1 de janeiro de 2018

UM MUNDO EM TRANSFORMAÇÃO



              - Tais Luso


Entramos no Novo Ano – 2018. Aproveito para fazer uma visita de cortesia à uma outra época, cada vez mais distante, mas que nunca perdeu o seu encanto. Foram anos lindos,  deixaram suas histórias que embalaram sonhos. 
Agora vivemos a Era da Informatização, muitas vezes mal usada, mas não podemos tirar-lhe o mérito como uma das mais importantes fases da História. Grandes ou singelas são as façanhas que marcaram épocas. 
'Singeleza' fica com o Hot-Dog!! Um delicioso valor estimativo, passou por várias gerações. Nasceu nos Estados Unidos em 1906 e tornou-se um patrimônio de vários países. Fez parte da nossa liberdade, pois quando a fome batia, havia um ponto de Hot-Dog por perto - refeição rapidinha! E até hoje é assim. Mas, agora há um conflito dos infernos, pois seguindo os especialistas em saúde, tudo que é bom nos mata: salsichas, molhos, pão branco, bolos, doces, massas, embutidos, churrasco, batatas fritas Pois é, ‘a mão que afaga é a mesma que apedreja’, como nos disse Augusto dos Anjos.
Aqui no Brasil nos aconselham a comer pão preto, pão integral, pão de centeio, pão de ômega, pão de ervas... E comer muito verde! Tenho a impressão que como a Mata Atlântica. Tenho medo de morrer vendendo saúde.
As décadas de 60 e 70 foram anos de muito glamour. A alta-costura mostrou a sofisticação da época com estilistas renomados. Também as músicas se eternizaram e a juventude dançou no embalo de Elvis Presley, Chubby Cheker e Bill Haley. Nessa época os Beatles enlouqueciam a juventude com suas cabeleiras e guitarras, com suas letras contestadoras e revolucionárias. Surgia no Brasil a Bossa Nova com Tom Jobim, Vinícius de Morais e João Gilberto, no Rio de janeiro. E Elis Regina marcou a Música Popular Brasileira – MPB.
Nesse período havia respeito e ordem nas salas de aula. Os professores eram os mestres! Hoje, se pegarem um desajustado pela frente, levam uma voadora e vão parar no hospital, o que não deixa de ser uma profissão de risco. Não havia Internet, mas os jovens eram felizes e  menos encucados. Tinham tempo para viverem a época.
Os valores eram outros. Família era o porto seguro. Mas também apareceram  os hippies na década de 60 - um caso à parte, uma rebeldia no mundo inteiro.  Largavam suas famílias e saiam pela vida com a intenção de mudarem o mundo! E o mundo foi mudando de comportamento – com paz, amor, sexo, drogas e Rock and roll. Discutiam questões políticas e o objetivo era gritar pelo fim das guerras.
Hoje, o mundo é outro, a comunicação é diferente. A Internet já faz parte da nossa realidade, e somos protagonistas dessa Nova Era - coisa que nunca imaginamos. 


__________________

Vejam  a  letra - pura emoção ...






46 comentários:

  1. Bom ano novo, Taís.
    Creo que la era "internet" no es ni mejor ni peor que otras. Hay que aprovechar sus posibilidades. Si no es gracias a internet, nunca te hubiera podido conocer.
    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, somos quase como dinossauros de outra época. Mas, diferentes deles, não nos extinguimos e sabemos ser responsáveis pela era mais criativa nas artes e costumes. Excelente crônica Taís, você excede.

    ResponderExcluir
  3. Era um mundo diferente!

    Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
  4. Que bom Taís viajar nesta retrospectiva bem elaborada com ilustrações de fatos que merecem toda nossa atenção e reflexão.Bons tempos amiga e creio de mais engajamento com o mundo.A informatização veio com força e sem controle e o bem que se pensava da inclusão hoje nos causa espanto pelos desmandos. Mas é assim todo processo mesmo, creio eu.
    Bom mesmo é saber que ainda estamos conseguindo acompanhar estas evoluções, meu pai estivesse vivo estaria em crise existencial com tudo que rola neste mundo,rsrs.
    Um abração duplo para vocês e que possamos escrever bem nossas histórias.
    Bjs de paz amiga e vamos que vamos mais um ano neste mundo.

    ResponderExcluir
  5. O mundo está em constante mudança, e vai dando uma no cravo e outra na ferradura, que é como quem diz, se a tecnologia é boa e faz o mundo progredir, também leva muita a gente a viver num mundo virtual, esquecendo cada vez mais quem vive o mundo real.
    Abraço e Bom Ano

    ResponderExcluir
  6. Olá, querida amiga Tais !
    Mesmo com toda mudança e tecnologia , não está fora de moda visitar os amigos para lhe desejar um sincero feliz e abençoado 2018!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  7. Boa semana, Bom Ano, beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Belo Post, para os desinformados...Gostei daquela..."Medo de morrer
    vendendo saúde"...Só a Taís...
    Pois é...direi que hoje só tenho amigos da Internet...portanto....!?
    Até a esposa...Um Bom Ano Taís, para si e Pedro Luso.
    Um grande 2018, melhor para a diversidade do Mundo.
    Beijo e abraço

    ResponderExcluir
  9. Gostei de viajar no tempo com esta sua crónica. Tanta coisa mudou. E nós também mudámos... Já não queremos salvar o mundo por acharmos que ele não tem salvação... Resta-nos a solidariedade com os que estão perto de nós? Oxalá consigamos fazer a diferença!
    Uma boa semana, minha Amiga Tais e que o ano de 2018 lhe traga tanta coisa boa...

    ResponderExcluir
  10. Agora há que continuar a caminhada ... evitando erros do passado e acreditando num futuro melhor!!!bj

    Eu regressei “em força”:
    - dias no Porto com chuva
    https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/olhares-no-e-do-porto.html
    - uma receita bem saborosa:
    https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/tarte-de-cenoura-e-coco.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de dizer que adoro o som!!!
      ...
      A novidade de hoje é aqui:
      https://mgpl1957.blogspot.pt/2018/01/pensamentos-luz-das-velas.html
      bj

      Excluir
  11. Pois é, essa "Era da Informatização" mexeu com a vida de muita gente (não falo das crianças e dos adolescentes), falo de seus pais e das pessoas que já eram adultas no ano de 1990. Tivemos que estudar informática (fiz um curso que levou seis meses), ficávamos presos à telinha do computador, ao mesmo tempo admirados pela extraordinária novidade, a Internet, e tontos com tudo que teríamos que aprender (um curso de informática não era o suficiente), com as dúvidas quanto à seriedade do que líamos. O YouTube somente apareceu bem mais tarde, com muitos defeitos; depois que o Google adquiriu essa ferramenta víamos melhora bastante rápida. Hoje o YouTube devolve àqueles jovens e adultos de 1990 os filmes de preferência de cada um, a música, em todos os estilos, e, ainda, aulas de várias matérias, desde a matemática ao português, conferências etc.
    Parabéns, Taisinha, pela excelente crônica.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  12. Cara Tais, excelente crônica descritiva de resgate da época da nossa juventude, daquele "velho tempo" e "belos dias".
    Um abração. Tenhas um bom ano, uma boa vida; feliz sempre.

    ResponderExcluir
  13. Excelente texto-Adorei.

    -
    Para o segundo dia do Ano, temos: "Perambular nesta viagem da vida"
    .
    Bjos e 2018 em grande.

    ResponderExcluir
  14. Minha querida Tais, gosto muito das suas crônicas, gostei muito desta que fala sobre épocas passadas. Nada como voltar ao passado de vez em quando! Passando para desejar um 2018 repleto de grandes realizações, saúde, paz, sucesso e amor.
    Tenha uma excelente semana!

    ResponderExcluir
  15. Bom Ano Taís! Como gostei do que escreveu principalmente pela volta pelo mundo da música. Eu sou um "pouco" mais velha e recordo com muita nostalgia a música dos anos 50 e 60. Aqui na Europa "éramos mais" cançonetas francesas- Georges Brassens, Charles Azenavour, Patachou, Edith Piaf...- cançonetas italianas- Dominico Modugno, Marino Marini...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Querida Taís.
    Excelente a sua crônica.
    Muito bem humorada e verdadeira.
    Te desejo um abençoado novo Ano repleto de
    realizações.
    Um grande e carinhoso abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Tais... Não sei se saúdo a sua memória da década de 60 ou pelo Novo Ano... século XXI em que estamos! Maravilha foi rever e até sentir na sua crônica... "aqueles tempos"! Claro que, hoje, tem também suas delícias e pecados, principalmente os gastronômicos... Então, Tais, o jeito é embarcar nas doces delícias dessa "Nova Era"!
    Abraço e seja feliz sempre!

    ResponderExcluir
  18. Beautifully written and true.
    Greetings.

    ResponderExcluir
  19. Excelente texto!

    Beijo. Um excelente ano de 2018

    ResponderExcluir
  20. Querida amiga
    Como já vem sendo habitual, gostei imenso da sua crónica.
    Não é muito fácil comparar os tempos actuais com os de “antigamente” e dizer que uns são melhores que outros, já que em todas as épocas há coisas boas e coisas más…
    O que é mau, sem dúvida, são os excessos, os exageros. A minha Mãe, uma mulher muito sábia, costumava dizer – “Tudo que é demais é erro” – e eu concordo inteiramente.
    Recordamos sempre com nostalgia os tempos passados. De facto eles têm um encanto que nos seduz. Não será porque, exactamente, são passado? Deixo a dúvida no ar…
    Nunca gostei de hot-dog, o que, nas várias viagens que já fiz aos States, foi uma desvantagem… Muitas vezes via os outros comerem e eu ficar com “a barriguinha a dar horas…”. Agora é uma vantagem para mim, pois com tantos aconselhamentos alimentares, é menos uma coisa a prejudicar a minha saúde. Conservas, enchidos e afins são verdadeiro veneno. Coca-cola é boa para limpar depósitos de gasolina, etc., etc., etc… Resta-nos comer a Mata Atlântica…
    Como você muito bem diz, arriscamo-nos a morrer vendendo saúde! E aqui para nós que ninguém nos ouve… parece-me que é mais fácil morrer doente, deve custar menos… rsrsrsrsrsssssssssss
    Não vou alongar-me mais. Tenho é que pedir desculpa por falar tanto…. (nas ainda tinha tanto para dizer…)
    Um muito feliz 2018!

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    PS - Essa música do Elvis, nomeadamente a letra, é uma verdadeira delícia!

    ResponderExcluir
  21. “Mudam-se, mudam-se as vontades”, dizia Camões, e muito mais se modifica em torno de nós. Mas é bom não perder a perspectiva da história, como bem o fizestes neste resgate, Taís, fazendo o itinerário que nos trouxe aos novos tempos. E como sabemos que a transformação não tem limites, é preciso cada vez mais alargarmos o tempo para que nada percamos... Bela crônica.
    Também deixo o meu abraço para você, o Pedro e toda a família, desejando um Brasil melhor, porque merecemos, e muitas realizações, além da e da saúde.
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  22. Não sou saudosista do passado...
    Felizmente, apesar da população mundial ter aumentado drasticamente, os governos estão constantemente a publicar leis de proteção social.
    É evidente que estamos a falar de realidades diferentes...
    Com os Beatles, as drogas contaminaram o mundo civilizado e o fim de Elvis foi muito triste. Penso que agora é um problema mais controlado na Europa que está a lutar com grave crise económica.
    A Dinamarca continua a ser o «país mais feliz»...

    Que seja um Bom Ano para nós, para as nações e para a humanidade.

    Grande e terno abraço, querida Amiga.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  23. Oi Tais
    Eu peguei bons tempos, mas hippies eu era uma "meninota". Esqueceu de falar do fedor da falta de banho.kkk.
    Eu fui criada à rédeas curtas.
    Morando no interior não se sabia muito, somente o que estava escrito nos livros didáticos.
    Um ano cheio de alegrias para todos nós. Será?
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  24. Outros tempos e sempre em mudança!
    Um feliz 2018 Taís!
    Bj
    Rui Olhar d'Ouro - bLoG
    Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

    ResponderExcluir
  25. En cada época hemos ido disfrutando de las buenas cosas, ahora creo que disfrutamos de la gran tecnología que con ella nos hace sentir cerca uno de los otros.
    Un feliz 2018.

    ResponderExcluir
  26. Tais,

    que a Nova Era, com os poderosos meios técnicos que fornece, se inscreva no "sonho milenar de mudar o mundo"! esta excelente crónica, como outras, constitui eloquente partilha e estimulo em vista a esse desígnio.

    beijo

    ResponderExcluir
  27. Oi Taís, tudo bom? Faz um tempo que não visito seu blog. Vim para desejar um feliz 2018 e dizer que vou visitar seu blog mais vezes rs.

    E se, em vez de você esperar por 2018, 2018 esperasse por você?
    Em vez de: "2018 vai ser melhor", use: "Eu serei melhor em 2018".
    Em vez de: "Que 2018 seja um ano excelente", use "Eu serei uma pessoa excelente em 2018”.
    Em vez de: "o que 2018 me reserva?", use: "O que eu reservo para 2018?"
    Em vez de: "tomara que 2018 me traga...", o que é que você pretende levar, entregar, oferecer a 2018?

    Te desejo um ótimo VOCÊ para 2018.

    (autor desconhecido)

    ResponderExcluir
  28. Gostei muito deste retorno ao passado e só podemos constatar que cada época traz suas marcas e que tudo vai mudando e vamos, dentro do possível, acompanhando. Que 2018 se um ano ameno e nos aconchegue na paz. bjs

    ResponderExcluir
  29. Maravilhosa crônica, você a nos conduzir numa
    viagem do tempo e de forma envolvente
    a tocar nesta memória histórica humana, e
    a viagem da vida continua com tantos recursos
    tecnológicos que facilitam e também ainda bem
    as artes para tocar a sensibilidade, no lembrar
    o humano de Ser humano. ..
    Querida Tais, concordo também com o que você
    disse no meu blog: "a palavra esperança para
    nós brasileiros".
    Uma semana radiante e muitas inspirações
    para suas excelentes crônicas.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  30. Minha amiga como sempre uma crónica brilhante.
    Desejo-lhe um Ano de 2018 pleno de alegrias, saúde, paz, amor e sonhos realizados.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  31. Texto brilhante, perfeito...parabéns Tais!!! Feliz 2018...que venha pleno de alegrias e bençãos! abraços..

    ResponderExcluir
  32. Amei a magnífica retrospectiva! E que venha muitas transformações positivas em 2018, que a família volte a ser valorizada e os valores éticos, morais e religiosos retomem seu espaço melhorando a nossa convivência com o próximo.
    Beijos afetuosos!

    ResponderExcluir
  33. Taís Luso, bom dia !
    Pois é, querida Escritora, que chatice seria o mundo, caso não
    houvessem surgido todas aquelas fases a que te referes.
    O texto é um passeio ma história, vivida por muitos que ainda
    a testemunham...
    Um carinhoso abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  34. Nunca duvidei que aparecerias de novo, minha querida! :)))))))))
    Fico feliz por teres gostado. Optimista por natureza... acredito que o bem praticado, mais tarde ou mais cedo, colhe os seus frutos.
    Portanto... ponhamos os chapéus nas cabeças dos que deles precisam :)))

    Um abraço apertado e
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  35. Recordar é viver. O passado faz e fará sempre parte do presente e do futuro.
    .
    Tema: * O Silêncio da Luzência em noite escura *
    .
    Continuação de um feliz Ano Novo
    Boa tarde.

    ResponderExcluir
  36. Que bem que escreve Tais !cada época tem o seu encanto na descoberta de novas realidades que se apresentam como um mundo novo com desafios e objetos que nos parecem "brinquedos" apresentados só para dar boas experiências e melhorar a vida! mas como tudo tem o seu lado "endiabrado", há que ler nas entrelinhas e descobrir o feitiço malvado que espreita em todas as coisas para que a nossa vida não se transforme de tal modo que possamos perder o controlo a liberdade e o sobre os nossos pensamentos e as nossas ações!
    beijinhos amiga
    votos de um ano muito feliz
    Angela

    ResponderExcluir
  37. A decadência do mundo foi o capitalismo que trouxe, assim acredito! abração Reflexivo texto.

    ResponderExcluir
  38. Tenho saudades dos anos 60 e 70 do século passado. Depois deles, nada ficou como dantes, pois tudo mudou. Umas coisas para melhor e outras para pior.
    Mas esta era também está a acabar... vem aí a da inteligência artificial...
    Parabéns pelo texto, gostei muito.
    Amiga Taís, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  39. Bom dia, querida Tais,
    estou emocionada literalmente, ouvi duas vezes Elvis Presley, My Way, sem comentários, pois não consigo descrever a sensação que senti, e já deixei marcado para voltar mais tarde, e aqui fazer parada para ouvi-lo novamente.Quem não gosta do Elvis?
    A sua crônica, cara cronista, nos leva a fazer um retrocesso na história, pelo menos quem a viveu ou passou por ela. Há muito que ser lembrado e até quem sabe, comparado. Porém como você bem escreveu, o mundo se transformou e continua se transformando, e assim vamos juntos.Sua escrita é riquíssima , amiga. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  40. Que foto incrível!

    E o mundo ainda vai se transformar muito mais rápido daqui pra frente, viu???

    Felizes mudanças para nós em 2018, 19, 20...

    ResponderExcluir
  41. Tais Luso
    A década de 60 /70 marcou época. Pela arrojada música e pelo modo de a apresentar, deu-se se uma revolução cultural de muitas implicações futuras. Agora já estamos em nova era em destaque para a globalização, com a Web samit, etc. Imperdível esta nova era que, marcará até o futuro da humanidade.
    Beijos e desejos de Bom ano de 2018.

    ResponderExcluir
  42. Um mundo em transformação a toda a hora... e eu sempre me perguntando... quando será que melhora?... :-)
    Adorei a sua crónica, Tais! Impossível não rir... com o "morrer vendendo saúde..." :-D e que me deu muita saudade dos anos 80 e 90...
    Beijinhos! E que seja um feliz 2018 para todo o mundo... se Trump deixar...
    Ana

    ResponderExcluir
  43. Sempre cativante a forma de narrares, além do inteligente entrosamento dos assuntos e, no caso, tantos em comum!
    Bjinho, Tais

    ResponderExcluir
  44. As décadas de 60 e 70 foram as melhores da minha vida! O mundo não era complexo, não tínhamos tanta informação, tanto para escolher. Uma cacharrel e uma pantalona eram suficientes para sermos felizes nos bailinhos das garagens. Perdemos a inocência e com os anos, ganhamos tanto com as novidades do mundo moderno, mas somos amargos, sem esperança.
    Não temos futuro, só indignação e medo!

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís