17 de março de 2012

BRASIL, O PAÍS MAIS FELIZ DO MUNDO?



- Tais Luso de Carvalho

Após ter lido na mídia - ZH de 8 de março de 2012 - uma pesquisa feita pela Fundação Getulio Vargas em parceria com a consultoria Gallup -, mostrando que nosso país está em primeiro lugar como o país mais feliz do mundo, fiquei em dúvida se li a coisa certa! Aiaiai...

Pensei, então, onde se situam os países do primeiro mundo; como se sente um povo que convive com avançadas tecnologias, tendo uma maior qualidade de vida, uma menor desigualdade social e econômica; como se sente um povo com melhor educação e com salários mais justos... Estarão esses países no final da lista?

Mas, gostaria de saber por que um país emergente, que está entre os 12 países com maior desigualdade do mundo, como o nosso, pode ser considerado o país mais feliz de uma imensa lista? Somos felizes ou barulhentos, apenas? 

Como podemos ser o país mais feliz? Será pela nossa mistura de raças? Pela nossa bela musicalidade, ou por não existir - ainda -  tsunamis e terremotos?

Será por sermos um país tropical, com muito sol? Será por termos um carnaval em que todos podem se transformar  em reis e rainhas, pierrôs e colombinas? Pelo nosso futebol? Por não termos mais ditadura e por sermos um povo mais pacífico?

Será pelas novas descobertas de petróleo? Pelas nossas riquezas naturais ou por sermos uma respeitada promessa futura? Sei lá. Mas haverei de descobrir por que somos tão felizes se a maioria do nosso povo é pobre e mal assistido. E certas regiões são carentes que chega a dar dó. Que engraçado isso, gostaria tanto de entender...

Não desacredito na pesquisa da FGV, mas fico pasma e me pergunto, como pode? Quais foram os critérios usados?  O país está mais rico sim, mas que o povo passa trabalho, ah passa!! 

Se passearmos pelas favelas das grandes cidades; pelos hospitais populares sucateados; pelos postos de saúde das vilas; se pararmos pra pensar na insegurança em que vivemos dentro e fora de casa; se pensarmos no  ensino brasileiro - mais carente do que nunca; se pensarmos numa polícia mal paga; se andarmos por nossas estradas esburacadas, e ainda: se fixarmos nossos olhos na corrupção que reina como soberana absoluta ... Aí penso cá com meus botões: como está difícil de entender esse nosso estado de euforia!

Mas conseguimos esse glorioso primeiro lugar. Não é emocionante? Claro que é! De minha parte estou felicíssima; meu edifício tem grades até os dentes! E mais um 'cão de guarda' no apartamento.

Chego à conclusão que o brasileiro das elites e o brasileiro desdentado - os desiguais -, sorriem feito loucos, e por nada. Esta felicidade, de que falam, não é coisa de hoje; é apontada pela quarta vez que somos o país campeão em felicidade. Maravilha.

Foram ouvidas 200 mil pessoas no mundo, e superamos 158 países. Imagino se tudo aqui funcionasse mais ou menos bem, acho que explodiríamos de tanta felicidade. Que somos o rei das comemorações, até acredito, caímos no samba por qualquer coisa, e para comemorar não sei o quê.

Com tudo isso não consigo entender nada. Mas qualquer dia volto ao 'prumo'... E comemoro minha readaptação como uma felizarda emergente.
Por enquanto, tem um ' nó '  na minha cabeça !


24 comentários:

  1. Taís,
    Acho que andam confundindo comemorações com alegria... Acho que somos o povo que realmente temos mais feriados no mundo e isso dá a ideia de alegria. Brasileiro gosta mesmo é de farra e não é à toa que nos conhece la fora pelo futebol(que está uma @#$%&) e pelo carnaval, onde a turma aproveita para soltar a franga.
    Eu também me pergunto por que cargas d'águas temos esse título de povo mais feliz do mundo? E olha que nem ou pessimista.
    Boa crônica querida!
    Beijokas doces e um bom domingo

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Tais, somos o país mais feliz do mundo. Recebi a notícia do título na mesma semana em que visitei, com minha turma do Curso Superior, o Presídio Central de Porto Alegre... Você não sabe quantos motivos pra ser 'feliz' encontrei lá, vendo aproximadamente 5.000 apenados vivendo enjaulados, em condições sub-humanas. Óbvio que chegaram lá por seu próprio empenho, mas difícil ser feliz sabendo que maioria absoluta desse grupo é formado por jovens entre 18 e 24 anos... É isso, nossa juventude está assaltando, roubando, matando por uma pedra de craque... que felicidade!!! Impossível evitar o sarcasmo, sinto muito.

    Talvez sejamos o povo que mais sorri, apesar dos pesares. O povo que canta, dança e pula carnaval como se não tivesse problemas, pelo menos até curar a ressaca. Porque depois... Mas dizer que somos felizes? É, até acho que somos mesmo, de vez em quando. Os mais felizes do mundo?! Compartilhamos o nó na cabeça, não consigo entender que conceito novo de felicidade é esse.

    Maravilha de crônica! Como sempre, por sinal. Muitos beijos.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Tais...
    Acredito que seja mais ou menos isso, só se sabe o que é felicidade em detrimento do oposto, essa coisa de achar que tudo é motivo para dar risada, nunca me convenceu. Sorrir é uma coisa e rir é outra. Nosso povo aprendeu a rir da própria situação. Carnaval e futebol talvez sejam só válvulas de escape, fico vendo a euforia quase que patológica dos torcedores e fico imaginando se a antiga frase não faz jus nesse momento”Faltam heróis para esse povo”
    Um grande abraço!
    Izildinha

    ResponderExcluir
  4. Linda crônica, mas acho que essa pesquisa mostra que somos o país das hienas.

    Não temos motivos pra vencer esse "concurso"...E nem motivos são dados ao povo.

    O que há é que parece, somos alegres por característica nossa, mas não a usem pra promover o Brasil, pois é bem diferente quando se faz uma análise mais profunda, passando pela educação, saúde e segurança, pra não falar mais...

    Um beijo,lindo domingo,chica

    ResponderExcluir
  5. Taís,
    nós já fomos mais pobres, nós já vivemos em melhores condições de segurança. Nós já tivemos um futebol mais pobre e desorganizado, nós ganhávamos títulos, encantávamos o mundo! Nunca tivemos mais democracia do que agora e nem corrupção tivemos tanta como hoje temos! Contrastes. Festas - nunca tivemos tantas, nem feriados esticados - feriadões!
    Concluo que a felicidade do brasileiro é inventada pelo governo, pela mídia, pelas pessoas sofredoras, por todo mundo! Na verdade ela não existe, ela é sempre inventada! O conforto, a segurança, a saúde e a educação são catalizadores da felicidade, se ela existir. A felicidade nasce na desgraça e dá frutos no sucesso!
    Um abraço e um bom domingo. Loyde manda beijos

    ResponderExcluir
  6. Taís, maravilhosa sua crônica, sem comentários.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Taís,
    Sou obrigado a concordar com você. Será que ser feliz é uma condição de gente maltratada pela vida, mas conformada com isso? Será que ser feliz é apenas uma estado de euforia causado pelas belezas naturais sem se ater às mazelas que nos cercam? Será que ser feliz se resume a comemorações, festas, bagunças e certo desprezo pela lei e pelas regras de conduta e de civilidade? Será que ser feliz é ignorar a miséria e as injustiças? Será que ser feliz é ser o bobo da corte? Pode ser que tudo isso sejam ingredientes da felicidade, ainda que não exista um definição de felicidade. Abraços e parabéns por "botar o dedo na ferida" mais uma vez, JAIR.

    ResponderExcluir
  8. Oi Thais,

    até que ponto isso é felicidade mesmo?
    Comemorar não é ser feliz!
    Sorrir não é ser feliz!
    Cumprimentar não é ser feliz!
    Receber bem nossos turistas não é ser feliz!

    Talvez, para entendermos, vamos ter que saber qual pergunta foi feita para se chegar a esta conclusão.

    A felicidade não depende disso ou daquilo, mas de um propósito que carregamos conosco de invencibilidade. Será que somos tão evoluidos assim? Capazes de ser felizes com todos os nossos problemas. Ou será que a felicidade agora tem outros sinônimos que até então desconhecíamos???

    Excelente reflexão!

    beijos e bom domingo

    Leila

    ResponderExcluir
  9. Taís, talvez sejamos o país que não sabe o real significado da palavra "feliz"...
    Abração!

    ResponderExcluir
  10. Tais, o Urbanascidades convida voce e seus leitores para o seu 2° aniversário dia 21 de março. Sarau cultural com música, literatura e poesia, e convidados muito especiais. Não perca!
    Um abraço,
    Paulo Bettanin

    ResponderExcluir
  11. Bom dia,Taís!

    Bom, somos duas então...estas coisas me deixam com o nó na cabeça!Não consigo entender!
    Com tantas coisas básicas faltando...

    Belíssima crônica!!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá Taís,
    Se não fosse você a postar tamanha façanha, juro que eu não acreditaria.
    Isto é uma piada! E de mau gosto, ainda por cima.
    Onde ver felicidade, num país onde morrem pessoas, esperando vaga para uma baixa hospitalar? Fica-se até por anos a fio, esperando que façam o favor de marcar uma consulta pelo SUS? Onde há felicidade, se a educação não corresponde àquilo que se espera, pois em todo início de ano letivo, é greve após greve e brigas para que os professores recebam aumentos irrisórios? Onde há felicidade, se o país continua com políticos corruptos mandando e desmandando, deixando-nos a pensar que ainda se importam com o povo que
    os escolheu para serem seus representantes? E, por aí vai...
    Acho até que quem divulgou tal notícia deveria ter recém acordado de um sonho utópico demais para ser verdade.
    Ótima crônica, querida.
    Um grande beijo, amiga.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  13. Olá!Bom dia!
    Eu irei acreditar em pesquisas como estas, quando houver um trabalho acurado que imprimam uma mudança nas bases do problema que assolam nosso bendito país.Ou seja,
    a partir do momento que a educação seja levada a sério pelo governo.Continuamos recebendo uma educação falida e sem perspectiva.
    E daí para a música do Pagodinho, é um passo...deixa a vida me levar... SORRINDO E FELIZES...
    Boa terça!
    beijos!

    ResponderExcluir
  14. Provavelmente, somos os mais felizes, porque apesar de todas as dificuldades, ainda conseguimos sorrir de vez em quando.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Esta característica do povo brasileiro é proclamada ao quatro ventos... dá o que pensar mesmo Taís, com tntos problemas....
    Vai entender? deve ser coisa de sangue então...kkkk
    Beijos e boa noite querida!!

    ResponderExcluir
  16. OLá amiga, é a primeira vez que venho ao teu espaço e já gosteoi do conteúdo do mesmo! Muito bom!

    Lendo atentamente o teu post, e tuas indagações a respeito de se realmente o Brasil é o País mais feliz do mundo, fui refletindo enquanto lia...
    Eu não diria, o "mais feliz", pois que a felicidade é uma condição ainda distante dos povos da Terra, por mil razões que dariam um outro tema pra postagem...
    Penso que o brasileiro, desenvolveu a capacidade de improvisação até nos piores momentos, tipo um "jogo de cintura" pra diblar os revezes da vida..e o faz, sambando, cantando, dançando, daí, o título de "mais feliz"

    Gostei daqui, estou te seguindo, e voltarei!

    Beijinhos da Lu...

    ResponderExcluir
  17. Minha teoria é a seguinte - quanto mais ignorante, mais feliz.

    E no quesito ignorânica, não tenho dúvida alguma de que somos os primeiros.


    Brasil sil sil!

    ResponderExcluir
  18. Se felicidade for levar vantagem, atear fogo em morador de rua, não ter confiança na Justiça, duvidar dos politicos (fazendo de conta que ninguém votou neles), se altas taxas de analfabetismo (incluso o funcional), um salário minimo que mal cobre o aluguel... bem, se isso for felicidade, Aristóteles tem de rever sua definição. E somos mesmo o povo mais feliz!

    ResponderExcluir
  19. Olá Tais.
    Embora a tua área seja mais a descrição histórica, comentários e outras escritas, neste Dia da Poesia, não podia deixar de passar por aqui, para deixar o meu abraço poético e deixar claro está o meu carinho especial pela minha amiga.
    Força por um Brasil próspero e desenvolvido.
    Beijinhos
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  20. Realmente é incompreensível, amiga!!! Mas há muita gente alienada por aqui... E também não se sabe como essa pesquisa foi feita... Enfim, para mim está fora da realidade. Pelo menos para aqueles que têm consciência da realidade do país.
    Beijos, querida!!!

    ResponderExcluir
  21. Oi Taís,
    obrigado pela visita e pelas palavras, ficarei feliz em saber que foi lá, se der tire umas fotos!! rsrs

    ótimas crônicas em, parabéns!!

    ResponderExcluir
  22. clari cossettin15:02

    Tais estou com meus alunos do 9º ano lendo algumas de suas crônicas. Eles estão gostando muito.
    Um abraço
    professora Clari
    Umuarama- PR
    Alunos Jocemari,Isabela,Pedro escolheram: Nem tudo são flores, Felicidade e O passado é logo ali.
    Um abraço dos mesmos

    ResponderExcluir
  23. Obrigada, professora CLARI, um beijo pra seus alunos! Fico muito feliz.

    Tais

    ResponderExcluir
  24. OI Taís, não concordo com essa estatística, acredito que somos o País com o maior número de mágicos. Sorrimos, talvez por que iludimos a nossa própria realidade fazendo com que momentos felizes se sobreponham à infelicidade REAL e SOCIAL do nosso País.Mesmo que alguns de nós não sintam na pele essa realidade, ela se encontra estampada todos os dias nas manchetes dos jornais, nas ruas , nos hospitais, escolas etc.
    Adorei sua crônica . Um grande abraço.

    ResponderExcluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso