6 de dezembro de 2009

MAIS OUTRO NATAL!



- Tais Luso de Carvalho 

Já escrevi muito sobre Natal e Ano Novo, mas esse ano está difícil de dizer algo. Primeiro porque não se tem muito mais o que dizer. Há mais de dois mil anos que tentam dizer, mas homem nenhum escuta. 

Só sei que estou enfastiada do enorme peruzão de barriga pra cima, da farofa, das frutas, dos molhos, das saladas.... Mas é tradição. Já quis mudar o cardápio mas parece que a festa deixa de ser a mesma. 

Também estou enfastiada de andar mil quilômetros atrás de presentes pra todos: para todos nossos parentes, todos empregados do prédio, amigos, uma montanha de gente. Uma montanha de gente aniversariando no mesmo dia. Não dá para entender. E a  lembrancinha  vai tomando corpo. Até parece que somos todos ricos e que nosso país está atolado  em petróleo. É rico. 

As lojas, com suas ofertas descaradas, levam muita gente a trocar seu celular, sua geladeira, sua televisão, seu pc, seu carro... E tudo no Natal, quando nossa sensibilidade fica à flor da pele. Como não presentear se o apelo comercial  está funcionando com todas as baterias ligadas? Como não presentear se a tradicional canção de Natal mexe com toda a nossa estrutura emocional? A gente quer dar o mundo a todos. No Natal somos  emoção

Já cansei das bolas, das guirlandas e dos festões enfeitando a casa inteira. Poderia ser mais simples, menos trabalhoso. O estresse vem antes e o cansaço vem depois. 

Relutei em assumir o que penso. Em poder pensar diferente e sem culpa. E só encontrei uma explicação para tudo isso: tradição. Não quero esquecer minha infância, velhos sonhos de criança, ilusões de um mundo melhor, os Natais de minha família e os ótimos Natais que fiz para meus filhos, agora adultos. 

O sentido do Natal dura o tempo suficiente do peru ser devorado. No dia 26 de dezembro tudo volta ao normal. E no dia 2 de janeiro...tudo também igual. Acho que também estou enfastiada disso. Dessa ilusão. 

E o nosso papai-noel, todo encasacado, morrendo de calor, no dia 26 voa pra Turquia! E muitos brasileiros ficam com as calças na mão, todos endividados.  Sei que o sentido do Natal não é esse que descrevo, mas na prática é. 

Talvez o que me emocione, ainda, seja o Natal Luz de Gramado e o Sonho de Natal, em Canela, onde a festa é um show de emoção, com orquestras, tenores e uma linda fantasia. Uma emoção que não arranca nosso couro. Que alegra os olhos e bate no coração. Nessas festas coletivas, sinto que emana o que o ser humano tem de mais nobre; a arte pura que cada um traz dentro de si.


27 comentários:

  1. Mas Tais, que tal em vez de procurar presente para a familia, que tal a familia junto contigo dar um presente de natal para alguém?

    Algo como doar roupas velhas, dar comida e tal?

    E boas festa para ti também...

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. No natal fico melancolica, acho que esta falta do verdadeiro sentido no natal me deixa assim.
    Parabéns, adorei o texto! Desejos sinceros de um feliz natal e que o verdadeiro sentido derrame sobre todos nós.

    Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  3. Oi, DANIEL, sim comida e roupas para os pobres... isso a gente sempre faz no Natal.
    O que descrevo, e que todos nós entramos, é num consumismo muito louco, um estresse que não vale a pena.
    Vivemos numa sociedade de apelo ao consumismo, todos querem vender e lucrar! Não é assim que funcionam as coisas? Basta vermos os shoppings... A coisa ficou muito apelativa. Virou escândalo.
    Bjs, um feliz Natal pra você e seus familiares.


    CLECILENE:

    Entendo de tantas pessoas se deprimirem com as festas de fim de ano. E não são poucas. Lembro, quando criança, que o consumo era mais normal, era um período de alegria familiar, mais puro. Hoje é aquela coisa fria: compramos dezenas de presentes porque temos de comprar. Ficou um vazio.
    Boas festas, amiga!
    Meu carinho.

    ResponderExcluir
  4. nossa... Adoro Canela!!!!!!!

    Simplesmente um lugar maravilhoso.

    Estive ai em Junho deste ano.

    Abraço

    Mariza

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Gostei do teu texto. Um caso para pensar e remendar o que nos parece mal. O Natal também sou eu que o faço. Então devo fazê-lo à minha maneira. Sempre muita comida e no fim comentam ...tanta gente sem nada....., mas comentam de barriga cheia...!
    Geralmente recebo os familiares aqui em casa. Todos trazem alguma coisa e o resto faz a minha mulher.
    Ela é um general que dispõe tudo à sua maneira de modo que todos se sintam bem e que seja sempre uma festa. Festa de Natal é só uma vez no ano. Já não trocamos prendas.
    Alguns até se esquecem da missa do Galo.
    O menino Deus desculpará.
    Talvez o Natal hoje seja também o reencontro da famílias à fogueira
    à volta da mesa partilhando com alegria aqueles pratos gostosos e nem falemos de doçes.... Ai a barriga que rebenta....
    O Natal será todos os dias lembrando aquele menino pobre, aquela família sem casa, aqule doente acamado....e são tantos, tantos os presépios humanos por aí
    Beijos e votos de um Santo Natal

    ResponderExcluir
  6. O Natal é uma época em que nós somos bombardeados pelos apelos emocionais, como vc mesmo disse, porém mesmo assim, consegue ser a época do ano em que conseguimos ver o mundo como se fosse uma criança, por mais q seja ilusão... é uma época gostosa q não dá para explicar com palavras a sensação de toda essa magia...

    Particularmente AMO essa época!!!! O ideal seria que todo o sentido do Natal prevalecesse o ano todo, mas infelizmente a maioria das pessoas não pensam assim... =/

    Já deixo antecipadamente meus desejos de boas festas!!!! (mas com certeza passo aqui antes do Natal rss)

    Obrigada pelos e-mails...

    Grande beijo e ótima semana!!!

    ResponderExcluir
  7. É difícil mesmo tendo em vista todas essas dificuldades dos últimos meses pensar em festejar. Mas o que nos motiva é poder estar com a nossa família e amigos.

    Boas festas, força e vamos em frente!

    Adorei seu blog!

    ResponderExcluir
  8. Esse dias comentei com minha esposa que sentia como se não existisse mais o espirito natalino... E o motivo talvez seja esse. A cormecialização de tudo... Sempre umaídéia nova que cabe no seu bolso e que você não pode deixar de comprar...
    Disse tudo Tais... Expressou o que muita gente não consegue.

    Contudo. Que o seu natal seja repleto de um sentimento todo novo e verdadeiro... quem sabe o amor!!!

    Boas Fetas!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tais!
    Eu amo Gramado e Canela, principalmente na época do Natal.
    Adorei o teu post. Muito verdadeiro. A cada ano, precisamos reciclar nossos sentimentos e emoções para criar algo novo dentro da gente!
    Bjs! Te espero nos meus blogs com um cafezinho virtual bem gostoso!

    ResponderExcluir
  10. Oi Tais

    Eu amo o Natal! Adoro arrumar a árvore, sair para comprar os presentes, ver a cidade cheia de luzinhas à noite, tudo verde, vermelho e dourado, guirlandas, trânsito engarrafado, shoppings cheios. Me emociono com a família reunida na ceia, com os encontros de confraternização entre amigos no final do ano...

    Que seja para você uma noite de luz, feliz e abençoada.

    Feliz Natal!
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Obrigado pela sua visita ao meu cantinho, gostei de voltar a reler as suas palavras cheias de luz
    Um beijo
    Chris

    ResponderExcluir
  12. Olá Tais,

    Nasci e me criei no Nordeste e lá, vivi por muito tempo Humildes e criativos natais.
    Tinhamos a ceia com galinhas assadas bolos e iguarias típicas do sertão.
    O que mais me atraia era as visitas ao presépio da igreja matriz. Imenso lindo!!! não me cansava de adorar.
    Na missa do galo eu me sentia no céu, era mágico os rituais.
    Presentes eram detalhes. boneca de pano para as meninas e carrinhos de madeiras para os meninos.
    Me identifico com essse Natal. Não com essa imitação de Natal europeu com neves e luxos e sem o principal personagem: JESUS!
    Um beijo minha amiga,
    Dalinha Catunda

    ResponderExcluir
  13. Olá Taís, como vai? Vim retribuir sua visita ao meu blog e me deparo com uma bela crônica. Parabéns!!Concordo integralmente com o que você diz. E você não vai acreditar, publiquei também uma crônica intitulada "Síndrome pré-natalina".Estou vivendo a minha[rs]
    Um beijo e fiquei por aqui. Adorei o blog!!!

    ResponderExcluir
  14. Oi Tais, vc é muito inteligente e escreve muito bem. Eu adoro ler, escrever tb gosto, mas preciso treinar mais rs.

    Te vi lá no blog da estela e vim te conhecer.
    Vc fez um blog muito bonito. Eu estou começando agora. Tenho muito que aprender com gente como voce.
    Venha me ver quando quiser. Meu blog é novo, espero que goste.
    um beijo
    chapéu azul

    ResponderExcluir
  15. Lindona!
    Tem um presente pra ti em:
    http://soniasilvinothebestblogs.blogspot.com
    Passe lá e descubra!
    Bjkas!

    ResponderExcluir
  16. Acredito num Natal de magia. Se Natal fosse todo o dia, não sei se seria Natal. Se o sonho de Papai Noel vivesse no coração todo o dia, não teria peru, nem farofa, nem frutas secas. Enjoaria. O Natal dura o tempo de um nascimento que - ninguém lembra mais. Nascimento é magia na hora, depois vira cuidado, responsabilidade. Natal só tem graça por que dá vida aos desejos mais infantis e quando criança o que a gente gosta mesmo é do Papai Noel, que só vem uma vez ao ano e que vem no meio da noite, de repente. Depois a gente esquece, mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Tais, lindona!
    Tem um selinho pra ti no meu blog Reflexões.
    Bjkas!

    ResponderExcluir
  18. Posso deixar uma sugestão? Deixe pra lá o perú e experimente o bacalhau... eheheh:)
    Um Feliz Natal.

    ResponderExcluir
  19. Amiga!!!

    Venho aqui te informar que esta rolando uma promoção no blog A Vitrine dos Sonhos na qual eu faço parceria, se vc puder entre lá no meu cantinho q esta explicando como faz para participar... beijinhos!!

    ResponderExcluir
  20. Concordo com tudo. Falou o que penso e como me sinto tb. O espírito do Natal não é mais o mesmo, embora as atitudes repetitivas continuam mecanicas. Falta Jesus nos corações. As famílias tb não saõ as mesmas, lembro-me do presépio e do terço sendo rezado. Hoje uma correria para os presentes como se só isso importasse. Sei lá...Não dá pra julgar nem generalizar, só dá pra falar pela gente mesmo, assim como vc fez. Falar como se sente.E de verdade amiga, me sinto como voc~e. bjão e muito grata por suas visitas. Gosto demais viu!

    ResponderExcluir
  21. lindissimo blog.
    Muito bom.
    Tenha um dia feliz
    Maurizio

    ResponderExcluir
  22. Gramado é demais no Natal...

    Como sempre, adorei o texto.

    Beijos e muitas saudades,

    ResponderExcluir
  23. oi Tais.. adorei seu texto.. me sinto assim tambem. desde que a mamãe e papai morreram. o natal perdeu muito a magia para mim. e essa confusão de presentes, gente aos montes por todos os lugares me cansam muito.o verdadeiro espirito
    está na intimidade com a familia e os amigos. só isso importa. desejo a vc um ótimo natal cheinho do amor de Deus..beijão

    ResponderExcluir
  24. É, amiga Taís, cada vez mais vai ficando difícil dizer do amor de Deus aos homens!

    Nós somos consumistas e mais ainda na época do Natal. Tens razão!

    Concordo plenamente contigo, amiga, temos de ter espirito natalino o ano inteiro. Que o Menino Jesus renasça em nós em todos os dias no decorrer do ano para que possamos amar nosso próximo sempre!!!!

    Felizes Festas para você e sua família e que em 2010, você continue com essa cabeça para escrever as belíssimas crônicas que alegram o nossos corações ao lê-las!

    Grande abraço,

    Lúcia.

    ResponderExcluir
  25. Taís, querida

    Passei para desejar ótimas festas!

    Adorei sua crônica sobre o Natal.
    Confesso que este ano também estou meio "enfastiada dessa ilusão".
    E sem dinheiro para lembrancinhas!
    Natal é mesmo tradição.
    Todos os anos troco cartões/bilhete no Natal com amigos, mesmo com os que não vejo há tempos. Um jeito gostoso de matar as saudades, ou dizer "lembrei de você" sem gastar

    Um beijo enorme para você e o Pedro
    Desejo à sua família aquele sentimento de alegria e união que a ilusão do Natal traz.
    Consumismos e dores de cabeça à parte...
    Desejo a ilusão real da qual sempre lembramos nessa data

    Beijos

    Deva

    ResponderExcluir
  26. BEIJOS A MAIS UMA TURMINHA...

    CHAPÉU AZUL
    PENSAMENTO AQUI É DOCUMENTO
    EIRA-VELHA
    ELAINE BARNES
    MEUS INSTANTES E MOMENTOS
    VANESSA MORAIS
    MARIA BONFÁ
    MARIA LÚCIA MEIRELES
    DEVA

    obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  27. Tais
    tudo o que disse nos últimos posts é real e verdadeiro. Estamos mesmo perdendo o sentido original do Natal em meio tanto apelo ao consumismo, estamos mesmo perdidos e precisando de um abraço que nos acolha, mas pelo menos ainda temos o peru, e uma casa para morar. Devemos agradecer e procurar cumprir com nosso papel de cidadão, escolhendo melhor os políticos e gritando por nossos direitos.
    Sei que tudo isto causa revolta. Também não estou no meu melhor, mas enfim, devemos continuar e fazer do melhor modo possível nossa caminhada. Paz, amor, saúde e serenidade pra você e pra todos nós.
    Angel

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso