1 de dezembro de 2019

O SUFOCO DOS PRESENTES





      - Taís Luso


   Presentear é uma arte! Está chegando a maior festa do ano onde já começamos a pensar nos presentes. Não precisamos gastar uma exorbitância, passar horas cansativas nos shoppings e de mau com o Natal. Basta estudar como são as pessoas que vamos presentear, seus tipos, seus gostos e escolher os presentes segundo o gosto delas e não o nosso. Senso de observação é o que basta. Não custa caro. Porém...olhamos um produto, achamos ótimo e tá feito:

- Pode embrulhar, esse vai para Rosinha! 
- Mas a Rosinha vai gostar?? 
- Se não gostar dá para trocar! 
Todos nósrecebemos presentes que um dia deu vontade de mandar de volta! Eu já tive este desejo. Lembro que eu olhei e fiquei com a triste sensação de ter sido vista como uma retardada. Faltou a pessoa ter me estudado, só isso Mas geralmente  compram sem pensar muito,  principalmente no Natal quando brasileiro presenteia    zilhões de pessoas. 
Dizem, algumas pessoas, que o importante é o gesto de presentear! Não;  não é. Isso é romantismo. O importante é acertar. Presente pode ser um martírio  para quem recebe. Recebemos muitos  presentes e  já sabemos que naquela semana teremos de  andar lá do outro lado da cidade para trocar a coisa. Isso é um saco. Trocar não por um número maior ou menor, mas pelo oposto daquilo que recebemos! 
Mas, também há o outro lado da moeda: para alguns nada serve, muitas vezes já tive vontade de enviar uma bomba! 
Sei que é difícil: há o perigo de darmos um livro da Segunda Guerra Mundial a uma pessoa  que sonha em ser monge; dar uma roupa sóbria a uma Maria da Vanguarda; dar um CD de músicas que nada tem a ver com a criatura. E perfume?  Jamais. 
Seu amigo gosta de MPB? Então não pense em dar a Sinfonia de Beethoven! A cunhada gosta de música clássica? Não pense em dar  fado, tango, samba! A irmã ama música sertaneja? Dê-lhe o Chitão e Xororó  que ela ficará feliz!! É simples. E lembrando... esqueça os porta-retratos!! Não há mais lugar disponível!
- Óhhhhhhh!!! Que liiiiiindo, você adivinhou, como estou precisando!
Uma parente minha ganhou  um adorno para sua casa. Não gostou, tinha crises ao olhar para o tal objeto. E guardou. Cada vez que sua amiga ia na sua casa, ela colocava a coisa sobre o balcão. Depois guardava. E assim foram anos. Acho que eu ficaria louca se tivesse de fazer isso. São coisas da vida. Entendo.
Nisso, os homens estão à frente: dão flores, biscoitos  importados, bombons ou vinhos de classe! E estão cobertos de razão. Nunca serão mal vistos. São presentes delicados e de bom gosto. E sem trocas! 
Dá para dizer que presentear é um ato de carinho, sem dúvida, mas às vezes é um calvário para quem recebe. É de pensar.
Boa sorte a todos!



_________________________________________





45 comentários:

  1. Receber e ter que dizer que é excelente quando dá vómitos :)))
    Bjs, boa semana

    ResponderExcluir
  2. Boa noite de Domingo, querida amiga Taís!
    Mais uma vez você se supera com uma crônica de luxo sobre um tema exaustivo que voce explanou muito bem com possibilidades sempre presente de boas risadas.
    Estou preferindo, ha uns tempos, a fazer artesanatos em crochê, os suplas. Acho-os bem românticos.
    Nao enfrento confusao de ruas cheias e shoppings em Dezembro.
    Gostei muito das sugestões masculinas de presentear.
    Muito bom passar por aqui e desfrutar de uma excelente leitura.
    Tenha um mes feliz!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Teu bom humor ao falar em temas complicados é muito legal! Leitura que nos coloca na situação e faz rir. Adoro presentear, mas preparo tudo com antecedência... E aqui em casa no Natal,usamos o amigo secreto,fica mais fácil ...

    beijos, lindo dezembro,que seja sem correrias,rs...chica

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante do texto :))

    Hoje : Faz do meu corpo, o violino.

    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda - Feira

    ResponderExcluir
  5. Mais uma crónica com o humor que lhe é habitual. Dar presentes requer delicadeza e conhecimento dos gostos a quem se dá. Nem sempre é fácil, tem razão, minha Amiga Taís.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Creo, amiga Tais, que saber regalar es una de las artes más complicadas. Se requiere de talento, paciencia y psicología.

    ¡Buena semana!

    ResponderExcluir
  7. Sempre rio muito com suas cronicas Taís!
    Sim,quantos presentes não gostamos e muitas vezes também não agradamos,mas temos que aceitar.
    Adorei ler.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  8. Amei sua crônica! Concordo, presentgear é um gesto que deveria ser cercado de observação e sensibilidade! Tomo a liberdade de deixar aqui uma curta lista de presentes com os quais já fui 'agraciada' ao longo da vida:

    -Uma camiseta rosa-choque baby look, com o desenho enorme de uma boneca na frente.Detalhe: eu tinha 43 anos de idade.

    -Um porta-jóias preto em formato de caixão. Ao ver o constrangimento na cara de todos os presentes, a pessoa ainda ecxclamou: "É artesanato, ué!"

    -Um saca-rolhas.

    -Uma caixa de sabonetes com papel de presente amassado com cheiro de naftalina. Detalhe: eram tão v elhos, que nem tinham mais cheiro!

    -Dois bonbons emb rulhados em folha de jornal em um amigo-oculto.

    Acabam com a autoestima de qualquer um, não é?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsssss, são piores do que aqueles que andei recebendo!! É, de fato é o termômetro que temos de certas pessoas. Servem para a 'Banda Larga', (rol das fofocas) Que coisa triste... Meus sentimentos, rsss.
      bjs

      Excluir
  9. hai hai mas que grande verdade amiga pois nunca é facil mas depois pensamos e pronto ehehhe adorei o teu texto como sempre bjs

    ResponderExcluir
  10. Bela crônica, belo ainda quando consagra o mês natalino!Parabéns!

    Isaias
    rabiscoliteratura.blospost.com

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Tais,
    Adorei sua bela crónica e já soltei gargalhada, pois identifico-me imenso com que o que expôs.
    Sim, porque acho que o carinho com que presenteamos deve ter em atenção o gosto de quem recebe e não o contrário. É mesmo uma arte.
    Tenho uma pessoa de família perita em oferecer ao gosto dela. Antes eu tinha acanhamento e dizia ser lindo e colocava no armário (sendo roupa). Ultimamente dou uma volta enorme para trocar. Até almofadas de decoração para minha sala me ofertou, que nada têm a ver... Mas que fazer? Fiquei com elas... Não tive jeito de dizer que iria trocar.
    Nestas datas nem necessito de prendas, apenas de muita paz, porque afinal acabam por ser dias agitados demais para o meu gosto.
    Um beijinho e continue assim, sempre com seu bom humor.
    Ailime

    ResponderExcluir
  12. Hilária sua crônica, bem assim, as pessoas não param para pensar e tentar agradar, que chato isso, se eu não souber como presentear eu peço ajuda, mas nunca dou qualquer coisa, tenho sorte, sempre dou o que gostam e ganho o que gosto!
    Mas a regra não e essa né amiga? Só rindo!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  13. Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    Abordas um tema que é o meu martírio.
    Não sei escolher o presente.
    Creio que erro, sempre. Mas o presenteado
    é, invariavelmente, educado.
    Ainda bem...
    Parabéns pelo oportuno assunto, Amiga.
    Uma ótima semana e um fraternal abraço !
    Sinval.

    ResponderExcluir
  14. Un pequeño detalle, junto a la compañía y un gesto de cariño, puede alegrar un vida. La persona valora ese pequeño gesto que nos acerca a ello. el sentirse querido vale más que el regalo más costoso.

    Besos

    ResponderExcluir
  15. Gostei demais do teu texto... Rsss... Quem não já recebeu presentes de grego?! Uau, alguns até devolvi e sugeri outros (lógico que com pessoas que tenho liberdade)... Realmente, acontece mesmo e com frequência... Ultimamente, ganhei uma bolsa terrível, daí quando me perguntou se tinha gostado, disse que já tinha muitas e dei a ideia de outro presente... 👜👖
    Abçs e um bom Dezembro...

    ResponderExcluir
  16. Querida Taís,
    Eu estou como o Grinch e não abro... Natal me mete medo... (Das baratas continuo só tendo nojo mesmo)
    Então é Natal... E Lá vem o Roberto Carlos... Lá vem a Simone cantando...
    ... Então bom Natal, e um ano novo também Que seja feliz, quem souber o que é o bem Harehama, há quem ama Harehama Então é Natal, Hiroshima
    E o que você fez? Nagasaki O ano termina E nasce outra vez Hiroshima Nagasaki Mururoa...
    Pior que isso, só maionese com maçã verde, panetone cheio de frutas cristalizadas e o bendito o amigo secreto da firma... (... A festa é sua... Hoje a festa é nossa... É de quem quiser... Quem vier... De quem quiser... ) OREMOS!!!
    Ainda em tempo... Das danadas das "uvas-passas" eu gosto! (E mesmo com o "Acordo Ortográfico" tendo excluindo o hífen de muitas palavras compostas, a grafia correta de uvas-passas, continua com hífen e plural duplo. Vai entender???
    Beijos e boa semana!!!

    ResponderExcluir
  17. Presentear tem dessas coisas e por vezes, faz-se uma arte, como tal, pede sensibilidade, percepção e alguma técnica.

    Um abraço. Tudo de bom.
    A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

    ResponderExcluir
  18. Oi Taís! E não é que já chegou o natal novamente...Os anos têm passado tão rápido, muito mais do que nos tempos que esperava ansiosa pelo final de ano e suas festas.
    É preciso muito bom senso para presentear, levando-se em conta poder aquisitivo, gosto, afetividade. Com o passar dos anos tento ver mais o afeto envolvido na situação (ou não rs), eu mesma acho que já perdi um pouco do bom senso, então...Costumo presentear mais com biscoitinhos, trufas, pães de mel...Se a pessoa não gostar ou não poder comer, certamente haverá quem se deliciará.
    Adorei seu texto, como sempre, claro e com uma pitada deliciosa de humor.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Olá, Taís!

    Em Porto Alegre é assim? Em Portalegre de Portugal também já foi quase assim?!
    No meu outro blogue que fala dos vinhos e da vinha escrevi em finais de 2012 um texto conm o título: Toma lá um bocadinho de mim,...
    Ao ler o seu de hoje, lembrei-me do meu acima citado.
    Dar e receber o binómio perfeito. Porém, gosto mais de dar do que receber. Por norma, ofereço vinhos e livros.
    Nós os homens simplificamos tudo, pois é!
    bj.

    ResponderExcluir
  20. Bom eu não sou de dar presentes no Natal. Só para as crianças. Quando meus pais eram vivos e reuniam na sua casa mais de trinta pessoas entre irmãos, sobrinhos, filhos genros e netos, sempre tinha de dar qualquer coisa porque a minha mãe dizia que a prenda não importava senão no facto de significar que nos lembrávamos da pessoa. E para isso bastava um lenço, um doce, ou um postal. De modo que eu sempre fazia umas coisinhas como umas velas ou sabonetes decorados, um colar de conchinhas do mar, coisas de artesanato. Quando eles morreram em 2009 deixamos de ter esse tipo de Natal e prendinha era só para a neta, agora são duas.
    Abraço

    ResponderExcluir
  21. Tais,
    Seu texto retrata mesmo
    o que acontece.
    Sei lá acho que estou ficando ranzinza, esse
    ano me prometi e me comprometi a
    não comprar nenhum presente.
    Onde passarei a noite de Natal
    é um festival, já me vejo ali
    sem nada que tenha de Catiaho para X.
    As duas netas já tem lá na arvores
    trocentos pacotes com seus nomes,
    mas nenhum da Vovó p X.
    E o mais interessante é que
    estou sem um pingo
    de culpa. Tô velha mesmo Taís.
    Adorei a publicação.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  22. En muchas ocasiones es difícil dar con los gustos de las personas a quien regalamos algo.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  23. Querida Taís, mais uma vez, achei a sua crónica muito interessante e não podia ser mais pertinente...
    Lamento imenso os ''vendilhões e compradores neuróticos'' dos templos modernos...
    Felizes os que celebram a festa da família a seis do novo ano...
    Felizes as famílias que determinam que as ofertas são só para crianças.
    É que, nas famílias grandes, a meia-noite, em que se celebrava a missa do galo, agora fica transformada numa verdadeira feira.
    Quanto aos presentes ''monos'', tenho uma familiar que os oferece de novo sem escrúpulos... E assim despacha um ''mono'' para quem lhe ofereceu ''mono''...
    Detesto o Natal de plástico, as 'prendinhas de circunstância', dá para encher gavetas de cachecóis, de lenços, de sapatinhos de dormir...
    E o pior é que sempre protestamos, mas não vemos ninguém fazer nada de sério.
    Haja paciência...
    Ótimo dezembro...
    Abraço grande, Amiga.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  24. Há já uns anos que a nossa família acabou com este presentear natalino!
    Ficamos por momentos em família alargada!!! Bj

    ResponderExcluir
  25. É exatamente assim, querida amiga Taís.
    Acabo de postar algo semelhante. Feliz Natal com os seus.
    Beijo carinhoso.
    Jorge

    ResponderExcluir
  26. É de pensar e muito. Nos grupos, nos diversos grupo, como resolver de além do carinho um bom presente? Há alguns que preferem um bom presente e na hora sortear, há aqueles que optam por lembrancinhas, há outros que se tira um amigo e ai se pode pensar nas prefrências. Enfim, pensar, pesar e pensar como agradar. E vamos às compras.Bjs

    ResponderExcluir
  27. Pois é, querida Tais, esta crónica me fez sorrir de alegria misturada com uma dose de ira (lembrei prendas que já recebi...).
    Eu tenho um lema: não ofereço o que não gostava que me oferecessem. Mas mesmo assim «meto água»... Não há gostos iguais!
    Melhor altura não havia para publicares estas oportunas palavras. Valeu, amiga!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  28. Oi Tais!Eu tenho muita dificuldade em dar presentes, pois tenho medo de não acertar. Suas dicas são preciosíssimas ! POr falar em presentes; e o tal do amigo oculto! PUtz ! Confesso que nunca deram uma dentro comigo .rsrsrs ótimo assunto , mnha querida . Grande beijo. Feliz noite!

    ResponderExcluir
  29. É certo, pois por perto vivo essa situação, mas que a mim não aflige. Não dou, não espero nada. Sim, porque tem que ser assim? Vejo muita gentinha nessa azafama e os comercios a esfregar as mãos.
    Quando alguém precisa de algo, pede. Se é possível, será atendido. É o que eu faço!
    Obrigações deste género, nenhuma.
    Abraços de vida, querida amiga

    ResponderExcluir
  30. Un simple detalle, pero con mucho afecto. Sería un buen regalo, para estos días.

    Besos

    ResponderExcluir
  31. Querida Tais, nesta altura do ano, convém falar deste assunto, pois, uma festa tão bonita, onde se reune a familia em alegre convivio, transformou-se numa canseira tão grande que eu, que faço aniversário a dia 26, não quero sequer que se lembrem de aparecer para me darem os parabéns; fico deitada o dia todo, derramada no sofá, junto da lareira e nem preciso de comer. Os presentes há muito acabaram, entre amigos e familiares e foram substituídos por uma visitinha e um abraço ou então por um telefonem. Presentes, só para quem ceia connosco e mesmo assim fazemos o amigo oculto e, para que se dê umas boas risadas inventamos o inimigo oculto, ou seja , a pessoa que eu tirei é ao mesmo tempo amigo e inimigo e neste caso recebe qualquer coisa que o vai brincar com alguma coisa que ele queira; por exemplo, eu não gosto de cozinhar, então já recebi fogãozinho de brinquedo e uma porção de
    panelinhas. A minha filha queixava-se que os tomates andavam sem gosto e nesse ano tirei-a e dei-lhe uma lata de tomate aos pedaços: portanto damos o presente de amigo e o de inimigo e este é sempre motivo para muita risada. Este ano vai ser nos sogros do meu filho, mas já combinamos que eles fazem a ceia ( vou ajudar, claro ) e eu levo os doces caracteristicos da época: no dia seguinte a comida vem de um restaurante, encomendada com bastante antecedência. E assim, amiga, o " sufoco" não é tanto , não há tanta correria e a dona da casa participa muito mais da festa que deve ser para todos. Aqui em Portugal, a meio do mês de novembro já havia iluminações por todo o lado; o mês de dezembro começou há dias e eu já estou cansada do Natal; daqui a pouco deixam as luzes de um ano para o outro. Antigamente só no começo de Dezembro se enfeitavam lojas, casas e ruas, mas, agora, está um exagero: será que a iluminação incentiva a que as pessoas comecem as compras mais cedo? Bem...se calhar, sim...há gente para tudo.!!! Também há pessoas que imitam as outras e sabes quem é uma dessas? Euzinha, Tais e espero que não me acuses de plágio; bem...seria um bocadinho injusto, porque não é bem um plágio, é mais um aproveitamento da ideia e isso não é crime, pois não? Então, posso ficar descansada! Agora, resta-me esperar que não " sufoques " nests " turbilhão " de caixas, caixinhas, sacas, sacolas e sacolinhas e que tenhas aquele presente que vem sempre numa caixinha pequenina, com um lacinho muito delicado, em geral prateado ou dourado; creio que um presente desses só poderá vir do Pedro e, se vier, bastará esse. O meu amigo que me desculpe por ter dado esta dica, mas...por uma amiga, faz-se qualquer coisa. Deixo aos dois um grande abraco e votos de uma boa noite ( sem insónia, Tais..) . Não vale a pena perder o sono por causa dos presentes!. Beijinhos, também e muitos
    Emília

    ResponderExcluir
  32. Para mim é uma dor de cabeça o ir ás compras para ofertas, se pudesse acabava com esta tradição da troca de presentes minha amiga.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  33. Isso de prendas,é 'o diabo'....
    Fiz sem custar nada um favor a um amigo(?) e ele achou que tinha de agradecer. Então no Natal,enviou-me um Barca Velho tinto de 2008, com
    o seguinte cartão. "Para abrir só com a minha companhia,no próximo almoço
    que deres aí em casa". Não devolvi.....mas também ainda tenho a garrafa.
    Há cada maduro. Desde já um Bom Natal....coma sua amizade.
    Abraço
    guardada.

    ResponderExcluir
  34. tem toda a razão, minha amiga

    os presentes distinguem quem os recebe, mas, sobretudo,
    distinguem quem os oferece ...

    sei de alguém que, como prova de amor, um dia ofereceu, a pedido da namorada
    um livro roubado da livraria...

    lindo, não acha, Tais' rss

    beijo

    ResponderExcluir
  35. Bomba... teria evitado, tantas dores de cabeça minhas... e nunca me ocorreu!...
    Se achar uma, de marca... com uma embalagem bonita de lacinho... me avise, Tais! Nunca é tarde para começar!... :-D
    O que dizer? Que me revi completamente nas suas palavras, Tais!
    E se achar o presente certo para cada um, é uma arte... às vezes, também consegue ser um verdadeiro Inferno!... :-)) E eu já nem ligo mais, para o que eu recebo... eu quero mesmo é resolver o meu problema, na base da oferta mesmo... :-))
    Boa sorte, então, para este ano!!! :-D Que os dias estão passando... e a sensação de sufoco... já me começa a ser familiar!... :-P
    Beijinhos, Tais! Feliz fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  36. Depois de ter lido o que nesse texto está muito bem escrito sobre os presentes de Natal, que está chegando a passos largos. Eu diria que em vez de dar o presente, dava o valor do mesmo em dinheiro e a pessoa, no caso de já ter recebido outro igual. Podia com essa quantia comprar outro diferente?

    Tenha um bom fim de semana amiga Tais Luso. Um abraço.

    ResponderExcluir
  37. Esta tua crônica, O SUFOCO DOS PRESENTES, está muito boa. É assim mesmo a história dos presentes, principalmente os de Natal. Como tu sabes, nunca compreendi muito bem o martírio pelo qual passam as mulheres nos dias, semanas que antecedem a festa natalina. Só de ver o que tu e tua mãe passavam para comprar os presentes para várias pessoas, e montar a festa, ‘era de desistir. Além de toda a trabalheira para ti e tua mãe havia ainda o custo dos presentes, que não eram baixos. Natal, Taís, só pode ser coisa de mulher. Quanta paciência!
    Parabéns pela excelente crônica!
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  38. Sociedade complexa e desorientada, a ponto de se fazer compensar através da loucura do hedonismo viciante dos presentes que cada uma das épocas calendarizadas pelas necessidades dos recursos simbólicos leva as pessoas à compulsão repetitiva de atitudes meramente robotizadas.

    Belo texto, Tais.

    Bom fim-de-semana.

    ResponderExcluir
  39. Olá Taís!
    Em tempo de Natal sua cronica é perfeita até como alerta nesta às vezes arte de presentear acertando. Lembro de uma tia, que adorava dar presente e cobrava de ver o tal presente, que nem sempre agradava. Concordo que presentear não é tudo o que importa, nem importado rsrs, é preciso uma análise mesmo e acertar, não precisa ser caro. Dar flores é lindo,romântico, mas é preciso saber se a dita não é alérgica.
    E neste emaranhado que possamos ter um Natal de paz e que haja pão nos lares, principalmente aqueles mais carentes.
    Um bom domingo para vocês na feliz semana.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
  40. Eu gosto de presentear, mas detesto o constrangimento que o momento causa.

    ResponderExcluir

  41. OLÁ TAÍS
    começo por agradecer a sua visita a um dos meus blogues.

    Vim hoje retribuir a visita e conhecer o seu espaço.
    Belo tema encontrei
    Concordo em absoluto com a primeira frase:
    Presentear é uma arte!

    VERDADE e há tantas pessoas que não sabem presentear
    nem se preocupam com isso...

    Está chegando a maior festa do ano, em que odeio presentear
    Prefiro presentear SEM SER OBRIGAÇÃO
    agora presentear a pessoas que nada me dizem, é horrível
    DAR POR DAR...
    enfim...

    AH SIM isso é o principal mesmo:
    Senso de observação!

    Se quiser voltar a me visitar, há posts novos aqui:
    http://momentos-perfeitos.blogspot.com/
     
    http://pensamentosimagens.blogspot.com/ 

    Beijinhos da Tulipa
    Boa semana e dias lindos        

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda ao blog, Tulipa!! Feliz com tua visita.
      Sim, irei visitá-la com muito gosto.
      Beijinhos, uma ótima semana pra você!

      Excluir
  42. Gostei de ler esta crónica. Uf! Estou despachada. Só comprei uma prenda. Aqui em casa cada um tem um amigo secreto (sorteado). Além da surpresa da prenda há a surpresa do amigo. Fixe!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  43. Aqui costumamos fazer amigo oculto.
    Acho bem prático.
    Já sei, mais ou menos, o gosto de cada um.
    Este ano dois dos meus filhos, que moram fora ,estarão presentes.
    A festa vai ser alegre.Estou muito feliz.
    Beijinhos, Tais
    Verena.

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por deixar seu comentário, se necessário for, deixarei resposta a alguma pergunta.
Abraços a todos
Taís