11 de agosto de 2013

COMO COMER – AS BOAS MANEIRAS!


( Aulinha Prática nº1 )

 - Tais Luso de Carvalho

Não é fácil comer certas comidas fora de casa, é muita mão de obra. Cá do alto da minha vivência, já tenho direito adquirido para comer algumas comidas como os primitivos. Comer galeto com as mãos, num restaurante, não é lá muito chique. Por outro lado, comer uma ave, cheia de ossos, com garfo e faca... não é moleza, é pura arte. Então, prefiro pedir o tal do galeto pelo telefone e comer na intimidade da família. É bem mais prático. E posso pôr em prática o que aprendi nas cavernas.

Também anda difícil  comer pizza fora das pizzarias convencionais – lugar que oferece garfo e faca. Não entendi, ainda, por que em alguns shoppings, a pizza é entregue sobre um guardanapo de papel. Torna-se  muito complicado: quando você se dá conta, está  com a massa na mão e comendo o papel! Tá ficando difícil  comer esse negócio, acho que os shoppings estão se 'modernizando' muito.

E as empadas? Você já notou que ao morder uma empada, a metade cai fora e a outra metade se esfarela? A massa da empada é chamada de massa podre (termo técnico), mas já não anima muito. Bem, para lidar com a tal massa podre, faça o seguinte: com uma das mãos tente pegar a empada quebradiça e com a outra pegue o prato. Em seguida, você encosta o prato no queixo e fica zanzando para aparar os farelos. Entendido? Depois junte os farelos e tente comer como dá.

E o Espaguete? Como não é elegante cortar a massa, então vá enrolando, enrolando, e veja se cabe na boca, não dê bola para uma certa ânsia... Empurre e feche a boca. Os fiapos que resolverem cair,  tente aparar com o garfo. É uma briga de foice comer esse negócio. Mas tente, deixe a elegância para outra vez. O importante é a superação! Está na moda.

Você já comeu, numa confeitaria, o doce mil folhas? E lembra do que aconteceu? Cada folha vai para um lado e o recheio vai pra frente, tudo se desmembra. Você só consegue comer o açúcar de confeiteiro! Bem, junte o creme e os farelos com os dedos e prepare-se para lambê-los. Depois dessa experiência circense, resolva se quer repetir a dose ou comer em casa – como um  primitivo pós-contemporâneo. Com o tempo a gente chega lá... E fique à vontade para voltar ao início dos tempos - ao Homo Sapiens.

E a alface? Dizem que não se corta: o certo é ir dobrando a alface com o garfo, tipo envelope. Fique dobrando, dobrando... até formar uma trouxinha, e depois tente levar elegantemente à boca – se der. E tente mastigar o monte de verde! Força, você conseguirá!

Aniversário de criança é delicioso: é um passeio pelos quitutes ingênuos que só encontramos nesse tipo de festinha. É como voltar à infância. É obrigatório ter o cachorrinho quente, docinho brigadeiro e o aniversariante e sua mãezinha apagando a velinha - cuspindo todo o bolo... Mas esqueça, faz parte da alegria. Depois entre no trenzinho da alegria e siga fazendo fon-fon, lá do alto de sua maturidade... Você vai sentir-se muito confortável!

E finalmente resolva: coma os mexilhões, escargots, ostras, alcachofras etc., como manda a etiqueta - ou desista. Não é lá muito fácil encarar uma ostra e seus parentes. O negócio certo é comer direitinho, embora o maravilhoso seria comê-los como se estivéssemos num boteco: sem rigor. Sem frescura. Mas estamos em público, portanto, temos de seguir as regras para não sermos alvo de chacotas.

       Só não abro mão dos cachorrinhos de aniversários infantis: vai de qualquer jeito... Compensa. E que falem, que pensem, que digam... Mas tudo vale a pena quando a festa é dos pequenos! 
E por hoje, a aulinha de boas maneiras fica por aqui. Mas voltarei com novidades.

   






25 comentários:

  1. rsssss...Adorei te ler e acho que lembraste bem de tudo. Adorei o bolo cuspido. E é bem assim! Por isso tão em moda os bolos aparentes só com a vela e depois vem o outro. beijos,linda semana! chica

    ResponderExcluir
  2. Taís: Adorei ler o teu texto, mas eu fora de casa só como peixe Grelhado ou carne assada mas sem molhos, porque eu não posso abusar além disso a minha comida tem que ser praticamente sem sal por motivos de saude do foro Cardiologico.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  3. Tais, eu às vezes dou uma de "dona das cavernas" pois adoro pizza do shopping que vem sobre um papel manteiga e mais uns guardanapos pra limpar o óleo que escorre [cotovelo à fora se deixar kkkkkkk]. Enrolo como fazem os italianos e deixo rolar guela à baixo. Macarrão eu prefiro pene e aí como com elegância...Adoro uma manga inteira ou fatia de melancia sem cortar e aí já viu a lambança, mas f...-se a etiqueta, acho que a vida é muito curta pra vivê-la debaixo dos padrões etiquetados por gente que nem sabe o que é uma banana o cacho. Acredita que eu vi uma super, hiper e mega chique ensinando a comer a banana cortadinha em fatias e não como nós brasileiros a comemos [como macacos, segundo fala dela...].
    Pode até ser complicado, mas eu não ligo muito pra etiquetas quando a coisa deixa de fluir em meu favor kkkkkkkkkkkk.
    bjkas doces e boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Bom mesmo é colocar-se à parte
    Ao invés de desfraldar estandarte
    Sair bem de mansinho
    Comer no seu jeitinho
    Porque degustar não é uma arte.

    ResponderExcluir
  5. Diverti-me muito participando de suas aulas... Coberta de razão você está. Adorei!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  6. Hahhahahah Diverti-me muito com sua aulinha de boas maneiras à mesa, fiquei imaginando cada cena! E, claro, amei a dica para por em prática - em casa - aquilo que aprendemos nas cavernas! rsrsrs Afinal, tudo é um questão de adequação: se você quer pousar de bonitinha, fina e charmosa, vá a um restaurante e coma como manda o figurino; mas se quer realmente comer, sentir o gosto da comida, degustar os sabores, peça pelo telefone e fique à vontade no aconchego do lar! rsrsrs
    Entendi certinho sua aula? rsrsrs

    Ainda rindo, deixo beijos. Ótima esta crônica!

    ResponderExcluir
  7. J'adore cette photo qui résume bien la difficulté de l'exercice !...

    ResponderExcluir
  8. Parece que o bolo cuspido já ganhou salvação, hj o bolo é de mentira e as fatias vem servidas lá da copa/cozinha (o que me dá mais medo...rsrs)

    Lembrei de uma cena recente, em que o pedido de um sanduíche foi motivo de "sessão desmanche" pra poder comer o dito cujo, impossível morder com elegância aqueles 5 andares de recheio...só garfo e faca deu jeito!!... rsrs

    Olha Tais, acho que se evita ferir a etiqueta em público, mas já flexibilizei muito, pouco se me dá se acham feiuo ou bonito eu cortar o que não pode, o que não dá, é pra sentir náusea com a boca cheia de algo que lá dentro acaba parecendo um buque de flores que se abriu instantaneamente , fazfavor... kkkkkkkk

    Agora, o bom mesmo é comer com gosto, sentindo o prazer da comida e das companhias, de pleno acordo com vc!!!

    Adorei (novidade!!!) passar por aqui e dar boas risadas ( a caverna vai entrar no assunto na próxima oportunidade que eu tenha! ). Beijo pra vc, que o frio não venha forte como anunciado!!

    ResponderExcluir

  9. Olá Taís,

    Dei boas risadas com sua bem humorada aula de boas maneiras. Já passei desta fase 'frescurite' e prefiro comer os alimentos à minha moda mesmo-rsrs. Claro que ainda mantenho o bom senso, mas sem exagero. Já desisti de comer alguns alimentos em público, como as empadas, p. exemplo. Haja guardanapo e você ainda fica procurando um espelho para certificar-se de que não está com a boca cheia de farelos. Vamos combinar que é um verdadeiro malabarismo pegar a empada quebradiça com uma das mãos e o prato com a outra e ficar recolhendo os farelos-rsrs. Saboreio melhor os alimentos quando os peço por telefone e os como tranquilamente no conforto do lar, sem preocupação com olhares críticos-rs. Etiqueta mesmo só quando não há como evitar.

    Adorei este momento relax.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. OI TAIS!
    ACHEI MUITO BEM HUMORADO ESTE POST.
    SABE, FIQUEI PENSANDO QUE ELE É DIVERTIDO MAS, VERDADEIRO, POIS QUEM JÁ NÃO PASSOU UM PERRENGUE DOS QUE ESTÃO AI?
    PIOR, É QUANDO SE TEM FILHOS PEQUENOS E QUEREMOS DAR O EXEMPLO...
    GRATA PELA VISITA LÁ NO "SÓ PRA DIZER".
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Tais, muito engracado voce e. "Continue fazendo fon fon", que graca me ha causado rsrs, adoro expressoes brasileiras.
    Voce sempre tem razao, suas observacoes sao muito precisas. Eu ja resolvido: como aquele lugar onde me sinto confortavel ou nao como nada. Tal vez so gnocchi... porque sao praticos, deliciosos, nao caen na blusa... en fim, sao menos propensos a fazer um papelon. sim, amo gnocchi, tudo de bom com eles!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Pues es cierto, cuando comes un milhojas y comienzan a esparcirse una tras otra hoja por el suelo o cuando comes langostinos con tenedor y cuchillo...A mi se me hace eterno.
    Muy divertido y simpático Post.
    ¡¡¡Gracias por tu comentario!!!
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
  13. Uma bela e cheia de humor aula de boas maneiras.
    Gostei muito!
    Saudades, também daqui.
    Beijos,Élys.

    ResponderExcluir
  14. Aula de etiqueta e de humor!
    Ótima crônica!
    Beijos de Loyde e toda a turma do atyelier

    ResponderExcluir
  15. Olá sra Tais Luso, é um prazer estar deputando neste blog, que já sigo. Como entrada leio este post, escrito de uma maneira muito bem humorada, com doses cavalares de verdades - adorei o pôr em prática o que aprendi nas cavernas rs (genial). Faz muito tempo que aprecio os blogs do dr Pedro, pois são inteligentes, curiosos, tratam matérias que muito me interessam e agora o teu blog, pois nos posts que dei uma lida, muito tenho a aprender, a rir e refletir neste blog.
    Festa de criãnça é tudo de bom, troco um 'churrasquinho' por uma boa festa infantil, e lá, bom, lá deixo a criança interior solta, até encher a barriga rs. Muito bom este post.
    ps. Meu carinho meu respeito meu abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jair, pois é, também lhe dou as boas vindas! Ontem li bastante de seu blog, de vez em quando fico algum tempo num blog só para conhecê-lo melhor, pois somos muitos nessa imensidão que é a blogosfera.
      Nesse meu blog, faço umas intercaladas do hilário à crônicas mais sérias, até para fazer uma pausa, uma recreação.
      Bem-vindo!
      Grande abraço.

      Excluir
  16. .


    Eu sei que tem bom humor
    nas suas palavras até porque
    o garfo e a faca fazem parte
    do nosso cotidiano.

    Obrigado pela bela leitura
    e as palavras encantadoras
    com as quais abrilhantou o
    comentário no meu blog.

    Um beijo,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  17. Risos e mais risos, Tais. Fiquei completamente sem etiqueta aqui no trabalho, lendo gostosamente o seu texto. Amei! :) Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  18. Olá Tais! Não sou muito chegado à etiquetas. Valorizo mais a barriga cheia. Rsrs.

    Bela crônica amiga. Parabéns!

    Abraços e um ótimo final de semana pra ti e família.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  19. Tais, amadinha me fez rir e muito. Sabe sou de pouco riso, infelizmente,mas sua escrita me fez desopilar o fígado.Ri,e continuo rindo lembrando o que comi....rssssss
    Quanta frescura temos que enfrentar para comermos um ótimo macarrão,ahhh! Há alimentos que temos que fazer uma boa ginástica para não perdê-los pelo caminho até à boca.Fazer o quê? Tais,você e suas crônicas estão ou melhor são ótimas. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  20. QUERIDOS AMIGOS, UMA BREVE ENTRADA SÓ PARA DIZER A VOCÊS QUE ESTOU AMANDO OS COMENTÁRIOS AQUI DEIXADOS: TAMBÉM ESTOU ME DIVERTINDO COM VOCÊS!

    MEU CARINHO A TODOS!

    ResponderExcluir
  21. Taís, você foi ótima, como sempre. Fui lendo, imaginando as cenas e dando risadas. Sabe que já nem me importo com algumas regras? Se as folhas são muito grandes, eu as corto. Se não consigo enrolar o macarrão, corto. O importante é nos sentirmos bem e à vontade. Bjs.

    ResponderExcluir
  22. Tais, nada como a privacidade do lar para degustar um galeto sossegadamente!
    Seu texto está divertidíssimo, tão bom de ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Sempre atenta e pronta para o divertimento.....Sim...que
    toda essa etiqueta, faz parte....
    Felizmente que hoje já não se liga tanto a certos pormenores,
    e há sempre um jeito de dar a volta.
    sabe que a etiqueta por aqui, para comer a sardinha no dia
    dos Santos Populares, é uma fatia de pão, uma sardinha bem gordinha em cima e uma mão sem 'problemas', arrancando a pele
    colocar de lado, depois pegar nos lombinhos do petisco e
    levar à boca, sem desperdiçar nada, o que quer dizer, que os dedos têm de ser bem 'saboreados'.....
    Oh Taís....etiqueta já era....ou procuro o meu canto...
    Mais uma belíssima crónica, das que tanto gosto....
    Beijo

    ResponderExcluir
  24. Caramba, fiquei com fome depois disso tudo, viu? Mas entendo bem o que diz. Falando em cachorro-quente, mas não o de festa, faço sempre uma bagunça. A salsicha e os recheios vão escapando pelo outro lado, ih...
    Mas olha, não tem nada melhor que comer em casa, quietinho, sem plateias! Já consegui lançar mil toneladas de cheddar na minha barba e o caminho até o banheiro foi tortuoso.

    Muito boa essa aula! Que venham outras.

    Beijo

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso