25 de janeiro de 2017

UM TANTO BELOS, UM TANTO FERAS



            
                - Taís Luso

Quando estávamos chegando da rua, sentimos um forte cheiro de queimado no saguão do prédio, no elevador, no nosso apartamento. Em poucos minutos muitos moradores dos prédios vizinhos estavam no canteiro central da rua. Motivo? Um apartamento do prédio ao lado do nosso estava em chamas devido a uma vela esquecida... A fumaça vinha muito para o nosso prédio.  Fechamos os vidros, vimos que nada acontecera e descemos por motivo de segurança.
Mas o que muito me sensibilizou foi o trabalho do Corpo de Bombeiros. Em minutos estavam no prédio. Vendo esses heróis correndo para dominar o fogo do outro edifício, e as sirenes nervosamente pedindo caminho, confesso que fiquei com nó na garganta. É uma situação que altera todas nossas emoções. Uma mistura de sentimentos, um caos.  Tudo fica por um fio. E são situações assim que nos levam a pensar no lado sério e dramático da vida. Emoção combina com superação, heroísmo e solidariedade. E vi muita solidariedade e emoções nessa manhã conturbada.
Tudo fica ótimo quando nos deparamos com situações agradáveis: pessoas sociáveis, delicadas e solidárias. Mas, por outro lado também nos deparamos com outro tipo de gente, que pouco valem. E como o ser humano é feito de várias misturas, de genes, de DNA que transmite caracteres próprios, nada é fácil. 
E sentimentos assim nos levam ao desânimo, e a reconhecer que somos belos, de espírito, mas também extremas feras. Fica uma situação ambígua: o desejo de aproximação como também o sentimento de cair fora na mínima desconfiança. E isso existe nas famílias, nas amizades, na faculdade, no trabalho, no lazer. Presente em todos os setores.  Por vezes cometemos injustiças, tamanha desconfiança que vêm de águas passadas. É aquilo que sabemos: a dor ensina a gemer.
Então vem a pergunta: afinal, o que é mais forte, o que mais predomina na raça humana? É o herói que salva, que comove, que chora, que acolhe, que doa órgãos, que constrói maravilhas, que pesquisa em prol da vida, ou é aquele que engana, que trucida, que mata, que tortura, que estupra, que crucifica,  que aprisiona e que faz as guerras? As atrocidades estão tão descontroladas que não sei o que pensar. O que sei é que somos a única espécie que encontra na tortura um  enorme prazer .
E ficamos nesse sentimento dúbio, uma hora amamos os bons, noutra odiamos aqueles que não passam de exterminadores  numa sociedade que só quer viver em paz. 
_________________________________________



36 comentários:

  1. Puxa, imagino que sufoco!
    Só sentir o cheiro de fumaça já nos assusta e logo vamos procurar... Mas tua reflexão ficou ótima e convidativa...

    Realmente vemos nos nossos dias casos maravilhosos, exemplos de pessoas e de vidas e por outro, o que nunca gostaríamos de ter que assistir, o resto, os vermes da sociedade, que apesar de tudo, humanos também são chamados...


    De volta, bjs, tuuuuuudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Uma reflexão muito assertiva sobre a realidade de todos nós. E esses dois polos, a bela e o monstro da humanidade, são mais visíveis em situações de risco. Há sempre alguém que na ânsia de se salvar é capaz de atropelar todos, e alguém capaz de pôr a sua vida em tisco para salvar a do outro.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Creo que el hombre es capaz de lo mejor y también, por desgracia, de lo peor. ¿De qué depende? No sé. Circunstancias muy personales. ¿Por qué se despierta la solidaridad de la gente en unos casos sí y en otros no?
    Abraços e beijo.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que há muito mais seres salvadores do que devastadores. O problema é que os salvadores ficam invisíveis po estarem fazendo o que na visão geral é de "obrigação", coisas cotidianas que só enchergamos quando sentimos de perto ou é mostrado pela mídia. Já os exterminadores fogem ao comportamento normal e por isso são temidos e lembrados o tempo todo. Mais ou menos assim: sair às ruas em determinada hora e local é muito perigoso porque podemos encontrar um agressor, porém, nesses lugares temidos e nessas horas de pavor, quantas pessoas de bem estam por ali ... Bjs

    ResponderExcluir
  5. Taís,imagino o medo que passaram.Ontem aqui no bairro em que resido,sem chover,houve um estrondo terrível que amedrontou a todos nós do condominio e quando vimos foi um fio de alta tensão que está bem junto a uma árvore.Ficamos sem energia durante 5 horas e vimos o quanto é importante esses homens que trabalham com amor,como os bombeiros ou os que trabalham para esses sinistros.
    O trabalho é árduo e muito perigoso.
    Bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Taisinha, tivemos mesmo receio que as chamas que queimavam um apartamento do edifício ao lado do nosso fosse atingir o nosso, mas, como está na tua crônica, os bombeiros chegaram em seguida, com dois enormes caminhões com suas mangueiras salvadoras. O fogo do apartamento vizinho foi apagado, com prejuízo total para a sua proprietária, o que foi uma pena. Mas de tudo isso restou-nos a confiança reafirmada nos bombeiros, o que já é muito para nós, brasileiros, que já não confiamos em quase ninguém; nós que vemos o Brasil colocado em primeiro lugar entre os países mais corruptos do mundo; nós brasileiros que vemos o crime tomar conta das capitais e até das pequenas cidades do interior, em todos os quadrantes do Brasil; nós que a cada manhã vamos aos jornais, TV e rádio para ver qual foi o mais recente empresário ou político preso por roubo. Salve, pois, os Bombeiros!. Parabéns pela ótima crônica.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  7. Acróstico

    Seja, médico e monstro o ser humano
    Ele, parece, é tão bom como mau
    Realmente, as vezes carrega o piano
    Há atos que lei de Gérson é normal
    Um vivente que causa muito dano
    Mas que, por vezes, ajuda seu igual
    Assim, o homem as vezes é “mano”
    Noutras se mostra sórdido e imoral
    O que denota que o homem é insano!

    ResponderExcluir
  8. Bom dia querida Tais.
    Que susto devem ter tomado, mas creio que algo assim nós faz lembrar como estamos vivendo. Tem uma interrogação que me faço sempre [Se não existir outra vida, voce viveu essa ?] Sempre que minha vida está virando uma rotina e estou vivendo no automatico me faço essa pergunta, e trato logo de viver plenamente. É amiga na vida vamos encontrar sempre pessoas boas, menos boas e aqueles que nem deveriam ser chamados de seres humanos, porque de humano não tem nada. Mas com isso não podemos deixar de pensar que ainda existe pessoas que são humanos e que fazem questão de fazer o bem ao proximo. Sempre admirei os bombeiros pois ganham pouco para arriscar a sua vida enfrentando o fogo, isso é com certeza dinheiro algum compensa, só mesmo o sentimento de ter salvo uma vida faz valer a pena. Eles são digno de parabens e gratidão. Uma bela postagem. Vou ficar uns dias ausente, mas em fevereiro estarei de volta. Felizes para voce e para o Pedro. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  9. Olá querida Taís, bom estar aqui novamente, sabe, acho que o ser humano tem dois lados, e ao longo da vida ele vai se deixando levar por um ou por outro de acordo com a educação que recebe, o meio que vive, a sua formação, os acontecimentos em sua vida etc, acredito que ninguém é todo bom e ninguém é todo mal! Adorei o texto! bjosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kellen, saudades de você, amiga!!!! Viajando muito???
      Obrigada, adorei você por aqui.
      beijo!

      Excluir
  10. Taís...e essa dualidade de emoções ajudam na nossa caminhada!
    Tento aprender com ambos!
    Bj e gosto da sua escolha

    ResponderExcluir
  11. Boa Tarde, querida Taís!
    Os bombeiros são verdadeiros amigos da gente.. já os usei algumas vezes e em 2 estados... eles são maravilhosos e vêm rápido... Ainda bem! Muito mais eficazes do que a segurança pública...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  12. Não podemos desacreditar da humanidade. Haverá sempre uma mão estendida, um olhar compassivo, alguém a nos ouvir. Creio nisso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. Querida Tais, muito obrigada por teres colocado aí uma pintura do nosso querido Porto, uma zona muito bonita, a Ribeira. Nao sei se o conheces, mas é muito visitado e a ribeira vive cheia de turistas, Quanto ao tema da tua cronicam felizmente ha muita gente boa, heróis anonimos a quem ninguém dá a devida importância; os meios de comunicação, principalmente a tv, passam o dia a dar noticias más; corrupção, desastres, problemas financeiros etc, etc ; ficamos até deprimidos por constatarmos que não há nada de bom neste nosso mundo e isso não é verdade. Sempre falo que aqui em Portugal há um programa no canal público, tv 1 que trata de assuntos interessantes e não aparece uma única desgraça. Mas a que horas passa esse programa? Precisamente às 18 horas, altura em que as pessoas estão a trabalhar ou a sair do trabalho e pt ninguem vê. Neste programa conhecemos pessoas fantásticas, presidentes da junta e de camara que fazem trabalhos maravilhosos e, quando acaba ficamos com uma sensação muito gostosa, a de saber que aqui no nosso Portugal há muita coisa boa e verdadeiros heróis anónimos que deveriam ser destaque no tal " horário nobre ". Infelizmente o mal está mais valorizado do que o bem . A culpa, penso que também é nossa, pois temos um controle remoto e, ao vermos tais noticias, deveriamos mudar de canal, mas, isso não acontece e as audiências são maiores quando as noticias são de horrores. Aqui os bombeiros também fazem um trabalho maravilhoso e já alguns morreram combatendo fogos de origem criminosa; passam dias a mostrarem as imagens dos incêndios, mas logo esquecem os heróis que perderam a vida. E o problema é sempre o mesmo, o lucro e a disputa pelas audiências entre os vários canais. O ser humano hoje em dia está em segundo plano. Bela cronica, amiga. Beijinhos e espero que já estejas refeita do susto
    Emilia

    ResponderExcluir
  14. E devo aqui dizer o nome do program e esqueci-me; é o Portugal em directo e é apresentado por uma senhora simpatiquissima que acaba o programa dizendo " não se esqueçam de ver sempre o lado bom da vida," Só a maneira como o apresenta, dá-nos um novo ânimo para enfrentarmos o que de menos bom a vida nos dá. Tais, faço minhas as palavras da apresentadora desejando-te isso mesmo, que consigas tirar da vida aquilo que ela tem de mellhor. Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Para CÉLIA E EMÍLIA -

      Queridas amigas, o título da crônica é Um tanto belos, um tanto feras! Portanto temos, esses dois tipos de gente. Penso eu, sim, que existem aqueles que estendem a mão, solidários, humanos; sabemos que existem, a mídia mostra. Porém não podemos esquecer a outra parte e que a mídia tem obrigação de mostrar para se resolverem os problemas. Quando se esconde os problemas, jamais serão resolvidos.
      O que seria de nós se não mostrassem os problemas da Síria, das crianças mortas; das crianças e mulheres estupradas; da mega corrupção onde 20 milhões no Brasil estão desempregados; dos famintos moradores de rua que por incompetência do Estado, quase vegetam? Como ficariam os hospitais se a mídia não mostrasse? Como ficaremos nós sem segurança por mais tempo onde somos assaltados dentro de casa? Como ficaria nossa educação se mesmo mostrando é o caos? Não podemos mostrar apenas as belezas do país, dos trabalhos voluntários fantásticos que conhecemos, no coração bom de quem presta serviços humanitários, nos médicos sem fronteiras - um trabalho espetacular, mas temos de colocar o dedo na ferida para que as coisas boas tripliquem! É um tipo de policiamento necessário que é preciso fazer sempre!

      Beijos, queridas, valeu muito o comentário de vocês, deu-me a oportunidade de esclarecer mais meu ponto de vista.

      Excluir
  15. Bem verdade,amiga.

    Somos todos duais.Ninguém é totalmente bom ou mau.

    Mas o Corpo de Bombeiros admiro e aplaudo sempre.

    Estão presentes em muitos acidentes além do fogo.

    Que Deus os abençoe.

    Obrigada pela visita e uma noite de quinta-feira de paz profunda

    Beijos sabor carinho

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  16. Não sei bem qual é a espécie humana que mais predomina na raça humana. Mas todos sabemos que a maioria das pessoas que estão "bem na vida" têm uma característica comum que é a falta de escrúpulos, bem presente, por exemplo, na corrupção, na fuga aos impostos, etc., etc. Os bombeiros, coitados, lá vão vivendo...
    Taís, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Amiga Tais já sofri um incêndio na m/casa
    e sei o horrível que foi e a abnegação dos
    bombeiros.São pessoas de carne e osso como
    nós, mas que só pensam em resolver os problemas,
    esquecendo sua própria vida e ganham mtº. pouco
    e as pessoas nem sempre se lembram de ser solidárias
    com eles e as suas Instituições.
    O ser humano é capaz do melhor e do pior, e seria
    tão bom que as pessoas se guiassem por princípios
    de honestidade, partilha e amizade.
    Bjs. para si e bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  18. UN TEXTO MUY REFLEXIVO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  19. Tais
    No fundo, bem no fundo, o verdadeiros heróis são os que, como o seu altruísmo, de dedicam a causas nobres, como são as humanitárias, como as dos bombeiros.
    Voltando atrás, a Revolução Farroupilha faz parte de história do Brasil, mas a minha pretensão, só pretendo fazer um pouco da história da Colonização e publicar em livro. Aproveito a informar que o meu próximo livro SENHORA DO MAR, terá distribuição no Brasil. Proposta da nova Editora, já que o livro é verdadeiramente Lusófono.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avise quando for lançado aqui, Daniel. Realmente, o Corpo de Bombeiros é para ser sempre exaltado, são heróis, pensando neles tomamos uma folguinha da enorme corrupção... Precisamos respirar um pouco.
      beijo.

      Excluir
  20. Cara amiga Tais, realmente, por vezes, ficamos divididos diante do dilema e já não sabemos o que fazer, mas,seja como for, devemos aplaudir sempre as boas atitudes.
    Infelizmente, como bem frisou a Emília Pinto, parece que as mídias se realizam propagando as más notícias. Pois eu tenho evitado ao máximo me aprofundar nas más notícias, pois acho que à medida que as alimentamos, estamos, de certa forma, aplaudindo a bandidagem.
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  21. Imagine, às vezes, é preciso que se abra a perspectiva de uma tragédia para que possamos perceber a importância do outro. Claro que sei que não o teu caso e o de Pedro. Perto de nós, abre-se uma consciência é maior, acompanhamos de perto e nos damos conta do quanto há de heroísmo, de dedicação, de solidariedade, nos "homens do fogo". Basta lembrar da boate Kiss. E, então extrapolamos para outras situações e percebemos que a humanidade regride. Há muito não sabemos o que humanismo. E como tem se acentuado o espanto de existir no "mundo cão" em que vivemos. "E a gente vai levando", como já disse Chico Buarque...
    Beijo, querida amiga,

    ResponderExcluir
  22. O ser humano é essencialmente bom. Tem ímpetos, impulsos de solidariedade, reflexos de boas ações. Já li que o ser humano não faz o mal pelo mal, faz pensando que está fazendo o bem, todos tem uma justificativa, que não é a nossa exatamente, por mais banal que seja o motivo, pra quem o faz tem uma razão, um propósito. Beijos, Tais.

    ResponderExcluir
  23. No seu "Cântico Negro" José Régio afirma que "nasceu do cruzamento entre e o Diabo".

    talvez seja essa a natureza humana. o equilíbrio entre as duas pulsões - a Vida e a Morte, o Bem e o Mal, etc. etc.

    a bela aguarela do Bairro Ribeira, no Porto, se outras razões não houvessem na crónica por mim seria suficiente para apenas sentimentos positivos-

    gostei muito da crónica, Tais.

    beijo

    ResponderExcluir
  24. O ser humano tem o melhor e o pior dentro de si. Esta sua reflexão a partir de um episódio que se passou na realidade, obriga-nos a pensar que há pessoas capazes de gestos solidários e até heróicos, para quem nunca é indiferente o que acontece aos outros. Mas há aqueles (e penso que apesar do estrago estão em minoria) que só pensam em fazer o mal. Precisamos de esperança, amiga Tais.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Que bom que nada aconteceu com vc e com sua familia. Aparentemente foi simples, nenhum grande acidente fatal. Somos duais, temos nosso lado bom e ruim. Devemos tê-los em equilibrio. Gostei muito da sua reflexão.

    ResponderExcluir
  26. Mais uma bela cronica,. Não seria preciso vive-la certamente, para ser
    escrita na mesma.....Mas como foi sentida na pele, ela tornou-se dramática e foi lida por nós, com outro sentir...Quanto aos Soldados da Paz.....eles são assim em todo o mundo....Generosos...
    Beijo

    ResponderExcluir
  27. Não querendo ser pessimista... mas realista... acho que a cada dia que passa... o numero de heróis, sai perdendo para o numero de vilões em que a gente vive tropeçando...
    Os bombeiros... estariam cumprindo sua função nesse acontecimento, Tais... nada garante que fora das horas do seu serviço... sejam pessoas igualmente boas e solidárias... e isto verifica-se como bem diz... em qualquer outra profissão...
    Por exemplo, cá no meu país, um número significativo de incêndios no Verão, é provocado por bombeiros... com algum problema pessoal ou profissional, que leve a isso... teve um, no ano passado, que até foi provocado por um menor, a mando do pai... que era bombeiro... e assim vai este mundo... meio louco... só um pequeno exemplo, de que tudo neste mundo, é tão relativo...
    Mas falando em heróis... há que recordar os do 11 de Setembro... que ainda hoje estão pagando com a sua saúde, terem inalado materiais tóxicos durante tanto tempo... 165 bombeiros de Nova Iorque (se não errei no número) já morreram com doenças respiratórias desde então...
    Beijos! Continuação de uma feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  28. Puxa, amiga, que susto!
    Louvo o trabalho de todos os bombeiros. Gente anónima, corajosa, boa.
    Consola saber que há gente boa no mundo, mas os malvados, invejosos, prepotentes, ladrões, também andam por aí, à solta, extrapolando limites. E são cada vez em maior número.
    Nada há a fazer, o mal existe. Lamentavelmente, existe mesmo em nós.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  29. Nunca esqueço o meu professor de psicologia que afirmava não saber se era assassino, porque lhe parecia ser capaz de matar para salvar um filho, ou outro ente muito querido.
    Depois há a má formação motivada por situações de risco e exclusão social, é, de facto a mais abundante... Há seres destes que colocados em trabalhos sociais e comunitários - como bombeiros, paramédicos, vigilantes e deste género - são capazes de desempenhar dignamente os seus cargos.
    A maldade congénita creio ser muito rara.
    A humanidade é em geral honrada e capaz de ações nobres, porém, é a maldade que anda na boca do mundo...
    Parabéns pela crónica, Taís. Gosto de refletir sobre estas questões.
    Abraço, querida amiga.

    ResponderExcluir
  30. Estou retornando e vejo uma página que relata muito bem uma realidade.
    Bom que nada de grave aconteceu, pois como sempre os bombeiros agiram com o heroísmo de sempre.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  31. Um texto muito bem escrito , e que nos faz reflectir...
    Um enorme bem-haja aos bombeiros , que se colocam em risco para salvar vidas...

    Beijinho Tais

    ResponderExcluir
  32. Antes de mais, elogio a postagem da aquarela de Dina de Souza. O Porto, cidade onde vou com alguma frequência e mora o meu filho, é uma cidade encantadora pela sua especificidade e esta zon, a Ribeira, é muito típica.
    Quanto ao teu texto, muito feliz a partir de um facto real, apraz-me dizer: os bombeiros, na sua génese, são um corpo solidário (por cá até são designados de soldados da paz) e que estão sempre lá para as situações de perigo. Estamos sempre em dívida para com eles; quanto a este aspeto em que centras a tua análise, que lado pende mais na humanidade, penso que a linha que divide as ações boas e as más, é por vezes, muito ténue. Acredito que prevaleça a natureza boa, mas são geralmente as atrocidades que são noticiadas. Em todo o caso, a humanidade torna-se cada vez mais egoísta.
    Já tinha lido, mas prefiro comentar, em alguns blogues, pelo pc.
    Bjo, Tais :)

    ResponderExcluir
  33. Ainda bem que temos a esse corpo de humanitarios que exercem pelo nosso bem. De todas formas o susto ninguém o tira.
    O importante é que tudo saiu bem.
    Bonito o meu Porto e mais visto assim!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso