8 de outubro de 2018

A ARTE DO BEM VIVER



     - Taís Luso

Não lembro de ter visto, em anos passados, um aumento tão considerável de pessoas com depressão e com alto nível de estresse. Vê-se, também, com mais frequência, pessoas que sofreram um AVC. Não há cabeça que aguente muita pancada da vida. O cérebro é delicado, requer cuidados, pede moderação nas nossas emoções - entre outras coisas, é claro.
Meu pai, cardiologista, era um homem equilibrado, não colocava a mão em arapucas, não discutia, não brigava. Poupava-se. Tinha suas defesas. Aprendi um pouquinho a maneirar minhas reações, minhas emoções, dizia-me para deixar passar as coisas irrelevantes; não dar murro em ponta de faca –  de nada adianta – mas, nem sempre é possível evitar.
Para uma vida saudável, sabemos que a alimentação, exercícios físicos e equilíbrio emocional são fundamentais. Os confrontos e discussões acirradas agravam certas doenças, ainda mais se trouxermos da família alguma herança nada saudável.
Não estamos isentos de maus súbitos após uma discussão acirrada. Geralmente vamos à exaustão querendo provar que nossa opinião ou atitude é a correta. E com ela salvaremos  o mundo. Acabamos por não atingirmos o alvo, e ficamos com o estrago e a ansiedade que vai se acumulando. E vem a derradeira pergunta :
Por que fui entrar nessa?
Por causa do seu ego – diria nossa consciência.
Difícil de aprender. Abrimos nossa guarda e expomos nossa vulnerabilidade em confrontos idiotas e  dispensáveis. Essa é a vida de muitos, sempre numa corda bamba. Uma hora perde-se o equilíbrio e deu! Pois é... aconteceu. Coitada, que Deus a tenha!
Se houvesse uma vacina que evitasse a quebra de nosso equilíbrio, a desorganização de nossas emoções, tenho certeza que nossa qualidade de vida seria outra; que a expectativa de vida estaria muito além da média de hoje.
E viveríamos muito mais felizes.


___________________________




57 comentários:

  1. Boa Tarde, querida amiga Taís!
    Não sabe como esta sua postagem me fez bem à alma... foi de Deus para mim... muito obrigada por dar pistas do bom viver.
    Odeio discussões, brigas inúteis e queda de braço.
    Percebo, cada vez mais, que a insulina de alguns é procurar o que não existe em busca de promoção pessoal.
    Se usassemos nossas energias na promoção do bem estar social seria um céu cá na terra.
    Como é bom sentir paz e ser promotor (a) da paz coletiva!
    Meu pai me ensinou a ficar de 'bico calado' e ele conseguiu superar com sua paciência aprendida a manter a serenidade. yenho 3 pessoas que muito me ensinaram isso pela vida e hoje eu prático o silêncio fecundo e perdoo os que não sabem o que dizem em oração.
    Silêncio é ouro! Sabedoria Divina.
    Deus a abençoe muito!
    Obrigada pela linda postagem.
    Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. A arte da convivência é dificil, pois temos muitos conflitos internos que ficam guardadinhos e se atualizam com situações que os reativam. Mesmo com um bom autoconhecimento, às vezes, se escorrega e lá vem a irritabilidade e o confronto.A Inteligência emocional que precisa de muito treino....

    ResponderExcluir
  3. Bem verdade....Temos que ter o desconfiômetro e saber quando e com quem podemos tocar em certos temas. HOJE NESSE MUNDO DE MIMIMIS tudo é motivo de estresse.Afff... bjs e linda semana! Chica

    ResponderExcluir
  4. Interesantísimas reflexiones querida amiga Tais:
    Controlar las emociones y sobre todo, no participar intentando convencer a los demás sobre sus puntos de vista, es una inteligente manera de mantener nuestro equilibrio emocional. Callar y escuchar (sin estar de acuerdo muchas veces) es mi manera de protegerme.
    Los años nos hacen comprender lo importante de callar en ciertas guerras.
    Un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  5. Mais um texto excelente para reflexão. Realmente a vida é demasiado importante para a perdermos com inúteis querelas…
    Uma boa semana, minha Amiga Tais.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Difícil de aprender mas se proteger pode ser bem fácil... basta saber como!
    Gostei de ler...bj

    ResponderExcluir
  7. Mt bonito este post o texto fala por ele gostei mt bjs

    ResponderExcluir
  8. Adorei o texto:

    Hoje: O teu odor de Galanteador

    Bjos
    Votos de uma óptima e abençoada Noite.

    ResponderExcluir
  9. Pois é, se nós pudéssemos ter nas mãos todos os cordéis que comandam nossa vida, faríamos diferente. Faríamos bem diferente, mas com toda certeza, para pior. Parabéns por mais essa excelente crônica, você sabe das coisas, meus parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Boa noite amiga Taís!
    Amei este texto maravilhoso, que bom seria podermos controlar os nossos pensamentos; de certo que a nossa paz interior seria muito melhor, pois muitas vezes perdemos o controle de algumas situações; mesmo que depois acabemos por reconhecer, que o descontrole, só nos trás infelicidade!
    É assim a vida... nós não temos mão em nada, nem mesmo em nós próprios!
    Tenha uma noite de paz e luz.
    Beijo com meu carinho!


    ResponderExcluir
  11. Olá Taís, que beleza de cronica no tempo.
    Gosto destas cronicas que alertam para o bom da vida e neste momento que vivemos no Brasil, torna-se fundamental, relevar e seguir andando sem olhar para trás. Há um acirramento de opiniões adoecendo pessoas boas e gerando violência por todos os lados.
    Bela sabedoria aprendida com o pai.
    Semana feliz para você e o Pedro.
    Meu terno abraço amiga.
    Beijo de paz.

    ResponderExcluir
  12. O desequilíbrio emocional, a instabilidade psicológica são cada vez mais frequentes e mais precoces.
    Mens sana in coropore sano.
    É melhor não esquecer a sabedoria romana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Bom dia Tais
    Obrigada pelo carinho conosco. Saber viver na paz,correndo de desentedimentos e brigas e necessario. E viver com equilibrio. Esses dias estao terriveis e minha irma me ligou falando sobre politica. Eu escutei sem da uma palavra. Pois percebi que quando mantemos o nosso equilibrio a outra parte se acalma. Feliz dia. Abracos e lembranca ao Pedro.

    ResponderExcluir
  14. Adorei o post. Serviu de inspiração para mim.
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  15. Tais, minha amiga

    a sua excelente crónica é, como sempre, de grande interesse e oportunidade

    mas confesso que a leitura acelerou o meu ritmo cardíaco - é que no roteiro de "bem viver" que tão bem apresenta, sou contumaz prevaricador...

    e quem me tira uma boa "guerra" tira-me o Céu rss

    excelente. é sempre um gosto ler seus textos.

    beijo

    ResponderExcluir
  16. Grande, grande verdade!
    Por isso há um velho provérbio que diz:

    Viver não custa, o que custa é saber viver

    É essa a tal Arte que a Tais tão bem e com tanta pertinência, nos fala!

    Vir ao seu blogue, minha amiga, é sairmos daqui mais ricos e mais sábios.
    Obrigada por isso.

    Beijinhos e óptima semana.

    PS- Gostei muito do poema a saudar a Primavera e da belíssima imagem, no postal anterior. Parabéns ao Pedro e à Tais.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite queroda Táis, uma crônica pra se çler , reler e refletir antes de se expor, qdo perdemos as estribeiras sentimos que o coração fica a reclamar, na vida qdo aprendio aengolir algusn sapos tudo ficou mais leve. Mas às vezes é dificil segurar os impulsos.
    Excelente crônica, como sempre seus textos nos ensina muito!
    Bjs flor@!

    ResponderExcluir
  18. Con relación al tema de los enfados a causa de opiniones divergentes a la nuestra, yo opino por las experiencias por las que yo he pasado -ya tengo muchos años- que aquellas personas que todo lo toman como un ataque personal es porque no están nada seguras de sus opiniones.

    Cada uno tenemos nuestro punto de vista más o menos alejado de la verdad y es que todo es relativo salvo aquello que se puede medir, pesar o contar.

    Muy interesante el tema elegido. Me ha sido muy grato pasar a leer y tener un espacio para la opinión. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  19. Boa noite, Taís
    Excelente crônica que me levou a refletir.
    Aprendí a Viver "Um Dia de Cada Vez"
    Nem sempre consigo mas procuro não me preocupar com o dia seguinte.
    Obrigada pela gentil visitinha.
    Um beijinho carinhoso de
    Verena.

    ResponderExcluir
  20. O "bom senso" é o fiel da balança para nossos argumentos. Atendo-nos nisso, o nosso bom equilíbrio estará preservado. Usemos nossa "inteligência emocional" para que a vida flua mais leve.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Por supuesto que si, el equilibrio y serenidad ayuda mucho a evitar problemas de salud y estar siempre en buena tensión arterial.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  22. Uma bela chamada de atenção para a agitação em que vivemos nos dias actuais.
    Continuação de uma boa semana Tais.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  23. Eia uma crónica curta, com uma mensagem ENORME!
    Amiga Tais, eu gosto sempre das tuas crónicas mas desta gostei mais ainda. Lembrou-me o meu pai, que não era cardiologista mas era cardíaco. Viveu os últimos 20 anos com o seu coração de ouro doente. Era um homem bom, ponderado, amigo dos amigos, incapaz de magoar alguém, sempre pronto a ajudar, sabia afastar-te de quem e do que não interessava. O seu exemplo é o meu guia de vida.
    Vida que tento levar com calma, gerindo emoções, corrigindo vulnerabilidades, fugindo de gente negativa. Não é fácil, pois tropeço uma vez por outra...
    A vida, minha amiga, é uma dádiva e como dizia Emily Dickinson: “Viver é algo tão espantoso que sobra pouco tempo para qualquer outra coisa.”
    Beijo.
    ("A arte do bem viver", ora aí está uma disciplina que deveria ser ministrada na escola.)

    ResponderExcluir
  24. Sabia enseñanza de ponderación te dejó tu padre médico, estimada Tais. Indiscutible pensar y actuar. Pero en este mundo cada día más tecnologizado, andamos como contrasentido más irreflexivos y violentos por la vida. Pasa el tiempo y pagamos las consecuencias.

    Un beso.

    ResponderExcluir
  25. É uma arte que precisa ser nutrida sempre e com persistência ... As emoções são incessantes e sem controlar fica um caos o nosso viver... O melhor jeito, é “contar até dez” interiormente, antes de ter uma reação brusca...
    Abraço e boa quarta-feira

    ResponderExcluir
  26. Em tempos bicudos como os vividos hoje em nosso país, o melhor é fechar o cadeado. Silêncio absoluto e, por certo, mais alguns anos de vida. Porque a polarização chegou às raias do absurdo. Mas vamos tocando a vida e segurando as emoções... pelo menos até o dia 28 de Outubro (rss)!
    Um beijo, Taís!

    ResponderExcluir
  27. Também acredito nisso. Infelizmente não há tal vacina.
    Abraço

    ResponderExcluir
  28. Querida Taís
    Estou cheia de saudades, saudades e mais saudades :)
    Poia é amiga a vida com calma sem estresses é bem melhor, mas no Brasil atual é difícil, ou quase impossível. Vivemos numa corda bamba com medo de que arrebente, tentar manter a calma é como sonhar não custa nada,mas nem sempre o resultado é positivo.
    Obrigada pela força e carinho, te amo amiga.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  29. Querida Taís
    Considero importante "deixar passar as coisas irrelevantes...", mas nem sempre somos capazes.
    Mais uma excelente crónica.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Acho que o ser humano está se fragilizando ao correr atrás somente do que é macio para comer...é preciso sempre criar calos nos dedos, e cicatrizes no pé! beijos

    ResponderExcluir
  31. Bom dia, querida Tais,
    que rica crônica, repleta de sabedoria.
    Sabemos que precisamos ter controle de nossas emoções, pois se não a tivermos corremos o risco de vários infortúnios para a nossa saúde mental e física.
    O mundo, atualmente se mostra ameaçador em vários aspectos, o que leva muitas pessoas a perder a tranquilidade e consequentemente a paz.Há a necessidade de autocontrole sempre, o que nem sempre é fácil.Porém, neste mundo repleto de agressividade precisamos encontrar o melhor meio de vivermos bem.Abraço!

    ResponderExcluir
  32. Una gran enseñanza que te dejo tu padre y ahora compartes con todos nosotros que deberíamos intentar seguir.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  33. Boa tarde Taís,
    Um magnífico artigo sobre males do nosso tempo.
    As pessoas vivem atualmente com imensa pressão o que resulta em extremo stress, imensas guerrilhas e consequentes doenças.
    Temos mesmo que aprender a equilibrar nossas emoções para poder desfrutar de uma vida melhor.
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderExcluir
  34. Hola, Tais
    Desde aquí cerquita, en Montevideo y Buenos Aires visitando a la familia, te leo y estoy totalmente de acuerdo con lo que dices. Y el título: A arte do bem viver lo resume todo. BEIJOS X2

    ResponderExcluir
  35. Oh como é bom poder ler e reler as suas crónicas sempre com ansiedade. Muito obrigada Taís por mais de que tanto gostei. Beijos

    ResponderExcluir

  36. Para viver saudável, temos de fazer tudo com moderação.
    Citando, um político belga sua conhecida frase, formada nas duas línguas da Bélgica "trop is te veel en teveel is trop "
    "trop é demasiado e demasiado é trop ."

    ResponderExcluir
  37. Temos visto pessoas afastarem-se dos grandes centros urbanos para, em contato com a natureza, conseguirem uma vida tranquila... Muitas vezes dispensam televisão e celulares.
    Eu fiz muito pela minha saúde, quando deixei de ver noticiários na tv e leio os acontecimentos nos jornais. Não tenho obrigação de sofrer pelo mal que acontece em
    todo o mundo.
    Imagino o clima de grande stress que se vive no Brasil... há que realmente pouparem-se ao evitável e desnecessário.
    Nunca é demais relembrar esta necessidade vital de comedimento prudente, pelo que, a sua crónica, além de oportuna, aborda um tema sempre bem vindo.
    Desejo que tudo corra bem, a favor do Brasil.
    Abraço grande, querida cronista.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  38. Oi Tais. Pois é , tenho vivido um arrocho brasileiro e aja cabeça para processar tantas coisas! A vida requer equilibro , ou o caos toma conta, e lá se vai o sossego. Muito bem lembrado , e aproveito para uma reflexão sobre esses últimos dias. Como sempre , uma postagem de bom gosto e bastante coerente com o cotidiano. Obrigado! Grande beijo. Ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  39. Querida Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    Sabe-se o que não deve ser feito mas,
    por vezes, é impossível evitar.
    O teu texto é ótimo e verdadeiro.
    Muito grato pelo alerta. Um feliz
    final de semana, parabéns e um
    fraternal abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir


  40. Querida Tais como as tuas palavras são sensatas! como o nosso coração não aguenta as crises que lhe impomos, e por vezes a coisa dá para o torto !

    vou fazer minha lembrança, a tua frase :
    evitar "a quebra de nosso equilíbrio"
    e agradeço os textos que nos ofereces, cheios de sabedoria e conselhos !
    felicidades,
    Angela
    https://poesiesenportugais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  41. Esta belíssima crônica, de fundo psicológico, traz ensinamentos que não podem ser contestados no que diz respeito a auto-proteção das pessoas que fogem de altercações para se protegerem de doenças como depressão e o já famoso AVC.
    O meu pai não tinha o mesmo comportamento que o teu, que sabiamente fugia das discussões, mas, por outro lado, com ele, meu pai, aprendi a falar com as pessoas sem ofendê-las, vendo nelas sempre o lado positivo que merece o nosso elogio. Meu pai respeitava as pessoas com pensamento contrário ao dele, mas não se furtava de dizer, no final da conversa o lado positivo do seu interlocutor, sábio que era nesse mister. Que dizer mais? Mais uma vez meus parabéns!
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  42. OI TAÍS!
    MUITAS VEZES ME DIVERTES COM TEUS TEXTOS BEM HUMORADOS E INTELIGENTES, NOUTRAS ME SACODES COM TUAS CRÔNICAS PERTINENTES E VERDADEIRAS POR ISSO É SEMPRE UM GOSTO VIR AQUI POIS SEI, QUE SAIREI COM ALGO DE BOM PARA MATUTAR.
    QUE CONSIGAMOS DESENVOLVER ESTA CAPACIDADE DE DEIXAR PARA LÁ COISAS IRRELEVANTES E VENENOSA PARA NOSSA SAÚDE FÍSICA E ATÉ MENTAL.
    ABRÇS
    https://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  43. Sem dúvida alguma, palavras bem sensatas!

    ResponderExcluir
  44. Não tenho dúvida nenhuma de tudo o que você escreveu, Taís. Penso assim também.
    Um beijo, minha querida amiga!

    ResponderExcluir
  45. Boa tarde:-Muito interessante de ser sem qualquer dúvida.
    .
    * Saudade em desdita de amor ( Poetizando e Encantando ) *
    .
    Feliz domingo.

    ResponderExcluir
  46. Uma postagem perfeita em toda os pontos.. Tudo que você escreveu é exatamente uma grande verdade. Ah!... O ego... se houvesse uma vacina, como você diz, realmente tudo melhoraria.
    Certamente o Mundo viveria em paz.
    Tenha uma linda semana.
    Élys.

    ResponderExcluir
  47. Hay que vivir la vida, de forma tranquila y evitar alterarse por pequeñas cosas. Evitar las personas tóxicas es una buena opción.

    Besos

    ResponderExcluir
  48. Texto excelente, um espelho dos dias atuais.
    Dificil mudar muito em pouco tempo, os hábitos vão-se criando e o modo de vida atual quase nem deixa tempo para respirar...
    Gostei.
    Bj
    Olhar d'Ouro - bLoG
    Olhar d'Ouro - fAcEbOOk
    Novidade: Olhar d'Ouro - yOutUbE

    ResponderExcluir
  49. Bom dia, ser portador de autocontrole não é fácil, o texto é correto, acontece, que devemos dividir a sociedade, sem me referir aos privilegiados, uma parte vive desafogadamente, destes não se compreende as suas atitudes agressivas, outra parte vive com grandes dificuldades económicas, tudo lhes falta, são descriminados, marginalizados, são tão humanos como os outros com os mesmos deveres cívicos e menos direitos sem igualdade de oportunidades, a estes, é compreensível as atitudes incorrectas pelo facto da cabeça andar sempre quente causado pelas dificuldades, é muito fácil falar em equilíbrio quando se está no outro lado da barricada dos privilégios
    O 17 é um numero negativo e perigoso.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo você e não concordo, Antonio. As diferenças sociais não dão direito à desequilíbrios que levam à crimes e outras atrocidades. Os mais 'abastados' foram os que cometeram as maiores atrocidades da humanidade. Deveriam ser mais equilibrados, então! Nada lhes faltava, não é? Olhe as fotos do maior massacre da História! Se, os pobres têm o direito de serem desequilibrados, e portanto seus atos relevados ou compreendidos, então o mundo está perdido. O ser humano é composto da mesma massa encefálica, pode pensar. E sabe o que faz. E o equilíbrio, não é um privilégio dos ricos ou pobres! Vejo, então, que o pobre pode ficar solto, matando, batendo... Isso é muito simples, caro Antonio. Quanto ao nº 17, esse texto não trata de política, amigo! Fala do lado 'psicológico' do ser humano.
      Boa semana pra você, também.

      Excluir
  50. Tais Luso, concordo plenamente, porquanto sei de quem convive há cerca de cinquenta anos com cunjunge sempre imaginando, ter doença mental, recentemente foi encaminhada a um junta médica, para avaliação e foi-lhe atribuída 68% de invalidez mental. Mais, o mesmo conjuge, sente que desde sempre conviveu com a esquizófrenia, pelo menos. Para aguentar, por temperamento forte e positivo, achava que resistiria. Porém sofreu estrondoso AVC aos 59 anos; 18 anos mais tarde ataque cardíaco. Continua a resistir, e a gostar de viver!...
    Entretanto já saiu o Livro BRASIL : O SORRISO DE DEUS, a história da colonização do Brasil - Slogan de promoção: "o livro que faltava na cultura Luso - Brasileira, porquanto o seu conteúdo é a história da colonização do Brasil". preço de capa 37.00 Reais. pedidos: dan.costa@zonmail.pt
    Beijos

