5 de junho de 2016

VIDA VIRTUAL

Automat / 1927     Edward Hopper


                         - Taís Luso
Há uns meses enviei um vídeo para uma amiga – amiga da vida real. Tivemos uma conversa muito boa. Ela faz parte das redes sociais, Facebook e Instagram. Eu faço parte da blogosfera. E como não faço parte de outras redes, quis entender o porquê dessa interação tão intensa, tão íntima, tão exposta. Mostrei-lhe um YouTube que recebi sobre redes. Não deixa de ser interessante, ver de fora, uma engrenagem fantástica, que consegue aproximar e amar uns, e ao mesmo tempo consegue rejeitar e odiar outros. Não entro no mérito do conteúdo. Cada um sabe de si e posta o que lhe convém – desde que assuma suas responsabilidades. Tudo é democrático. Pois é.
Mas nessa conversa, minha amiga me convenceu o porquê dessas redes virarem o centro de atenções de 350 milhões de usuários; por que o Smartphone é um assombro, principal objeto de consumo do mundo; por que vemos tanta gente aderir e dedilhar na rua, nos bares, nos hospitais, nas filas e etc. 
Disse-me ela:
Concordo que a Internet e suas redes sociais podem deixar as pessoas muito no mundo virtual quando elas poderiam estar no mundo real, vivendo, conversando, sentindo e interagindo. Mas e quando a solidão é o cenário mais frequente? A Internet dá, ao menos, uma sensação de que estamos em contato. Infelizmente, os seres humanos precisam uns dos outros. Os animais, que são melhores que nós, não nos bastam. Somos seres sociais. A solidão corrói Precisamos do acolhimento e da troca. Ninguém cresce e evolui sozinho. Por isso, as redes sociais, ainda que de forma muito superficial, cumprem uma função para os solitários: permitem a expressão de pensamento e a troca de opiniões, algumas risadas com bobagens, alguma informação e, por vezes, um encontro real de amigos que há muito não se viam. E também um pouco de inveja e nostalgia das fotos dos outros que mostram uma interação real, quase como um comercial de margarina.”
Entendi e nesse ponto lhe dei razão. Logicamente fiquei com muita pena e surpresa, mas aprendi e vi o quanto as redes sociais são úteis nessas circunstâncias. Mas é uma questão de conscientização, de aprendizado, de comportamento para a outra turma que não padece de solidão. Também constatei o quanto as redes podem ser eficazes e positivas para dar a palavra e poder ao povo. Tivemos o exemplo recentemente nas convocações para as manifestações e passeatas no Brasil. Jamais daria para convocar o povo sem o Vem pra rua, Brasil!
Incrível como a vida virtual está caminhando paralela à real. Mas a questão é  saber dosar.




31 comentários:

  1. A vida virtual está cada vez mais presente. Onde vamos, seja em restaurantes, seja onde for, vemos casais até que cada um mexe no seu celular.E não estão sós. Isso é o mais estranho!

    Como em tudo, há de se ter equilíbrio, senão a vida real pode ficar prejudicada. Mas não podemos esquecer as coisas boas do virtual. Saber circular bem é o esquema... bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. OI Tais,

    Esse excesso me incomoda muito. Brigo com meus filhos para que não sejam escravos"de um celular, em contrapartida me pego fazendo o mesmo usando o watsap. É difícil! Um tem complexo. É preciso enxergar as coisas boas, usufruir delas e não nos deixarmos escravizar pela virtualização. Outro dia ouvi uma frase que parece resumir tudo isso: "Teclar é ótimo, encurta todas as distâncias, mas nada, absolutamente nada substitui um abraço."

    Grande abraço para você. Sempre bom vir aqui,

    ResponderExcluir
  3. Soneto-acróstico
    WEB

    Hoje apenas a internet a palavra dá
    Álacre ou não mas dona da verdade
    Interessa saber, veja na web que há
    Nada escapa, do miúdo à variedade.

    Tudo o que existe ou existiu, está lá
    E ela tem valioso dom da ubiquidade
    Logo, se procura por certo encontrará
    Incrível e até demonstrável potestade.

    Grande esta incontestável potência
    Ênfase na pura e correta afirmação
    No entanto, indago: há inteligência?

    Cada resposta também admite não?
    Inclusive, embutida a consequência?
    Assim de modo a haver contradição?
    ?

    ResponderExcluir
  4. As redes sociais e a vida virtual está cada vez mais a invadir as nossas vidas.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Tais,as redes sociais muitas vezes são boas outras não.Eu possuo página no Facebook e Twitter,(que não uso) e o meu Whatsap excluí,pois acabamos realmente não ouvindo a voz dos amigos ou parentes e isso nos deixa completamente fora da realidade.Há pessoas que são viciadas nesses meios virtuais de comunicações e colocam tudo o que fazem diariamente.Acho isso incrível!
    Belo texto.
    Bjs,obrigada pela visita e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. Ótima exposição aqui em como as pessoas agem diante do virtual, pois é minha amiga Tais, eu reluto, tenho celular e o whats só em um grupo familiar, meus filhos e netos nora e genro, rsrs,assim mesmo ainda esqueço de visualizar e levo muitas broncas.
    Sou pisciana que adora liberdade de ir e vir sem dar satisfação, isso dá encrencas pra valer, mas amo isso, converso com pessoas, mas cara a cara é o que é bom, nada substitui isso.
    Mas aos poucos estou sendo obrigada a ir me virtualizando cada vez mais, mas é aos poucos, isso no celular, pois já tenho e faz tempo o Facebook!
    Amei ler aqui, muito bom.
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  7. Cara amiga Tais, é, realmente, o argumento de vossa amiga, de certa forma, satisfaz. Também acho incrível como o paralelismo entre vida virtual e vida real. Eu também sou mais blogsfera, apesar de face, raramente ando lá. Uso celular para fazer ligações e ultimamente também para leituras, por ser uma maneira mais fácil de conduzir livros; diria, por o livro estar sempre à mão, em qualquer lugar, como por exemplo, na fila do banco, no transporte coletivo, na fila do caixa do supermercado, o que torna a leitura um ato menos solene.
    Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  8. Querida Tais, una vez más tu escrito sobre Vida Virtual en las redes como Facebook me anima a dar mi opinión.

    No soy partidaria a exponer mi vida personal de forma pública, contando mi estado anímico en cada momento. Además de por falta de tiempo, no me gusta ir poniendo fotos sobre un viaje, una comida y llegar a contar hasta los problemas familiares. Creo que los que así actúan necesitan mostrarse como en un escaparate.

    Utilizo Internet vía correo para comunicarme con mi círculo privado de amistades y por WhatsApp.

    Reconozco muy interesante la gran información que podemos conseguir gracias a Internet, pero seleccionando mucho donde participo.

    Un fuerte abrazo amiga.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom o tema, Tais, mas quando vemos uma mesa cheia de jovesn que se preparam para jantar e cada um com o seu celular na frente, e assim ficam mesmo quando chega o jantar? E nos restaurantes? Pai, mãe e filhos, eles com os celulare
    s e as criancinhas com os tablets? Claro que num caso ou noutro ajuda na solidão, mas na maioris das vezes contribui para ela. Ontem passei o dia com os filhos e netos. Onde estavam os celulares deles? Na bolsa e na hora das refeições também. Fomos passear e só quando precisamos para nos localizarmos é que eles foram usados. Sempre foi assim e, felizmente que o meu filho stá passando isso para o Lucas e Eduarda. Que só utilizam os tablets em casa . As novas tecnologias foi muito importante para a nossa vida, mas, creio que a maioria não está sabendo usá-las com o devido equilibrio. Hoje quase não se conversa, hoje tecla-se. Os idosos são aqueles que de facto vivem muito sós, mas, infelizmente não sabem usar os smartphones. Beijihos, Tais e obrigada pelo tema que " daria pano para mangas".
    Emilia

    ResponderExcluir
  10. Tais
    Partindo do principio que não há amigos virtuais, há amigos, as redes sociais, são o mundo da globalização. Por mim acontece que, por defeito de ofício anterior, julgo saber conhecer cada pessoa, pelo e como escrevem. Depois venho conhecendo pessoalmente muitos desses amigos, bastantes brasileiros, com quem tenho tido encontros em Lisboa e curiosamente, são como os imaginava. É evidente que procedo às minhas escolhas. Hoje, a minha maior socialização está na Internete.
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Verdade, Tais, a virtualidade tem reaproximado muitas amizades que seriam impossíveis de novamente se encontrarem na vida real!
    Eu também já questionei os exageros nas redes sociais, aqui no nosso meio, que também não deixa de ser um excelente canal que nos mantém contactados, concorda?
    Sobre minha postagem "Geração Desgovernada", você comentou:"Os extremos é que são anormais; os extremos é que saem do bom senso, do equilíbrio e acabam em vício. A Internet é um meio muito democrático em que todos obtém o direito de se manifestarem, não é mais privilégio de alguns. Claro, há de separar o joio do trigo, como tudo.
    Penso eu que essa alienação, esse vício de teclar a todo o momento, mesmo rodeados de amigos, checar e-mails, tuitar ou enviar mensagens a toda hora e ficar checando o face veio pra ficar. Gerações que nasceram assim. Crianças de 1 ano já brincam com tabletes, já há joguinhos para elas. Então pensar o que disso? É enterrar os 'chocalhos', bonecas e carrinhos. Assisti um programa americano sobre os profissionais que perderam seus empregos, sua família por causa da Internet. Foram consumidos pelo vício eletrônico. Cruzes.
    O vídeo é excelente! E seu texto sempre à altura!
    Beijos!"
    Esse seu comentário enriqueceu muito meu post!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Victor, relendo esse meu comentário que deixei no seu blog lembrei da sua excelente postagem. Obrigada pelas suas palavras, Victor, sempre gentil.
      Bjus.

      Excluir
  12. Olá Tais! O virtual tem o seu lado bom e o seu lado ruim. Portanto, cabe a nós escolhermos qual lado devemos aceitar ou descartar. belo post amiga.

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  13. Eu também só tenho blog e não aderi a mais nada, o tempo já
    é bastante ocupado e gosto do ar livre, natureza e utilizo
    o tablet e celular para telefonemas e leitura de livros,
    mas não dispenso o bom livro impresso. Tudo usado com equilíbrio
    é interessante, o excesso é que prejudica.

    Uma semana luminosa para você, querida Taís!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Bom dia querida Tais rsrs ou seria frio dia srs
    aqui no sul nada fácil hj né srs
    melhor semana toda incluindo a passada..
    um tema bem abordado..
    tento sempre me controlar aqui..
    cada vez criam mais redes sociais e as pessoas
    ficam o dia sugadas....
    por mim o email estaria de muito bom tamanho
    blog muito bom pq podemos ter este contato..
    mas muita coisa não vou aderir na minha vida não..
    gosto da minha caminhada conversando, não como muito vejo..
    pessoas caminhando com o celular na orelha..
    perdeu=se muito o senso do real..
    bjs meus e feliz dia querida amiga

    ResponderExcluir
  15. Olá querida Tais
    O lado virtual é bom mais ainda prefiro o real. Passando saber como esta vc? Deixo um abraço fica na paz.

    ResponderExcluir
  16. Amiga, o virtual tem o lado bom e o lado mau, mas tem que se ter cuidado para não cair em excessos. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  17. Bom dia querida Tais.
    Uma bela abordagem sobre a evolução da tecnologia. Acho que o mundo virtualmente muito proveitoso. Mas tudo na vida tem que ter equilíbrio. Eu sou faço parte mesmo da blogosfera. Fiz amizades como a de vocês por exemplo que muito me agrada. Ler as postagens, interragir é bom demais. Mas nunca deixando de lado a vida real. O contato físico com que gostamos de estar é muito importante. A minha filha é um pouco mais ligada no virtual, mas ultimamente estou moderando o seu apego pelo seu aparelho inseparável rsrs. Assim eu brinco com ela e digo logo vamos para a rua. Mas os celulares vão descansar na bolsa. Só serão utilizados para tirar fotos e em caso emergencial. Vejo pessoas na rua acompanhadas e cada uma em outro mundo. Isso já acho exagerado. É como eu digo gosto muito do mundo virtual. Até porque para mim as minhas amizades apesar de não conhecer pessoalmente são reais. Mas a minha vida real com certeza e mais importante. Se podemos ter os dois, porque vamos ficar apenas no virtual esquecendo as coisas belas da vida rsrs. Um feliz dia para vocês. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  18. Querida Taís quero primeiro desculpar-me pela demora em comentar sua ótima explanação, passei uns dias pintando quadros com temas infantis para uma exposição,como só sei trabalhar em pé, fiquei MUITO cansada. De vez em quando, meus dias entram em turbulências reais,por isso mesmo que quisesse, e não quero, poderia usar todos esses recursos que a Internet propicia, apesar de gostar muito da blogosfera minha vida real é bem cheia, gostaria até que fosse menos, solidão não tenho. Mas foi através da Internet que conheci uma nova irmãzinha, você e todas as pessoas que estão ali nos momentos de sossego e paz, trocando gostos,dúvidas, dissabores,alegrias, poesias, historias. Não dá mais para considerar essas amizades como virtuais, já fazem parte de minha vida, já sabem do que gosto e não gosto, o que me faz rir e sofrer, e sabem que são importantes e amadas como as amizades que tenho por aqui ao vivo e a cores.
    Irmãzinha como sempre digo e vou repetir seus textos e crônicas são uma maravilha.
    Parabéns, beijinhos,
    Léah

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. E se eu lhe disser que o frio aqui congelou meus neurônios?? Tá difícil de pensar! Hoje fez 0ºC aqui em POA de madrugada. Carioca, aqui, pega uma pneumonia! Pois é, não tem mais como separar algo que já é muito presente em nossas vidas. Muito próximo. Só sou contra o exagêro de ficar dedilhando em tudo que é lugar. Mana, também adoro os amigos da blogosfera e sinto o maior carinho por você! Claro que você tem de pintar, vai colocar esse talento fora?
      Beijinho, aqui vai baixar mais a temperatura e chover! Cruzes.

      Excluir
  19. Amiga Tais:
    Esta tema é muito actual e interessante. Tudo na vida tem que ter a dose certa, se é demais faz mal.
    A solidão é um dos grandes dramas da nossa sociedade, principalmente nas grandes cidades, onde todo o mundo vive no seu "quadrado".
    O virtual cria a ilusão de grupo, de comunidade, mas não dá o conforto de um abraço ao vivo.


    Um beijinho grato

    ResponderExcluir
  20. Entendo, as características e a utilidade das redes sociais... mas ainda assim... recuso-me a estar ligada todo o santo dia à Net... razão pela qual o meu telemóvel... faz algo pré-histórico...
    Apenas funciona como telefone... :-D
    Na minha cabeça... enquanto uma rede social me servir, para me aproximar de alguém que viva na Gronelândia (por exemplo)... e me afastar das pessoas, que me são próximas... não terá cabimento...
    Por enquanto, estou só na blogosfera... o mundo das redes sociais... pronto a julgar, apontar e condenar com uma voracidade enorme... ainda não me cativou... mas uma coisa já aprendi... mesmo na blogosfera... chegamos à mesma velocidade, tanto às pessoas que gostam de nós... como às pessoas, que nos invejam e passam a detestar por qualquer motivo... e nas redes sociais... tal acontece a uma velocidade, e voracidade ainda mais estonteantes...
    Por enquanto... esse agradável mundo novo... ainda não é o meu mundo...
    Como sempre, um tema bem pertinente, por aqui, que dá gosto ler!...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  21. Muito sensata, coerente e justas suas considerações, Tais. Entendo sua amiga, comungo da opinião dela, minha melhor amizade, mais fiel é virtual, acredite. As redes sociais cumprem uma papel função social, mas especificamente, O Facebook que conheço e me utilizo. As pessoas ficam mais a vontade, aproxima os distantes. Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Oi Taís,
    Não gosto muito das redes sociais, tenho o face, mas quase não entro. Gosto do blog e nem uso celular,pois quando saio não quero que me enche o saco, pois gosto de conversar com gente olhando nos olhos, as vezes choro e as vezes rio.
    Assim vamos vivendo a vida, mas como a cidade é muito pequena, logo eles me acham. Que saco.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  23. A coisa funciona exatamente como você descreveu, Tais. Uma postagem convincente no Facebook, por exemplo, pode juntar alguns milhares de pessoas. Fatos dos dias de hoje. Notícias falsas, para beneficiar ou prejudicar este ou aquele grupo, igualmente. Nós? Temos apenas nossos blogues!
    Abraço forte!

    ResponderExcluir
  24. Faz parte hoje em quais todos os setores a internet. Seja empresa, igrejas e quantos casamentos já fora realizados nas redes sociais. Um mundo que a cada dia se descortina a nossa frente. Cabe a nós sabermos entrar e sair...

    ResponderExcluir
  25. Bo anoite, querida Taís Luso!
    Outro texto muito bem escrito... concordo com o fato que temos que saber dosar... assim tento fazer e vivo a vida real tanto quanto... não mais...
    Hoje mesmo no Museu do Amanhã, no primeiro vídeo, perguntaram às crianças pequenas se poderiam ficar sem o celular, sem watsapp por apenas 7 min... todos tiveram que responder que sim pois era proibido, só por isso... Incrível,com tão pouca idade!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  26. Las redes sociales son necesarias pero la cercanía humana es imprescindible. Las personas como animales sociales sentimos la necesidad de expresarnos y ambos medios nos dan la oportunidad. Hay que pensar con la cabeza y que ninguno nos desborde. Cada cosa en su justa medida.
    Pues recibe un fuerte abrazo.

    ResponderExcluir
  27. O advento das redes criou uma legião de viciados é certo. Claro que sabemos da utilidade destas, bem como do péssimo uso delas. Dizem que coisa de Brasil estragar as redes, não tenho conhecimento delas lá fora e de como as pessoas se portam e postam. Aqui é triste, uma lixeira muitas vezes. Ainda passamos por um processo de inclusão que deixa as pessoas vulneráveis no uso da internet. Na politica foi um lixo as agressões gratuitas entre as pessoas, parecia um campo de guerra. Creio que isto me afastou da maior delas. Hoje dedico mais ao blog e um pouco de Instagram por ser mais rápido, mas o processo de comercio no mesmo chega a chatear.
    Enfim dosar e dosar sempre em tudo na vida.
    Bela cronica da atualidade Taís.
    Abraços

    ResponderExcluir
  28. FAST FOOD E INTERNET
    Tudo o que as elites precisam dar ao povo é algo pra comer e alguma coisa para se entreter.
    Quando eu era criança, não havia internet
    e eu me distraía nas bibliotecas devorando enciclopédias.
    Hoje vejo as crianças com todo um universo de possibilidades na net,
    mas elas só usam para jogos, videos, e redes sociais...
    Conhecimento? Se o professor mandar, logo dão um ctrl c ctrl v
    e não sei se há muito a fazer em relação a forma como os jovens usam a web
    = acho que se ela existisse na minha infância eu à usaria tal como os jovens de hoje: apenas para me emburrecer cada vez mais...
    bj linda

    ResponderExcluir
  29. A cada dia que passa fico mais encantado com esse gênero textual. É impressionante o quanto uma pequena crônica pode fazer conosco. As redes sociais para quem está imerso a ela é algo indispensável, mas para outros pode ser uma grande perda de tempo. Mas como foi posto no texto somos seres sociáveis, portanto procuramos sempre um jeito de manter contato com o outro. As redes sociais foram criadas para isso. Claro que esse meio tornou o ser humano um pouco se não bastante distante do contato físico (olho a olho) proposto no início da criação de tais redes sociais. Mas mesmo causando algum problema ainda é uma ferramenta incrível e se bem utilizada pode ser uma grande ferramenta para tornar o mundo melhor ou... espero que tais interações sociais virtuais se torne cada vez menos alienada com o passar do tempo.

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso