5 de maio de 2013

A SAÚDE NO BRASIL? VAI BEM, OBRIGADA...



         - Tais Luso de Carvalho

Ninguém fica muito confortável ao ver as reportagens sobre  a saúde no Brasil. Há tanto desperdício, tanto dinheiro aplicado em coisas que não são prioridade, que ninguém sabe mais o que pensar. Contudo, parecemos um povo muito alegre. E um povo alegre é ótimo, alegria não incomoda. É contagiante. Morreu? Morreu. Acabou. País sério é isso. 

O que está havendo nesse país  rançoso,  em que todos estão vendo tudo e nada é feito? Fala-se muito na construção de estádios, na Copa do Mundo, nos turistas, embelezar, aumentar e construir coisas monumentais e que não precisa. Mas isso sim  será um orgulho brasileiro.

- Oh... que lindo país!

Ficaremos na história do esporte mundial e seremos lembrados pelos bilhões aplicados em construções faraônicas, belas e muitas inacabadas. Mas somos  o país do futebol, do Pelé e do carnaval, mas com um povo minguando; gente morrendo sem assistência, sem leito, sem atendimento e fazendo uma maratona  pelos hospitais. Ou, ainda, se esfacelando com uma bala perdida, de tanta segurança que nos dão.  É maravilhoso. 

Vejam, vocês, o salário  de um jogador de futebol  ou do  técnico, e compare com o que ganha um médico para salvar a sua vida! Pergunte a um médico, de Plano de Saúde, quanto ele ganha  por consulta... Você fica constrangida - eu já perguntei. Tive essa infeliz ideia. Ainda bem que o ilustre era amigo.

Imaginem, então, o que ganham os médicos que atendem o bendito SUS. Um país desse tamanho, pensando pequeno nas prioridades e pensando grande no lazer - realmente não entendo. 

Mas infelizmente é assim, e tudo isso dá um cansaço, um desânimo, uma descrença muito grande. Não mando contra os tais jogos, mas estão exagerando e esquecendo que  doença não espera; não se empurra com a barriga: é vapt-vupt e pluft.

Não há dúvida que o Brasil está doente; uma doença que parece não ter cura, crônica e que causa vergonha. Vai minando o povo aos poucos por falta de vergonha e de iniciativa dos políticos brasileiros. 

O povo está  com dor na alma e com espírito em frangalhos. E gente andando por aí com a cabeça erguida, pensando  apenas em si e sem um neurônio que funcione. Aliás, isso também seria caso de internação, mas infelizmente faltam leitos.

 Cansei. Como todos.



27 comentários:

  1. Limerique

    No Patropi tenha bom plano de saúde
    Ou corra fazer as malas e se mude
    Se depender do SUS
    No couro levou obus
    Então terá da campa a quietude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jair, todos os planos de saúde estão a desejar, é o que temos lido diariamente na média. O que funciona direitinho são consultas particulares. Os que podem, podem. São bem atendidos.

      Abraços, amigo.

      Excluir
  2. Tais,

    Não sobrou muito a dizer depois de 'ouvir' seu grito de indignação, você tomou a frente e disse tudo que gostaríamos de dizer! O texto está PERFEITO, escancara uma realidade que estamos CANSADOS de ver, que é o descaso com a saúde. Porém, não bastasse o cansaço, agora estamos boquiabertos assistindo um festival de futilidades, envolvendo bilhões para o encantamento dos turistas que circularão por aqui... Verão obras maravilhosas nas principais capitais do país, mas que não passem perto dos hospitais, ou verão gente se acotovelando e literalmente à espera de um milagre, pois se depender de médicos para atendê-los...

    Claro, a culpa não é dos médicos. Também sei o valor que o convênio repassa, é vergonhoso! É triste, é de ficarmos sem palavras... Pois enquanto o povo clama auxílio do governo para atender suas necessidades básicas - saúde, educação, segurança pública - a cúpula recebe e trata esse clamor como piada, parecendo dizer através de suas ações: vamos nos divertir, minha gente! Vamos ver a bola rolar, que o mundo desabe lá fora, vamos simplesmente aproveitar... A vida é curta, não é mesmo? Então sejamos menos dramáticos e mais alegres, mostremos essa cara para o mundo.

    O detalhe, nessa história toda, é que o pobre, o assalariado, o doente, etc, terão condições de ver o espetáculo montado as suas custas? É claro que não! Mas já que o objetivo é atrair olhares internacionais, levaremos um título que nos fará mundialmente conhecidos: o país das futilidades, que lindo! É o que dá ver gente sem neurônio algum tomando decisões por um país inteiro...

    Arre, também cansei. Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzy, você complementou: tem gente que nem vai ver a Copa! Não estávamos em condições de aceitar tamanho compromisso em vista do tanto que temos para resolver. O país tem pressa e obrigação de dar ao povo uma vida melhor. Mas esse é país do futebol - levado bem a sério, aliás.

      Um beijão, amiga, marcou o ponto com maestria.

      Excluir
  3. Que grande sacudidela...!!!Desanimar é que não,,,
    Água mole em pedra dura...tanto dá a...........
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andrade, obrigada pelo seu otimismo! Não podemos abandonar a luta. Jamais. Um grita daqui, outro de lá... e vamos ver no que dá!

      Beijos aí pra Portugal.

      Excluir
  4. Quanta verdade! Realmente querida este grito que paira entupido na garganta dos brasileiros não tem eco e as lagrimas derramadas nas horas de desespero e de necessidade nem chegam a molhar o colarinhos dos governantes.Deveríamos gritar cada vez mais para ver se a voz da consciência acorda e toma algumas atitudes.
    A saúde está agonizando.Tua crônica é um sinal de alerta que se une a outros.Quem sabe?Parabéns! Bjs Eloah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Eloah, é verdade, quantas vezes não vemos gente sofrendo, pobres coitados. Os que tem um Plano de Saúde, que coloquem as mãos pros céus! Mas também longe de ser perfeito! Tomara que um dia acordem!

      Beijo, querida,
      Que bom você aqui!

      Excluir
  5. A forma como querem que enxerguemos os eventos olímpicos é algo mais ou menos assim: "guenta só mais um pouco que o dinheiro tá chegando". Mas sabemos que esse volume de capital do turismo, aos poucos, vai ser como o rio transbordando e causando enchente: dali um tempo tudo volta ao estado anterior.

    Continuarão faltando médicos, profissionais em geral, espaços físicos ultranecessários. Mas o montante será aplicado da maneira errada. Vai ser dividido aqui e ali? Vai. E vai ser usado de uma maneira desplanejada ou até mesmo planejada, mas muito mal.

    Não se pensa numa reforma. Pensa-se em calar a população logo, cessar a gritaria e a cobrança. E a coisa fica como tá.
    Mas esparança não nos falta.

    Já que está tudo decidido, aguardemos o resultado. E, pra depois de 2016, preparemos nossas palavras. De uma forma ou de outra teremos que usá-las da maneira que mais bem fazemos.

    Texto mais que excelente, Tais!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fellipe, e tudo continuará igual. Aliás, igual, não; e sim um país mais endividado. Mas pelo menos temos a liberdade de desembuchar o que está trancado. Faz parte da 'coisa' a gente se 'enganar'... Mesmo sabendo. E só falei em saúde, heim!

      Beijo, amigo, obrigada pela sua presença, sempre querida.

      Excluir
  6. Eu juro que tento entender e não consigo... as vezes penso que é culpa da educação, depois penso que é culpa do governo... do próprio povo brasileiro que é expert em levar vantagem em tudo...são tantas opções que não dá pra ficar só com uma ! resumindo: será que um dia teremos um Brasil melhor ? fica a esperança amiga... amei a ilustração da Tarsila !bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valkiria, são tantas as 'emoções' que acho que todos pensam o mesmo que você. Você, no final fez uma pergunta e respondo por mim: 'infelizmente eu não acredito!'Por tudo que você disse, e muito bem!

      Um beijão, muito bom você aqui!

      Excluir
  7. Revoltante a situação da saúde no Brasil, confesso que não vejo luz no fundo do túnel, triste isso!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não, Néia. Infelizmente.
      Obrigada pela tua presença, gosto muito!
      Beijo, meu carinho pra você.

      Excluir
  8. Em Portugal tínhamos um Serviço Nacional de Saúde a funcionar
    razoavelmente. Sucede que após a intervenção da Troika o Governo
    está constantemente a cortar verbas para a saúde, portanto tudo tem
    estado a piorar e bastante. Os Governos nunca gerem os dinheiros da
    forma correcta.
    Desejo esteja bem.
    Bom fim de semana.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Irene, muito obrigada pela sua presença.
      Gostei imensamente de sua postagem da torre Eifell, mas não consegui comentar! Tive o privilégio de visitar e ver Paris do alto! Magnífica!

      Beijo pra você!

      Excluir
  9. Gritou demais, Tais?
    Creio que não. Poderia estar escrevendo até agora...
    Beijo.
    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jorge, pois é, a impressão que se tem é que todos esses que estão por aí, estão surdos, mas como diz o nosso poeta... 'todos eles passarão e nós passarinho!' Espero um dia ver isso.

      beijo, volte sempre.

      Excluir
  10. Às vezes, você se aborrece
    Porque ainda sou criancinha
    E sempre deixo marcas de dedos
    Nos móveis da casa inteirinha.
    Mas estou crescendo dia a dia
    E logo adulto vou ser
    E essas marcas de dedos
    Vão todas desaparecer.
    Agora deixo uma marca bem especial
    Pra você nunca esquecer
    Como eram meus dedinhos
    Antes de eu crescer.
    Agora somos adultos a saudade
    que sentimos já é nossa dos nossos
    pequeninos já adultos também.
    Feliz Dia Das Mães com muito carinho.
    Ser mãe de verdade é ser amiga
    dos filhos é ser seu porto seguro.
    Cabe a nós mães ser exemplo
    ser espelho onde nossos filhos possa
    contemplar e refletir passado e futuro
    com muito amor e fé acima de tudo.
    Mãe :fale do amor de Deus para seus filhos
    só assim eles terão orgulho de chamar te de (Mãe)
    Feliz Dia das mães carinhosamente, Evanir.
    Tem mimo na postagem fique a vontade para levar de lembrança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Evanir, que tenha sido um lindo 'Dia das mães' pra você também!
      Receba meu carinho!

      Excluir
  11. Bravissimo!!
    Gritou por muitos brasileiro e brasileiros calados à força.
    Bjkas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,(Eu Nos...), bem vinda ao blog!
      Obrigada por sua presença.
      Beijos! Volte sempre.

      Excluir
  12. Adorei a tela da Tasila do Amaral bem associada ao tema que escreve.
    Uma vez fiz um artigo com o tema: "A saude esta doente".
    Como sabemos
    esta mesmo.
    Adorei sua abordagem sobre o assunto.
    La no meu blog Espelhando temos alguns autores
    sou Catiaho Alc./ Reflexo d'Alma, editora do blog
    e postam la alguns amigos meus, ontem o Palhaço Poeta, aos sabados o Lu e Simone Cidreira
    e aos domingos o Samuel Balbinot e eu sempre.
    Vai ser uma alegria te-la por la no lendo.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, 'Reflexos...' muito obrigada pela presença.
      Irei no seu blog, sim!
      Volte sempre. A tela é a família brasileira, em eterna luta...buscando seus direitos! Aliás, tentando alguns...

      Beijos!

      Excluir
  13. Eu vou muitas vezes ao Brasil, mas sou europeia e frequento um meio onde não encontro essa miséria. Mas sei que ela existe e acredito em seu texto muito bem escrito e sei que diz a verdade.

    Estive doente, muito, e me vi aflita para encontrar um bom médico e tive de regressar a Portugal, pois senti medo de morrer por lá.
    Porque vivendo num meio alto, eu não tinha plano de saúde, nem levava Seguro de Vida e os preços eram uma fortuna.

    Acredito no que diz!

    Um beijo,

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maria Luisa: veja, somos mais de 190 milhões de brasileiros, e aqui no Brasil temos excelentes médicos, mas a maior encrenca se dá é na Saúde Pública (para os pobres) e atualmente os planos privados (que todos temos) estão atravessando uma crise quanto ao que repassam aos médicos, marcação de consultas etc., que afeta a todos. Aí é que se dá o rebu. É nesse ponto que o país teria de interferir com mais rigor. Quem lida com a saúde dos outros tem de ser bem remunerado, é injusto. Existem coisas absurdas.

      Beijo, Luísa! Espero que você esteja bem, agora.
      Obrigada!!

      Excluir
  14. Boa tarde querida Tais..
    difícil falar de saúde com uma farmácia a cada esquina...
    e o povo sustenta elas..
    n]ão come mais comida.. come, chega a se entupir mas de remédios não é..
    vejo isso com minha própria mãe..
    quantas e quantas vezes já falei..
    vai fazer o teste bioenergetico. no qual a cura é com argila, chás..
    mas o médico e os farmacos parecem ser importantes demais..
    antigamente tinha uma freira aqui na minha cidade..
    ela curava todo mundo assim..
    os dom dim dim deram um jeito de tocar ela bem longe.... depois disso, entrou um punhado de farmácias, médicos que fizeram a caveira dela cada vez mais ricos..
    e o pior.. a meses atrás o banrisul trocou de lugar aqui.. fizeram um prédio novo e adivinha quem se instalou ao lado rsrs
    Farmácia São joão rsrs
    pra levar o dim dim dos aposentados assim que eles sacam.. e não é que elas estão sempre cheias.. é deprimente ver as pessoas pagando planos de saúde .. será mesmo.. eu chamo plano de doença.. pagam uma vida inteira eenquanto eles ficam patrocinando futebol e quando se precisa te enrolam e deixam morrer.
    hj em dia eu vejo assim.. cada um por si e Deus por todos.. aquele velho ditado..
    pois tentar ajudar pessoas que não se ajudam não foi fácil e não é para ng que trabalhe com ajuda pessoal..
    beijos e feliz dia querida amiga até sempre

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso