26 de maio de 2016

A LEI DO SAL E DO PALITO NOS RESTAURANTES

Restaurante em Arles - 1888 / Vincent Van Gogh


      - Taís Luso



Pois é, eu e Pedro almoçamos sempre fora, nada mais prático. Existem incontáveis restaurantes estilo 'por quilo e livre' – sinônimo de boca nervosa.  Mas esses restaurantes são ótimos, cronistas encontram histórias. Tem de tudo um pouco, principalmente observando os detalhes.  Bons no serviço e na coleção de coisas bizarras,  que vamos vendo no decorrer do almoço. Quando os filhos aparecem, pedimos algo em casa.

Sinto não poder chamar a atenção do meu marido – já que somos cúmplices na arte de observar. Eu sou discreta, meu olhar anda por cima como se nada visse, enquanto Pedro roda a cabeça 180 graus e pergunta em tom alto...

        - Onde, onde, onde?

Pronto. Isso é o suficiente para estragar minha pesquisa. Mas agora o assunto é outro: quando me servi de verduras, notei que faltava sal. Na mesa não havia o saleiro. Perguntei ao garçom sobre a ausência do sal.

       – Agora é lei, senhora, sal e palitos não podem ficar na mesa. Estão à disposição  na entrada, na mesa do buffet. Ficam em saquinhos. Mas eu busco pra senhora.
          – Péra! Palitos? O que tem o palito?

Foi lá. Voltou com 4 pacotinhos de sal e 3 palitos embalados que eu não pedi. Mas tudo bem, sei que os palitos são excêntricos e nunca bem-vindos, mas não precisavam massacrar o coitado diante de uma nação meia boca. Não sabia do palito enquadrado numa lei. Coitado.

E a lei dos palitos me fez lembrar da situação atual do país. Temos inúmeros problemas no Brasil, um raio de mosquito infectando milhares de pessoas, esgotos a céu aberto, servindo de criadouro, e os vereadores de Porto Alegre vão se preocupar se a população come muito sal ou escarafuncha os dentes? Isso tem relevância? O palito e sal permanecem no restaurante, só que na mesa do buffet! Apenas mudaram de lugar, trocaram 6 por meia-dúzia. Concordo que palito é desagradável, mas as verduras são bem lavadas? Há uma fiscalização?

Me veio à cabeça o Mensalão, o Petrolão, o LavaJato e até o Juiz Sérgio Moro! Os caras preocupados com um palito e a Petrobrás ardendo em chamas, assaltada, valendo quase nada. O país com um déficit fiscal de 170,5 bilhões de reais e o pobre do palito lá, desmilinguido, sofrendo bulling. Os Estados com a corda no pescoço, pagando salários atrasados e os vereadores preocupados com saleiro na mesa. Pô, gente, não tô acreditando: se for para fazer leis, a primeira a ser vista é a corrupção desse país em todos os setores. Não adianta os políticos saírem de um partido ou afastados de um cargo, e voarem para outras funções. É o que está acontecendo.

Mas adoro essa seriedade e esse espírito criativo com leis como essa, de tamanha relevância. Os Vereadores preocupados...  Durma-se com esse barulho.

Mas para não dizer que não falei de flores, espero que cuidem da nossa segurança, saúde, educação e a credibilidade do país, para futuros investimentos internacionais que estão sucateados. OK?
Haja coragem para investir por aqui.


36 comentários:

  1. Adorei,Tais!

    Sempre bem clara nas tuas posições e colocações e em meio à tanta porcaria que somos obrigadas a engolir ou que querem nos "enfiar goela abaixo", ainda nos tiram o sal...

    Nem nos deixam dar uma salgadinha a mais pra melhorar o sabor! Isso em nome da PREOCUPAÇÃO com nossa saúde!!!AFFF!

    E os palitos?

    Poderiam até servir pra dar uma cutucadas no cérebro de alguns.... Talvez acordassem!

    beijos, bom resto de feriado e fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Amiga Taís, desculpe a minha ausência, mas ando meio afastada dos blogues, nunca das amigas.
    Também fico pasma, quando vejo o desperdício de tempo para fazer estas leis , quando tudo desaba ao redor.
    Excelente esta sua crítica! Infelizmente político corrupto está em todo o lado.

    Um beijinho grato

    ResponderExcluir
  3. Nonsense

    Déficit de muitos bilhões
    Inflação sobe tal foguete
    Economizam os bufões
    Os palitos em banquete.

    ResponderExcluir
  4. Essa é uma preocupação mas ficam para traz milhares delas. Por acaso nunca usei palitar os dentes e o sal considero um veneno branco. Porque fabricam cigarros e se formam cada vez mais ladrões? Alguém do governo aqui anda preocupado se cada família pode ter 3 ou 4 animais por apartamento.
    Um tema que tem panos para mangas.
    Bj e abraço

    ResponderExcluir
  5. Que bom ler aqui, concordo com tudo, as leis por aqui são de tal forma que se formos pensar bem, é por isso que as propinas rolam!
    Imagine, sal e palitos, rs, teve, por lei,de sair das mesas,cada uma! Como se isso valesse para quem adora sal e palitar os dentes, eu não uso sal e nem palitos, mas todos poderiam ter a opção de escolher!
    Abraços querida amiga!

    ResponderExcluir
  6. Nem me fale! Esse pais tá uma lastima. Nunca passamos por uma situação tão ruim. Triste. Beijos, Tais.

    ResponderExcluir
  7. Muito boa sua cronica critica no tempero correto para este cotidiano, onde o humor é pura dor. Engraçado como se perde tempo neste país com coisas insignificantes e ao largo bailam as mazelas que apodrecem uma nação.
    Parabéns pela critica.
    Meu abraço Taís.
    Bjs de paz.
    Um bom fim de semana para voce e Pedro.

    ResponderExcluir
  8. Por aqui...o palito já vem embalado o que me parece bem mais higiénico!
    Bj

    ResponderExcluir
  9. Cá também, com um montão de problema... e na maior crise, para não se aumentar o déficit do país... um partido, dos que forma coligação governamental, achou que era uma boa sugestão, gastar um montão de dinheiro... para os cidadãos trocarem todos o seu bilhete de identidade, que agora se chama Cartão do Cidadão, por cá... para Cartão da Cidadania... por achar que as cidadãs se sentiriam melindradas com o actual... mas que o estarão muito mais... com péssimos serviços de justiça, médicos, no ensino... e por aí fora, devido aos cortes orçamentais... disso não terei a menor dúvida... :-(
    Eu não sei o que comem os políticos... que não pensam direito... nos verdadeiros problemas, e necessidades do país!... Gente mais sem noção do que eles todos... não existe!... Tanto aqui... como aí... o mal é geral, pelo que vejo!...
    Ai, eu confesso que também sou bastante observadora... ao estilo Pedro!...
    O Onde?... Onde?... Onde?... É comigo mesmo, também!... :-D Discretíssima!!!!
    O que dizer?... Haja palitos que cheguem, para aguentar tanta idiotice dos nossos políticos!... :-D
    Como sempre, adorei seu texto, Tais, e sempre focando assunto, bem pertinente, que nos merece a maior reflexão...
    Beijos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  10. Taisinha,
    A tua crônica, sempre impecável, deixou-me numa sinuca de bico: passo por palerma ou por fofoqueiro. Mas tudo bem, o que interessa mesmo é um bom almoço. E os palitos não me fazem falta. Faço uso do sal de vez em quanto, mas é raro. Então no que me afetou essa lei municipal. Em nada. Tu que também usas pouco sal e não usa palito, aproveitou essa lei esquisita e escreveu esta crônica com a justa crítica ao governo do nosso país, país este que está totalmente desmoralizado pela ação criminosa dos políticos que temos no Congresso Nacional e a senhora “presidenta” que está de aviso prévio. Então, a lei não foi tão inútil assim, como dizes.
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  11. Uma crônica bem elaborada Taís!
    Cada vez mais assistimos tantas mentiras,com políticos quem sabe se encharcando de comidas com o dinheiro dos nossos bolsos,talvez os palitos servirão de escoras,para segurar as verdades escondidas.rsrs
    Gostei.
    Bjs e um lindo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir

  12. Ótima cronica Taís;
    Nos roubaram, humilharam, e agora o sal :)? Enquanto que na Venezuela é o açúcar, acho que vou importar Coca-Cola para lá, isto é enquanto tivermos açúcar, papel higiênico,que horror!
    Petrobras,Eletrobras,Transpetro, acho que encontraram a "Palitosbras".
    Não sobra um é só gritar pega ladrão,são como cupins devastam tudo
    Amei sua crônica, não se stresse isto é o nosso Brasil, por enquanto.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde, querida Tais, estou meio ausente, mas com saudades de suas crônicas, sempre bem humoradas, e falando sério sobre os assuntos relevantes à sociedade. Putz! Sal e palitos e lei. O que é isso? Fiquei pasma! Realmente, parecem que estão querendo desviar nosso olhar para outros fatos de menor importância.Será que as verduras foram e estão sendo bem higienizadas? Será que a vigilância está fazendo o serviço ? Sempre penso nisso quando como em restaurantes, pois já vi de tudo, mas essa do sal e do palito, foi a primeira vez. Dá-me enjoo só de pensar em quanta coisa ruim está acontecendo em nosso querido Brasil, o estresse aumenta. Parabéns, Tais pela belíssima crônica, polêmica como sempre. Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Tais.
    Fazem lei que não serve para nada, como a que relatou, imagine controlar o sal e palito, uma piada. Deveriam e ter uma lei de uma rígida fiscalização da cozinha dos restaurantes. Isso sim seria útil. Quanto a corrupção desse país em todos os setores, desculpa a sinceridade e também na maioria das família de modo geral. Hoje em dia uma família honesta, que não aceita popina que tendo oportunidade de crescer na vida com corrupção se manter honesto pensando do bem de todos é raríssimo. Para o mundo mudar cada pessoa deveria mudar os seus conceitos , serem honesto e criam os filhos na total honestidade, assim teriam um mundo melhor. O que aconteceu com a Petrobras atingiu a minha família e houve muito desemprego. Mas gracas a Deus meu irmão, sobrinho, já estão empregado fora daqui e felizes. Como sempre uma ótima cronica, onde relata de uma forma bem claro e objetiva. Amiga estou desligada da virtual,me afastei no dia 16 de maio, logo depois só fiz uma postagem pois não poderia deixar de parabenizar a minha filha, mas ainda ficarei sem fazer postagem. Vou precisar encerrar, daqui a pouco termino

    ResponderExcluir
  15. Olá Tais.
    É amiga desculpa mais precisei interromper ao meu comentário acima. Me afastei do virtual justamente por isso, falta de tempo, aqui no trabalho quando acho um tempinho entro no virtual para visitar vocês, mas como aconteceu agora, já aconteceu antes tendo que pará na hora. As vezes apago o comentário, dessa vez resolvi interromper. Mas fazer postagem, responder tem que ter um tempo maior e diante dessa minha nova fase fica dificil. Ate porque ultimamente me sinto um pouco desanimada, cansada, esse sentimento em mim é novidade para todos, ate para mim mesma, enfim seguindo a vida. Eu desejo a você, ao Pedro um lindo final de semana, eu sou igual a ele, quando a minha filha me mostra algo, falo logo cade rsrs, onde ? e ela morre de vergonha kkk. Enorme abraço a vocês.

    ResponderExcluir
  16. Adorei a crónica!
    Também me espantam às vezes determinadas leis que não lembravam ao diabo, mas lembram aos políticos. O que devem eles resolver, não resolvem!
    E isto tanto acontece no Brasil, como em Portugal, como em tantos outros países. A maior parte dos políticos são uns aldrabões.

    Bom fim-de-semana:)

    ResponderExcluir
  17. Tais
    Em primeiro lugar, o lugar de empregado de restaurante é um grande posto de observação. Para um cliente discreto, o restaurante também o é. Pode estar-se na sala e observar tudo o que nela se passa, sem se dar nas vistas.
    Depois essa lei do saleiro e paliteiro, face a tantos problemas, dá para rir na cara do legislador.
    Aqui essas peças, são para pedir, quando é preciso.
    abraços

    ResponderExcluir
  18. Querida Tais, há leis absurdas em todo o lado e só para complicar a vida das pessoas e dos donos de restaurantes. Acho bem que os palitos venham embalados e qual o problema de os colocarem na mesa? Claro que é feio palitar os dentes e que nao é bom para os mesmos, mas se por acaso alguém precisar e não tiver na bolsa fio dental ,levanta-se e vai à cass de banho tirar o incómodo que tem no dente. E o sal? Claro que não se deve exagerar, mas querem obrigar-nos a comer sem sal? Eu uso e aqui em casa nao há ninguém com problemas causados por ele, de modo que cozinho tudo com sal, embora pouco. Cada um é que sabe se pode ou não usar sal, se quer ou não palitar os dentes e os governantes tem que se preocupar com os hospitais, com as escolas, com o saneamento, etc, etc e não com as preferências de cada pessoa em relação ao que quer comer. Tenho pena dos pequenos restaurantes que, além de sofrerem com a crise, têm de obedecer a regras que só os prejudicam. Por aqui temos também leis um pouco absurdas, mas sempre achei que no Braisi funciona o 8 ou o 8000; por exemplo aqui e em toda a Europ o consumo de álcool é permitido até até 0, 5 ; a fiscalização nas estradas é forte e se um condutor é apanhado com mais do que essa percentagem, é multado e dependendo do gau acusado no bafometro pode ir preso e ficar sem carteira, Aí no Brasil é zero , podendo até ser multada uma pessoa que tenha comido um bombom recheado com álcool. Aqui, Sábados à noite, junto de bares e discotecas, já se sabe que a policia lá está com o bafometro e é isso o que importa. Não adianta decretar lei seca, o que interessa é fiscalização nas estradas.
    Interessante crónicaTais. Ha tanta coisa urgente a resolver e os politicos só pensam em complicar a vida de quem trabalha honestamente, Um bom fim de semana. Beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  19. Creio que até os palitos e o sal estão em fuga, despistando-se dessa corja de políticos que infestaram nosso país! Ri muito de suas tiradas políticas...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Cara amiga Tais, quando começou a moda do palito ensacado, um amigo disse, á mesa de um restaurante, destacando as sílabas,: PA-LHA-ÇA-DA!
    Realmente este não é um país sério, apesar de muita gente não gostar desta pecha, a qual dizem foi Charles de Gaulle o autor. Aqui se pratica muita bobagem enquanto os grandes e reais problemas são deixados de lado como se a resolução dos mesmos não fosse coisa importante. No tempo da minha juventude foi escrito um livro por Stanislaw Ponte Preta - epíteto do jornalista Sergio Porto, que também era radialista e compositor e foi autor de " O Samba do Crioulo Doido" - FEBEAPÁ- Festival de Besteiras que Assola o Paí. Talvez hoje ele fosse taxado de racista pelo título do samba, mas deixemos pra lá... Ah, lembrei de uma antiga a proibição do bikini na prais brasileiras pelo ex-presidente da república Jánio Quadros...
    Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  21. TAIS,

    ou sejam, varrer tudo para debaixo do tapete.

    Não lhe parece?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  22. Amo de coração ler suas cronicas, sempre estão dosadas de muitas verdade seguida de muito humor pela forma que nos expõe os contra tempo do dia a dia.
    Sejam ela quais for, sempre haverá um fato novo a nos representar... O brasil é disto, sempre ali ou aqui estaremos a observar coisas peculiar do nosso dia a dia, que trara atona verdades reveladoras.
    big bj em seu coração linda.

    ResponderExcluir
  23. Gostei da sua crónica. Aí como aqui os políticos são iguais. Preocupam-se com ninharias quando está tudo por resolver... Há que ter fé que as coisas mudem...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Leis no Brasil só são para os pobres e minorias.
    Triste realidade.

    Beijo

    ResponderExcluir
  25. Oi Taís
    Eu detesto ver pessoas palitando os dentes, aqui onde moro, palitos nos restaurantes não tem( feche a boca se os dentes estão sujos com deliciosas iguarias.
    Comeria até de colher se a podridão da política brasileira amenizasse um pouco.
    Está uma vergonha as sessões de câmaras, se alguém me xingasse como vi eu o mataria enforcado.
    O Brasil é o pior exemplo de política podre do mundo.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  26. Isso de palito e sal é ridículo. Campanhas de esclarecimento sobre os problemas decorrentes do consumo excessivo de sal seriam sempre úteis. Quanto ao palito - sem comentário. Um grande abraço Taís, Loyde manda beijos

    ResponderExcluir
  27. Olá, Taís.bom dia...bem por aí, com tanta coisa para ser discutida e resolvida, tanta coisa errada acontecendo e os Vereadores preocupados com algumas leis inócuas, sem sentido, contraditórias em si mesmas...
    Belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
  28. Taís,

    Agora quando encontrar o palito desagregado do seu grupo (paliteiro)e
    com capa de chuva e o sal em saquinhos, ficarei sorrindo, serei
    observada como excêntrica...rss
    Você será a culpada, por escrever tão bem e com um senso de humor e
    ironia brilhantes, viu?...rss

    Adorei, querida!!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  29. Hola, gracias por tu visita a mi blog, siempre eres bien venida, me encanta tu blog, aun cuando solo adivino algunas cosas de tu idioma,,,saludos

    ResponderExcluir
  30. Boa noite querida Tais.
    Vim lhe desejar uma linda semana para vocês e avisar que voltei a postar. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  31. Los problemas no surgen solamente en tu país, hoy el mundo, en general, anda revuelto y los políticos, a la hora de gobernar, tampoco se ponen de acuerdo.
    El ejemplo lo tenemos en España, dentro de poco, se tienen que convocar otras elecciones y, con el dinero que se va a gastar, veremos si queda algo para poner sal y palillos en los restaurantes. ¡Menos mal que yo soy de poca sal y mucho menos de utilizar un palillo en la mesa!
    Como siempre, ha sido un placer leerte.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  32. Olá Tais! É exatamente com a lei do sal e do palitinho que o político mostra a sua preocupação com a saúde do povo, a fim de justificar os elevados vencimentos e os não vencimentos que embolsam. O Pedro que tem razão quando afirma que foste beneficiada com a lei, pois foi inspirada nela que escreveste esta bela crônica.

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
  33. Olá, Taís
    Achei este seu texto extremamente interessante.
    Fez-me lembrar a primeira vez que fui a Londres. Uma coisa que me "chocou". Uma sociedade, à época (já passaram una bons anos!) bem mais avançada do que Portugal (dizia-se...) quando pedimos café trouxeram-nos o açúcar num açucareiro, de aspecto higiénico mais ou menos duvidoso, em vez dos pacotinhos individuais a que estávamos habituados.
    A verdade é que as medidas que se tomam são as que "dão nas vistas", "para inglês ver", esquecendo as que realmente interessam.
    Mas... minha amiga, não é só aí, não pense, aqui é a mesma coisa. Mudam os nomes às coisas, constantemente, mas vai-se ver... fica tudo na mesma.
    Será que algum dia isto vai mudar?

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  34. Minha querida amiga Tais, aprendi a apreciar leis, quando do curso de direito, mas antes disso nunca entendi porque tantas leis, tanto que um mesmo fato tem lei que condena e tem lei que absolve, uma grande confusão jurídica...mas é isso mesmo, fazem leis como que para esconder o que de fato se precisa, porque enquanto nos deparamos com situações absurdas e desnecessárias como esta do restaurante, os desmandos e abusos no esfera pública continuam, os roubos continuam. Incrível como tu consegues dentro de uma crônica, expor as mazelas que estamos vivendo e mesmo assim trazer um frescor, uma leveza em tua escrita. Me questiono, reflito, fico indignado, mas não perco a esperança, não deixo de dar um sorriso, uma leitura completa se faz aqui. Sempre muito bom participar deste blog.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  35. Taisamiga

    Tu não precisavas - mas...



    Olá!

    Depois de enormes confusões, de muitas decepções de várias ocasiões de desespero e na alternativa de me suicidar, que não me pareceu muito saudável, decidi continuar – e por isso aqui estou.

    Pensei tomar 25 gramas de raticida diluído em ácido sulfúrico, com umas pitadas de arsénico; simultaneamente cortaria os pulsos e atirava-me da ponte 25 de Abril e durante a viagem até chegar ao Tejo daria um tiro na mioleira; como complemento e para ficar seguro de que não o meu cadáver ficaria absolutamente falecido, e na mesma altura enforcava-me. Sair-me-ia caríssimo. Desisti.

    Por isso repito o que venho dizendo muito empenhado (já nem tenho cotão nos bolsos): A Nossa Travessa está à disposição total, inultrapassável e inadiável. É http:///anossatravessa.blogspot.pt onde fico à espero de muitas visitas e muitos comentários. Obrigado

    Qjs

    Leãozão

    ResponderExcluir
  36. É companheira, tanto pra fazer lá em cima, né, e só entram com leis pra dar um jeitinho de multar quem trabalha! abração

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso