1 de fevereiro de 2018

TUDO MUITO LOUCO

Surrealismo


         - Tais Luso

Dando um tempo para divagações, parei pra pensar na correria do nosso cotidiano. Também pensei no fôlego que eu tinha, quando criança, ao subir  uma escada grande de minha casa, de dois em dois degraus. Naquela época eu já tinha consciência de finitude. E vendia saúde. Hoje não vendo mais nada, to comprando. A  vida tornou-se muito louca e o gás diminuiu, né gente?
Muitas vezes andamos estafados sem saber a razão. Um tal de faz assim, faz assado, não come isso, não vai lá, volta aqui, busca, leva, troca... olha a hora, criatura!
Leva o filho, busca a filha. Corre ao velório do tio para o derradeiro adeus, a última olhada no tiozão  de sapato marrom...
Um mundo  com regras e cheio de novidades a cada amanhecer. Sufocante!
O mundo contemporâneo virou uma obra-prima do surrealismo, impossível interpretar o ser humano e suas façanhas. Como essa gente briga, que feras! Como meu sonho de consumo não é viajar e nem comprar a Petrobras, me dou ao luxo de pensar. Se Descartes mandou pensar, penso: Penso, logo existo.
O bombardeio começa no que você não pode comer! Não coma massas, churrasco, carboidratos, doces, pizzas, sorvetes, sonhos, pastéis, bolos, chocolate, embutidos... e morra de tristeza!! Coma fibras e frutas! Coma muita salada! Cuidado; não morrerá do coração, mas poderá morrer com a bactéria salmonela e agrotóxico.
Deite cedo, levante cedo; fique pouco no computador,  faça exercícios, leia e mantenha-se informada. Cuide da casa, não deixe abagunçar porque a família é a primeira a lhe chamar de porca. Ufff... Tudo pode acontecer.
Reunir a família nos  domingos é fundamental, é carinho! Vá para cozinha, se esborrache num estrogonofe, num Bacalhau à Gomes de Sá, isso é um ato de amor, percebe? 
Aproveite o clima generoso de felicidade diária e ame a todos como se todos fossem você e diga que perdoa seus algozes! Seja demagogo, é tão lindo!
E no meio de todo esse rebu, deve sobrar tempo para a derradeira pergunta: quem sou? O que vim fazer? Para onde vou? Tudo muito louco.
É por tudo isso que precisamos de leveza e humor na vida.


___________________________
Nota:
Nesta crônica abordo um tema baseado na observação dos fatos do 'nosso cotidiano, da nossa sociedade' -  não é nada particular. As crônicas não são, necessariamente, baseadas na vida do cronista. 
____________________________




64 comentários:

  1. Oh Tais como é bom, pela minha madrugada dentro, "vê-la" pensar! Tudo isso "quem sou? O que vim fazer? Para onde vou? " mas eu junto mais ainda: "quem sou... sozinha? o que faço ...sozinha? para onde vou...sozinha?" Consigo acrescentar: "vivo com as nossas memórias...sozinha"

    ResponderExcluir
  2. Se perdemos muito tempo a pensar em todas as proibições ainda nos esquecemos de viver.
    Bjs, bfds

    ResponderExcluir
  3. Taís, tua crônica está bastante forte hoje. Achei tuas colocações um pouco amargas, parece mais um desabafo urgente. Siga teu próprio conselho e ponha leveza e humor na vida. No mais, um ótima crônica com a marca registrada "Taislusiana", parabéns.

    ResponderExcluir
  4. O mundo tal como está
    é mesmo uma obra prima de correrias
    e até distorcido
    nas suas alegrias, poucas de tempo... ~_````

    Beijinhos de aqui do frio
    da Serra
    que nos deixa sem pio...

    ResponderExcluir
  5. Muito bom e falaste exatamente o que acontece... Tantas "regras", tantas sabedorias sobre como aumentar nossos aninhos por aqui, fazendo isso ou aquilo...

    Mando tudo pras cucuias e faço só e exatamente o que meu coração manda. Não aguento mais regrinhas de isso faz bem, isso faz mal, etc...
    Sigo e sigo teimosamente...Enquanto der certo ,tudo bem...Só peço que pelo menos minha cabeça permaneça bem e meu corpo dependa apenas de mim cumprindo ou não as regras do bem viver...

    beijos, lindo feriado..

    Por aqui já às 06 da matina, o foguetório saudando a N.Sra de Navegantes...Será ela gostaria dessa barulheira num feriado?rs...

    ResponderExcluir
  6. Es básico detenerse en el camino para divagar, meditar para seguir brotando, con los recuerdos que nos enseñan, y con el presente para reptificar.
    Hermoso Tais.
    Un beso feliz viernes.

    ResponderExcluir
  7. Eu como sou do contra, procuro não ligar a todas essas recomendaões. Especialmente essa de deitar cedo. Levei 50 anos a dormir 3 horas por noite. Uma altura um médico disse-me que se não dormisse no minimo 8 horas por noite ia encortando a vida e de certeza não viveria muito. Já fiz 70 anos. É certo que de há uns vinte anos a esta parte estou a dormi à volta de cinco horas. Mas como tenho apneia há muitos anos e só durmo com aparelho, faço consultas regulares do sono e o médico continua a dizer que preciso dormir mais, assim não vou longe.
    Ora eu penso que se vou morrer cedo, quanto mais horas acordada melhor não é mesmo? Afinal tenho toda a eternidade para dormir.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. Tão lindo de se ler. Obrigada.

    Hoje:- Primavera impetuosa...
    .
    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta - Feira

    ResponderExcluir
  9. Lo cierto que vivimos en un mundo de mucha actividad y a la vez muchas exigencias de las cuales hay que ir tanteando e ir mirando lo que nos conviene a cada uno de nosotros.
    Un feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  10. Taís tudo que você escreve é verdade,mas é muito bom toda essa euforia do dia dia,caso contrário acho que morreríamos antes do tempo.
    Sou um pouco louca,mas não sigo muito regras.rs
    Adorei ler.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  11. Precisamos sim senhora!
    Taís gostei da partilha e bj

    ResponderExcluir
  12. Há quem diga que, a morrer que morra consolado. Lool

    Mas sim, gostei do texto. Devemos reflectir
    Beijo, bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  13. Para ver o arrebol é necessário atravessar a noite e em muitos momentos dependendo de onde você esteja a noite é gelada e cruciante.
    Amei te ler moça!Lindo, lindo

    Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Terrível tal massacre social! Independência ou Morte - e Vivas ao doce far niente - Relaxar, rasgar regras e penduricalhos ainda que familiares... Ser mais eu! Seria egoísmos? Egocentrismo? Não quero saber... Com diz Milton: - "o importante é ouvir a voz que vem do coração"... Fui educada segundo normas... Hoje, libertei-me!
    Bjks

    ResponderExcluir
  15. Basta Salvador Dali para ilustrar o surrealismo em que vivemos. Não poderemos deixar-nos tentar tanto pelas regras. É importante viver, com algum bom senso, mas viver!
    Boa crónica!
    Parabéns, amiga Taís.
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  16. No fundo é a mais pura das realidades...
    Gostei do texto!
    Um bom fim de semana.
    bj

    Olhar d'Ouro - bLoG
    Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

    ResponderExcluir
  17. Olá Amiga: on cô tô, pron cô vô? Onde estou, e pra onde vou? Deixo a vida me levar. Como o que gosto, amo a quem me ama, faço o que me dá prazer, choro quando sofro, ajudo a quem precisa, fico furiosa com falsidade, tenho dois preconceitos, um é contra políticos, o outro é contra mal educados, sou sincera quando a sinceridade não fere, caso contrario me calo, amo minha família, minhas amigas mais loucas que eu e também as menos, não ligo a mínima por regras politicamente corretas .
    As vezes sou feliz, as vezes não... Amo suas cronicas e a você.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro você e essas minhas amigas sensíveis da blogosfera, olha como você é querida!! Demais.
      Obrigada, amadinha!
      beijo!!

      Excluir
  18. Taís,

    Você é uma cronista singular, uma arte em expressar o outro,
    que somos todos nós, no mesmo espelho humano, com as nossas
    "maluquices", complexidades, fragilidades e o senso de
    humor (o seu luminoso...) de rir de todos nós nesta
    corrida de "estar" vivo na atualidade. Mas, quer saber,
    o melhor é trazer as nossas crianças interiores para
    fazer um caminho próprio sempre...
    Adorei este espelho, este ato seu de escrever assim,
    generosidade na arte de espelho e não mude isso,
    a leitura da arte assim, aciona à vida!...
    Um ótimo final de semana!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Por vezes corremos tanto que até nos esquecemos realmente de viver, apenas vamos passando pela vida, ou quem sabe, deixando ela passar por nós.
    Excelente crónica
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  20. Cara amiga Tais, a ironia fina é uma ferramenta muito bem usada por você em suas crônicas, aliás, a ironia elegante é uma das características das pessoas inteligentes. Pois, sabes, que agora, na terceira idade, consegui me livrar, sem traumas, do carboidrato, das gorduras saturadas, e praticamente, dos doces, mas, o que me ajudou muito face à empreitada é o fato de que sou tarado por frutas e um apreciador incondicional de verduras, sobretudo, cruas. Um abração. Tenhas um bom fim de semana, um bom ano e uma boa vida.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Escritora / Vizinha, Taís Luso !
    Tudo real, o que está em teu belo texto.
    O difícil é sobreviver a estas pressões
    que já se impregnaram em nossas mentes.
    Sofrimento consciente...
    Um feliz final de semana, e um cordial
    abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  22. Amiga Taís, a medida que ia lindo, ia passando um filme na minha cabeça e várias interrogações, uma delas! será que vivei ou a vida passou por mim?"
    E agora, depois de tudo, vem esse bombardeio, pré diabética! não pode comer isso ou aquilo, resumindo retiraram tudo que gosto, Acho que o mundo é que está louco e se não tivermos cuidado enlouquecemos com ele. Gostei amiga da sua reflexão e do que me levou mais uma vez a pensar. Tenha um abençoado fim de semana. Abraços

    ResponderExcluir
  23. Oi,
    Linda crônica, eu tenho algumas começo do blog, mas enjoei.
    A medida que o tempo passa quero esquecer o passado lindo.
    Agora as dores me fazem companhia e não existe nenhum médico que a cure.
    Então procuro sonhar
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  24. Esta belíssima crônica deve ter sido escrita com retalhos da vida de muitas pessoas, uma com mais dificuldade que outras para vencer obstáculos no relacionamento com parentes, vizinhos e até com amigos. São retalhos do cotidiano tratado com delicadeza com uma reserva para o humor e para os recados com filtro para que uma pessoa com este ou aquele problema não percebido por quem o tem possa rever o que não está bom com ela, que terá a oportunidade de mudar para melhor. Não esqueço de uma conferência dada por um psicanalista que disse que nem sempre precisamos ir para o divã, basta termos bons amigos que saibam ouvir, um padre para quem é católico etc.
    Gostei muito da crônica. Parabéns,
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  25. Taís, sua crônica é a reportagem dos dias que passam. Ontem, hoje e amanhã, a vida doméstica é a mesma coisa, sem criação de nada. Só! Não vou encher a sua paciência!
    Beijo. Também gosto de vir aqui.

    ResponderExcluir
  26. Amiga Tais, o ritmo da tua escrita me deixou sem fôlego, esfomeada e decidida a “encontrar-me”.
    Mas antes, vou esquecer as regras e sair correndo (se conseguir me mexer) me esborrachar de carne, massa, bolos, sorvete, chocolate…
    Depois, vou cair no sofá e ficar pensando na vida até adormecer e encontrar num sonho resposta para as perguntas “Quem sou eu? O que vim fazer? Para onde vou?”
    Conseguirei encontrar-me? Não sei não, pois no ritmo sufocante do dia-a-dia, na profusão de conselhos e normas, só me desencontro.
    Desfrutar da vida? Surreal!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  27. Taís, minha querida
    Como a diferença horária é, no geral, de três horas, eu já estava na cama, sim. Quanto a dormir... nem sempre. Às vezes abro o olho a meio da noite, e depois só quer fechar-se à hora de levantar... :)))

    Talvez não devesse... porque o assunto é sério, mas li a sua crónica sorrindo.
    Acerca do "come isto não comas aquilo" lembrei-me de uma anedota que li, em inglês, na sala de espera de um consultório médico, nos States. Era assim:
    A paciente para o médico:
    Doutor, se eu deixar de fumar, beber e fazer sexo... eu REALMENTE vivo mais anos ou apenas PARECE que vivo?
    Pergunta muito pertinente, em meu entender.
    Eu acho que se nos deixássemos (repare que falo na condicional...) levar por tudo o querem que nós façamos, acabávamos loucos, como estes tempos modernos.
    Dieta para quê? Para perder dois ou três quilos que recupero a seguir? Já me deixei disso! O tempo de vida que me está destinado vai cumprir-se, com certeza. E depois, seja o que Deus quiser!
    Ajudar o mais possível a família, que para mim é o bem mais preciso, e em seguida as amigas e amigos que de mim precisarem. Ser correcta, educada, sincera... é o meu lema. O resto... é fado, como se diz por cá :)))

    Alongo-me sempre mais do que quero. Sou uma faladora. Mil perdões!!!

    Bom resto de Domingo
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  28. Oi Tais!... De volta, aqui estou no teu espaço pegando carona lá na Mariazita que me pedia dar uma olhada no seu "Segredo". Gostei imensamente do teu texto impessoal que coincide exatamente com minha pessoalidade, pois é exatamente assim que muitas vezes vivo e creio que a maioria de nós. Gostaria de acreditar no contrário, mas não consigo. Devo também fazer menção do teu posfácio por sentir que a maioria de leitores que tenho creem que o que escrevo é autobiográfico e é triste isso... Pois muitas vezes o personagem tem uma mente assassina, é intolerante, depressivo ou irresponsável e sinto em ser confundido com essas personalidades doentias. Claro que não sou santo, mas sou um "fingidor". Contudo, não me policio e sem medo de patrulhamento, escrevo com liberdade. ..."a caravana tem que passar!" Parabéns e torno a exaltar teu talento literário - escreves maravilhosamente bem (sem uma curva ou solavanco no ritmo ou no conteúdo)! Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  29. que saborosíssima crónica, Tais!
    a minha amiga é excelente nas suas receitas, para além do bacalhau à Gomes de Sá, que muito aprecio.

    não lhe falta com condimentos e especiarias...
    Pensem: "quem sou? O que vim fazer? Para onde vou?"

    querem melhor? um verdadeiro banquete de sabedoria!

    beijo, minha amiga

    ResponderExcluir
  30. Boa noite querida Tais.
    É amiga tudo muito louco. Retratou exatamente a vida moderna, cheia de regas e compromissos. E no final de tudo, não temos tempo do principal de viver. Obrigada pelo carinho. Minha filha acabou de me mostrar. Temos por você e o Pedro, um grande carinho e amizade. Hoje as coisas não saíram como planejado, mas ao final do susto, me vejo viva. Foi algo assustador, pensei que era o fim. Mesmo naquele momento me perguntava se teria o privilegio de falar e escutar a voz da minha filha e dos pequenos. Ainda não estou totalmente fora de risco. Mas agora mas confiante. Acho que tive um mine avc, que é como chamam os médicos de AIT. A sorte que é transitório e apesar de ter os mesmos sintomas de um avc, passa e a pessoa fica geralmente sem sequelas, como foi o meu caso passado, esse já é o terceiro provavelmente, so vou ter certeza do que ocorreu depois de ter realizado uma tomografia ou ressonância. Mas está viva, falando, escrevendo, viva já é pra mim um renascimento rsrs. Uma feliz semana para você e o Pedro. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  31. Claro que me revi na sua crónica, minha querida Amiga Taís. Claro que me interrogo tal como você o faz. Gostei da pontinha de humor que sempre torna tão gostosos os seus textos.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  32. Uma bela cronica como lhe é peculiar Taís.
    Este olhar sobre o cotidiano é mesmo estarrecedor de constatar tanta baboseiras como um tiroteio e fica o cidadão sem norte e sul.O que vale é mesmo a consciência de vida para sair sem alguns arranhões nesta bagunça geral que se tornou o viver cheio de padrões loucos e que mudam constantemente.
    Gostei e claro é preciso sempre alertar que a obra não é o auto retrato seja em cronica ou poesia.
    Uma semana linda para vocês com meu terno abraço de paz e luz.
    Beijo de paz amiga.

    ResponderExcluir
  33. As crônicas não são, necessariamente, baseadas na vida do cronista.
    Áh ! Queria congratular justamente com os seus costumes saudavéis .Então tenho de terminar de outro modo"Desfrute com temperança da vida "
    abraço

    ResponderExcluir
  34. Sin duda, Tais, que el mundo está cada día más loco...y ello es concordante con que no necesariamente lo que publicamos...¡tenga que ver con la vida del cronista!

    Cariños australes.

    ResponderExcluir
  35. Bom dia, Taís
    Estou aprendendo a viver e deixar viver.
    Me importo pouco com os "que devo"e "não devo.
    O que importa é ser feliz...rs
    Excelente crônica, amiga.
    Um beijinho carinhoso.
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  36. Boa tarde, a responsabilidade e a rotina fazem que seja difícil viver como se deseja, certo é, que os anos passam e estamos sempre aprender a viver, será que algum dia é possível viver em liberdade sem as responsabilidades e rotinas?.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderExcluir
  37. Uma crónica, como sempre, muito interessante, Taís.
    No fundo, é uma crítica social...
    Acontece frequentemente alguém resolver postar que um chá faz emagrecer ou cura uma doença e imediatamente aparecem uma série de blogues 'dondocas' repetindo a notícia como papagaias...
    Acabam por roubar força à informação de qualidade.

    Cada vez se morre mais de cancro... O marido de uma amiga está com cancro pancreático, ela era uma das que não queria saber de precauções e ironizava - como alguém fez por aqui - sobre fumados, processados, queijo curados...

    Pois acho que uma das nossas missões no mundo é aprender a ser feliz e a viver melhor... Reunir a família, sim, mas fazer a rotação de casa e cada um levar o seu prato... Ou espairecerem no restaurante...
    Não é regra, pois há ''vovós'' que adoram cozinhar.

    Taís, estou a dar-me bem com a dieta vegetariana, de vez em quando como peixe, mas ainda estou a descobrir todas as potencialidades dos alimentos disponíveis... amanhã vou fazer crepes de farinha de Amaranto...
    Janais era capaz de voltar comer carne.

    Gostei da crónica Taís...
    Anos loucos são os de criar e educar crianças, a par de fazer uma carreira... Com os filhos realizados, só é louco quem quer.

    Dias felizes, querida Amiga.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir
  38. Gostei bastante deste belo texto minha amiga e revejo-me nele.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderExcluir
  39. Deixo o desejo de um bom Carnaval
    que como o do Rio só um
    e mais nenhum... ~_```Viva a alegria em sintonia.

    Beijinhos de aqui dos Calhaus frios da Covilhã

    ResponderExcluir
  40. Gostei da crónica e da nota da cronista...hihihi...
    Hoje não vende nada..., mas compra, o que com a crise que aí anda, é muito melhor....
    Quer dizer que a vida de 'velho' não é tão risonha como os mails dizem.
    Mas é isso......"Penso logo existo".....e cá vamos andando mais uns anitos, a ver os progressos das Tecnologias...
    É o máximo....Beijo.

    ResponderExcluir
  41. Taís, passei para desejar um excelente fim de semana.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  42. Taís,

    Muito obrigada pela gentileza dos votos do meu aniversário!!

    Um feliz feriado de carnaval para você e o Pedro, minha
    querida amiga.
    Beijos.

    Ps: Estou aguardando mais crônica aqui,
    adoro ler-te!...

    ResponderExcluir
  43. Wow! Perfeita. Este é mesmo o cotidiano de todo o mundo, sem tirar nem pôr, na medida certa. Pelo menos para os donos da casa, pois os filhos e aderentes não se mexem, mas "recomendam", "insinuam", "sugerem", "lembram", "repisam". O que é verdade é que com uma leveza ímpar você vai pontuando aqui e ali, na suas crônicas "questões vitais" do ser humano. E convenhamos, se não tiver sensibilidade e um olhar atento, arguto, nada feito. Ainda que não lhe falta talento e saúde para dá e vender rss!
    Um beijo e aproveite o feriadão!

    P.S.: Pontuei o seu comentário no meu blog.

    ResponderExcluir
  44. Oi Taís, no "fritar dos ovos" sofrem quem vive nessas inquietudes de etiquetas que de qualquer jeito levam para o túmulo.
    Como diz Zeca Pagodinho: Deixa a vida me levar, vida leva eu...
    Cansei de blog, é muita cobrança, muita mágoa, muita inveja que estou doente a três anos e não saro. Tomo remédios caríssimos e não adianta nada e não estou em condições de ficar magoada por alguns blogueiros.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  45. Tais Luso
    O surreal parte logo da ilustração de Dali, crónica bem interessante de humor. É esse humor que a faz bem saborosa, é sempre desse humor que anima os espíritos, porquanto o sabes dosear bem, tornando-o atraente.
    Valha e viva o humor!...
    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Obrigada Tais pela paradinha lá no meu blog . Bom te conhecer e assim vamos formando um círculo de amigos comuns.
    Gostei daqui_crônicas do cotidiano retratando o que lhe chama atenção e daqui vamos observando como há sintonia nos olhares e sensações.
    Um perfeito resto de feriado.
    com abraços

    ResponderExcluir
  47. Crónica muy interesante querida Tais:
    Ilustras esta crónica con una obra de unos de los artistas que más me gustan, Salvador Dalí. Él era un ser excéntrico difícil de comprender en su vida diaria, pero como todo gran genio, cuando visitas su Teatro Museo Dalí en la población de Figueres (Girona) España, comprendes y te sorprendes ver que no solo fue pintor. Diseño preciosas joyas, colaboró con Walt Disney, ilustro Don Quijote y fue un gran vividor.
    Volviendo a tu crónica sobre las reglas con las que organizan nuestras vidas, te diré que cuando nos hacemos mayores, al menos en mi caso, mi regla fundamental es la de vivir y dejar vivir a los demás, y procurar tener tiempo para dedicar a mi persona.
    Un fuerte abrazo amiga.

    ResponderExcluir
  48. Se Descartes vivesse neste nosso mundo louco, de agora... feito de pressas, condicionalismos, exigências e pressões... creio que adaptaria a sua linha de pensamento, para... Eu penso! Logo... exausto!!!! :-(
    Sempre maravilhoso, vir aqui, e fazer um lifting facial... com o sorriso, com que vocês nos deixa, em cada crónica... sempre repleta de grandes verdades... com que nos confrontamos diariamente... neste nosso mundo... bem surreal!
    Beijinho! E um bom feriado de Carnaval!
    Ana

    ResponderExcluir
  49. Gostei muito da crônica. Viver o equilíbrio com humor é a melhor escolha. Fugir das paranoias e prosseguir com o coração cheio de amor é o ideal... Simples, rsss!
    Bjs e bom feriado

    ResponderExcluir
  50. Hello ! just an invitation to join us on "Directory Blogspot" to make your blog in 200 Countries
    Register in comments: blog name; blog address; and country
    All entries will receive awards for your blog
    cordially
    Chris
    http://world-directory-sweetmelody.blogspot.fr/
    Hello ! just an invitation to join for the community. This allows you to promote your website and publish articles
    https://plus.google.com/communities/109662684129677096983?sqinv=YzRWY1NkMHVqS2NWNksyUTlKbG1LYWRMbU1GdGh3

    ResponderExcluir
  51. Olá, Taís.
    Neste louco mundo em que se vive, actualmente, de exageros para uns e restrições para outros, eu, que nunca fui de exagerar em nada, vejo-me confrontada com uma terrível ameaça, da qual terei a certeza depois da ecografia abdominal que farei dia 15 e da consulta de hematologia.
    Não me preocupo muito, ponho nas mão de Deus o meu futuro, apenas pedindo que, quando partir, que o faça sem longo sofrimento.

    Mas, a propósito de loucuras, ainda antes de ver a legenda da tela já sabia que seria o pintor mais louco de todos os tempos o seu autor; Salvador Dali.
    Louco sim, mas feliz!!

    Um beijinho querida Taís.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não pense nada antes, sofremos por antecipação, querida amiga! Essas coisas nos pregam tremendos sustos e muitas vezes não há motivo para isso. Custei a agir assim, mas é muito melhor 'aguardar'.
      Beijo grande!

      Excluir
  52. querida Tais, mas eu tinha a impressão que tinha colado o link do teu blogue na minha lista de amigos, e pensei mas a Tais não tem publicado os seus posts !? então vim ver, e nada disso, ainda por cima a Tais nos apresenta esse vai e vem a toda a hora que nos prende às mais diversas obrigações da vida :)
    tudo vivinho da Silva... até vamos ao surrealismo que nos leva ao Carnaval, que graças a ele tivemos um dia feriado hoje mesmo, que sabe muito bem :)
    tenho tratada de fazer publicações sobre o Carnaval que por cá é muito honrado porque as tradições também ocupam uma parte da vida dos Portugueses, e há que se ocupar delas senão desaparecem como o sorriso das pessoas relaxadas e que de repente não dão conta dos afazeres !
    querida amiga deixo um braçado de abracinhos,
    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querida Angela, só fiquei um pouco fora nesses dias de Carnaval, mas estou muito presente, sim, minhas postagens são sempre entre sextas-feiras ou sábados.
      Grande beijo, obrigada pelo carinho.

      Excluir
  53. Oi flor uma bela noite, bjs

    ResponderExcluir
  54. Dalí, foi um dos grandes como pintor, mas também o mais exótico quanto a comportamento. Exageradamente extravagante.

    As cidades da Andaluzia, que durante muitos séculos receberam influências mouriscas, tinham essa configuração, tudo estava próximo. Mas não só são estreitas também são sinuosas. Podiam manter conversa de janela para janela.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  55. Boa noite querida Tais.
    Vim ver se tinha postagem nova,mas saiu feliz por perceber que vocês estão bem. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  56. Bom dia Tais!
    Realmente,parece que há uma perseguição e afunilamento ao mesmo tempo,isso tem um sabor maravilhoso,engorda e faz mal,aquilo também, a vida parece resumida em chatice,coma chatice esquisitice que faz bem,viva na esquisitice que faz bem,e por aí vai...
    E nos perdemos nessas informações liquefeitas.
    Adorei!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  57. Uma crônica que tem muito a ver como vejo e penso este nosso cotidiano. Uffa, como cansa!. Lembrando da infância eu descia alegremente o corrimão da minha casa sem me preocupar com os finalmentes...rs.rs.,

    ResponderExcluir
  58. Taís:
    si pudiéramos vernos a nosotros mismos desde el exterior, nos daríamos cuenta de que, efectivamente, llevamos una vida muy, muy, muy loca.
    ¡Hacemos cosas sin sentido y, en cambio, dejamos las cosas que nos gustan!
    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  59. Ler-te é sempre um prazer, como já sabes!
    O que faz falta e que cada vez há menos, é o bom senso, a capacidade de parar um pouco para refletir...
    Bjo, Tais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, pelas leituras querida!
      Um ótimo fim de semana.
      Um beijo.

      Excluir
  60. Sobre o que pode comer e o que não pode mais comer, porque a cada década muda, não? O ovo que era vilão agora é o mocinho, por exemplo. Algumas pessoas são tremendamente afetadas por tudo isso. Tem gente gluten free que nem tem alergia a glúten, mas precisa entrar na roda dos ditos saudáveis. Pra mim é gente egóica louca! Doente que precisa de ajuda, mas com profissional capacitado, tipo psiquiatra.
    E sabe o que eu percebi, quem mais cuida da alimentação, mas no âmbito do modismo, da loucura, fica mais doente. Já notou Tais?

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís