22 de novembro de 2015

ESTRANHAS AVENTURAS DA INFÂNCIA




                           
                              - Mario Quintana


Era um caminho tão pequenino
Que nem sabia onde ia,
Por entre uns morros se perdia
Que ele pensava que eram montanhas...

Enquanto a tarde, lenta, caía,
Aflitamente o procuramos.
Sozinho assim, aonde iria?
Porém, deixamos para um outro dia...

Perdido e só, nós o deixamos!

E quando, enfim, ali voltamos
Já nada havia, só ervas más...
Tão vasto e triste sentiste o mundo
Que te achegaste, desamparada...

E foi bem juntos que regressamos,
Ombro com ombro, a mão na mão,
Enquanto lenta, caía a tarde
E nos espiava a bruxa negra...

E nos seguia a bruxa negra
Que hoje se chama Solidão!

___________________________________
Caderno de Literatura Brasileira / Instituto Moreira Salles
                            - De Baú de Espantos.


26 comentários:

  1. Da imaginação da infância à realidade adulta... mesmo com "mão na mão" há sempre um "bruxa" a nos espionar...
    Tudo o que se falar de QUINTANA, tornar-se-á redundante!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. El traductor de tu pagina ha desparecido, si lo vuelves a poner te podré leer mejor, gracias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mari, vou colocá-lo!
      Beijos pra você, amiga.

      Excluir
  3. Os caminhos da infância, tão belos, não se apresentam da mesma forma diante do olhar adulto. O retorno mostra uma realidade que não era observada. Não é a paisagem que muda, mas o sentir. A bruxa negra não era mais perigosa que a solidão. Uma bela escolha, Tais! Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Era um poeta em crise existencial
    Que se vê como pássaros no quintal
    E renega o que sua mente encana.
    Como ser nobre sem ser Quintana?

    Colorar em palavras de aquarela
    Sem parecer a fabulosa Florbela?
    Escrever sem nunca se locupletar
    Como sempre o fez Ferreira Gullar?

    E lhe vêm os passarinhos então
    Que estes tantos outros imitarão
    Mesmo que estejam em revoada

    Não lhes acode imitar ninguém
    Porque canto natural lhes vem
    E pelo canto não cobram nada.

    ResponderExcluir
  5. Recuerdos, saudades, quintanares, cara amiga Tais; e quem não os têm, se fã do nosso querido poeta?
    Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tais, esta bruxa sempre está a rondar... Tomara fossem sempre lindas e floridas, as paisagens!
    Um grande abraço com carinho, amiga!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  7. A infância nos traz saudades, mas na idade adulta, com outra sensibilidade enxergamos coisas que nem imaginávamos.
    Tenha uma linda semana.

    ResponderExcluir
  8. Querida Taís ótima escolha, a imaginação infantil e a realidade adulta se encontrando, mas sempre o medo da solidão;
    beijinhos, Léah.
    .

    ResponderExcluir
  9. Taisinha, é sempre muito bom ler Mario Quintana, esse poeta gaúcho que mais e mais aumenta o seu número de leitores, começando pelas crianças, como se vê anualmente na Praça da Alfândega durante a Feira do Livro. Quintana também é lido por adolescentes, em bancos escolares, sem falar nos adultos que com ele "convivem" em harmonia.
    O poeta continua muito vivo nas suas obras. A poesia de Quintana tem, pois, o seu lugar reservado na Poesia, embora a Academia Brasileira de Letras tenha virado as costas para ele, por três vezes, não permitindo o seu convívio entre os seus Imortais.
    Mas o fato inegável é que Mario Quintana é imortal para nós, que admiramos sua poesia. Poesia que está sempre se renovando, como é o caso desse poema por ti postado: "Estranhas Aventuras da Infância".
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  10. O Tais,
    Linda poesia de Mario Quintana, já havia lido, mas o que é bom tem que ser repetido muitas vezes até nos exaurir.
    Adorei o carinho deixado lá
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  11. Vim ler os comentário que fazem do
    seu trabalho e deixar um beijo, tão
    somente.


    .

    ResponderExcluir
  12. Lleno de encanto y de misterio ¿fué una presencia perdida para siempre? Nunca volvió pero dejó la soledad. Es toda una experiencia leer poesía en tu idioma y tratar de profundizar en su significado, así es que...puede que no lo haya entendido bien.

    Un abrazo. Franziska

    ResponderExcluir
  13. Oi Tais
    Obrigada pelo carinho
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde, querida Tais, obrigada pela visita e comentário. Voltarei para ler e deixar meu comentário. Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Tais, não sei o motivo, mas a poesia me lembrou a antiga música de roda "Se esta rua, se esta rua fosse minha..."
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Saudades da infância numa conotação adulta que busca no íntimo do ser as suas vivências infantis
    Uma escolha maravilhosa Taís
    Um super beijo querida

    ResponderExcluir
  17. Que lindo... Gosto muito do Mario Quintana.
    Beijão, Taís!

    ResponderExcluir
  18. Oi querida Taís,
    Uma bela tarde e um ótimo pôr do sol.
    Abç
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  19. Vá de retro......Não deixemos a solidão entrar.....
    Vou conhecendo Mário Quintana , e o comentário
    do Escritório ao Lado...também ajuda..
    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Olá Tais,

    Não conhecia este belo poema de Quintana.
    Já ia dar minha interpretação a ele quando me lembrei de uma frase do próprio Quintana a respeito da interpretação de um poema e, então, desisti, ficando apenas na sua apreciação. Segundo ele "“Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação.” Se ele disse, então não vou macular o seu poema com minha interpretação-rsrs.

    Gostei da tela. A magia da infância persiste, não obstante a visão adulta da realidade.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. UN GRAN POEMA. GRACIAS POR COMPARTIR.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  22. OI TAÍS!
    LINDO O NOSSO "QUINTANA".
    O COMENTÁRIO QUE A VERA FAZ, ME REPORTOU TAMBÉM A ESTA FRASE DO MESTRE, QUE SABIA TUDO DA ALMA DE QUEM ESCREVE, NOS DANDO CONTA DE QUE NÃO HÁ COMO INTERPRETAR UM POEMA SENDO QUE ELE É A PRÓPRIA INTERPRETAÇÃO.
    ABRÇS
    -
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Gosto muito de Mario Quintana:)

    ResponderExcluir
  24. Coisas do Quintana, o passarinho ousado das letras.
    Linda partilha.
    Abraços amiga.

    ResponderExcluir
  25. Minha querida amiga Tais, sempre maravilhoso viajar nas palavras de Mario Quintana...sempre uma doçura, uma inocência, como na infância...os caminhos que ora estão sob nossos pés, ora somem com num passe de mágica. Estou lento e sentindo o peso do ano, ando um tanto cansado, mas sempre lendo tuas postagens, não consegui abrir o filminho da crônica Super Adrenalina, mas é uma leitura ótima. O Guga é muito lindo, é da cor caramelo, como o meu Teimoso.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso