29 de junho de 2009

MARIO QUINTANA - JARDIM INTERIOR




          Todos os jardins deviam ser fechados,
          com altos muros de um cinza muito pálido,
          onde uma fonte
          pudesse cantar
          sozinha
          entre o vermelho dos cravos.


          O que mata um jardim não é mesmo
          alguma ausência
          nem o abandono...
          O que mata um jardim é esse olhar vazio
          de quem por eles passa indiferente.


__________________________________________

Mario Quintana / Rua dos Cataventos & Outros Poemas - pg 132
L&PM Pocket






Nenhum comentário:

Postar um comentário

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso