11 de agosto de 2008

O QUE VEMOS NAS OLIMPÍADAS...

Pequim 2008

Tais luso de Carvalho
 

No domingo, ao assistir as provas de natação pela TV, em Pequim, tive uma impressão muito negativa de algumas coisas: a equipe dos Estados Unidos venceu na natação. Até aí tudo bem, o Phelps é todo de ouro, um atleta incomum: parabéns e avante companheiros! Porém, logo após, vi uma comemoração fora dos padrões de civilização, de espírito esportivo, de solidariedade. A vitória foi marcada por expressões de extrema agressividade. Coisa muito feia de se ver. Quando entra o fanatismo e a arrogância acaba o lado bom da coisa. Jamais tinha visto uma equipe comemorar sua vitória daquele jeito, e principalmente partindo de um dos melhores atletas do mundo. Pra mim perdeu a graça. Ai, que saudades de ver o Pelé, Airton Sena, Guga e tantos outros mais ‘normais’...

O que acontece, é que há muita disputa política - dá pra sentir. Deveria haver, apenas, disputa esportiva. A disputa política, e pouco esportiva, começou em 1936, em Berlim, quando os nazistas precisavam mostrar a superioridade da raça alemã. Continuou esse ‘ambiente’ em 1972, com ameaças de terrorismo. E veio vindo, também, com atletas impregnados de agressividade.

Mas, suavizando... Que espetáculo foi a Cerimônia de Abertura: vimos criatividade, cultura, modernidade... Um show! Acho que jamais veremos uma abertura como esta de Pequim. Vai ser difícil um show de tamanha grandeza; a China deu uma aula: apresentaram a história dos grandes inventos como o pergaminho, a porcelana, a bússola e a pólvora; deram um show com dois mil tambores, mostraram arte, filosofia, tecnologia e uma coreografia ‘absurda’ de tão perfeita! Além de passearem pelas dinastias. Nota mil para os chineses.

Quanto ao nosso Brasil notei algo muito positivo: uma integração pelo esporte em si. Tomara Deus que eu não venha a ver arrogância e agressividade em alguma vitória do Brasil; que continuem com abraços calorosos e solidariedade entre os colegas e técnicos. Somos um povo com temperamento emotivo. Sabemos chorar na hora certa... E também rir e abraçar quando vencemos. Mas tripudiar ou enlouquecer? Negativo.

.

2 comentários:

  1. Precisamos de valorizar sempre e cada vez mais o amor em nossas vidas.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  2. Nao notei questa agressividade. Ao contrario, percebi que Phelps comemorou exatamente como eu comemoraria... Mas por isso chamamos isso de "perspectiva" rs.

    bjx

    RF

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso