25 de julho de 2010

O HOMEM SUPRIMIDO / CESAR CRUZ



Tenho muita satisfação em trazer para o Porto das Crônicas o primeiro livro do nosso amigo Cesar Cruz, patrono do blog Os Causos do Cruz, que muitos de vocês conhecem.

Recebemos, Pedro Luso e eu, o livro O Homem Suprimido, com uma carinhosa dedicatória do nosso amigo, blogueiro e companheiro de letras.

A Internet tem destas coisas, nos apresenta pessoas que jamais imaginaríamos encontrar e manter contato. E através da blogosfera, podemos encontrar gente boa, gente amiga e talentosa.

Cesar Cruz nasceu em São Paulo em 1970, cursou administração de Empresas e atualmente estuda Letras. Escreve contos e crônicas em jornais, revistas e antologias de novos escritores. Escreve, para o Jornal do Cambuci, jornal com 60 mil tiragens por semana. Seis de suas crônicas foram ao ar pela rádio CBN-FM. Um desses textos integra uma antologia organizada pelo jornalista Milton Jung – Editora Globo 2006.

Li o livro e gostei imensamente. Cesar tem um espírito peculiar para contar seus causos . O Homem Suprimido é composto de 16 contos. São narrativas diversas, de cunho psicológico, pessoas com seus defeitos, suas virtudes e suas loucuras; pessoas que todos nós temos por perto. E que convivemos, enfim. Ou, quem sabe lá, não nos encontramos num de seus contos?

Dentre os 16 contos, o A Sua Imprevisível Chegada narra a história de Jorge, um brasileiro, cheio de sonhos para si e sua família, que é atingido por uma bala perdida; estas coisas que vemos todos os dias e que jamais iremos nos acostumar. Neste conto Cesar nos transporta para um realismo dramático e cruel de tal situação. Narra a angústia da própria vítima.

O conto Tapioca mostra a realidade, a crueldade, o desinteresse do ser humano. Uma história triste, realista e solitária do ser humano no seu leito de morte. Enfim a nossa despedida e a nossa última visão de quem realmente somos. E sem sutilezas...

Transcrevo aqui um pequeno trecho do conto Tapioca - e que comove:

(...) Um pai conhece uma filha. Não insistiu mais. Já bastava a ele tanta humilhação: as escaras nas costas e nas nádegas, as trocas de fraldas, o corpo macerado, os médicos que mal conseguiam dissimular sua constante impaciência, as enfermeiras que o viravam e reviravam como quem movimenta caixas num estoque, as filhas e os genros que fingiam interesse, mas faziam visitas rápidas, sempre cheias de olhos nos relógios. Estavam todos esperando, quase torcendo por sua morte, para se verem livres daquela obrigação desagradável. Ele sabia disso. Liberado o leito 386, graças a Deus! Liberada a venda de imóveis, aleluia! Liberados das visitas ao velho, arre!

Enquanto lia outros de seus contos 'O Homem Suprimido' e 'Guarda-Chuvas' me perguntava como Cesar pode imaginar isso! Mas deixo para que vocês um dia perguntem... Enquanto os lia, pensava em Salvador Dali com todo o seu surrealismo.

Os contos como as crônicas de Cesar são objetivos, sem muitos adjetivos e rebuscamentos, o que tornam seus textos interessantes e nada cansativos.


No blog Os Causos do Cruz, vocês terão como pedir o livro pela Internet.
Parabéns Cesar, e sucesso!




38 comentários:

  1. Taís, boa tarde! Esta integração que só a web permite eu acho maravilhosa. Agora, para você ter uma idéia, vou lá no blog do autor e solicitar uma permuta do livro dele com o meu. rsrs. Obrigado pela ótima dica. Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Olá Taís,
    Bonitas suas impressões sobre "O Homem Suprimido" de Cesar Cruz. Esse trecho que você transcreveu, é muito interessante, mas não tem nada de surreal, lamentavelmente é bem real e acontece mesmo. Já vi, há muiiito tempo atrás. É muito triste. Com certeza vou ler esse livro, obrigada pela dica. Bjsssssss

    ResponderExcluir
  3. Oi, Marli, o que falo em 'surreal' são os dos dois contos mais abaixo, 'O Homem Suprimido' e 'Guarda-Chuvas'. O que trancrevi foi parte do conto 'TAPIOCA', que está acima destes, aliás, pra lá de real quando se conhece o ser humano.

    Beijos e obrigada!
    tais

    ResponderExcluir
  4. Oi Taís

    Me sinto tão feliz por ser enxerida!

    Encontrei o blogue do Pedro por acaso e apesar de não me atrever a comentar resenhas, sou fã de carteirinha.

    E que surpresa boa, não consigo ler uma crônica sua sem me acabar de rir e por a mão na consciência sobre os mais diversos assuntos.

    O Cesar tem um talento incrível, não é preciso ser perita em literatura para saber disso. Basta ler e se deliciar.

    Ainda não li o blogue dele inteiro. Sou meio DEVAgar mesmo, rs. Vou lendo aos poucos e cada história, releio umas 2 ou 3 vezes.

    Seu jeito de escrever me lembra o de outro escritor do qual estou lendo o livro, “Mãos outonais e outros contos”, de Alexandru Solomon. Os dois são irreverentes, tem linguagem parecida, a história corre solta e quando a gente percebe, já está dentro dela.

    Em 'Blackout' consigo ver na minha frente as pessoas sub-humanas, as cidades destruídas.
    Minha avó está internada novamente e penso em 'Tapioca' toda vez que vou ao hospital.
    'Guarda-chuvas' eu li esses dias. Acho que nunca li uma história tão bem bolada. É preciso uma criatividade e sensibilidade enormes para transformar algo banal em história, dar-lhe um enfoque diferente. De uma coisa tenho certeza, nunca mais olharei a minha sombrinha do mesmo jeito... rs

    Não sei se está no livro, mas outro conto que me surpreendeu foi Esquistossomose. Juro que esperava uma lição de moral no final. Ela não veio. Muito bom.

    É até feio falar, mas inda não comprei o livro. Pretendo resolver isso em breve.

    Bem, não vou comentar mais nada, sou péssima nisso.

    Só posso dar novamente os parabéns.
    E desejar que você, o Pedro e o Cesar escrevam cada vez mais!

    Beijos
    Deva

    ResponderExcluir
  5. Oi Tais!
    Gostei do pequeno texto, parte do livro, e pretendo comprar o livro.

    Também aprecio a escrita direta, simples e sem rebuscamento.

    Obrigada pela dica!

    Beijos

    Lia

    Blog Reticências...

    ResponderExcluir
  6. Tais, que linda a tua atitude de comentar e divulgar um trabalho de um escritor conhecido através de um Blog.Entrei no Blog do César e pude conhecer seus causos.Como eu digo sempre: O sentido da vida está em compartilhar.Obrigada por conhecer minha visão poética sobre a felicidade e de seu amável comentário.Adoro suas crônicas!! Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  7. Taís,
    fiquei motivada a conhecer os textos do autor e tbm a coletânea do livro.Farei isso já.
    Sinalizo que tua propriedade em destacar a parcela positiva da web, permitindo essas trocas maravilhosas entre "as gentes"...que amam as palavras, que tem atitudes elogiáveis em prol da humanidade de cada um, reforça minha fé na vida!
    Linda semana. Dias festivos.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  8. Muito boa dica, Taís! Gostei muito do trecho do livro que você reproduziu. Forte e real. E já estou indo lá para conhecer o blogue do Cesar.

    Bjs, amiga. E inté!

    ResponderExcluir
  9. Já estive por lá, Taís. Ele é fera! Tive a oportunidade de conhecer uma outra faceta do escritor. Li "Um almoço du Carvalho", e ainda não consegui parar de rir...

    Maravilha!

    bjs, querida, e inté!

    ResponderExcluir
  10. O Trecho que li do tapioca, não é
    imaginação não....já conheci vários
    casos parecidos....lamentavelmente.
    Vou visitar 'Os Causus do Cruz'.
    Hoje aqui está muito calor...chegou aos 40º.
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. É com prazer visitá-la e saber desse novo livro. Parabéns ao escritor e a você, pela iniciativa da divulgação. Beijos e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  12. Olá Tais
    Obrigada pela dica deixada no meu blog sobre a publicação do livro "O homem suprimido". Dei um pulinho ao blog do César Cruz para o felicitar e tornei-me sua seguidora porque gostei muito da crónica que ele postou hoje.
    Bem-hajas!
    Beijo.
    Graça

    ResponderExcluir
  13. Olá Tais.

    Obrigada pelo convite, estou sem postar por uns dias mas, vim até aqui e com sua permissão levarei para meu blog o lançamento deste livro. Que pretendo ler.

    Beijo
    Levarei para o Por Toda Minha Vida

    ResponderExcluir
  14. Parabéns e sucesso.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Olá Taís!

    Obrigado pelo convite,
    Obrigado pela dica.
    Vou lá visitar o Cesar,
    E ver como é que fica.
    Quem sabe, comprar o livro,
    E minha cultura ficar mais rica.

    Parabéns minha amiga. É assim que conhecemos as pessoas de bom coração e, tenho certeza que o Cesar Cruz, além de lisonjeado, está muito agradecido.

    Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  16. Olá Taís,
    Parabéns ao Cesar Cruz pelo Livro e certamente você com seus comentários nos deixa com vontade de saber mais sobre os escritos de Cesar.
    Beijos,
    Dalinha

    ResponderExcluir
  17. Essa é uma das coisas que me encanta na rede, amiga!
    Parabéns a ele pelo livro e a ti pelo post.
    Bjkas, muitas, lindona!

    ResponderExcluir
  18. Por esse pequeno trecho que você reproduziu aqui dá pra gente ver que o material é de primeira, Tais! Vale divulgar e conhecer mais o trabalho desse brilhante escritor.
    Bjooo!!!

    ResponderExcluir
  19. Taís fiz um gadet novo sugestões quando quiser pode usar, coloquei o livro espero que não se importe.

    Beijo

    ResponderExcluir
  20. Oi, Renata, fico muito contente por divulgares no teu blog, também, o livro do nosso amigo Cesar.

    Acredito muito na generosidade das pessoas. E vejo muito isso entre os blogs amigos: pessoas que estão sempre prontas a ajudar! Fico muito contente quando vejo isso: uma mão amiga - como estou vendo nesta postagem ao Cruz.

    Beijão pra você.
    Tais Luso

    ResponderExcluir
  21. Taís, querida amiga!

    Que grande surpresa tive ao ver que você, generosamente, postou este belo artigo, inteiro, sobre o meu livro! Só posso dizer: muito obrigado!

    Aos amigos todos que aqui escreveram, e que foram lá ao meu blogue, também o meu muito obrigado!

    Alguns incluisve adquiriram o livro, que já mandei via correio. Espero que gostem.

    bjão enorme a todos vocês, amigos escritores.
    Cesar Cruz

    ResponderExcluir
  22. Amiga Taís, deve ser uma imensa alegria, um escritor ser elogiado por você!

    Por quê? Porque se você fala que é muito bom é porque é muito bom. Você tem o faro fino, permita-me dizer assim.

    Realmente o Cesar Cruz é realmente sensível ao escrever. Emocionei-me lendo apenas aquele trecho, imagino o livro completo. Deve ser maravilhoso.

    Obrigada, amiga, por compartilhar essas coisas boas com a gente!

    Um abraço,
    Lúcia.

    ResponderExcluir
  23. Além de uma indicação tua refletir uma segura satisfação, a mostra que escolheu para ilustrar teus argumentos - sobre a escrita e alma do escritor - foi muito bonita.

    Claro que me interessei pelo livro, e como a Livraria Cultura é um paraíso pra uma devoradora de livros, já anotei para incluir na lista que está crescendo...rs

    A dica foi ótima, obrigada.
    Beijos, minha querida!

    ResponderExcluir
  24. Boa dica, Tais!

    Lancei, de forma independente, meu primeiro livro, e é bom conhecer situações semelhantes...

    []s

    Rafael

    ResponderExcluir
  25. Olá Tais!
    É interessante o seu artigo de promoção de um livro de contos, como deva ser muito interessante o «Homem suprimido» de César Cruz. Pena é que não esteja editado em Portugal.
    Irei a seguir visitar «Os Causos do Cruz) para conhecer o autor.
    Obrigado

    Um beijo
    Diamantino

    ResponderExcluir
  26. Taisinha,

    Desde que li os primeiros contos do Cesar (e também cronicas) tive a certeza de que, à minha frente, encontrava-se um escritor de talento.

    Sei que esta certeza vai consolidar-se mais ainda quando fizer a leitura de O HOMEM SUPRIMIDO, seu livro de contos - o que farei, agora que você terminou a leitura desse livro.

    E o que posso dizer desse conto, "Um almoço du Carvalho", a mais recente postagem do Cesar, em seu blog OS CAUSOS DO CESAR?

    Apenas que está excelente. Um conto escrito com muito cuidado para que pudesse dar o resultado que deu: curiosidade, espectativa e terminando como se deve terninar um conto ou uma cronica ou um discurso, isto é, no ponto mais elevado, depois de ter passado pela narração mais calma, que é o corpo do discurso, e que vem depois do exórdio, que é o início, que deve ter certa força para chamar a atenção, e, por último, o "patético" - como se diz na oratória -, que é o término que não deixa possibilidade de o leitor tomar muito folego, com uma escrita firme (quem não escreve bem o faz com uma escrita frouxa; e isso não ocorreu com o conto do Cesar, "Um almoço du Carvalho"). E com tudo isso, com o perfeito "patético" - linguagem da orátória - o resultado foi esse, o de poder-se rir à vontade.

    Parabéns Taís, por estar ajudando às pessoas a conhecer o talento desse novo escritor, bem como a ajudá-lo a divulgar o seu livro de contos, O HOMEM SUPRIMIDO, tarefa essa, da divulgação, que é das mais importantes para que a obra publicada possa ser encomendada por pessoas e por livrarias de todo os país.

    Teu gesto serve de estímulo não apenas ao Cesar, que agora está se lançando no mercado dos livros, mas também a todos os novos escritores.

    Beijos do marido,
    Pedro Luso.

    ResponderExcluir
  27. Amigos queridos,

    A cada vez que venho aqui me envaideço e, ao mesmo tempo, fico vermelho de vergonha dos comentários generosos postados aqui. Obrigado, queridos.

    Obrigado Taís e Pedro, mais uma vez!

    bjos a todos

    ResponderExcluir
  28. Um pouco atrasada, mas cheguei e gostei do que li. Parabéns aos dois, a ele pelo lançamento do livro e a você pelo belo post. Gostei do que li e vou lá ler mais.
    beijos

    ResponderExcluir
  29. Fui até lá e gostei muito
    beijos

    ResponderExcluir
  30. Tais,

    Pelo pouco que li e do pouco que vc expõe aqui, César parece um escritor bem realista e isto nos choca ma nos atrai também, porque não se pode viver só de sonhos e precisamos enfrentar a realidade
    que mais dia, menos dia, sempre chega.
    Vou ver se compro o livro para ler mais pois gostei da tua apresentação.

    bjs

    ResponderExcluir
  31. Obrigada pela dica Taís.
    Vou procurar esse livro por aqui.
    Parabéns a esse seu amigo, é optimo ver o seu trabalho reconhecido:)

    Um beijo desde Portugal

    ResponderExcluir
  32. Oi, Tais.
    Achei importante informar: minha filha está em SP e hj foi até a Livraria Cultura adquirir o exemplar pra mim. Foi informada de que não tem ainda à disposição, por ser um lançamento recente. Nós temos um contato aqui, que tem livraria, junto às editoras, e vou solicitar que consiga alguns exemplares - o meu e para divulgar.

    Darei notícias, ok?
    Um beijo pra vc!

    ResponderExcluir
  33. Olá Tais

    Que grata surpresa o Cesar Cruz e que capacidade de análise realista sobre um final de vida principalmente vindo de um escritor que parece tão jovem. Passamos a pensar nisso depois dos cinquenta quando nos vem aquela dúvida atróz: como serão os últimos dias, os últimos momentos?
    Todo mundo quer que seja rápido e indolor. Mas o texto revela também o lado mesquinho e desumano da sociedade onde os velhos são um estorvo e um entrave... felismente não são todos os filhos assim... acho que colhemos o que plantamos.
    Bernardo

    ResponderExcluir
  34. Tais,
    Passando para agradecer a indicação. Passei pelo blog do Cruz e adorei. O Livro, vou pedir o meu também.

    Indicações são sempre bem vindas e você tem um ótimo gosto para literatura!

    Até.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  35. Aos amigos:

    Cacá, Marli, Deva, Lia, Eloah, Calu, Ju, Andradarte, Maria José, Graça, Por toda a minha vida, Sueli, Manuel, Rosemildo, Dalinha, Sonia, Bill, Cesar, Maria Lucia, Denise, Rafael, O tempo que passa, Pedro Luso, Angela, Doroni, DiabinhosFora, Bernardo, Edson.

    Muito obrigada pelos comentários, meu carinho a todos.
    Tais.

    ResponderExcluir
  36. Tais, adorei a dica,teu carinho e visita ao meu blog...Sugestão aceita e apreciada.
    mil beijos

    ResponderExcluir
  37. Taís,
    agradeço o convite para conhecer a obra "O homem suprimido." Ficarei com a sugestão de leitura. Bjo.

    ResponderExcluir
  38. É meio triste quando a gente fica velho e a familia te trata mais com item para se administrar...

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso