26 de agosto de 2017

COISAS DO BRASIL...



        - Tais Luso

Aconteceu há uns dias. Passamos na loja de um amigo para esclarecermos uma dúvida que tínhamos. Depois de esclarecida a tal dúvida, ficamos batendo um papo sobre a situação política do Brasil, a violência,  quem roubou mais na semana, quem foi preso, quem foi solto, a impunidade total, enfim, todas essas falcatruas. As misérias humanas. Coisa pra lá de primitiva.
As mídias, as redes sociais cumprem perfeitamente sua parte, mas a coisa se alastra tanto que nos intimida, nos perturba, e é exatamente isso que aconteceu com nosso amigo da loja. Não adianta alguém dizer para não termos medo, não sairmos à noite, levarmos vida normal e blablablá. Não; não funciona assim em campo minado. É só andarem, nos grandes centros do país, que os menos avisados terão uma ideia real dos acontecimentos, sem as belas imagens cinematográficas que tanto encantam.
Não há o que defender. Cidades do interior, com menos de seis mil habitantes, estão aprendendo como se explode um Banco e como se usa escudos humanos para barrar a polícia.
Nosso amigo aproveitou-se desse 'presidencialismo brasileiro' para desabafar. Contou-nos, bem baixinho, quase inaudível, que sua esposa chamou a assistência técnica da sua geladeira para ver se resolvia um problema. O preço que deram foi tão exorbitante que melhor seria comprar uma nova geladeira. Na ânsia de vender rápido a geladeira antiga, sua mulher foi ousada demais, inconsequente: anunciou a venda da geladeira colocando anúncio num jornal local. Hoje não se pode mais usar dessa prática.
Chegaram dois homens na portaria do prédio dizendo que foram ver uma geladeira anunciada no jornal. Subiram ao apartamento. Nosso amigo tinha arrumado tudo para trancar-se no quarto com dois telefones: um para avisar sua filha, o outro para avisar o porteiro e a polícia se alguma coisa acontecesse. Enquanto isso, sua mulher atendeu os homens - sozinha!! Lógico que desandei a rir, não tive como esconder essa coisa trágico-cômica. A mulher sozinha... e o cara trancado no quarto, apavorado!!
– Mas tudo correu bem, graças a Deus!! – disse nosso amigo.
Falava cada vez mais baixo, parecia segredo de Estado, prestes a explodir a terceira guerra mundial. Com isso, nos despedimos e voltamos certos de que tínhamos presenciado um amigo com crise de pânico. E assim estão milhões de pessoas nesse país conhecido como abençoado por Deus e bonito por natureza... como cantava Jorge Ben.
Hoje não mais. A cara do amigo narrando o fato era de pavor, e não de abençoado.  Infelizmente as estatísticas nos mostram as atrocidades que acontecem por minutos e por dia. 
 Não é preciso explicar muito quando um país tem altos índices de corrupção e é saqueado durante anos. Pouco  funciona a favor do seu povo.

____________________________





41 comentários:

  1. Adoro suas crônicas,querida amiga Taís.

    Essa me fez rir,como sempre,mas é uma triste verdade!

    Recebi sua atualização e vim rapidinho ver.

    Beijos sabor carinho e uma noite de sábado de paz e alegrias

    Donetzka

    ResponderExcluir
  2. La inquietud de un país se refleja en el comportamiento individual.
    Un feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  3. Acróstico - A paranóia está solta!

    Pois é, a coisa neste Brasil está mal
    A gente tornou-se paranoica, sem jeito
    Ricos e pobres, medrosos em alto grau
    Acossados, trêmulos de baixo do leito
    Notícias na tevé, no rádio e no jornal
    Óbvias pra deixar um cara contrafeito
    Indicam que a segurança foi para o pau
    Assim um mero comprador é um suspeito!

    ResponderExcluir
  4. Querida Taís
    Diante do caos que se instaurou em nosso país acredito que estamos vivendo em constante pânico pois tudo e todos nos causa pavor. Como acreditar e confiar em alguém se a bandidagem impera por todos os recantos
    É minha amiga essa sua crônica tão fidedigna é o retrato do medo , do pavor e do cepticismo que toma conta de cada cidadão de bem
    Beijos minha amiga e um excelente domingo

    ResponderExcluir
  5. Muito corajoso esse "marido", hein!? Ou... prevenido?! Sei lá, mas em casa ou na rua, nossa "independência, agora, é morte certa"... Ou lá se vai o celular, ou a vida, ou o carro... Realmente, Tais é pânico na certa o diagnóstico geral!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Tais, lindo texto! E o conteúdo? Eis a pergunta! Não sei o que será que haverá ou há conosco e nossa gente, onde o justo paga pelo malfeitor que não é punido. Bem haja, mas haja o bem que ilumina o ser tão desolado, triste e já sem ânimo de vida. Creio, sim, Tais que tudo é diretamente proporcional à lotação desta nave Terra singrando o espaço sobrecarregada. E bem haja!...

    ResponderExcluir
  7. El miedo (porque lo hay), nos lleva a situaciones cómicas de tan trágicas. Seguro que después de la visita, cuando el amigo recapacitó y vio lo surrealista de la situación debió sentirse muy mal. Pero, ¿qué hacer? Qué locura de vida, Tais.

    ResponderExcluir
  8. Um marido assim ? Putz...
    Coragem é o seu nome,rs...

    Adorei a história, como leitora, mas quem a viveu não deve pensar o mesmo!


    As coisas aqui estão mesmo feias e por isso justificamos esse medo... beijos, lindo domingo! chica

    ResponderExcluir
  9. Esa inseguridad del país, afectará al turismo de ese país. Siempre gusta viajar a un zona segura, aunque la seguridad total no existe.

    Besos

    ResponderExcluir
  10. Querida Taís, mesmo que evitemos, essas situações de dirigir conversas em relação aos vergonhosos acontecimento do Brasil, torna-se inevitável. Na verdade, as pessoas direitas, ou seja de boa índole não admitem essas práticas vergonhosas dos políticos corruptos que maculam toda política deixando, todos desacriditados. É como se o Brasil não tivesse mais solução. E tem, unidos somos mais fortes.Parabéns! Tenha um finalzinho de tarde de Domingo feliz e que o início da semana venha abençoado. Fica na paz.

    ResponderExcluir
  11. Querida Taís, como lamento!
    Eu que quis ir para o Brasil porque achava as pessoas mais puras, generosas e solidárias; fico consternada com esta situação...
    Bem sei que em comparação com a população total do Brasil, é uma minoria que está provocando o caos... É compreensível que as patologias psíquicas tenham recrudescido, mas há casais que funcionam bem assim: elas corajosas e ativas e eles tímidos e amedrontados o que, de facto. é hilariante...
    Mais uma ótima e interessante crónica de intervenção por denunciar uma situação que só ficará resolvida, quando políticos e funcionários tenham um curso superior especializado, em que os códigos de ética sejam sobremodo valorizados. O exemplo tem de vir de cima.
    E no meio da tragédia, é muito saudável rir das situações caricatas.
    Gosto muito das suas crónicas, do seu estilo e sentido de humor.
    ~~~ Abraço grande, prezada amiga ~~~

    ResponderExcluir
  12. Oi Taís,
    Quase morri de rir.
    Aqui nesse nicho que moro com mais ou menos 30 mil habitantes, deve estar pior que cidade grande já estouraram vários Bancos, não uso cheque, só cartão de débito que fica com meu marido e ele com aquele barrigão os ladrões fogem dele.
    É só Deus para nos guardar
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  13. O Brasil está a viver um momento muito conturbado.
    Vai passar.
    A alma é grande e essa ninguém a destrói.
    Bjs, boa semana

    ResponderExcluir
  14. Olá Taís, viajei nesta tela ilustrativa.
    Sua cronica um belo raio X desta nossa situação cada vez mais caótica no quesito segurança. Cada dia um novo golpe, uma nova condenação e uma soltura de apadrinhados por juízes que julgávamos íntegros.É engraçado como as coisas mudaram e nem percebemos.O respeito a um juiz, a uma policia, um bispo ou padre.Tudo ruiu e o nós estamos à beira de fobia. Muito boa sua cronica e toque de humor.
    Semana maravilhosa com paz amiga.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir
  15. Querida, Tais, não só aí, como também aqui em Portugal, acho que a comunicação social exagera e passa o dia a mostrar as mesmas desgraças, esquecendo de passar o que de bom acontece no país. Isso faz com que o povo se amedronte e perca as esperanças. Já disse muitas vezes que aqui existe um programa, chamdao Portugal em directo, que passa dad 18 às 19 hotas e mostra tudo o que acontece de bom no nosso país, mas, a essa hora, quem assiste? Meia dúzia de pessoas só. Depois, no dito horário nobre, em todos os canais só passam politica, crimes, fogos e outras desgraças. Lá pelas 24 h começam temas interessantes, como debates sobre assuntos de grande interesse.Quem assiste? Só os appsentados que não têm de sair para o emprego no dia seguinte. Lembro-me que, quando fui para oBrasil, só ouvia noticias de Portugal se fossem desgraças e o mesmo acontece aqui em relação ao Braisl; notícias boas ? Nenhumas!!!. Parece que só o que é mau dá audiência!!!. Deviamos ter a coragem de mudar de canal sempre que ficassem a " massacrar- nos com desgraças, mas não fazemos isso. O optimismo é muito importante na sociedade, e, quando nos fazem crer que não há solução, que os homens estão perdifos e que a sociedade não tem mais jeito, até a economia se ressente. Mas, amiga, o que importa é o lucro das audiências e o ser humano parece ter uma atracção pela desgraça. Já reparaste que, quando há um acidente na estrada, o trânsito fica caótico, porque toda a gente pára para ver o que aconteceu? Mas, se estiver alguém estendido na berma ou pedindo ajuda de alguma forma, pára alguém? Claro que não!. O Brasil tem coisas maravilhosas, Portugal também; há pessoas maravilhosas no mundo inteiro das quais ninguém fala, mas passam o dia inteiro a noticiarem os crimes e a falarem dos criminosos; quanto mais falam deles, mais crimes eles cometem, pois são noticia, são importantes e aparecem na televisão, nos jornais e revistas a todo o momento. Está tudo errado, os valores completamente invertidos. Amiga, como sempre, muito importante esta tua crónica que nos leva a reflectir na importância da comunicação social que nem sempre cumpre devidamente o seu papel; uma coisaée informar, outra bem diferente é influenciar, amedrontar e dar muita importância aquilo que deveria ter muito pouca. Beijinhos e fica bem,
    Emilia

    ResponderExcluir
  16. Olá Taís,

    Cada um tem um modo de administrar seus medos. E quando o medo se instala, alguns enfrentam a situação de frente, outros se escondem, gritam, se fingem de morto.. Mas depois do acontecido, contar "bem baixinho", mostra que o medo ainda não foi embora. Como atender uma loja assim? Deve tremer cada vez que um cliente entra. Esse pavor dele é de muitos também.

    Mas vamos em frente, sem perder o otimismo. =) bjs

    ResponderExcluir
  17. Cara amiga Tais, estamos vivenciando a pior crise moral da nossa história. Um abração. Tenhas uma boa semana.

    ResponderExcluir
  18. Taisinha pouco posso dizer sobre "COISAS DO BRASIL...", pois na tua crônica colheste do quotidiano a realidade crua pela qual passa o Brasil, como ela realmente é, realidade como é vista por todos os brasileiros, que aqui residem, pelos brasileiros que não se deixam enganar pelos partidos políticos, que querem encobrir a miséria social e moral, para tanto estudando os nossos bons economistas, os bons filósofos, que por meio de livros que tem por tema o governo do Brasil dos últimos 17 anos, como tu fazes quase que religiosamente, além de ler os melhores jornais, as melhores revistas sem cor partidária. Por sorte, temos alguns homens sérios e muito cultos (que não fazem parte do Supremo Tribunal Federal e tampouco da Câmara de Deputados e do Senado Federal), homens idôneos e cultos que não escondem a situação econômica do nosso país, que segundo eles, não tornará a ter a situação que desfrutava 17 anos atrás em menos de 30 ou de 40 anos. Então, Taisinha, soubeste tirar essas cruezas do quotidiano do nosso país, inteligente e dedicada aos estudos, como sempre fazes.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  19. Entiendo perfectamente a tu amigo.
    Lamentablemente, no puede venderse así
    un heladera. Por ganar unos reales,
    pueden perder la vida.

    Es horrible.
    Argentina está igual.
    Cada vez que viajo allá, tengo
    el corazón en un puño.

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. "tengo el corazón en un puño":
    tengo miedo.

    ResponderExcluir
  21. Vou entristecendo, à medida que o tempo passa e no Brasil o clima social, económico e político não tem melhoras. E essa coisa de se viver com medo, é terrível. Gostei muito da sua crónica, Tais. E continuo a ter esperança que algo faça com que tudo seja diferente e melhor.
    Uma boa semana.
    Um beijo, minha Amiga.

    ResponderExcluir
  22. Olá, o texto é perfeito na informação do mau momento que o grande e belo Brasil atravessa, certamente que chegará o dia que a politica vai contribuir para um crescimento consolidado da economia para o bem de todos os brasileiros.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderExcluir
  23. Violência e corrupção jamais permitirão o crescimento de um país!!!
    Bj

    ResponderExcluir
  24. É isso, Taís. “O Brasil não conhece o Brasil.” De fato, a situação do país nos arrepia. A degradação moral dos nossos homens públicos ofende qualquer cidadão. O pior é tomar consciência da nossa indiferença, do nosso silêncio, o que, aos menos avisados, pode parecer cumplicidade. E pensar que um senador, que já foi caçador de marajás, cassado, com processo no STF (nunca será julgado e, se o for, se condenado, jamais cumprira pena, pois estará senil) possui 84 assessores. O que fazer?
    Beijo,

    ResponderExcluir
  25. Olá, Escritora, Taís Luso !
    Assiste-se momentos de indecência, em todos os
    segmentos do Brasil !
    Uma vergonha sem precedência.
    Que Deus salve o nosso Povo, pois estamos
    abandonados...
    Belo texto, Amiga.
    Um fraterno abraço e uma feliz semana !
    Sinval.

    ResponderExcluir
  26. Brasil como sempre nessa situação que nos envergonha. Infelizmente há tantas pessoas boas que precisam aturar tudo isso, lamentável, não vamos perder a fé, ainda há gente boa por aqui não é mesmo?! Que Deus nos liberte e nos abençoe, nosso país merece tudo que há de bom. Adorei sua crônica, bjs Larissa

    ResponderExcluir
  27. Oi Tais,
    Bela cronista
    Obrigada pelo carinho no meu espaço
    Tem mais duas: amanhã é da Chica, ficou do seu jeitinho.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  28. Temos que vigiar à noite as janelas e portas, infelizmente! beijos

    ResponderExcluir
  29. Fico pensando que ter um estabelecimento comercial aberto, aí... deverá ser um acto de coragem... de desgaste e incerteza permanente... não admira que seu amigo... viva num constante pânico... e tenha os nervos em franja, à beira de um ataque de nervos... sempre pensando o pior...
    Uma vez mais, Tais, sua crónica traduz, ainda que de uma forma aligeirada pelo seu bom humor, a dura e inquietante realidade brasileira... que custa a crer a todo o mundo... a que ponto estará chegando...
    Esperemos que melhores dias, e bom senso, acabem chegando aí... como também ao resto do mundo... onde nos dias que correm... com alguns loucos no poder, se vai puxando o lustro de misseis, e se vai praticando tiro ao alvo com eles, como se fosse brincadeira de crianças...
    Eu tenho para mim, que este estado de loucura global... deve provir do ar que respiramos... só pode ser da concentração de CO2 que está virando o miolo do mundo, desde que se começaram a abater árvores em catadupa, e o oxigénio está rareando...
    Beijinhos! Continuação de uma óptima semana, na medida do possível... se o Trump, ou o louco da Coreia deixarem... e não carregarem no botão vermelho... julgando que estão abrindo a porta para o entregador de pizza... ou algo no género...
    Ana

    ResponderExcluir
  30. O sentimento de insegurança pode ser bem mais alto do que a realidade deveria fazer supor. E, quando assim é, há quem esteja em pânico permanente. Mas uma coisa é certa, mesmo nos locais julgados pacíficos, devemos estar atentos ao que acontece à nossa volta. Porque há cada vez mais atos violentos nesses locais.
    Magnífico post, gostei muito.
    Continuação de boa semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  31. Tais
    gostei demais da sua crónica, pois você soube transmitir um pouco de hilaridade e falar de algo bem triste que se passa nesse País, enão só, que é a insegurança e o medo e a corrupçao.
    Gostei muito
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  32. Olá Taís!
    Tive que dar risada e fiquei imaginando ele falando baixinho, não podendo esconder o pânico. Aonde vamos parar? E estamos sem nenhuma perspectiva, nada parece ajustar, resolver. Isso é o fim!
    Como sempre, gosto de te ler, deste teu bom humor.
    Um beijo querida e bons dias.

    ResponderExcluir
  33. Infelizmente minha amiga é de lamentar o estado a que chegou esse grande e belo país que é o Brasil. Esperemos por melhores dias.
    Um abraço e bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  34. Tais Luso
    O caso do Brasil é tão sério que dá para sorrir, sou assim mesmo. Creio que aí no sul, o "clima" será melhor, mas uma cidade como o Rio de Janeiro, por exemplo, onde para uma rusga recente, foram mobilizados 5.000 policias, que dizer: que o país está em guerra latente. Pergunta-se: então que fazem os governantes? Aqui a Televisão divulgou.
    Abraços

    ResponderExcluir
  35. Boa tarde amiga!
    Cada dia, acontece coisas no nosso país, brasil que chega se cônico. As pessoas contribuem para isso e as leis que são muitas mas não são cumpridas. pelo menos para todos.
    Com desejo de muita paz, para que seu fim de semana seja abençoado, deixo esse lindo pensamento de Roupa Nova “A vida tem sons, que pra gente ouvir precisa aprender a começar de novo. É como tocar o mesmo violão e nele compor uma nova canção”.
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir
  36. En Chile, apreciada Tais, nos quejamos mucho por el aumento de la delincuencia, pero leyéndote compruebo que en tu bello país el asunto está peor. También nos quejamos de nuestros políticos, pero en esa materia ustedes nos llevan igualmente ventaja.

    Un beso austral

    ResponderExcluir
  37. Amiga passei para lhe desejar um mês de setembro feliz, com muita saúde e amor.
    Deixo esse pensamento de um autor desconhecido.

    “Setembro chegou, Mês da Primavera e Mês do Amor,
    Do Amor que brota com as Flores, das Flores que brotam o perfume.
    O cheiro e o perfume das Flores,brotam com a Primavera,
    É a estação mais bonita do ano, É a estação que a gente espera.
    Porque Ela perfuma a Alma, inspira Poetas e Escritores,
    Para criar belas poesias, para amigos e para os Amores.
    Amores que vem e que vão, Amores que inquieta o coração,
    Amores que trazem lembranças, Amores que causam Paixão.
    Quando chega a Primavera, de boas coisas me lembro,
    É a renovação da vida, que chega com o mês de Setembro”.

    Abraços da amiga Elza

    ResponderExcluir
  38. Ah Thais devia fazer um livro de teus contos, eu os amo e certamente eu já o teria aqui comigo, demoro a vir não sou dona de meu tempo, os netos e as filhas o são, desculpe, mas quando posso passo devagarzinho na casa de cada amigo(a). Delicia de conto, não pude de deixar de rir de teu amigo, coitado, trancado no quarto, é o pânico é triste, mas fazer o quê? Até eu que nunca tive medo de sair a noite, agora tenho, evito a todo custo, antes com meu Luiz aqui comigo era diferente, mas agora depois de sua partida descobri que tenho medo de algumas coisas. Beijos linda e continue sempre eu adoro.

    ResponderExcluir
  39. Taís:
    ¡no sabía que la situación en Brasil era tan preocupante! Corrupción, por desgracia, hay en todos sitios, pero cuando la vida cotidiana queda perturbada, da mucha lástima.
    Espero que todo vaya mejor, poco a poco.
    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  40. Dramática esta vivência quotidiana e admirável a coragem das pessoas em continuar a caminhar de cabeça erguida.
    Parabéns pelo registo, com o toque de humor que faz esquecer, ainda que pelo tempo de leitura, o "campo minado".
    Bjinho

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís