6 de junho de 2018

OS POBRES DO MEU PAÍS - BRASIL




      - Tais Luso de Carvalho

Atualmente, qualquer caminho que façamos pelas grandes cidades do Brasil, o quadro é o mesmo: moradores de rua nos abordam e dizem que estão com fome. É triste.
Na semana passada entramos num estabelecimento e pedimos um pastel e um copo de café com leite. Quando fomos entregar, a criatura tinha sumido. Queria dinheiro. Mesmo assim me sinto extremamente constrangida com a abordagem deles, pois como dizer um 'não' na porta de um restaurante? Como ignorar essa gente, que come restos das lixeiras, enquanto nós saímos estufados dos restaurantes? É impossível.
Por onde andam os serviços sociais? A eles cabem atitudes enérgicas, assistência rápida a essas pessoas que levam uma vida tão infeliz. Mas é o que escutamos antes das eleições. É o básico das promessas políticas: erradicar a pobreza. E tem gente que ainda acredita nisso, em promessas de campanha!!
Onde está o dinheiro arrecadado dos impostos, das taxas que pagamos sobre todos os produtos que compramos? Tudo o que compramos e consumimos, os robustos impostos já estão embutidos nos preços. O Brasil vive a pior crise de sua história, que é a crise moral. Nada igual para a destruição de uma nação.
Um país com uma área de 8.516.000 Km² de riqueza mal gerida, e com uma população superior a 207 milhões de desiludidos e frustrados, não pode dar certo. Aqui, só turista pinta o Brasil de cor-de-rosa. Por enquanto temos os 50 tons de cinza.
Ricos com boa moradia contrastam com pobres dormindo de baixo de qualquer coisa que se pareça com um teto. E o dinheiro dos irresponsáveis por toda essa desgraça, vai para os paraísos fiscais ou para a montanha de propinas que acabaram com esse país deitado em berço esplêndido. Demoliram até com o nosso Hino — um dos mais lindos, mas que nada tem a ver com nossa realidade atual.
É um quadro de infelicidade, de amor ferido que paira no ar. Não interessa olhar para a desgraça. Lindo e sem culpa é olhar para os jardins floridos, os casarões antigos, ruas arborizadas lojas de grife, céu, sol, mar e gente bonita, mal se dando conta onde vivem. 
Mas os irresponsáveis não olham para a paisagem dos desesperados, dos humilhados que estendem suas mãos quando passamos — pedir é um ato que humilha. E não consigo lidar com isso: fazer que não vejo.
O que falta é seriedade, é dar um banho de ética e moral nessa gente irresponsável e oportunista que tudo promete para não perderem seus polpudos cargos e outras pragas mais.
Política virou um cargo vitalício, nenhum deles larga o osso. O povo brasileiro só será capaz de resgatar seu orgulho quando seus políticos e aparentados forem banidos do poder e entrar gente nova, honesta, sem o vício da corrupção e vontade de trabalhar por um país sério e para um povo feliz. Aqui não é uma Dinastia. Tem de haver renovação.
Amava tanto meu país, gostaria de resgatar esse amor! Mas não sei quantas gerações terão de passar para acontecer a virada! Um milagre.

Esse Hino  é o sangue que corre em nossas veias! 




55 comentários:

  1. Boa noite amiga Tais, texto que nos mostra a triste realidade, infelizmente é assim, sempre foi, mas agora está cada vez pior!
    Aqui em São Paulo não está diferente, vemos isso a cada quarteirão.
    Quanto aos políticos, todos querem a mesma coisa, tirar o dinheiro dos contribuintes, os impostos,nem se fala, aumentarão cada vez mais, não acho que haverá saída contra tudo isso que vemos!
    Enfim... Escrever ajuda a desabafar, vamos indo para ver até onde irão?!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, querida amiga Taís!
    Que coincidência nos move neste tempo de frio e fome pelas ruas das capitais onde rezidimos ou visitamos(em meu caso)!
    Ontem em Vitória presenciei uma cena que me arrancou lágrimas enquanto estava numa clínica conveniada a realizar exames de praxe e prevenção.
    Passei por um casal enrolado num cibertor da cabeça aos pés numa calçada perto. Era cedo. De repente, o homem descobriu-se e a mulher disse-lhe: - Me abraça.
    Bem, senti na própria pele sua carência... ao mesmo tempo, quer seja o motivo, estavam ao relento... com frio de ternura... com fome na alma...
    O motivo? Pouco me importou e sim a carência explícita do que ouvi...
    Casos como o seu, como o meu, estão aí ais montes e, basta descermos do carro, para esbarrarmos com um sem numero deles...
    Eu quase me formei em assistente social mas meu padrinho desaconselhando-me na ocasião para que eu não sofresse muito, segundo ele que me conhecia bem.
    Eu sei que dá uma angústia entrar num lugar para um lanche que seja e vir logo um pedinte. A gente perde o apetite na hora.
    Nosso Brasil idolatrado está roxo e amarelo de desespero...
    Cantar o hino ainda me é orgulho, mas abaixo a cabeça de vergonha por nada poder fazer diante deste caos medonho.
    Ah, querida, questionamento que me faço e que oportunamente você reforça em sua postagem...
    O que me cabe?
    O que cabe ao governo?
    Obrigada pela reflexao a mais...
    Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem
    P.S. assim que achar o vídeo que me pediu, vou lhe mandar com muito gosto.😍😚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe-me erro de digitação no cel:
      Visitamos
      Quando disse que pouco me importa o motivo, deixa-me esclarecer que penso não adianta eu, para me eximir de responsabilidade pessoal, colocar a "culpa" no que precisa de ajuda... muitos ajudados da minha igreja, por exemplo, tomaram autoestima e se superaram...
      Perdoe-me se me alonguei demais mas este é um assunto que mexe muito comigo, querida. Gosto muito destes debates que nos provocam . Bjm

      Excluir
  3. Há uma realidade estampada diante de nós que seremos "os piores cegos se não quisermos ver"... Seu desabafo/depoimento é endossado por todos nós, brasileiros honestos, que temos a exata noção do que fizeram com o nosso país! Não nos esqueçamos: - fomos nós que os elegemos. Agora cabe-nos destituí-los.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. E como cá, também dizem querer servir a nação, não é ?
    Embora lamente a verdade que expões, gostei muito de te ler, TAIS !

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Que coisa mais triste essa nossa realidade!Pior que parece só o povo vê e se constrange com as cenas assim...
    Quem deve ver finge nada ver...Fica mais fácil!
    Bjs...chica

    ResponderExcluir
  6. Desde há muitos anos não dou esmolas.
    Pago o que quiserem comer e beber a quem tem a necessidade mais básica que é alimentar-se.
    A fome é uma situação que revolta qualquer pessoa com boa formação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Brutal!
    Amiga, esta postagem é brutal!
    Foto, texto, hino, tudo me emocionou profundamente. Pensava eu que só o meu hino me emocionava...
    Tais, puseste em cada palavra o que te ditava o coração: tristeza, desilusão, emoção, temor, desassossego. Faltou a esperança, a confiança, mas um dia vais tê-las de volta e Deus permitirá que vejas o teu Brasil "renovado".
    Gostei muito, muito!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Ningún estado debería permitir que haya gente que pase hambre. Por lo menos, que todo el mundo pueda comer aunque sea en comedores sociales y dormir en albergues sociales. ¡Es lo menos que se puede hacer! ¡Debería ser la primera prioridad de todo gobierno con los impuestos de todos!
    Abraçop e beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nos sentimos impotentes ante la pobreza, nosotros tenemos la suerte de comer cada día, vestir, vivir dignamente. ¡Dónde está papá Estado? Nos prometieron que se ocuparían de todo, que ya no necesitaríamos el clan, ni la familia, que esos vínculos de unión estaban de más. Que había que ser independiente, individualista...¿Para qué? Para ser aún más vulnerable. Y eso es en lo que nos hemos convertido. Mientras ellos campan a sus anchas, gastando en lujos el dinero de nuestros impuestos. Algo tiene que cambiar...
    Abrazos y buena reflexión la tuya.

    ResponderExcluir
  10. Uma crónica muito triste, minha Amiga Tais. A pobreza e a fome além de serem uma humilhação são uma tremenda vergonha. Fica-se sem palavras para falar de algo que tanto nos revolta.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  11. Taís por aqui também se passa o mesmo e dói muito a alma!bj

    ResponderExcluir
  12. Belo, mas sentido texto. Uma tristeza profunda...
    .

    Hoje:- Sou uma gota de água no teu oceano .

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta-Feira

    ResponderExcluir
  13. Bom dia Taís!
    Um texto mostrando a realidade em que vivemos no nosso amado Brasil,porém acho que não é só aqui,mas em muitos Países ainda encontramos essa divisão de classes sociais,muitos são ricos e outros bem pobres.
    Nós também quando somos abordados por esses pedintes,procuramos doar,mas muitas vezes alguns,principalmente os pais,se servem das crianças para pedir e isso achamos terrível.
    Muito triste!
    Bjs e obrigada pela visita e comentário.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  14. Texto tão triste! Os pobres cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos!!

    Beijo e um excelente dia

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde, os sem abrigo são vitimas consentidas por uma maioria do povo que continua a votar nas más politicas dos governantes.
    Felizmente em Portugal a situação está a mudar para melhor, por exigência do presidente da republica portuguesa, foi contabilizado os sem abrigo e foi dado um prazo para acabar com os mesmos até 2020, Marcelo Rebelo se Sousa, não é da minha área politica, sou apoiante da esquerda e ele é da direita politica, não deixo de reconhecer a solidariedade que tem com o povo mais desprotegido, ele próprio durante a noite visita e conversa, dá apoio ás vitimas da sociedade, aqueles que já conseguiram habitação e emprego, por vezes vai almoçar ou jantar na casa deles, é um presidente popular que está junto ao povo e com o povo. talvez faça falta um presidente do povo e para o povo ao Brasil.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderExcluir
  16. Querida amiga Tais, tocas na ferida mais dolorida que atravessamos, faz tempo, a fome, é muito trite não ter o que comer, onde morar, não ter como viver, mas dizes tamém o que seria uam solução, nossas autoridades, estas mesmas que votamos, então devemos rever nosso conceitos e votar direito na eleição quie se aproxima.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  17. que dizer, Tais? nada que teu admirável texto e teu amor por teu País não diga...

    interrogo-me apenas sobre as "raízes" da pobreza no Mundo, quando a riqueza aumenta exponencialmente para uns quantos. e o desperdício de bens é regra de funcionamento do Mercado.

    forte e solidário abraço, minha amiga

    ResponderExcluir
  18. Ta+is li o seu comentário com um aperto no coração. Infelizmente a situação verifica-se por muitos outros países.
    Mas ao terminar, quando ouvi o Hino do Brasil, voltei ao longínquo ano de 1955, quando eu no Liceu o aprendi para o irmos cantar na avenida à passagem do Café Filho, na vista que fez a Portugal. Tempos que já passaram...

    ResponderExcluir
  19. Apenas para ilustrar. Semana passada eu havia saído de um restaurante no qual costumo almoçar, com uma "quentinha" preparada para fazer um lanche mais tarde. Encontrei uma miga na rua e estávamos conversando quando um pedinte abordou-me e disse que estava com fome, imediatamente dei minha "quentinha" para ele que agradeceu e se mandou. Minha amiga, meio surpresa: - Mas não era seu lanche? Eu: - Sim, era, mas o cidadão precisa mais que eu! Só lembrei disso porque li a tua bela crônica. Parabéns.

    ResponderExcluir
  20. A pobreza é uma coisa vergonhosa que não envergonha os políticos. Por muito que custe, tem que haver dinheiro para dar a essa gente a morrer de fome.
    Em Portugal, mesmo no período da crise, quando nos emprestaram cerca de 80 mil milhões de euros, o estado continuou a dar o subsídio aos pobres (rendimento social de inserção). E isso, não só ajudou os pobres como também controlou a criminalidade. E, como esse dinheiro é todo gasto rapidamente, isso melhora a economia e gera mais impostos.
    Enfim, o Brasil está com um problemão... e se os políticos não derem as mãos, em vez de andarem em guerra permanente uns com os outros, as condições sociais actuais não terão grande melhoria.
    Uma crónica excelente e bem actual.
    Bom fim de semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Que posso eu dizer?! que li e fico triste com toda essa situação nesse País que podia ser diferente, mas que não é fácil.
    Uma realidade que doi e doi muito
    beijinhs
    :)

    ResponderExcluir
  22. Las preguntas que te haces a lo largo del texto me las puedo hacer yo.
    Sobre los políticos son todos parecidos prometen antes de entrar, pero cuando están dentro se olvidan.
    Creo no haber escuchado nunca el himno de Brasil o lo escuche como en esta ocasión me parece muy bello. El nuestro no tiene letra aunque en ocasiones se le puso.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  23. É amiga seu texto mostra nossa dor e desespero, os viadutos viraram a casa dos sem teto, as favelas proliferando, os marginais matando, mães chorando por seus filhos mortos por balas perdidas, as drogas entrando, é uma guerra interna o que nos temos. Mas quando a copa do mundo começar, vão esquecer tudo e elegerem o herói do Brasil Neymar, ou outro do mesmo top, e aí vão esquecer a fome, os políticos desgraçados, a falta de casa.
    Tudo isso também é por nossa culpa, nos o povo que somos omissos, vamos votar nos mesmos candidatos de sempre e continuará a mesma procissão.
    Sinto meu coração sangrar quando vejo criancinhas nos sinais de transito pedindo esmola, mas sinto também muita revolta, pois vejo a senhoria dessas crianças por perto para recolher o dinheiro que elas arrecadam, é uma miséria generalizada, de fome de moral, ninguém faz nada. Acho que finalmente conseguiram acabar com o Brasil que tanto amo, assim como você. Mas temos nosso grau de culpa, como todo o povo.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  24. A solução para resolver a pobreza chama-se "solidaridade entre as classas". Infelizmente muitos confundem-na com a palavra caridade.
    Bj

    ResponderExcluir
  25. Nem sei que lhe diga amiga. Todos os relatos que oiço ou leio são aterradores. Será que o povo não pode dar volta a isso nas urnas? Bom se forem os mesmos a irem a votos não há volta a dar, a mesmo que o exercito tome uma atitude, mas os governos militares também não costumam ser boa coisa.
    Uma tristeza que um país tão grande e tão rico esteja nessa situação.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderExcluir
  26. Minha querida Taís
    A sua crónica, infelizmente, é bem real e actual.
    Em todos os países, dum modo geral, há corrupção no meio político.
    O Brasil, de momento, parece ser um dos países em que os políticos "abusam" mais nesse aspecto.
    Como sabe tenho muitas amigas e amigos brasileiros, e todos se queixam do mesmo.
    Não vai ser muito fácil alterar a situação... a não ser que haja uma revolta, como a nossa (portuguesa) "Revolução dos Cravos".
    O problema dos pobres que pedem pelas ruas é o resultado, pelo menos em grande parte, da má gerência dos governantes.
    Por sistema não dou esmola aos pedintes exactamente por me ter acontecido o que a amiga refere - eles querem é dinheiro, e quando lhes oferecemos comida... desaparecem. Durante muito tempo dei almoço a um rapazinho que me aparecia aqui à porta à hora da refeição. Dava-lhe o mesmo que nós comíamos, acabadinho de cozinhar. E quando trabalhava pagava o pequeno almoço a um homem pobre que andava por lá. Ajudo sempre que posso e o mais que posso, mas não indiscriminadamente.
    Mas o que me leva a não dar esmola é, acima de tudo, não concordar com isso. Acho que não é maneira de resolver o problema da pobreza. E estarmos a dar esmola é, sobretudo, uma forma de aliviar a nossa consciência, mas que não resolve nada. É um problema social que deve ser resolvido pelos governantes e não pelos contribuintes.
    Minha querida, dias felizes lhe desejo.

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  27. Olá Taís, execelnte seu desabafo. Creio que, se o povo criar coragem ou vergonha na cara e não comparecer as urnas, será uma grande resposta para os bandidos do poder.
    Na verdade poucos estão preocupados com a situação dos menos favorecido. Parabéns pelo post!

    Feliz fina de semana!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  28. Querida Vizinha/Escritora, Taís Luso !
    Tudo isto é deprimente.
    Altas autoridades na cadeia, por desvio de dinheiro público.
    Presidente da República sendo chamado de corrupto, todos os
    dias...etc...etc...
    O que esperar de um País deste ?
    NADA, se tudo ficar como se encontra.
    Que decepção, meu Deus.
    Um abraço e uma feliz semana, Amiga.
    Silnval.

    ResponderExcluir
  29. Resta-nos o trezoitão do
    voto e a metralhadora da
    presença do povo na rua,
    mas se a primeira ideia
    não der conta do riscado
    lançaremos mão do que a
    lei nos permite, e até mor-
    reremos, se necessário, pela
    geração futura como no pas-
    sado morreram pela nossa.

    Bom dia de domingo, meu
    anjo.


    .

    ,

    ResponderExcluir
  30. Taís, um desabafo sentido, próprio das pessoas que não pensam apenas em si. Parabéns! Enquanto houverem pessoas que se sensibilizam com o quadro social em que vivemos, penso, ainda restam esperanças.
    Incrível e muito triste a situação em que nosso país, tão rico e tão belo, se encontra. Lamentável que quando se fala de políticos vêm à nossas mentes a imagem de homens insensíveis, hipócritas, ilusionistas e mentirosos.
    Devem haver exceções, é certo, mas são raros os políticos que correspondem ao que esperamos deles. Triste. Muito triste...

    ResponderExcluir
  31. Amiga Taís, é sim muito doloroso ver "crescer" a pobreza e de ver que a desigualdade entre quem tudo tem e quem tudo perdeu, é cada vez maior.
    Infelizmente, essa é uma realidade cada vez mais presente em muitos países, incluindo o meu.
    Como sempre uma crónica brilhante.
    Bom domingo e uma excelente semana.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde Thais,
    Um texto magnífico que espelha bem a realidade sobre o que se passa no nosso amado Brasil!
    Num País Enorme e Belo, cheio de potencialidades, custa ver o povo assim a sofrer.
    A pobreza aumenta no mundo enquanto os mais ricos se enchem à conta disso.
    Tenhamos fé que dias melhores virão, mas neste caso os políticos têm mesmo de fazer esforço nesse sentido.
    (Gostei muito do comentário do meu compatriota Jaime Quintela que fala com propriedade de como as coisas se passam em Portugal. Tenho orgulho de ter um Presidente que se desloca junto dos sem abrigo falando com eles transmitindo-lhes palavras de esperança e ajudando até nas refeições que lhes são distribuídas à noite na cidade de Lisboa. Neste momento tanto o Primeiro Ministro como o Presidente da República como acima referi são pessoas que se preocupam com os que menos têm).
    Beijinhos e continuação de bom domingo.
    Ailime

    ResponderExcluir
  33. Muito difícil a situação do nosso Brasil, falam em mudanças, mas o que teria de mudar seria uma política realmente voltada para o povo e para reerguer o país, e não um faz de conta que ninguém engole, atitudes de difícil digestão em todos os setores. Começando por cima, diminuir os tantos ministérios, as secretarias, o número de partidos e moralizar nossa Justiça, seguindo o bom exemplo do Juiz Sérgio Moro. Arregaçarem as mangas e mãos a obra. Fazer do Brasil um país sério, com gente capacitada nos lugares certos. E com a corrupção, tolerância zero.

    Muito sensível, verdadeira tua crônica!

    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  34. Oi Taís
    Que rezamos para os ladrões bem remunerados não façam uma desgraça.
    Quanto a minha postagem: quem preparou meu filho para uma Faculdade Estadual e uma Estadual fui eu, ensinei apenas física que amo.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  35. O Brasil foi e continua a ser um país de grandes contrastes entre ricos e pobres e de enormes fossos sociais.
    Porém, os pobres daí são iguais aos pobres de todo o mundo. Esquecidos, abandonados e poucos são os cidadãos que, tal como a Taís fez, têm a coragem de abordar este tema.
    É nos animais, tão sós e abandonados quanto eles - como a imagem mostra - que encontram um pouco de afecto e de aquecimento, mútuo, afinal.
    Ver um ser humano dormir na rua, é uma vergonha colectiva, algo que nos fere e magoa. Sei que nem todos pedem para matar a fome e sim para alimentar um vício, mas muitos há a quem os revezes da vida atirou para a mais triste condição humana: estender a mão à caridade alheia. O Estado é o verdadeiro responsável pela mais elementar dignidade e condições de vida do seu povo, e eles lá querem saber disso? Malditos corruptos que só pensam enriquecer à custa de quem trabalha.

    Obrigada por esta chamada de atenção para um flagelo social, que é a pobreza extrema. Por aqui falam na pretensão de acabar com a pobreza, mas como se cada vez há menos equidade na distribuição do dinheiro que entra no erário público?
    ( passe o pleonasmo)

    Beijinhos e boa semana, amiga.

    ResponderExcluir
  36. Seria o país a sentir-se envergonhado enquanto houver gente a pedir e a dormir ao relento. E os salários são de uma discrepância abismal. Haja moralidade!

    Beijinho e boa semana, Taís.

    ResponderExcluir
  37. Cara amiga Tais, eis uma crônica perfeita na forma, mas amarga, porém, real. Melhor seria se não houvesse material para a confecção de crônicas deste jaez, entretanto, sobram insumos. Sobre política, nem gosta mais de falar devido ao balaio em gatos em se transformou o setor. Outro dia, falando com um amigo virtual, petista roxo, professor, ligado ao teatro, disse-lhe que já não voto há muitos anos, pois, penso que a política se transformou numa egrégora de interesses pessoais, entretanto, meu amigo disse-me que sou irresponsável, covarde e alienado...

    Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  38. Taís Amiga.
    Como lamento! Portugal, além de aturar os desmandos nacionais, tem de aturar as más decisões da União Europeia... também estamos pobres...
    Fecharam bancos, Companhias de Seguros e muitos serviços; postos de trabalho irrecuperáveis! Até as melhores lojas encerraram.
    As nossas postagens focaram temas semelhante
    No Brasil, a infiltração da droga é impressionante... chega aos subúrbios das pequenas cidades mais distantes e interioranas é usada por crianças que colaboram no tréfego.
    É preciso denunciar...
    A tua crónica é muito louvável, esclarecedora e instigante: convida à reflexão e à reação.
    Não faltou a finíssima ironia para amenizar o tema da matéria, mum estilo exemplar.
    Querida Amiga, estou ao seu lado.
    Em minha casa, diz-se «não há bem que sempre dure, nem mal que perdure»
    O vosso hino é lindo, sim.
    Longo e carinhoso abraço.
    ~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ''tráfego'', claro. Beijos.

      Excluir
  39. Oi querida, tudo que relatas é real, mas também fico indignada e desconcertada com o numero de pedintes jovens, homens e mulheres, que se postam diante dos supermercados, pedindo, pedindo. Sabemos que está tudo em abandono, mas alguns não aceitam ficar em abrigos e voltam para as ruas. Não há emprego, moradias dignas para as famílias que deviam existir como retorno dos impostos abusivos que pagamos. Bjs

    ResponderExcluir
  40. Taís esta sua cronica crítica é de uma realidade terrível amiga.A legião de invisíveis é enorme e cresce vertiginosamente e invadirão os jardins dos casarões, pois nada se faz e não creio numa mudança rápida para consertar esta situação criada pelo descontrole dos desgovernantes, descontrole da natalidade das famílias mais pobres.O número destes viciados aumenta no meio destes invisíveis. Por isso quando pedem esmola na realidade não querem saciar fome e sim o vicio da pedra do diabo.Inclusive aqui oriento a não dar alimento em embalagens sem a violar, pois elas serão trocadas por pedras.Convivo muito com isto por Salvador, aqui as pessoas pedem leite para filho, alimento para família, mas se você violar a embalagem eles só faltam jogar no seu pé. Enfim a nossa generosidade é uma faca de dois gumes. Enquanto isso vamos ver um esfriamento no processo de condenações dos que abusaram e abusam do dinheiro publico espalhado pelos quatro cantos do mundo. Não podemos mudar o Brasil com estes políticos viciados presentes, a faxina tem que ser geral. Que parem com este negocio de Intervenção pois dá até dor nas costelas.
    Meu abraço amiga e feliz semana do esquecimento de todas as mazelas com mais uma Copa do Mundo.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
  41. Sigo muy de cerca lo que pasa en Brasil.
    Ojalá que se haga una renovación completa de la casta política y que los que vengan sean honestos y emprendedores.

    Un abrazo,


    ResponderExcluir
  42. Só os que aqui vivem, têm a verdadeira dimensão da crise moral em que o país está atolado. Se você me perguntasse, se eu vejo alguma saída, direi com todas as letras NÃO. Em letras garrafais e, se possível, com neon. A classe dirigente brasileira não quer mudar absolutamente nada porque ganham rios de dinheiro à custa da exploração da "ignorância do povo brasileiro". E os espertos estão espalhados por todo o país esperando a hora de se aproveitar de cada crise para vestir as roupas da moralidade e continuar enganando o povo. Confesso que pela minha maturidade não alcançarei nenhuma mudança significativa no país. De qualquer modo, é sempre bom passar por aqui e perceber do seu modo você continua semeando, postando as suas crônicas que mexem com os nossos brios, nos fazem pensar (claro mais do que já pensamos nessa dura realidade brasileira). Aliás, faço outra confissão: não quero ser o último a sair porque não sei se terei força para apagar a luz.
    Um beijo, querida amiga,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...apagar a luz? Sim, também não quero ser a última. E também 'NÃO' vejo nenhuma saída, e sabemos as razões, não é J.Carlos?
      Basta conhecer um pouquinho a politicagem daqui...
      Um Beijo, meu amigo!

      Excluir
  43. Está complicado, Tais. Nem sei o que dizer. E os albergues de Porto Alegre sem chuveiro quente, sem bebedouro, sem lençol limpo, sem toalhas,... Tá caótico pra qualquer lado que se olha. A gente tenta ser otimista, mas tá difícil mesmo.

    Boa crônica/♥Beijoss de boa semana pra ti/

    ResponderExcluir
  44. !Estremecedora fotografía Tais!
    Las palabras que agregas hacen un cuadro muy claro de la realidad de tu querido Brasil, inmenso para muchos... insignificante y doloroso para otros.

    Abrazo.

    ResponderExcluir
  45. TAÍS,

    esta sua postagem lavou minha alma!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Beijo.
    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  46. Oi Tais! Está dificil não é minha querida?! Aqui li a fotografia do Brasil, e confesso que me sinto encurralado no meio de toda essa crise.Confesso tambem que não vejo saída, e melhoras tão cedo. Aqui e´a terra dos grandes abastados, e ridiculamente contrastando com a extrema pobreza. Nosso dinheiro vai para os ralos dos excessivos impostos , e não há o que fazer, a não ser esperar e ter esperança, mesmo que utópica. Como disse FÁBIO OSTERMANN,"Nenhum país se tornou rico e próspero com o objetivo de reduzir desigualdades. Mas sim enriqueceu permitindo que o processo de criação de riqueza acontecesse e que as pessoas mais pobres não ficassem totalmente desatendidas." Porem , isso não aconteceu por aqui. Um grande abraço, e obrigado pela oportunidade do desabafo. Beijos.


    ResponderExcluir
  47. Tais Luso
    Vamos lá ver: confesso-me desde muito novo fascinado pelo Brasil e ficava atónito, de os amigos brasileiros se se deslumbrarem com a Europa... por Portugal, dado que, afinal o País do Cruzeiro do Sul tem maravilhosas paisagens. Até que, já tendo estudado um pouco do País irmão, entendi o porquê... Realmente, em menos de 200 anos o Brasil não atingirá, os níveis da Europa. Sendo assim, qualquer cidadão daí não está para se dispor a trabalhar à "formiga", para construir um País de dignidade, começando a criar condições de acabar, por exemplo, com as favelas, que as há em todas cidades de norte a sul, o cancro da civilização do Brasil o terceiro pais, em grandeza, das Américas. Claro que que a economia, para avançar, na época actual, com indústrias artesanais ou economias paralelas etc. Também as Universidades brasileiras precisariam de ser melhoradas em competência. A sociologia é assunto que, nos governos actuais, é de extrema importância. E desde Fernando Henrique Cardoso, que estudou algumas coisas na Europa, é componente a que parece ninguém dar importância. Agora imaginemos um Presidente como Lula da Silva, que será bem inteligente por certo, mas será um bom revolucionário, mas pouco mais que analfabeto e jamais capaz de encetar uma reforma estrutural. A "fome zero", fui apenas uma resolução imediata de resolver problemas, que só acabariam com medidas estruturais. E por ai fora!...
    Quanto aos pedintes, eu sou muito cético, pelo que conheço... pedir não
    paga imposto e há pedintes ricos a terem capacidades económicas ... para eles pedir é oficio, ou tem em conta o mundo das drogas.
    Desculpas!...
    Beijos

    ResponderExcluir
  48. Um retrato fiel da triste realidade, Tais... que de uma forma ou de outra... se vai alastrando um pouco por todo o lado...
    Existem clivagens sociais, cada vez maiores... as classes médias, de uma forma geral, em vários países, têm desaparecido, para dar lugar aos muito ricos e muito pobres...
    Um realidade deveras preocupante... porque tão breve, ainda não se vislumbra volta a dar, a isto...
    Adorei a sua crónica, que toca brilhantemente, nos pontos fundamentais, do tema...
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  49. Ai, amiga, fiquei tão tocada com esta tua crônica,
    uma ferida social desoladora, triste, triste...

    Aqui, vi também, a fotografia desta tua alma linda
    e sensível a colocar as palavras na arrumação da
    denúncia e intervenção, tudo dorido nesta nossa
    Pátria, querida amiga.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  50. Boa tarde, querida Tais,
    sua crônica é de deixar triste qualquer ser por mais insensível que seja.Fatos que presenciamos diariamente, mas que com certeza, ainda veremos por muito tempo. A Assistência Social, penso que existe, mas apenas no nome, ou no papel para receberem seus salários ou quem sabe as "verbas" prometidas em campanha. O que dizer, amiga, o que fazer? Resta-nos votar com seriedade, com firmeza e mandar toda essa catrefa ( não sei se existe esta palavra)para um lugar sem volta.Revolta a todos os brasileiros que são e estão sendo lesados em seu próprio país. O final de sua postagem ficou estupendo, pois mesmo conhecendo e cantando sempre o hino do Brasil, eu acompanhei até o final.Grande postagem, amiga, parabéns! Beijos!

    ResponderExcluir
  51. É assim mesmo que eu sinto, não tiro uma vírgula destas tuas palavras: "Amava tanto meu país, gostaria de resgatar esse amor! Mas não sei quantas gerações terão de passar para acontecer a virada! Um milagre."

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muitos blogueiros não estão mais recebendo as notificações de comentários em seus e-mails. Os comentários entram direto para as configurações do blog. Todos ficam apenas lá. E de lá são publicados.

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís