1 de março de 2016

O QUE É MODA NÃO INCOMODA - DIZEM



      - Tais Luso


Hoje quero espairecer com um assunto mais ameno. Bem que comigo nada é muito ameno, como dizia meu pai.
Moda. Moda é cultura. Mostra a evolução das sociedades, dos costumes de cada época. Mas atualmente não ando entendendo umas coisinhas.
Algumas modas embelezam, vestem bem, nos deixam com uma aparência atualizada. Outras é o quadro da dor, estética zero. Roupas que salientam todos os nossos pontos negativos. E pra que mostrar?
Pois anda por aí uma modinha meio estranha, pensei que passaria rápido, que seria coisa de poucas estações, como foram muitas modinhas. Porém, essa veio para se eternizar, e globalizou. É uma moda que desveste. Meio esdrúxula. São as bermudas masculinas tamanho GGG! Falo daquelas cujo número é bem maior do que seu dono. Um monte deles veste entre 42 a 48, mas compram GGG. Tamanho único! Não sei quem inventou isso, mas que o cara tava meio debilitado das ideias, ah tava. É difícil ver alguém com uma bermuda do tamanho certo. Ou fica muito larga ou muito comprida, lá na panturrilha, tipo calça de pescador japonês. E não descobri a razão.
É bonito ver roupas legais, na proporção certa. No início eu ficava na dúvida se a bermuda era da pessoa ou se pegou a bermuda do irmão mais gordo.
Quanto às mulheres, a coisa é invertida. Os homens pecam pelo mais; as mulheres pelo menos. As blusinhas curtinhas e agarradas são para determinados físicos e idades. E as calças legging aparecem sempre menores do que a criatura. Então fica 'aquela coisa'. Também do tamanho único!! E fico a imaginar como alguém com 70 quilos vai usar  uma blusa que eu uso. Ou vice-versa. É incompreensível. Mas é moda - segundo os logistas.
Escrevo esse texto porque ontem fui comprar umas blusas. Só encontrei roupas de babadinhos ou curtas e justíssimas... Não entendo isso, preciso caminhar léguas para me vestir, mas nem tanto lá, nem tanto cá. Pedia uma coisa vinha outra, dezenas de roupinhas que nem imagino em colocar.
- Moça... não quero um festival de babadinhos, não tenho mais idade pra isso...
- Ah, só temos esse estilo... Mas é a moda, senhora!
Moda...tenho de entupir com a moda. Agradeci e dei  tchau. Sem papo. 
Ontem, mesmo, topei com uma pessoa que vestia um jeans exageradamente rasgado. Deu-me a impressão de calça de mendigo. Lembrei então que sua roupa poderia ser vista como arte conceitual, porque não interessava o objeto, sua estética, sua beleza, e sim a ideia, o recado que a dona das calças pretende passar aos outros. Calça-arte! O negócio é levantar reflexões. Então essas calças destroçadas viraram moda conceitual.
Mas esquecendo da calça conceitual, lembro da nossa Presidenta que não desiste daquelas manguinhas ¾ –, parece que o casaco encolheu e as mãos ficaram dependuradas - tipo filme de terror. Bem que as manguinhas da presidente combinam bem com a conjuntura atual do país: terror! Essas manguitas estão dando pano pra manga...
Mas agora preciso voltar para minha caverna. A coisa, daqui pra frente, pode desandar. E hoje o assunto é leve como pluma.
Fico por aqui.


____________________________

32 comentários:

  1. Taís, sempre muito legal te ler! Não canso de repetir!

    Os bermudões enormes que deixam aparecer as cuecas, muitas vezes surradas e desbotadas. Os shortinhos, leggings enfiadas , barrigas com banhas ou não à mostra. Babadinhos , franjões desfiados... Tudo é moda, mas não pra todos, ESSE É O PROBLEMA! Há que se ter bom senso!

    E, quanto às calças rasgadas, não posso deixar de te contar! Certa vez, num voo do Nordeste pra Poa, encontro um ex-professor de Direito Penal meu. Assim que o vi, fiquei com pena e imaginarei a cena: pensei que antes do embarque, na hora do quase embarque, tivesse sido assaltado e/ou atacado por cachorros...
    Ainda bem, consegui segurar minha "santa boca" e apenas dar um aceno de longe e não perguntei. Era moda já naquele tempo! PODE?

    E quanto às mangas da nossa Presid"e"nt"a",melhor deixar assim mesmo! Fiquemos com as coisas que pelo menos nos fazem rir.Pois o resto, DIO SANTO! Só podemos chorar de vergonha, de estarmos nessa situação toda,enquanto uns e outros até burlam as leis, intimações ,etc... A coisa tá que tá!
    beijos, lindo MARÇO! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cachorro? Perfeito; não lembrei do cachorro! Ainda bem que você ficou calada no voo. De qualquer jeito está difícil de comprar roupa, só pra cocotinha ou retardada. Gostei da introdução sobre as 'bermudas'.
      Quanto à Presidenta... estamos diante do mundo inteiro como um dos países mais corruptos do planeta, bota vergonha nisso!
      Beijão, Chica!

      Excluir
  2. Ave que horror estas calças esfarrapadas!
    Jamais gastaria um tostãozinho por uma delas...
    Se bem que já passei um "só um pouquinho" da idade pra elas! rsss
    Deixa eu correr e tomar um golinho de café, pq o seu me deu vontade!! rs
    Beijos!!Gostei do texto!
    Mariangela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijo, querida Mariangela, também já passei...
      To noutra! Aliás, nunca estive nessa... rs

      Excluir
  3. kkkkk não pude evitar de ler e rir da Chica!bj

    ResponderExcluir
  4. Se parece, é

    Não interessa se mendigo pareço
    E que os caretas me vejam “o feio”
    É que estar na moda tem seu preço
    Então, me vestindo, entro no meio.

    Se preciso for, me visto do avesso
    Porque moda/pedinte é meu esteio
    E se curto me visto enquanto cresço
    E porque esse jeito disse a que veio.

    O que está na moda não incomoda
    Para quem a segue é perfeito refrão
    Dane-se quem por inveja nos poda
    E que a integrar-se sempre diz não.

    Por isso irmanados em nossa roda
    Ficamos parecidos com aberração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rssss, obrigada, amigo Jair, muito bom, 'aberração'. Serviu como luva.
      Boas férias aí na Austrália!
      Abraços!

      Excluir
  5. Tais:
    Hoje lemos sua crônica “amena, chamei minha filha que é fashion designer, ” e rimos muiiito! Ela e eu temos as mesmas dificuldades para encontrar uma blusa, uma calça qualquer roupa própria para nosso gosto, nosso corpo em tamanho e largura, sem falar das bermudas “cargo”, cheias de bolsos até nas canelas do sujeito.
    A solução para nós foi contratarmos o serviço de uma costureira, está sendo nossa salvação em termos, pois até para encontrarmos tecidos para comprar está difícil!
    Suas crônicas são muito bem escritas e divertidas os assuntos sérios ficam realmente amenos.

    As manguinhas da presidente são curtas como a consciência patriótica dela.

    Parabéns,beijinhos,
    Léah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Léah, realmente fico com mau-humor com balconistas que querem vender a qualquer custo... Fico em pé de guerra. Costureira aqui está em extinção (rss). Quando preciso de algo com manga, para a Serra, digo que vou para a Patagônia, que preciso de manga. Aí trazem uma manga mais compridinha!
      Vejo que não estou sozinha quanto às elegantes bermudas e legging...Aquela cheia de bolsos é pra morrer!
      Beijo grande, amiga! Outro pra sua filha.

      Excluir
  6. Tais, como todas as postagens por aqui, concordo plenamente contigo, minha mãe era costureira de alta costura, fazia roupas para mulheres de bom gosto, cresci e sempre me liguei em moda, nossa, quanta saudade das roupas boas de verdade!
    Quando acho boas lojas com roupas de boa qualidade aproveito e compro mais de uma, pois está difícil mesmo!
    Descontraidamente nos dá o prazer de te ler e deixar o seu texto lindo e leve!
    Amei ler e aproveito para agradecer o carinho lá no meu espaço, obrigada linda amiga!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  7. Oi Taís
    Concordo plenamente com você minha querida
    Encontrar roupas adequadas que atendam o nosso bom gosto está muito difícil. A "moda" só tem um estilo e este não agrada
    Para encontrar uma roupa que venha de encontro ao nosso gosto e estilo é preciso mesmo caminhar léguas e ter uma dose colossal de paciência. Amiga você nos traz magnífica leitura leve e descontraída
    Tenha um dia maravilhoso querida
    Um super beijo

    ResponderExcluir
  8. Tais em 2014 quando iniciei curso Graduação a professora entrou na sala e falou , que tinha o costume de ir no pátio no intervalo das aulas para conhecer a turma que estava iniciando o curso e se deparou com uma cambada de mendigo isto mesmo com estas palavras , e falou a sala o que é isto jovens precisam se vestir melhor se dirigindo as bermudas e calças rasgada ,
    forte abraço elisa

    ResponderExcluir
  9. Efectivamente tem moda... que eu só concebo que use... quem não tem espelho em casa para se ver...
    Tem gente, que não tem a menor noção, da imagem negativa, que passa... se apenas se apreciar a pessoa pela aparência...
    Só porque é moda... a maior parte das pessoas, segue as tendências, de uma forma cega... sem se aperceberem que, haverá coisas, que nunca as favorecerão...
    Eu adoro apreciar as tendências... nas vitrines... mas só uso, o que entendo que me favorece... e nesse aspecto... o estar na moda... não é de todo critério...
    Beijos, Tais! Como sempre, adorei seu post, bem pertinente!
    Ana

    ResponderExcluir
  10. Tais, se queria provocar riso, conseguiu. E isso é bem bom kkkkkk. Apesar da idade, eu me visto de forma jovial, talvez porque tenha passado a maior parte da minha vida fazendo uso (obrigatório) de roupas formais. Até os jeans rasgados possuo (rss), mas não há buracos, são falsos e não mostram a pele. Existem muitas blusas bonitas, de mangas caídas, babados fashion. O que me incomoda é o comprimento delas, porque nunca as usei para mostrar a barriga e não o faria agora. De leggings, passo longe, pois sou magra e pareceria que minhas pernas iriam se quebrar (kkkkkkkkk). Os shorts estão muito curtos. Em BH faz um calor enorme e já cansei de procurar bermudas jeans, sem encontrar. Mas me horroriza ver, tanto jovens quanto senhoras, a usá-los mostrando o que nem é belo para ser exibido. Moda é algo que, de certa forma, fazemos, adaptando tendências ao estilo que abraçamos, sem copiar modelos de passarela. Quanto à Presidente, sempre que a vejo penso que precisa trocar seu estilista (rss). Grande beijo!

    ResponderExcluir
  11. Muchas veces es mejor no seguir la moda y usar lo que a uno le guste o le vaya, pues me parece que lo que se ve en los escaparates tan solo sea para gente muy joven y delgada.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Realmente o que a amiga fala sobre moda passa-se também aqui em
    Portugal com as calças de ganga todas rasgadas e na roupa de
    primavera que está sendo colocada agora nas lojas surgiu saias
    de ganga também todas rasgadas e são sempre mais caras que as
    "normais". Vá lá perceber-se estas modas.
    Bjs. e desejo que a amiga se encontre bem.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  13. Cara amiga Tais, pois então, lembro-me de outro provérbio em voga à época do "Quem tá na moda não incomoda" é o velho "Beleza não põe mesa", faz tempo, né amiga!
    Pois a moda nem sempre vem associada ao bom senso, digo, os usuário nem sempre usam o bom senso e cometem umas extravagâncias, muitas vezes, beirando ao ridículo, entretanto, se a gente que já passou do 50, 60, ou 70, opina assim desse jeito é tido como ignorante, "por fora" ou gagá.
    Um abração. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir
  14. Pois é, Tais. Nunca mais vesti uma bermuda do meu tamanho, só tem essas enormes, bem abaixo do joelho, fica esquisitíssimo! Mas é a moda. Tou imaginando essas tatuagens "obrigatoriamente" nos corpos, alargadores, piercings, e toda essas esquisitices tribais, que nos deixavam horrorizados tempo atrás ao ver Cacique Raoni, com aqueles beiços enormes, hoje, seria o cara. Quero ver quando passar, é mais um modismo, mesmo que já venha de um bom tempo, como vai se fazer pra remover, esconder, quando a coisa perder o sentido. Seguia moda quando era menino, quer dizer, dávamos o nome de "tempo", tempo de bola de gude, tempo de pião, de peixes-beta pra por pra brigar... De repente do nada começava e termina a febre. Ai me dava uma angustia quando passava, de ficar sozinho no mundo, com meu pião, bolas de gude, sem ter com quer mais jogar,mais ai eu tinha meus seis, sete anos, por ai... Certo mesmo é meu conterrâneo, Nelson Rodrigues: "Toda unanimidade é burra". Beijos, mulher sabida.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia, Taís!
    Já tinha lido esta crónica ontem e, fiquei realmente satisfeita de saber que, afinal, não sou a única a "olhar de lado" a certos modismos. Às vezes fica mesmo a sensação que a ideia é apenas "marcar a diferença a qualquer custo" - mesmo a custar o ridículo. Enfim...

    Em relação ao Facebook, fiz a postagem sem entrar no dito, levada por um artigo num jornal electrónico, e no Facebook (sem entrar) corri toda a página da Miss para baixo e para cima. Portanto, acredito que se seguir os links, não terá problema ;)
    Se não, procura no nosso amigo "Google", que de certeza, encontrará artigos sobre a senhora tão sábia.

    um bjo gde deste lado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carmem, vou tentar no Google pelo nome dela. Quando tento entrar no Face a página fica fosca imediatamente. Mas tentarei novamente.
      Beijos daqui, do sul do Brasil.

      Excluir
  16. Está completamente certa... eu tenho observado mais ou menos o mesmo e até me rio com alguns seguidores de algumas modas à risca...
    Mas a moda só existe para que o que comprámos no ano passado esteja fora de moda. Ou seja, ela é a arma que desarma o consumidor, tornando-o consumista à força.
    Bom fim de semana, querida amiga Tais.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde Tais.
    Sempre nós fazendo rir, com postagem bem escrita e descontraída .E isso é bem legal. Eu tenho uma teoria que sempre coloco em pratica, me visto para mim mesma, para olhar no espelho e me sentir bem, pouco me importando com a opinião alheia rsrs, tem dias que me visto de forma jovial, outros com um longo vestido solto que pareço o dobro da minha idade rsrs, ainda com meu cabelo em coque KKK durante muito tempo na minha vida fiz uso de roupas formais, pelo trabalho que exercia. Agora confesso rsrs, amo jeans retos, cintura alta e o famoso rasgados com buracos e tudo mais rsrs, ainda tenho shortinhos do mesmo estilo rsrs. Já as blusas não uso babados fashion, porque os meus seis fartos não permite rsrs, mas vejo a minha filha usar e ficar linda rsrs. Agora regata nem pensar, pois com o meu peso atual não iria me sentir bem, enfim essa é a minha palavra magica, preciso me sentir bem , o resto para mim é resto, está ou não na moda, nunca me preocupou, mas logico usando o bom senso sempre. O meu problema maior é os sapatos, ultimamente amo sandálias rasteiras, ate as havaianas, e isso incomoda muita gente rsrs, tenho uma irma que fica indignada, olhando para os meus pés kkk. Quanto à Presidente, sempre que a vejo penso que ela nem se olhar no espelho, deve ser vergonha kkk. Um lindo fds amiga para você, o Pedro e toda família. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  18. DIVERTIDO Y REFLEXIVO TEXTO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  19. Boa noite Tais.
    Até que enfim que encontro alguém que pensa como eu :)
    Sabe que ás vezes penso que estou completamente fora de moda pois tal como a minha amiga, quase nada do que vejo nas lojas eu gosto.
    Também não compreendo como pessoas da minha idade se vestem como adolescentes realçando aquilo que deviam esconder.
    Felizmente os meus filhos também são bem discretos na maneira de vestir.

    Um beijinho com carinho

    ResponderExcluir
  20. Algo que nunca fiz: seguir a moda!
    Tento não julgar as pessoas pela forma como se vestem, afinal gosto é igual... cada um tem um,

    ResponderExcluir
  21. Oi Taís, quando trabalhei numa Prefeitura de uma metrópole, tinha 24 anos, era muito vaidosa, só que comprava as roupas que EU achava que me caía bem. Adorava terninhos e gravatinhas coloridas, dependendo da cor do terninho. A primeira vez que usei um vestido foi quando no dia do amigo secreto, o único negro que ali trabalhava me sorteou e me deu 4 metros de seda pura.
    Usei meu primeiro vestido, ficou lindo com saltos altos, bonita passei perto dele e disse : gostou? e dei uma rodopiada.
    Sempre fui discreta ao me vestir, agora com 68 anos morando perto onde nasce o sol e a cidade rodeada de cana perdi meu gosto.(imagina)...
    Beijos
    Minicontista.
    Adoro metáforas.kkk

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde querida Tais.. pensa num cabeludo sumido srs sou euuuu mas sumido por conta do trabalho viu.. estive ausente por trabalhos grandes por aqui.. mas aos poucos vou voltando.. do jeito que anda a coisa melhor trabalhar rpa evitar o caos que se vê.. sobre moda o assunto é sempre grande.. tem uma ideia a solta que ng merece né.. querem mostrar nas vestes o que não tem na alma.. sempre fui normal.. calça jans, camisa de banda que curto muito, all star.. mas quanto os números eu todo pequeno srs minha calça é 36 srs e achar elas.. tudo coisa grande.. me perder dentro de mim mesmo srs tá osso viu.. acho muita frescura.. quanto mais simples formos melhor.. o resto é bobagem que não tem valor algum.. bjs e feliz dia

    ResponderExcluir
  23. Oi Tais,

    Gosto de vir aqui pq sempre tem humor. Somos todos carentes de humor. carente de graça.
    O seu texto de hoje me fez rir sozinha. É verdade! A numeração anda perdida, já não sei mais quem veste que número. E os desconfiômetros (é assim que chamamos por aqui), andam quebrados. Triste de ver, desconfortável de vestir e inaceitável termos que "engolir"essa moda.

    Grande abraço Tais

    Leila

    ResponderExcluir
  24. Taís, estou completamente de acordo!
    Muito engraçada a tua crónica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. A moda é uma variação tão intolerável do horror que tem de ser mudada de seis em seis meses.
    A moda, afinal, não passa de uma epidemia induzida.
    Vista-se mal e notarão o vestido. Vista-se bem e notarão a mulher.
    big bj.... querida... Linda Cronica.... Concordo com cada frase de sua bela e cronica...... Amo ler suas lindas escritas, as quais escorrem de maneira suavizada em meu pensamentosd

    ResponderExcluir
  26. Minha querida amiga Tais, acabou-se a calmaria, e voltamos ao trabalho...que delícia de post, acho que tou meio descompensado ou meio, sei lá, pois à medida que lia, mais engraçado eu achava, ao mesmo tempo que concordo que teu raciocínio...lembro que lá pelos idos anos 80, andava eu bem faceiro com um jeans rasgado, gasto, esbranquiçado, tentando correr atrás de um movimento que havia na Europa, os punks e veja agora, paga-se muito caro por um trapo rs...particularmente prefiro bermudas um pouquinho largas, mas só um pouquinho. Gosto de coisas clássicas, que vou usar sempre, independente dos modismos, mas que falas uma grande verdade, isso é indiscutível...sempre tranquilo e favorável ler por aqui.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  27. Um belo olhar Taís sobre o cotidiano e os ditos das modas, que chegam e já não respeitam a estação, elas se transformam e permanecem. Vejo assustado as vezes como as pessoas não tem espelho ou senso critico de ver que não estão agradando. Ainda que digam: Eu gostei e pronto!
    Falta sensibilidade e olhar critico.
    Abraços e tudo de bom amiga.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso