7 de maio de 2012

SOLTANDO A LÍNGUA...



- Tais Luso de Carvalho

Sou uma pessoa com um  estômago meio embrulhado e a imaginação fértil demais. Meu velho pai já dizia isso. Aliás, o que tem me incomodado muito em certas situações.

Há pouco tempo vi um documentário, sobre turistas, e dei de cara com uma criatura engolindo um polvo vivo (polvinho): colocava a cabeça do bicho num molho apimentado e mandava! Os tentáculos do animal ficavam se debatendo na boca do seu predador, o coitado não queria ir pro brejo. Fui direto para o banheiro com a maior ânsia do mundo. Vi que o turista - que era brasileiro - ficou na pior, com o bicho entalado. Turista só se mete em fria -  quando come o que não conhece.

Mas é comum passarmos por situações inesperadas, e que muitas vezes nos deixa na bobeira. Ontem fiquei numa saia justa. Mais uma. Como diz o ditado: nada é novo, tudo se repete ou se transforma. E sei disso, mas entrei na fria por curiosidade.

Combinei com uma amiga de nos encontrarmos numa confeitaria, aqui no bairro, para pôr o papo em dia. Sentamos. Pedimos a mesma coisa: chá, torta  e  alguns docinhos - camafeu de nozes e outros. Parecia que tudo ia dar certo, defronte ao lindo parque.

Porém, com o andar da carreta veio o inusitado. Não sei por que cargas d'água minha amiga começou a falar do seu aparelho ortodôntico móvel – e que dormia com ele. Contou-me que assistiu uma entrevista  de um médico relatando o tanto de coisas estranhas que as pessoas engolem. Dado a isso, ficou com receio de usar o seu aparelho à noite, e engolir o medonho.

Até aí tudo bem, eu continuava firme na minha torta. De repente ela resolveu avançar o sinal do bom senso e a contar o que as pessoas engoliram, no relato do médico: moedas, dentes, band-Aid, dentaduras, baratas...
- Péra!! Puuutz... Baratas?
- É, a mulher levou um copo d'água, à noite, e bebeu sem ascender a luz...
- Mas eu faço isso todas as noites! Devo ter engolido uma montanha de cupins. Caramba! 

Porém, eu podia ter encerrado por ali, numa boa, mas veio a curiosidade...

- Mas e a dentadura?? Era mulher? 
- Sim, era. Mas o troço não desceu, ficou entalado! Esqueceu de colocar no copo... 

Ufff, ficou muito difícil pra mim olhar aquele camafeu de nozes... Estava um tanto enauseada. Cadê a coragem? Sei que sou extremamente criativa em imagens, desenvolvo e pinto as coisas com um realismo absurdo: a mais real das baratas; a mais real das dentaduras!

Mas lá pelas tantas, interrompi a narrativa e disse à minha amiga para me contar o resto depois, lá fora... Mas certas pessoas não entendem, precisam de uma sacudida para falarem as coisas na hora certa. Sei que vacilei no quesito dentadura, mas a curiosidade foi forte.

Consegui comer o camafeu bloqueando todos os meus sentidos, mas desgraçadamente lembrei do polvo mergulhado num molho e se debatendo na boca daquele infeliz turista brasileiro.
Passei mal.


----//----

27 comentários:

  1. Que loucura....parace piada, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  2. Imaginar um polvo vivo na boca de algúem não é só nojento, como monstruoso. Eca!
    Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. A Taís mete-se em cada uma...!!!!Pelo menos, ficamos todos a par desses conteudos....???
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Que situação Taís, posso bem imaginar o que você passou pois sou do tipo "nojentinha", ninguém pode falar nada de asqueroso perto de mim que meu estômago reage na velocidade da luz!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. rssss...Linda crônica e realmente há hora pra TUUUUUUUUUUUDO e falta simancol à algumas pessoas! Pena! mas valeu te ler,gostei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Taís,
    É, você bastante imaginação mesmo. Num caso desses o melhor é se abster de pensar, apenas ouvir e não procurar enriquecer o caso com imagens vistas ou vividas. Claro, esse é um conselho besta, ninguém ou quase ninguém consegue fazer isso. Bom apetite! JAIR.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tais. Que saudade de voltar aqui! Obrigado pela visita carinhosa durante a minha ausência.

    Eu me habituei a levantar no meio da madrugada qquando desejo algo desde o dia em que esqueci um pedaço de chocolate no criado e acordei pela manhã com uma barata degustando-o. Agora não levo nada para deixar ao lado da cama. Seguro morreu de velho... rsrs

    Um grande abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  8. Olá Tais!
    Ele há cada história mais caricata...mas reais. Aprecio o seu sentido de humor! É o melhor da vida, além da saúde, claro!!!
    Abraços.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  9. Oi Taís!
    rsss
    É, também fico agoniada com estes assuntos contados em horas inapropriadas. Você é bem espirituosa e sua escrita caminha de mãos dadas com seu bom humor.
    Beijinhos e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  10. kkkkk Mas você só se mete em encrenca, amiga! Seu estômago pagou pela sua curiosidade, não teve jeito. Pois há estômago brasileiro que resista a um polvo vivo fincando os tentáculos na língua do vivente pra não ser devorado?! Na verdade, o problema não é o estômago, conforme você pontuou: é nossa imaginação fértil que cria esses pesadelos, somos tão facilmente sugestionados!

    Na dúvida, minha amiga, da próxima vez coma bem quieta o seu camafeu, e guarda a prosa pra depois! rsrsrs Seu estômago agradecerá! rsrsrs

    Ri demais aqui, você é ótima! Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, querida amiga a Tais.

    Nossa...
    Eu não conseguiria acompanhar o assunto, depois de ter chegado na tentadura.

    Eu iria ao banheiro para interromper o assunto desagradável, ou diria pra ela, que meu estômago não é grandes coisas.

    Tem uma pessoa da minha família, que, normalmnte no horário da refeição, ela começava contando detalhes da sua menstruação desgovernada, devido ao processo da menopausa.

    Meu irmão saía da mesa, à francesa.

    É difícil demais.

    (Contudo, há dias, me peguei falando sobre o tratamento dentário que irei fazer, no momento em que meu filho estava tomando café.

    Amanhã vou pedir-lhe desculpas, e prometer não repetir a dose.

    Tenha uma linda semana de paz.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá,Taís!!

    Bah!Que coisa, em?!!!Nunca provaria iguaria tão exótica!VIVO!!!Logo eu que estou me adaptando a vida vegetariana(sem extremismos...bem aos poucos,ainda como carne),por ser mais saudável e leve!Com 3 dias da semana numa dieta vegetariana já senti a diferença!
    Mas...
    Gosto demais do modo como escreves!De como és perspicáz e da forma como constroe o texto!Muito bom de ler!
    *Mas depois da barata e da dentadura...bah!Eu não conseguiria comer o doce...e pensar no polvo!
    A mente pode ser bem traiçoeira, nos faz recordar de coisas "impróprias"em cada hora!É como quando estamos com medo!Lembramos logo de todas as histórias assustadoras que conhecemos!rs
    Beijos pra ti!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  13. Muito hilário o que contas, parece real, será? Fiquei enjoada "com o estômago embrulhado, sabe.
    Adorei e conforme ia lendo ria de gargalhar, é coisa normal mas faz rir; o polvo cru, nossa! Não é normal não! É estranho demais. Eca!
    Taís, uma boa tarde de terça-feira e beijinhoS.
    Mery*

    ResponderExcluir
  14. Tais, falando em dentaduras rsrsrs assisti a um video no youtube em que a noiva no dia do casamento, em plena missa, tomando o cálice servido pelo padre, inesperadamente deixa cair a dentadura dela dentro do copo!!! E a cara da pobre coitada pegando o cálice da mão do padre e enfiando os dedos dela ali dentro para tirar a dentadura rsrsrs tadinha!

    Abraços sempre afetuosos.

    Fábio.

    PS - Se você quiser testemunhar pessoalmente tal tragédia em dia de festa: http://www.youtube.com/watch?v=SJ-hOOAKC_4

    ResponderExcluir
  15. Olá, Taís.
    Até mesmo de situação, pratos e ingredientes indigestos você consegue transformar em uma crônica deliciosa... Que imaginação danada a sua, hem?
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Taís querida! Que horror! Depois que li e durante a leitura também, a imagem do turista "medonho" meio que me assombrou.... Ui! Tem Selo Comemorativo pra você lá no blog! Uma quarta-feira abençoada! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. tais, mãe de dois, é isso ai, somos assim. cada um com seus sintomas. mas vivendo.. muito bom o texto lamarque

    ResponderExcluir
  18. Vixe Maria um desastre total... eca....kkkk
    Estou contigo amiga, quando estou comendo também não gosto de alguns tipos de comentários não....kkkk

    Beijos Taís!!

    ResponderExcluir
  19. Boa noite Taís, muito divertida sua história, de fato algumas pessoas não tem bom censo, e como boa turista que sou, já me meti em váriassss roubadas culinárias rsrrs Obrigado pela visita e por me seguir, já me instalei por aki tbém! Abraços

    ResponderExcluir
  20. Oi Taís,
    Passando pra deixar um abraço e colocando a leitura em dia.
    Estou em falta com você, mas prometo me redimir.
    Beijocas.

    ResponderExcluir
  21. Passando pra agradecer o carinho! um abençoado sábado, repleto de muita paz e alegria! Grande e carinhoso abraço!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Uma situação muito constrangedora. Haja estomago.
    Quero te deixar um abraço e desejar um Feliz Dia das Mães.
    Lourdinha Vilela.

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde, querida amiga Tais.

    FELIZ DIA DAS MÃES.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Olá Taís,
    Bota saia justa nisso! Eu acho que, enjoada como sou para comer ouvindo certos assuntos, desistiria do encontro com a amiga e escaparia de ter que ouvir falar na dentadura. Penso que certos assuntos não devem ser tratados à mesa, simplesmente por falta de educação e por bom senso.
    Desejo a você um feliz Dia das Mães.
    Que Deus a abençoe, amiga.
    Grande beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  25. kkkkkkkkkkkk
    Algumas pessoas vão falando, falando, e nem percebem o quanto estão incomodando. Na tv, podemos desligar o aparelho e ficar livre dos detalhes, mas como tirar os amigos da tomada??

    Bjs.

    ResponderExcluir
  26. Muito boa tarde querida Tais..
    muito engraçada toda a situação.. desde o turista até o finalizar srsr
    é bem isso mesmo, as vezes a gente come algo pq nos falam, mas eu tive minha experiencia anos atrás então não sou mais o come tudo srsr
    quando fui a chapada diamantina fui inventar de comer moqueca de siri..
    e mal sabia eu que tinha comido isso ai na praia em tramandai quando era pequeno e tinha me dado o mesmo efeito..
    começaram a sair bolas pelo meu corpo.. uma coceira infernal e eu nem me dava conta..
    tive lá que levar uma injeção pois se virasse a noite daquele estado me sufocaria..
    parece que algo do siri atacou meu fígado..
    sobre o relato da amiga srs
    as vezes se entra em cada assunto e bem na hora de comer né..
    claro.. se esta jogando conversa fora, mas tem assuntos que melhor nem serem levados em conta..
    nosso estomago embrulha rsrs
    vi tempos atrás uma reportagem de um restaurante em outro país no qual tudo que se ouvia era o barulho dos pratos e talheres sendo limpos na cozinha..
    ng falava na hora da janta ou almoço.. nem mesmo os celulares ficavam ligados..
    era um belo experimento que tinha dado certo e as pessoas gostavam daquilo, pq nunca tinham tempo de ficar paradas só consigo mesmas e saboreando a bela comida..
    pior ainda é estar em situações de janta ou almoço e vendo as porcarias dos telejornais..
    cabe a nós sabermos separar as coisas..
    tenha um lindo dia bjs e até semrpe

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso