7 de abril de 2017

RETRATOS DE FAMÍLIA




                       - Tais Luso
Há muitos anos ouvi uma frase: Família só é bonita em porta-retratos! Na época achei engraçada, mas não passou disso. Hoje, porém, a vejo de outra maneira, além de continuar hilária, o inventor acertou na mosca!  Também vejo, cada vez mais, um núcleo desestruturado e rancoroso. E haja jogo de cintura para se sair vivo de uma intriga familiar. Não existe nada tão complexo quanto Família! Mesmo porque a base de tudo é o ser humano. E se o ser humano piorou, consequentemente o mundo familiar - em parte -  piorou. O convívio mais parece uma pintura surreal, quase incompreensível para quem vai chegando...
Porém não quero dizer que não exista o amor familiar; ele está presente, mas não o suficiente para manter as pessoas em harmonia por muito tempo. Primeiro é o eu. E sobra pouco pra dividir. No primeiro tropeço, começa a desintegração.
Sim, aprendi, desde pequena, que a família é a base de uma sociedade saudável, e até concordaria, mas se saudável fôssemos. Estamos cada vez mais desorientados, e portanto  mais incapacitados para sentimentos. Para amar. Porém, não generalizo! Falo de famílias 'doentes'.
Nossa espécie está mais violenta do que nunca: tudo já aconteceu. Não sei qual surpresa pode estar a caminho, talvez a explosão do planeta. E não me surpreenderia. Nossos caminhos podem estar cheios de flores, mas também repletos de espinhos dos quais cultivamos com esmero, espinho por espinho. Existem algumas figurinhas que adoram cultivar ódio, é como se fosse um troféu! Seguindo as mídias, podemos constatar as últimas atrocidades: a mãe psicopata que jogou a filha no lixo; do pai que atira a filha pela janela; do filho que esfaqueia a mãe para obter droga; da mulher que envenena o marido; da mãe que vende a filha para ser prostituída; da filha que mata os pais com olho na herança, da mãe que mata o filho drogado... Fora quando  parentes do segundo escalão entram na jogada para aumentar a festa. Muito frequente.
Que coisa mais maluca! Enfim, uma parentada ordinária que não se sabe de onde surgiram. Isso se chama família? Mas é compreensível, pois na primeira família do mundo, um irmão matou o outro. Então nada a duvidar. E não são poucas as famílias que se atracam o dia inteiro.
Sempre teremos no nosso núcleo, uns parentes que farão o inferno astral dos outros, cooperando para a formação e instabilidade dessa base social.
E é nesse núcleo que nasce a inveja, a avareza, o ódio, o egoísmo, a intolerância, a arrogância...e por fim estará formado o caráter dos mais novos.
Mas é no núcleo familiar que aprendemos a armar confusões por coisas insignificantes; é no núcleo familiar que crescemos vendo as primeiras desavenças entre pai e mãe; é nesse núcleo que ficamos intolerantes; é no núcleo familiar onde começam nossas carências afetivas. E é no núcleo familiar que aprendemos a querer o mal do outro. É nesse núcleo que se formará  o ser humano.
É nesse núcleo - no término do casamento - que os filhos são colocados na linha de combate e atingidos pelos atos de vingança de seus pais. E depois dê-lhe terapia nos anjos. Que instituição é essa que o amor não sobrevive ou não se multiplica?
Família deve ser vista sem máscara e sem verniz. Se for boa e saudável, devemos reconhecer, exaltá-la. Será exemplo sempre. Se for desestruturada, por que não falar? Motivos cabem para averiguar de onde e porque desse mal. Quais as razões para tantos desentendimentos e crimes familiares?
Por isso que a frase lá de cima: Família só é bonita em porta-retratos, até procede. Nada mais de engraçado. Nele, as famílias ficam lindas e sorridentes para serem vistas pelas gerações futuras:
Este é o fulano, filho do sicrano e neto do beltrano!
Maraviiiilha!! Que linda família, que harmonia!!
São retratos de famílias num mundo conturbado e decadente em sentimentos.

___________________________________





55 comentários:

  1. Taís, li concordando em gênero, número e grau com sua crônica "bem familiar"... Mamãe tinha caixas de fotografias... Pouco víamos as fotos! Os parentes, então? Distanciados ao extremo... Natal e Ano Novo = confraternização? Não = a revolução familiar! Como pode ver minha experiência não foi das melhores... E, porta-retratos aboli-os... Agora, arquivo as fotos de filho, neta e nora e, poucos amigos, em meu PC e fim... Quando quero, olho e mato saudades... Ou deleto-os. Ficou mais leve assim, minha experiência familiar... Cada um no seu quadrado respeitando e muito, os limites individuais.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    assunto eterno esse, né?
    Eu só tenho dúvidas de quem enlouquece quem. Pra mim, que já tive simpatias com idéias anarquistas, a família é a maior fábrica de loucos e neuróticos que existe.
    Aliás, lembro de outra frase, do livro "A Idade da Razão" do Sartre.
    "família é que nem varíola: a gente tem quando é pequeno e fica marcado pro resto da vida"
    Beijos
    Ademir

    ResponderExcluir
  3. Acróstico

    Forma-se, pai e mãe, o núcleo familiar
    Agregam-se alguns filhos posteriormente
    Meio que não se sabe onde isso vai dar
    Ínclicos seres, cada um sabe o que sente
    Logo, um ao próximo pega na jugular
    Isso é simplesmente família, minha gente
    A mais nobre célula pra vida formar.

    ResponderExcluir
  4. Taís, é bem isso! Acho que todos temos raízes nos circos e por isso tanto jogo de cintura e rebolados temos que fazer pra manter o eixo numa família. Difícil contentar a todos e sempre há algo, sejam os "agregados" mal escolhidos, sogras, noras ,enfim, material humano não falta pra render muita alegria, mas muiiiiiiiitas confusões nas famílias! Não é mole,rs bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. Cara Taís

    Na minha juventude eu sempre repetia a frase: "família só é bom por carta ou telegrama (não havia ainda internet). Eu achava que muito contato sempre resultava em crises, demonstrações de ostentação, fofocas, interferências nas condutas etc. Mas o tempo passou, os pais se foram, os filhos cresceram e tb seguem seus caminhos próprios e vc começa a ver de outra maneira: "família é como a democracia, às vezes é duro de aguentar, mas sem ela seria muito pior".

    ResponderExcluir
  6. Oi Taís, uma boa noite.
    A família como base de tudo soa tão bonito e tão irreal no mundo que vivemos. Há desamor no seio das famílias oriundo de uma competitividade desorganizada, onde os esteios da família perderam o controle da nau sem rumo.O conceito de família de cooperação e respeito foi se esvaindo no tempo e o que conhecíamos apenas na historia da criação do mundo como bem coloca citando Abel e Caim, hoje estampam-se casos e mais casos aos nossos olhos estupefatos e a coisa não se restringe às famílias mais pobres, atinge até o topo desta famigerada piramide.Tenho lido alguns relatos de terapeutas especializados em família e ai a gente se depara com casos que causam arrepios.E temo que realmente a frase inspiradora acima nos faça repetir Drummond: A família é apenas um retrato na parede, mas como dói.
    Valeu Taís esta clara e crua cronica sobre esta célula, que devemos envidar esforços para que ela não se perca ainda mais neste mundo virado de pernas para o ar,pois aí tudo estará perdido mesmo.
    Um bom fim de semana com paz e harmonia na família.
    Meu terno abraço amiga e que Deus proteja nossas famílias.
    Bjs de paz

    ResponderExcluir
  7. Taisinha tenho visto tanta coisa ruim no meu trabalho, nas Varas de Família, de um e de outro cônjuge, e também dos filhos dessas pessoas. Minha defesa contra os muitos familiares é viver a minha vida, com pouco com contato com eles. No convívio familiar a inveja é o carro-chefe; quando estamos nos saindo bem, neste ou naquele empreendimento, sempre haverá um irmão, um irmão para dizer o que fariam em nosso lugar. Como tu sabes tenho quatro irmãos e três irmãs, que se constituem em número suficientes para declararem guerra contra a Coreia do Norte (logo liquidariam o ditadozinho maluco, que preside esse país).
    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre há os plantonistas para fazerem jus a esses relacionamentos familiares em que falo.
      Aproveito aqui para deixar aos amigos um belo filme: Parente é Serpente (1993), uma história que conta o encontro de vários irmãos na casa de seus pais, no Natal. Conversavam, se divertiam e por fim começou uma agressão sem precedentes. Seus pais passaram mal. Os filhos combinaram, então, colocarem um ponto final nesses encontros! O final do filme é estarrecedor!! Vi várias vezes esse filme, no cinema e na vida real. Muito triste. Vários escritores falam de suas festas de fim de ano, nada boas. E pergunto: por que tudo isso? São os sentimentos que falei. Escassos estão os afetos familiares!
      Beijinho!

      Excluir
    2. Eu vi este filme e é estarrecedor, mas real. Ainda hoje, temos conhecimentos de pessoas que tratam seus familiares idosos, usufruem de seu patrimônio, e não têm nenhum respeito pela sua dignidade enquanto ser humano. Mas creio no lado bom que podemos impulsionar, amo minha família e busco ressaltar os bons valores.

      Excluir
  8. Anônimo21:30

    Concordo com você.Vou dá um ex: meu marido foi diagnosticado com câncer no pâncreas, em maio deste ano, pois bem, começou um tratamento com quimioterapia e tem que fazer uma dieta rigorosa passada pela nutricionista, a família dele está ciente de tudo isso, mas mesmo assim ficam convidando-o para sair para almoçar fora, como se ele pudesse comer qualquer coisa, não aparecem nunca para visitá-lo, telefonam uma vez na vida e outra na morte, e só para ficarem com demagogia barata, não perguntam pelo menos se nós precisamos de alguma ajuda. Realmente só são bons em porta -retrato.

    ResponderExcluir
  9. Maravilhoso...É isso aí.
    Beijos, dircinha e Lord JACK...

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Tais.
    Um dia eu compreendi o porque diziam que família feliz só em porta- retrato. Mas felizmente a vida uniu a minha família pra sempre. Todos compreenderam o valor da vida e como é importante um amar ao outro e aproveitar cada instante que a vida nós da com cada parente. Logico que brincamos, nós irritamos, mas no final nós perdoamos e seguimos em frente. Foi morrendo um a um, os mais ambiciosos foram destruindo pela propria ambição infelizmente, mas ate isso serviu com exemplo para todos. Hoje vivemos em paz e dentro do possível sem desarmonia e ate conseguimos ser felizes sem porta retrato rsrs. Mas eu concordo plenamente com a sua postagem. Observo dia a dia como é escassa uma família unida e feliz. Um lindo fds para voces. Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  11. Existem raríssimas exceções a contar nos dedos. Como uma que conheço, alias conheci duas, que valem o registro, mas, falarei da que me refiro, que conheço muito bem. Cujo os irmãos se reúnem todo final de semana para prosear, jogar conversa fora. Não faltam motivos para fazerem um churrasco, pretexto para festejarem isso , aquilo, se reunirem. Pedem desculpas um ao outro, agradecem. Filhos de um pedreiro e de uma dona de casa que demonstravam afeto, abertamente entre si, e eles lembram disso com carinho. Beijos, Tais.

    ResponderExcluir
  12. É assim mesmo Taís!
    Viver ... em e com ... família nem sempre é fácil e requer muita atenção por parte de todos!
    Um tema bem pertinente!!! Bj

    ResponderExcluir
  13. Pior que tenho de concordar. Considero somente familia pai, mãe e avós, porque os outros parentes são complicados e e a coisa só fica bonita n porta-retrato mesmo.

    Bom final de semana,
    Abraço

    http://mylife-rapha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Taís vivemos em um mundo que vemos famílias guerrearem por heranças outras por assuntos banais,mas acho que a família é àquela que construímos,como nossos filhos,maridos e netos,outras tem que ficar realmente no porta-retrato.
    Adorei a crônica.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  15. Tais Luso
    Sendo a família a primeiro núcleo político desta nossa sociedade, toda desagregação da mesma, por consequência, começa na família. Devo dizer sendo o mais velhinho de oito irmãos, ao falecer o pais, a mãe nomeou-me cabeça de casal, para e em conjunto comigo, proceder à divisão dos parcos bens. Resultado deu tudo certo. Até há bem pouco, entre nós, era organizado um almoço anual de confraternização. Só não se tem realizado agora, mais porque já faltam dois elementos elementos da família. Fica o exemplo, que é apontado como como exemplar, mesmo pelos primos próximos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Taís, como Terapeuta de família utilizo muito esta frase, pois não existe perfeição. A família é a matriz da identidade, instituição da formação humana e tem sua dinâmica, jogo de poder com em qualquer outra instituição. Nela se aprende a amar. Estamos em momento muito difícil e como tudo se interliga, temos mostras nas famílias de uma sociedade doente. Mas para trabalhar nesta área tenho a crença do potencial de recursos que existe dentro da própria família ao trata suas questões.

    ResponderExcluir
  17. SUENA MUY IRÓNICO ESO DE QUE: "LA FAMILIA ES HERMOSA SÓLO EN UN RETRATO".
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  18. Oi amiga,a família é aquela proximidade sem cera,sem máscaras,e Jesus Cristo em sua sabedoria inigualável foi o maior filósofo do mundo quando disse"Amar a Deus sobre todas as coisas,e ao próximo como a si mesmo" Quem faz parte de nossas proximidades?
    Parabéns! Amei! Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Oi Taís.
    Bosch me trouxe até aqui. Estou lendo seu blog.
    Até mais!
    Carlos Grossini

    ResponderExcluir
  20. É Taís pelo visto os portas-retratos familiares dão o que falar desde sempre!
    Já estamos em abril, eu não recebi um "oi" de familiares e no final de ano estarei ao lado deles para a foto de Natal? Tem algo errado nisso...
    E fico mesmo a imaginar o que não se vê em Varas de Família.
    Gostei da indicação do filme. Beijo e bom domingo!

    ResponderExcluir
  21. Que retrato a amiga faz da família...
    mas em muitas tudo isso sucede.
    A m/família pelo lado de m/pai é muito reduzida,
    pelo lado da m/mãe há mais elementos, mas não
    convivemos muito.
    O mundo atual está estranho, logo as pessoas também.
    Beijinhos e bom domingo.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  22. Querida Taís, trouxe-nos com a sabedoria que lhe é peculiar mais um tema pertinente e muito sério.
    No meu caso pessoal estou quase livre dessas intrigas e maldades, pois sou filha e nora única e estou afastada da família em segundo grau, que pelo que me vão contando, convém estar longe :)
    A sociedade está doente porque as famílias estão desagregadas e cada vez mais mesquinhas.

    Um beijinho e boa semana

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  23. Não vou 'botar faladura' hoje.......,porque senão seria....isso,acertou.
    Vou ficar com o comentário do Dr. Pedro Luso, acrescentando só.....,que
    eu tive mais duas irmãs........Eramos nove......
    Beijo

    ResponderExcluir
  24. Sempre tive o melhor dos dois mundos, Tais... o que sempre me foi muito útil, na análise do carácter das pessoas... e hoje em dia... mau carácter... costumo reconhecer à distância...
    A família do lado da minha mãe, sempre foi cinco estrelas... tudo gente muito equilibrada, e de bem uns com os outros...
    Do lado do meu pai, que era uma excelente pessoa... a sua família sempre foi problemática... muita ciumeira, muita competição, muita rivalidade, invejas, muita discussão... por vezes, em estilo de novela mexicana, com muito drama à mistura...
    Por isso foi muito didático para mim, lidar desde bem cedo... com o melhor dos dois mundos!... :-D
    E confirmo... alguns familiares... nem para porta retrato servem... para não estragarem o clima da sala ou quarto... não combinam com nada mesmo... :-D
    Adorei seu texto, Tais! Que abordou maravilhosamente bem, o assunto!
    Beijinho! Boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  25. Tais, que precisão cirúrgica ao acerto no alvo desta descrição perfeita sobre a família. Depois de velho é que aprendi. E compreendi o que estais e expor com maestria precisa, a familia, aos poucos entendi. E depois, ainda mais velho, fui aprendendo as sequências. Com frustração cheguei à conclusão que as primeiras lições que aprendi no tauismo estavam certas: o homem nasce e morre na solidão da sua individualidade. Quando estás para morrer, não dá para pagar a um serviçal para ir no teu lugar. O homem monógamo, também é uma invenção e normalmente os desarranjos familiares começam pelos agregados, noras e genros. Mas somos humanos e animais sociáveis. Eu não consigo ser feliz sozinho. E por mim essa família sempre vai existir - no início perfeita para a deteriorização impreterível. Esta é a vida. Não posso criticar à formação da família por ser um Abraão dos novos tempos. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  26. Querida amiga ótima sua cronica.
    Acredito que quando Deus forma as famílias já o faz de propósito, coloca pessoas antagônicas para serem parentes, e aí temos dois caminhos ou nos aceitamos com nossos defeitos e nos corrigimos, ou vamos embora para não nos matarmos Tive três irmãs que nunca me amaram, foi difícil e dolorosa nossa convivência, mas não nos matamos. Isso nos afastou e nosso relacionamento atual e eventual é mais por telefone. Tenho a felicidade de ter formado uma família unida e amorosa com meu marido e casal de filhos, acredito que seja para compensar o tanto que sofri por causa delas, que não amaram nem a própria mãe, que dirá de mim.
    Você tem razão cada família é um universo diferente do outro, e sempre será assim convivências difíceis sempre existirão, mas não gosto de fotografias em porta-retratos ficam lá numa caixa, que não olho nunca, pois é passado e passado só serve para trazer sofrimentos.
    Viver é fácil amiga difícil é conviver.
    ps.Espero que estejas livre da gripe.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  27. Gran análisis apreciada Tais. En lo particular no me quedan en mi país familiares por el lado de mis padres, mientras que por el de mi esposa recibo mucho cariño.No me puedo quejar, aunque parezca una familia atípica. He tenido mucha suerte.

    ResponderExcluir
  28. Taís, minha Amiga, apesar de custar a admitir o seu texto é lúcido e leva a uma imensa reflexão sobre o que se passa no mundo. Se a nível familiar as pessoas não se respeitam nem se amam, talvez isso explique um pouco, as guerras e os ódios...
    Tentar ultrapassar as dificuldades inerentes ao convívio de família, onde cada um pensa e age como quer, é uma tarefa difícil, mas não impossível...
    Gostei de a ler. Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  29. Gostava tanto de discordar de tudo o que este texto põe a nu, ma não posso. Basta ouvirmos as notícias para desejarmos que tudo não passe de uma trapaça, mas não podemos escamotear a verdade.Família deveria ser suporte, bem supremo.
    Parabéns, amiga. Sempre atenta e assertiva.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  30. Muy interesante tu reflexión.

    A través de esos retratos, se preservan los mitos de familias Felices para las generaciones futuras cuyos integrantes vienen a terapia. He visto de todo........


    Um abraço


    ResponderExcluir
  31. Podemos escolher os amigos, não podemos escolher a família, não é Tais?

    beijo, amiga

    ResponderExcluir
  32. La familia es la base y cuando hay unión y normalidad todo va adelante a pesar de las dificultades que uno va encontrando en el camino.
    Como siempre hay que mimar la familia por todos los lados y con ello uno se siente feliz.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  33. Famílias podem ser locais de desencontros.

    Acho que às vezes, uma grande dor pode unir uma família desestruturada. Ou pode acabar com ela de vez.

    Feliz Páscoa.

    ResponderExcluir
  34. Podría decirse que pintas un retrato apocalíptico, pero en algunos casos es así.
    Lo que pasa es que por destructivas que sean esas familias siempre hay miembros que se salvan. En el mundo corriente suele haber algún tío o tía, ese abuelo sabio, una madre amorosa, el padre profundo y comprensivo. O ese@ profesor@ intuitivo que tanto recuerdan algunos. Es ahí, en ese caldo de cultivo, donde la mayoría de personas logran el apoyo para equilibrarse y encontrar su camino.
    O no.
    Cada uno pasa la realidad a través de su propio cristal.
    Un abrazo, Tais.

    ResponderExcluir
  35. Olá Tais,

    A instituição família, infelizmente, está a perder seu real sentido de fortaleza, amor e cumplicidade. Atrocidades são cometidas, como as mencionadas por você, mostrando uma instituição falida e que precisa reestruturar-se. Claro que a família continua sendo o laço mais forte de relação na humanidade, mas eivado de vícios, como a competitividade, a rivalidade, a inveja, e o egoísmo. Difícil uma família desprovida de conflitos e discórdias. O importante é que a maioria das famílias tende a se unir em momentos difíceis.
    Dizem que as pessoas não nascem numa mesma família por mero acaso. Teriam arestas a serem superadas no grupo familiar. Talvez daí as dificuldades que surgem na convivência entre seus membros.
    Excelente crônica, amiga, contra a qual não há argumentos-rs.

    Ótima semana!

    Páscoa feliz para você e família!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  36. Taís:
    Pienso que en una familia es como una sociedad en miniatura, con todas sus contradicciones y sentimientos opuesto: amor-odio, olvido-recuerdo, muerte-vida, interés-abnegación, etc.
    Y, además, los lazos familiares, aunque sean negativos, sólo los entienden los miembros de esa familia. Nadie sabe en realidad qué pasa en el interior de cada familia.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dyhego, não é importante se os outros (fora da família) saibam ou não dos rolos familiares; o importante é o relacionamento entre parentes, na própria família. Esse sim deveria ser cordial, verdadeiro, amoroso. É sangue. Mas não é assim. Muitas vezes um relacionamento no trabalho é mais harmonioso, mais agradável e respeitoso do que em família. Está faltando algo nas famílias contemporâneas.
      bjs, obrigada.

      Excluir
  37. Taís:
    pero es lógico que haya problemas entre los miembros de una familia porque se comparten muchas horas, días y años. Cada uno tiene su carácter y es normal que surjan muchas conflictos. Lo ideal sería poder hablar para resolverlos y ser lo suficientemente sabios para dejar a cada uno su "espacio personal".
    Supongo que cada vez somo más individualistas y más egoístas.
    Beijos e muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Dyhego, falta diálogo entre os familiares, precisam ser mais receptivos, mais generosos, mais amigos. Mas o que se vê são vaidades feridas, disputas, orgulho. E falta de respeito em grande parte. Como se trata de família, algo íntimo, cada um vai soltando suas gotas de veneno até que exploda o relacionamento. Lastimo! O ser humano está mais agressivo.
      Muito obrigada, Dyhego, ótima sua participação.

      Excluir
  38. Oie amore ... obrigado pelo seu carinho em meu cantinho viu .... bjinhos em seu coração tenha uma super semana abençoada .... bjus

    ResponderExcluir
  39. Olá Taís! Eu, graças a DEUS, não tenho do que me queixar da minha família. De cinco irmãos, resta-me somente uma irmã. Mantemos contato frequentemente, mantemo-nos informados sobre nossos filhos e netos, etc. Quanto aos meus filhos, dois do primeiro casamento que residem em Recife e mais quatro do segundo que residem aqui em Natal, são unidos e vivem em perfeita harmonia. Bela crônica amiga.

    Beijos e feliz Páscoa para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Furtado, falo nessa crônica de 'famílias doentes', mas não generalizo, apesar de achar que os relacionamentos familiares pioraram. Lembro, enquanto criança, que as famílias eram diferentes, havia mais entrosamento, mais respeito, inclusive. Pai e mãe eram respeitados, muito.
      Bjs, amigo, boa Páscoa pra você e sua família.

      Excluir
  40. E cá estou eu, Tais, matando saudades de uma parte da família, alegrando o coração dos dois elementos mais importantes, um deles nem sempre sabendo quem sou e ao mesmo tempo morrendo de saudades dos que deixei do outro lado do Atlantico, os meus filhos e netos.A tua cronica, diz umas boas verdades, amiga, mas hoje não me vou alongar muito. A minha net aqui é por " carregamento " e PT não posso abusar. Não podia no entanto deixar de vir aqui desejar-te uma santa Páscoa, com saúde e muita alegria junto dos que mais amas. Aproveito a oportunidade para deixar aqui um beijinho para o Pedro e assim poupar um pouquinho a minha net. Não te importas de lhe dar o recado, pois não? Obrigada! Tudo de bom, queridos amigos e até breve!
    Emilia

    ResponderExcluir
  41. Taís, nosso melhor dramaturgo, Nelson Rodrigues, escreveu exatamente sobre isto. "Album de Família". " É leitura para cabeças evoluídas.
    Um beijo,
    Jorge

    ResponderExcluir
  42. Oi, Amiga, Taís Luso !
    E é assim mesmo como descreves.
    Não há como se fugir disto, porque a sociedade
    é igualmente formada. Não fosse assim, seríamos
    educados numa "bolha" e, fatalmente, fora da
    realidade social.
    Até para isto a família serve.
    Feliz Páscoa, querida, e parabéns pelo belo texto.
    Um fraterno abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  43. De facto, Tais, a replicação social começa no núcleo familiar, apesar de nada ser tudo regra ou tudo exceção.
    Colocaste o dedo na ferida: geralmente temos pruridos em falar da família; na tua crónica tudo é abordado sem dourar a pílula (como aqui se diz, significando não usar eufemismos para determinada realidade) e com grande propriedade linguística.
    Gostei imenso, por isso deixo-te os meus parabéns.
    Feliz Páscoa.
    Bjo

    ResponderExcluir
  44. Cara amiga Tais, mais uma vez, parabéns pela cronica perfeita. Para se chegar a bom resultado na escrita é necessário, além do conhecimento do ofício, ter o pensamento estruturado para quando da montagem do texto as coisas se encaixarem de forma adequada e verossímil. Essas técnicas tu dominas com propriedade. Concordo com tudo que dizes aqui no post, aliás é difícil não concordar com o bom senso. Por fim, é isso mesmo, a família é o laboratório onde são ensaiados todas bondades e maldades do mundo. Um abração. Tenhas uma feliz páscoa, extensiva aos familiares.

    ResponderExcluir
  45. Boa tarde Tais.
    Passando para deixar um beijinho e desejar uma linda Páscoa para vocês. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  46. Oi, Taís... Família é a união de seres para juntoa crescerem. Nesta união há uma grande diversidade de personalidade e por isso os desencontros são muito frequentes. Tenho esperança e acredito memo, que em um futuro um poco mais distante as famílias serão um núcleo de harmonia...Terão aprendido a se amar.
    Tenha uma doce páscoa junto a sua família.
    Élys.

    ResponderExcluir
  47. Passei para desejar à minha amiga e sua família uma Santa e Boa Páscoa.

    UMA BOA PÁSCOA.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  48. Olá Tais!

    Para mim, a família é algo sagrado, pelo menos a que eu construí.
    É pena vermos os laços familiares dissolvidos, às vezes por coisas tão mesquinhas e insignificantes.
    O conceito de família, tem expresso a união de esforços e boa vontade, no sentido de preservar o equilíbrio de um sistema que se pretende estável e duradouro...
    Adorei ler o teu texto, muito bem escrito e reflexivo.
    Beijinho e boa Páscoa...

    ResponderExcluir
  49. Os retratos fazem milagres...
    O mundo está doente e a família também. As excepções confirmam a regra.
    Na família, na minha opinião, tudo se complicou com o aparecimento da televisão. Os telemóveis e os computadores fizeram o resto. Mas estou em crer que no futuro as coisas serão melhores.
    Gostei do seu texto, é muito bom.
    Votos de uma Páscoa Feliz, extensivos à família, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  50. A modernização da sociedade está criando um caos nas famílias. Estais coberta de razão e descoberta a sociedade. Esta está cada dia mais deteriorada e, por extensão as famílias. Não se pode pensar que o contrário. Quando políticos e empresários se juntam numa corporação para subtrair o dinheiro da educação, da segurança e da saúde e dizem todos inocentes. É melhor calar-nos...
    Beijos, dileta amiga,

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso