana, com muita saúde e paz.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride.

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com
    https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Já foi tempo que "eles" apareciam... Entretanto, a aprendizagem veio naturalmente e as condições tornaram-se em regras.
    Acho que já vivi esta magnífica Crónica na sua totalidade. Agora, não! Acabou de vez.
    Penduras vão para o Hotel e um jantarzinho (fora) harmonizará a amizade que já não é. Pois! Acabou-se a Hospedagem.
    Parabéns, Taís, pela Crónica da verdade.
    Há lembranças muito custam e que nos são avisos.


    Beijo,
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
  23. Taís!
    Tenho em mente as duas
    experiências.
    Como hospede, fico constrangida
    sempre sentindo que estou atrapalhando
    ou me metendo na vida dos anfitriões.
    Cheguei ao ponto de acordar cedo e
    sair para tomar café na padaria porque
    os anfitriões acordavam depois das 10
    e eu em casa ou fora acordo as 7. Voltava
    do café na padaria com pães e nunca
    revelei o real motivo da saída.
    Como anfitriã, faço o possível pra ,
    os hóspedes se sentirem em casa.
    Acordo cedo, ponho a mesa do café
    com tudo que sei gostarem
    e fico a disposição.
    Até antes da pandemia, meus
    amigos vinham me visitar e para
    me deixarem confortável não se
    hospedavam na minha casa, e sim
    perto e me aguardam para tomar
    café com eles.
    Atualmente aos que me visitam
    em casa, o que é raro , deixo claro
    que não posso receber em casa por
    mais de 3 ou 4 dias. Tem dado certo.
    Adorei o bom humor dessa sua
    publicação.
    Bjins de bom domingo querida.
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  24. Querida Tais, me encanta tener
    Invitados en casa, por lo general
    Son amigas y amigos de mis hijos.
    Prefiero que se junten en casa
    A que esten en la calle.
    Abrazos y te dejo un besito linda.
    Que tengas un feliz dia Domingo

    ResponderExcluir
  25. Olá, amiga Taís
    Passando por aqui, para desejar uma feliz semana, com tudo de bom.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com
    https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Há realmente pessoas que gostam de aparecer sem sequer serem convidadas. Acho um desplante. Eu não gosto de ficar na casa dos outros. As minhas visitas acabam no final do dia. Mas conheço quem se instale fazendo de conta que não percebe que incomoda. A sua crónica, com aquela pontinha de humor que tanto gosto me dá.
    Tudo de bom minha Amiga Taís.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  27. Gostei de ler a sua divertida crônica, Taís.
    Me lembrei de minha mãe que, também, falava:"hóspede é como peixe, no terceiro dia começa a cheirar mal...
    Eu, como você, estou fora.
    Nada melhor que minha casinha.
    Tenha uma abençoada semana.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  28. Meu Deus, tenho experiências nessa área que são desagradáveis demais relembrar. Mas, enfim, passaram... Tem muita gente folgada e que gosta de fuzuê, os nordestinos então, tá brincando! E os que gostam de chegar por volta da hora do almoço?!? Minha mãe dizia que é "gente sem estilo", rsss...
    Crônica boa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  29. Sua crônica traz humor apesar da seriedade destas experiência. Já tive momentos de receber hóspedes amigos por 3 dias e foi excelente, mas infelizmente nem sempre é desta forma, principalmente se o tempo é excessivo e o hospede "um encosto", rsrs. Não gosto de ficar na casa das outras pessoas, mas já tive, quase forçada, uma horrível experiência, pois me vi tolhida a fazer o planejado na viagem. Gosto mesmo é de privacidade, ir para um hotel ou casa alugada para temporada.

    ResponderExcluir
  30. Querida Tais, te deseo que tengas un precioso día.
    Abrazos y te dejo un besitos

    ResponderExcluir
  31. Querida Taís
    Achei muito interessante o tema desta sua crónica.
    Não me lembro de ser visita de ninguém para além da família, mas esses estão fora do tema, né? E também no antigo Ultramar, quando o marido ia em comissões, algumas vezes, nos primeiros tempos ficávamos em casa de amigos. Mas acho que isso também não se enquadra, porque lá havia uma solidariedade enorme, e todos nos "encaixávamos" em casa de todos. Resumindo, não me lembro de ter desempenhado essa papel.😉Mas o inverso, SIM!!!
    Já recebi em minha casa um casal com dois filhos, que vieram "só" passar o fim de semana a Lisboa, principalmente para "levarem os meninos ao Jardim Zoológico, porque eles estavam fartos de pedir".
    Tudo bem, porque não um gesto de simpatia? Claro que sim, podem vir!
    Pois, mas o fim de semana passou, e mais um dia, e mais outro, e outro ainda... e chegou o outro fim de semana. O meu marido era um verdadeiro santo, mas começava a perder a santidade... Por fim lá consegui arranjar uma desculpa - qualquer coisa relacionada com exames do meu marido, que já estava no início da doença que o vitimou - e eles foram-se embora.
    Respirámos de alívio! Na altura os meus filhos já estavam todos casados, portanto éramos só nós os dois, e, parecendo que não... eram mais quatro pessoas a comer e a beber, e tudo o mais que se gasta...
    Passado um ano, sensivelmente, o meu marido faleceu. E dois ou três meses depois, com a desculpa de me fazerem companhia... voltaram!!! Mas dessa vez estiveram menos tempo porque, de antemão, avisei-a de que tinha de ir para casa da minha filha , (para me ver livre deles), e acabaram por ficar só 3 ou 4 dias.
    Confesso que foi uma, aliás, duas... experiências muito desagradáveis.
    Mas... são coisas da vida, temos de as suportar...
    Acho que me alonguei demasiado.
    Deixo um abraço para que me perdoe...
    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  32. Que isso, amiga querida!
    Te recebo com a maior alegria do mundo!
    Um bom fim de semana!
    Bjins no ❤️

    ResponderExcluir
  33. Olá querida Taís!

    Percebo-a perfeitamente e digo até que acho que sou igual 😅

    Tudo o que mexe com o meu espaço, faz-me imensa confusão pois eu adoro ser organizado, limpo... ter as coisas da minha maneira 😅

    É um encanto ler as suas reflexões! 🥰

    Abraços e um bom fim-de-semana 🤗

    ResponderExcluir
  34. Olá, amiga Taís
    Passando por aqui, para desejar um bom fim de semana, com tudo de bom.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    https://poesiaaquiesta.blogspot.com
    https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir


Muito obrigada pelo seu comentário
Abraços a todos
Taís