    ResponderExcluir
  51. Querida Tais, hoje a Beatriz deu-me uma folguinha e vim cá " aprender " algo sobre a " arte de bem viver", pois preciso de muitos conselhos sobre o assunto. Tenho mudado bastante com a idade e já seguro muito mais a " lingua dentro da boca" e só respondo quando acho que a pessoa de facto quer a minha opinião sincera; às outras que pouco interesse têm para mim, fico calada ou digo " amèn " Mas há uma situação em que dificilmente me calo, quando as pessoas põem as culpas de tudo o que acontece de mau nos mais desgraçados, nos ciganos ou nos emigrantes, nos que vivem em bairros sociais ou que se apresentam mal vestidos. Aqui há tempos respondi a uma pessoa que que dizia que a violencia aqui era causada pelos ciganos e pelos emigrantes de leste" olhe, se fosse esse o nosso problema, Portugal era um paraíso, pois esses apontados são minoria" Os ciganos aqui, Tais, vivem das vendas nas feiras ou então do subsidio dado pelo estado, pois ninguem é capaz de lhes dar emprego, nem esses que tanto falam em igualdade de direitos, oportunidades e classes sociais. Nao aguento quando poem a culpa de tudo nos mais pobres, pois convivo todos os dias com pessoas humildes incapazes de uma desonestidade e já vi uma " Madame a roubar em supermercado e a ficar vermelha de vergonha quando foi interceptada no caixa. O ser humano é todo igual, todo ele é capaz das coisas mais fantásticas como das coisas mais horrendas e isso independe do dinheiro que tem no bolso ou da formação: depende, sim, dos valores que lhes foram incutidos e do controle que cada um tem de si mesmo. Esta na hora de acabarmos com os preconceitos, com a divisão de classes, com a separação entre trabalhadores e patrões, como se fossem inimigos; uns não vivem sem os outros e, já dizia a minha empregada doméstica que tive no Brasil e que não sabia ler, " um bom trabalhador faz o bom patrão e o bom patrão faz o bom empregado ." Não tem razão ? Portugal está a sair de uma crise dura, o desemprego está a diminuir e o povo está a viver melhor, mas para isso é preciso capital, é preciso pessoas que invistam o seu dinheiro e que dêm emprego. Tais, já fui empregada durante muitos anos, numa empresa que , em 75 já tinha berçário e horário para as mães amamentarem, mas o patrão teve que a largar e ir para a Holanda, pois aqui, depois do 25 de Abril o dito " proletariado " resolveu acabar com o dito " capitalismo" . O que aconteceu? Muitos foram para o desemprego e eu vi-me forçada a ir para o Brasil. Isto para te dizer, amiga que nestes assuntos eu sou incapaz de me calar; para mim saber viver é respeitar toda a gente, considerar que só há a raça humane e que todos precisamos uns dos outros,; os " chamados ricos " são muitas vezes pobres de espirito e precisam muito dos ditos
    " pobres que lhes lavam as escadas, lhes passam a roupa, lhes servem o cafezinho e que têm uma riqueza de espirito fabulosa. ; já fui uma boa empregada, muito feliz com o patrão que tinha e já fui patroa, sempre preocupada com o bem estar de quem comigo trabalhou Já se viu pelo meu comentário que este assunto de classes me tira do sério e que julgar pessoas pelo que têm ou pela posição que ocupam faz-me falar, sem medo que me dê um ataque cardiaco. Se soubermos respeitar toda a gente, sem as classificarmos, viveriamos muito melhor. Tais, sou uma PESSOA, nem melhor nem pior que o meu vizinho. Como seria bom se fossemos capazes de pensar sempre assim!!! Não me vais bater por causa deste comentário, vais? Espero que não! Beijinhos e boa noite
    Emilia

    ResponderExcluir
  52. Bom dia Tais!
    Como não há por aqui crónica nova... li os comentários. E alguns deixaram-me estupefacta.
    Pensava eu que comentário era para opiniar, criticar, aplaudir, partilhar ideias.... estritamente sobre o tema abordado pela autora do blogue. Pelos vistos andava enganada!
    Calma, pessoal!
    Só conseguiremos mudar o mundo se nos tornarmos PRIMEIRO melhores seres humanos. Independente do tamanho da conta bancária e das diferenças sociais e culturais, todos somos iguais - humanos. E todos erramos! E todos deveríamos aprender SIM a arte de bem viver, para melhor conviver.
    Desculpa, amiga. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  53. Boa tarde:- Viver em sociedade não é fácil. Gostos diferentes que por isso mesmo nunca vão existir consensos.
    .
    * Palavras escritas no silêncio do coração *
    .
    Deixando cumprimentos

    ResponderExcluir
  54. Pois cara amiga Tais, se, realmente, houvesse vacina que regulasse nossas emoções, que nos mantivesse equilibrados, nossa qualidade de vida, com certeza, seria muito melhor.
    Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  55. Que dificil es conllevarse con la sociedad, este es un equilibro que pocos equilibran, es tares muy costosa, pero hay que intentarlo, asumir y aceptar, con tolerancia...
    Muy difícil!!! querida Tais.
    Un gran abrazo y feliz fin de semana.
    Muac!!!

    ResponderExcluir
  56. Um texto fantástico, Tais... que subscrevo, por completo... e espelha tão bem a nossa realidade... cada vez mais stressante e opressiva, a vários níveis...
    Saber viver... algo que esquecemos tão frequentemente, no calor de cada momento... seu pai... é que sabia das coisas... adoptando a atitude certa... e olhe que nem todo o médico, consegue praticar para ele mesmo, os seus ensinamentos... o que eu vejo de médico stressado, fumando... com comportamentos exaltados... :-) alguns... até são (foram, até terem tido um treco, também) comentadores desportivos, por cá... outros, dirigentes de clubes de futebol... tem mundo mais calmo, do que o mundo do futebol?!?! :-))
    Beijinhos, Tais!
    Ana

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís