22 de setembro de 2010

OUTRAS VIDAS


- Tais luso de Carvalho

Tenho pra mim que o mais importante do que a morte em si, a falência dos órgãos, é o medo que ela provoca por ser desconhecida. O que haverá depois? Enquanto uns acham que é uma transição para uma outra vida, outros, como eu, não acham nada. Não sou tão evoluída espiritualmente, não cheguei ao estágio de achar coisa alguma. E, portanto, não vou chutar. Sou média, em espiritualidade.

Até gostaria de ter a expectativa de que a coisa fosse infinita, que fomos feitos para a eternidade. Já imaginaram que beleza? Que caiam os céus, que exploda a terra... a vida em mim continuaria pulando os séculos!

Dias atrás recebi um desses e-mails que rolam pela Internet, revelando, mediante um teste, o que fomos em vidas passadas. Nunca vi tanta gente na pele de Cleópatra, Napoleão, monges, reis e rainhas. E fiz o tal teste - curiosidade de mulher.

Fiquei me imaginando ter sido a deslumbrante Cleópatra, mas com a cara da Elizabeth Taylor! Não consigo imaginar uma Cleópatra com outro rosto.

E fui avançando no teste, acreditando em algo que eu julgava merecer, afinal sou uma pessoa legal, de boa índole, responsável, boa mãe... E cheguei à resposta:  Fui COVEIRO! Putz, me imaginei cavando, cavando...

E diante de toda esta frustração  lembrei de um episódio que presenciei, há alguns anos, num cemitério, quando pediram que alguém da família acompanhasse o coveiro para o translado do defuntinho: do caixão para a urna funerária. Questão de espaço. Para entrar o outro defunto da família.

Ninguém se ofereceu para acompanhar o servicinho. Mas só poderia acontecer isso na presença de um familiar. E lá foi o escolhido, com o peito estufado e cheio de coragem acompanhar a árdua tarefa. Lembro-me de ter avistado o cara sentado, na escadaria do cemitério, branco que nem cera, com sua pressão nas nuvens, e sendo atendido por um médico.

Na sua narrativa, o coitado contou que nunca imaginaria ver o ser humano de uma maneira tão chocante, desintegrado pela natureza: uma caveira, com seus cabelos crescidos e caídos, e com unhas ainda ao lado dos ossos, compridas. Não diria que fosse o quadro da dor, mas o quadro da morte. O coveiro pegou os ossos e arrumou na pequena urna. Tudo bonitinho.

Então pensei o que teria  feito eu para ter sido coveiro? Para ter visto centenas de vezes o meu próprio futuro?

Mas, esquecendo desta minha atividade solitária e apavorante, acredito que tudo é mistério. Ainda espero por um pensamento mais científico, mais elucidativo, talvez, e que um dia o ser humano seja capaz de explicar tudo. Mas, infelizmente, nunca saberei da verdade.

É melhor deixar assim.


17 comentários:

  1. Também não sei explicar, mas prefiro acreditar que exista um outro lugar. se isso não acontecer vou ficar muito decepcionado.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Querida Tais, linda crônica, com sua permissão estou levando comigo para publicação no Blog do Adiemus.
    Muito boa reflexão.
    um grande beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tais
    ótima reflexão pois a morte -ou o que vem depois dela- sempre despertou um misto de curiosidade e medo a todos nós.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Tais,

    Lá no jazigo da família, sempre que um vai desta para uma melhor, há de se fazer a mal-fadada exumação. Já fui convidado algumas vezes para assistir, mas nunca fui. Aliás, fui convidado para assistir a do meu pai e a de minha mãe! Não fui, mesmo. E pelo relato da sua crônica, ainda bem!

    Com relação à vida após a morte, fico com o Samba da Benção, do Vinicius, defunto antigo, que já deve ter sido exumado faz tempo... Vamos a ela:

    "A vida é pra valer
    E não se engane não, tem uma só
    Duas mesmo que é bom
    Ninguém vai me dizer que tem
    Sem provar muito bem provado
    Com certidão passada em cartório do céu
    E assinado embaixo: Deus
    E com firma reconhecida!"

    bjos pra vc!
    Cesar

    ResponderExcluir
  5. Hahaha
    Fiquei curiosa para fazer o teste. Me manda o email, vai. rs
    Cada uma que aparece!

    Também sou adepta do ‘nãoseismo’. Admito que simplesmente, não faço a menor idéia. Aliás, se existissem menos verdades prontas e certezas absolutas no mundo, haveria menos guerras, menos desentendimentos. Nas religiões então, a certeza toma proporções perigosas. Perigosas quando um determinado grupo é intolerante às verdades dos outros. Falta-nos humildade, somos pequenos demais e de quase nada sabemos.

    Beijos Taís
    Deva

    ResponderExcluir
  6. kkkkkk Adorei o texto! Não sou tão evoluida espiritualmente tbm, mas creio que exista vida após a morte, e se não houver tanto faz, não vou ficar sabendo mesmo....

    Abraço!

    'Glenda Barros

    ResponderExcluir
  7. Acho que o que mais move a gente na face da terra não é o medo da morte propriamente, mas o medo de uma descontinuidade. Pelo menos para as pessoas consideradas de bem. Mas, por vias das dúvidas, sigo o seu conselho. Vamos deixando como está e vivendo placidamente. rsrs. P.S: Eu fiz um teste destes certa vez e deu lá que fui uma lavadeira na Polônia no século XIII. Deve ser por isso que não gosto de lavar roupa. hahahah! Muito bom, Tais. Meu abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  8. Meu blog mudou de endereço, o novo é:
    http://vemcaluisa.blogspot.com/
    :)
    Beijo, Tatá!

    ResponderExcluir
  9. Cara Tais

    Para jogar água na fervura te trago os versos de Ferreira Gullar de seu último livro "Em Alguma Parte Alguma" lançado a semana passada:

    A vida, apenas se sonha
    que é plena, bela ou o que for.
    Por mais que nela se ponha
    é o mesmo que nada por.
    Pois é certo que o vivido
    - na alegria ou desespero -
    como o gás é consumido
    Recomeçamos do zero.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Taís,

    certeza se há ou não uma outra vida para além desta eu não tenho. Tomara que sim. Aliás, esse assunto me faz lembrar de quando a gente ouve o blá-blá-blá do horário eleitoral político, - as mesmas promessas há séculos... Não dá uma sensação de que é tudo espírito reencarnado? rsrs

    Ah, coitadinhos! Eles vêm, não dão conta do que prometem, e quando partem desta para a outra vida são mandados de volta porque são espíritos que precisam evoluir. E aí ficam indo e vindo, indo e vindo... Quando chegam lá em cima prometem que vão fazer tudo diferente se forem mandados de volta. Veja você, nem o céu escapa da lábia dos malandros. E quando estão por aqui,... tudo de novo. Ou seja, Só muda a carcaça. rsrs

    Agora, essa história de ter sido coveiro na outra encarnação quase "me matou" de tanto rir. rsrs Ai, ai... Sempre me divirto muito por aqui.

    Bjs, amiga. E inté!

    ResponderExcluir
  11. O que fui no passado, pouco ou nada me interessa. Mas no futuro, quero com certeza, ser casado com a mulher com quem casei no presente. Ter dois filhos iguazinhos ao que ela me presenteou e viver com ela bem de saúde como agora, e até aos 90 anos.
    Será ela da mesma opinião? Se não fico decepcionado.

    beijokitas

    ResponderExcluir
  12. Tais, acredito que somos ( ou fomos criados)perfeitos demais para sermos somente essa carne e osso. Creio que Deus ao criar o homem tinha planos mais ousados pra ele.

    Lindo o texto, faz pensar e pararmos para refletir sobre nossa existencia.
    Bj

    ResponderExcluir
  13. Que texto maravilhoso, Taís linda.

    ResponderExcluir
  14. Querida Tais, ótima reflexão para o caso, escrita com humor e sem deixar de ser sério. São minhas também as suas dúvidas. Talvez por isso, eu tenha, depois de tantas opções, escolhido o caminho da religião espírita, ela responde, com um pouco mais de lógica às questões que me faço, e na ignorância (que é de todos nós) prefiro imaginar e acreditar sim, que teremos uma outra vida, uma nova chance de corrigir os nossos erros...Quanto à cena do cemitério...é por essas e outras que quero ser cremada, pra não deixar restos... Bjs minha linda.

    ResponderExcluir
  15. E melhor ir deixando, ne, Tais?

    bjx

    RF

    ResponderExcluir
  16. Realmente, é tudo uma questão de FÉ.

    E esta, graças a Deus, eu tenho DEMAIS!

    Quanto se tem Fé, o resto é resto...

    (Amei o comentário do Zé do Cão! Feliz da mulher dele!)

    Eu também não trocaria a minha vida pela de ninguém, e acredito firmemente que só existem duas: essa aqui que estamos vivendo, e a outra (para toda eternidade), junto ao Pai.

    Tenha uma linda semana, minha amiga ex coveira...:)))

    Jinhos da Cid@

    ResponderExcluir
  17. Primeiramente desculpa meu portugues, sou estrangeiro;quando vemos uma casa abandonada, um objeto perdido, uma criaça perdida no meio de um caminho, temos um instinto natural e biológico de perguntar ...de quem é isto ou aquilo...quando queremos atingir um objetivo como por exemplo uma profissão até pagamos para ir descubriendo de a poucos os misterios e logo recever o título; quando estudamos Física, química, matemática da forma como esta cosntituido a terra ficamos maravilhados de sua composiçao, somos capaces de crear, inventar, descubrir...ainda mais, em todas nossas casas temos como mínimo um espelho que a gente se olha sequer uma vez por dia...mas temos uma mente TÃO FECHA MAS TÃO FECHADA que nao sabemos de quem somos, porque estamos aqui, e aonde vamor a ir, se a gente continua assim, esperando provas e provas cientificas, vamos esperar a resposta no cementerio, e nao é brincadeira a resposta esta no mesmo cementerio porque no temos vida por um sopro de ALGUEM...mas somos feitos de terra, e quando o sopro sai, voltamos novamente a ser terra.
    Vc é Tais, eu nao acredito que vc se chame Tais, tambem nao acredito que vc exista, mas vc vai insistir que vc existe e vai me mostrar sua Certidao de nascimento e o día que eu olhei sua certidão nao vou acreditar que seja verdadeiro,, ai vc vai ficar com raiba comigo...entao a Biblia existe mas vc nao acretida que ai esta a UNICA manifestação da existencia de DEUS de uma forma perfeita, mas vc nao quer acreditar, mas eu digo que cientificamente homens que nem acreditão em Deus ja provaram e continuam provando arquelogicamente todos os dados bíblicos, mas ainda vc nao acredita, ai eu convido que vc visite o museio de Israel e vai ver os pergamios originais velhos e amarelos de 3,000 anos atras, e ainda assim vc nao vai acreditar como eu de sua certidao de nascimento e vai dizer que isto é uma mintira, diz um verso desse libro "mintiroso" ..aquele que procura encontra, entao vc tem que se levantar reagir, caminhar, procurar a DEUS e tenho absoluta verdade que ele LITERALMENTE se apressentara bem na sua frente...mas se vc espera que os cientificos da nasa batão sua porta e digão ...temos uma prova cietífica para vc...NUNCA ENCONTRARÀ a Deus por meio de investigaçao humana porque Deus esta bem na sua frente, mas o primeiro requisito para dar o primeiro paso e comenzar a ser humildes e matar todo nosso ego porque este eguinho ira para no cementerio juntamente com nois...Cara colega.. ainda esta con vida...LEIA A BIBLIA...um abrazo

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso