10 de novembro de 2017

DENTISTAS – VENCENDO O TRAUMA


          - Tais Luso

Lembro do dia que escrevi a cronica Fobia por Dentistas. Foi uma fase em que só na marcação da consulta eu já ficava baleada. Fobia tem uma explicação: é um grande trauma, que gera um grande medo.
Fui ao Google e vi uma legião de desesperados. Serviu para que eu me conformasse e não ficasse com vergonha de mostrar meu medo - o que me ajudou.
Recentemente, com a motivação de ver meus dentes alinhados e bonitos, fui atrás da solução. O dentista que escolhi inspirava-me confiança, pois já o conhecia. Já sabia da sua capacidade profissional e extrema dedicação.
No primeiro dia me senti como um caminhão desgovernado, ladeira abaixo. Mas me fantasiei de coragem. Eu precisava vencer.
Adentrando no título dessa crônica, quero dizer aos que têm o mesmo problema que tenho com dentistas, que ao decidir lutar contra meu medo e vencer meu trauma, foi um dos dias mais fortes para minhas emoções. Ao vislumbrar o primeiro resultado, ao me olhar no espelho, ainda no consultório, não consegui manter minhas emoções no equilíbrio certo, e minhas lágrimas se juntaram à gratidão e ao carinho com que fui cuidada.
Sim, 'Dr Luis Artur Zenni Lopes', o senhor não cuidou apenas dos meus dentes que ficaram ótimos, mas cuidou das minhas aflições, das minhas dores, do meu trauma sem que eu notasse! Não senti as anestesias, nem brocas e nenhuma intervenção que me angustiasse; o senhor não olhava, sequer, para as tantas horas contínuas que ali ficava. E ainda me passou um parabéns! Não, Dr. Artur - o parabéns é seu pela sua sensibilidade!
Digo aqui que temos como virar o jogo. No tempo certo a gente encontra dentistas ou médicos que se interessem pela pessoa e não só pela doença ou intervenção. Existem profissionais especiais, sim. São esses que sentam, que nos escutam e que tentam sempre uma solução. Esses não deixam o problema do paciente para os terapeutas resolverem, entendem a linguagem técnica e a do coração. Sendo assim, aproveito a oportunidade para, na pessoa do meu dentista, 'Dr. Luis Artur Zenni Lopes' - de Porto Alegre -, homenagear todos os profissionais que se superam não apenas na técnica, mas também na humanidade com que tratam os seus pacientes.

Minha gratidão, sempre.


___________________________________


53 comentários:

  1. Boa tarde
    Não digo que tenho trauma, mas criam-se sempre umas borboletas na barriga. Não há motivo para ter medo. Porém, tenho uma amiga que quando miúda, lhe brocaram um dente a sangue frio. Sofreu horrores. Esteve muito tempo se querer voltar ao dentista. "hoje" temos bons médicos dentistas. Gostei do texto

    Bjos
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Felizmente que temos em Portugal bons Médicos Dentistas. Há de tudo. Não tenho medo.
    Ouvi esta semana, que existem aqueles que já usam auscultadores com musica para o paciente enquanto está a ser tratado. Acho uma boa ideia. O barulhos fazem-me confusão. Lool

    Devemos agradecer sempre. Amei o seu texto.

    Tenha um excelente fim de semana
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha que perdeste o medo, a fobia e encontraste um grande dentista e amigo! Valeu muito! Bela homenagem! beijos, chica

    ResponderExcluir
  4. Querida Taisamiga

    Não tenho qualquer medo do meu actual dentista.Nesse tema somos iguais; e nos anteriores tinha um cagaço que nem te digo. Maravilha: tanmem aqui comungoamoa as mesmas hóstias....:-))))))))))))))

    Agora tenho o Dr. Virgilio Lameiras que foi meu vizinho no bairro onde então vivíamos e como é mais novo do que eu até fui prefeito dela na escola do nosso bairro de Restêlo adjacente do bairro de Belém.

    A minha Rquel e os nossos fihos são também pacientes do Vrgilio que, aliás, é muito paciente... Quando vou ao seu consultório, depois da intervençao vamos ao bar mesmo ao lado beber um cafezinho - para ele e para mim uma água com gás; mos "trincamos" mas fatias do bolo de chocolate - o melhor do Mundo.

    A empatia é a mãe da segurança quando estou a chegar ao seu consultório vou a cantar de prévia satisfaçao...

    Qjs e abç para ti e para o Pedro do
    Henrique, Leãozão

    Adorei a visita e o comentário do teu Pedro

    ResponderExcluir
  5. Puxa, que beleza! Um exaltação a um profissional que sabe o que faz. E o faz bem. Meus cumprimentos a você pelo ganho de confiança e pelo desprendimento de registrar o feito em uma crônica tão boa. Parabéns ao dentista que consegui esse milagre de trazer você das trevas do medo para uma visão mais saudável das coisa e com dentição de atriz de cinema americano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa da 'dentição de atriz de cinema' gostei, são os louros do tratamento! rsss
      Valeu, Jair.

      Excluir
    2. Faltou um "u" e um "s" no meu comentário. Pixotagem minha, perdão.

      Excluir
  6. Confesso que não sei se a parabenizo pelo elogio ao dentista ou porque bem sabe o que diz. Ora, faço-o duplamente. Mesmo sem fita métrica, suas palavras são sempre medidas, não o digo em relação ao elogio, mas de um modo geral. Elas não gratuitas têm uma leveza que nem o Ítalo Calvino seria capaz de aquilatar. E cá prá nós, esse dentista está nas nuvens, pois, com esse reconhecimento público, ele deve ter ido “ para a galera”. Brincadeira à parte, só você seria capaz desse desprendimento.
    Um beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  7. Que bom ter encontrado um profissional que além de competente foi sensível aos seus medos. Eu não tenho razão de queixa do meu atual dentista, mas já em tempos sofri bastante com um.
    Um abraço e bom fim-de-semana

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, Taís
    Que bela homenagem!
    É muito bom encontrar um profissional competente e amigo.
    O nosso dentista é da família.
    Ele é ótimo também.
    Tenha um excelente fim de semana.
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  9. Temos mesmo que nos livrar das fobias para ser feliz,querida amiga Taís.

    Meu pai era dentista e depois que ele se foi,não conseguia mais ir a nenhum.

    Medo incontrolável.

    Aí,como ocorreu com você,precisei acertar os dentes e encontrei um ótimo dentista,`tipo meu pai e foi maravilhoso.

    Hoje acabou o medo.

    Adoro suas crônicas porque são quase sempre fatos ocorridos com você.

    Obrigada pela visita e seu elogioso comentário.Meu último post foi escrito numa das minhas madrugadas de insônia.

    Volte mais vezes,minha linda amiga.

    Beijos sabor carinho e uma noite de sábado de paz

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  10. Profissionais vocacionados não está nada fácil de se encontrar... E, ainda, terapeutas! Duplo parabéns à você, Taís, e ao Dr. Luís Artur!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Dar nome aos nossos medos é o início da cura, da vitória.
    Você conseguiu dar esse passo. Grande Taís!
    É por isso que eu resolvi continuar a postar minhas poesias de luto. Até tinha parado. Mas neste momento preciso disso. Não quero peninha, quero compartilhar minha poesia. Por isso gostei muito do teu comentário. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  12. Não tenho medo mas vou sempre com um certo receio ao dentista.
    Gostei bastante de ler o texto.
    Um bom fim-de-semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  13. Tais
    uma belíssima crónica que nos dá a ler, como aliás é seu apanágio.
    e gostei de saber os seus medos que também, confesso, sinto, mas de ler a homenagem que fez ao seu dentista, achei o máximo.
    bom final de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  14. TAIS,

    ainda existem muitos profissionais da saúde que exercem suas atividades com humanismo.
    Sem dúvida!!!
    Um abração carioca

    ResponderExcluir
  15. Tenho um dentista excelente mas de início fico sempre apreensiva!
    bj

    ResponderExcluir
  16. Boa tarde Thais,
    O modo como somos tratados é primordial para vencermos as fobias.
    Graças a Deus que encontrou o Dr Artur que a tratou com o carinho necessário para vencer esse medo. Linda homenagem.
    Um beijinho e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  17. Uma bela homenagem Taís!
    Esses são os verdadeiros profissionais que deixam-nos sem medo para enfrentarmos algum trauma que tenha ficado.
    Gostei muito de ler.
    Bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  18. Ninguém gosta de se sentar naquela cadeira. É sempre necessária uma grande dose de coragem, mas lá vamos! Parabéns pela coragem e pelo incentivo, Taís!

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  19. Como vc tem razão para homenagear seu dentista. Os profissionais que não se detêm apenas na sua técnica são imprescindíveis. Eu estou passando por uma experiência não traumática, mas de problemas com joelho; não fiquei com o primeiro especialista, por sua total falta de sensibilidade.Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  20. Esse é um medo que nunca tive, sempre enfrentei aquela cadeira tão temida por tantos, sem temor algum. Queria ter essa mesma coragem para me livrar da claustrofobia de ficar numa caixa fechada, metálica voando lá no céu!!
    Parabéns por ter vencido o medo, pela crônica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal acabei de escrever e ficamos no apagão, sem que nem mais a energia elétrica foi embora no bairro. Bem hoje tudo claro com lâmpadas e computador funcionando. Agora vou me despedir condignamente.
      Beijinhos e boa semana. Léah

      Excluir
  21. Que benção Taisinha!! Parabéns para você e para o Dr. Luis Arthur Zenni Lopes!!
    Não tenho problema nenhum em ir ao dentista, desde pequena "fui corajosa!" rs...
    Beijos,
    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  22. Taisinha nem sempre se tem a sorte de encontrar dentista como o Dr. Luis Artur, empenhado que sempre esteve no aprimoramento de arte-ciência. Embora se trate de um dentista jovem, naquela idade que rompe a barreira dos quarenta anos, fase em que os ensinamentos recebidos de seus mestres exige de odontólogos como ele que também repasse o que aprendeu de ciência e arte para aqueles jovens que estão chegando nas faculdades de odontologia; quanto a esse mister o Dr. Luis Artur não esperou muito, apenas o tempo suficiente para duas importantes pós-graduações, o mestrado e o doutorado; depois disso ofereceu o seu talento tanto para os seus pacientes como para os seus alunos, acadêmicos de Odontologia em importante Universidade de nosso Estado.
    Como o conhecemos já há alguns anos vemos que nenhum dos seus títulos e reconhecimento profissional tiram do Dr. Luis Artur a simplicidade, a urbanidade, o seu dom de ouvir e de compreender as pessoas, para dar seu aconselhamento como profissional e amigo.
    Parabéns pela belíssima crônica, homenagem que prestas ao nosso dentista.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  23. Tais,

    meu dentista é brasileiro, amável e de poucas falas - tudo em sua volta gira numa harmonia de orquestra afinadíssima.

    descreve sempre o que se vai passar de forma que quando a broca chega já está absorvido o seu impacto no dente dorido.

    uma bênção tê-lo descoberto, depois do "carniceiro" que (além do coiro e do cabelo) quase levou a minha queixada atrás do dente que arrancou.

    um verdadeiro escol os dentistas do Brasil, sou fã incondicional

    beijo, minha amiga

    ResponderExcluir
  24. Oi Taís,
    Medo de dentista?
    Eu não tenho, aliás não saio deles. Comecei a sentir dores nos dentes, de repente, olhava não tinha cárie aí fui num dentista perto de casa lá em Santo André.
    Marquei à noite, o dentista descobriu o que tinha, descalcificação que começa bem embaixo da gengiva, tive que implantar todos, de vez em quando preciso trocar pois tudo envelhece, os dentes também.
    Eu durmo na cadeira sem fechar a boca.kkk
    Precisamos tirar nossos medos, aliás não tenho medo de nada.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  25. Os dentistas de hoje são todos artistas da beleza e a garantia para termos um sorriso lindo
    Abraços

    ResponderExcluir
  26. Bom dia

    Confesso que também tenho um "medo" atroz dos dentistas. Quando penso em visitar um/a até minha pele fica arrepiada.

    Desejo um feliz domingo

    ResponderExcluir
  27. Querida Taís! Boa tarde.
    lendo sua crônica muito bem escrita, lembrei de uma conversa com um amigo dentista. Ele falou que mesmo depois de estudar, ser um profissional de sucesso , finge, mas ainda tem medo do dentista. Ou seja, medo dos procedimentos odontológicos. O medo acredito que muitos tem, eu tenho. Amei! Tenha uma tarde feliz e um início de semana abençoado.Abraços

    ResponderExcluir
  28. En el trato de médico-paciente, esa relación de saber estar que incluye también profesionalidad, está el origen de que se vaya al dentista con miedo o sin él.
    De todas formas, yo creo que, en un principio, somos muchos los que no nos gusta ir al dentista por miedo, más tarde, cuando ya lo vas conociendo y coges confianza en él, la actitud ya cambia.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  29. Detesto consultas no dentista.
    Mas sei que são necessárias.
    Vou e paciência.
    Bjs, boa semana

    ResponderExcluir
  30. Querida Amiga/Escritora, Taís Luso !
    Que belo assunto !
    Já extraí um dente, sem anestesia.
    O "profissional" quase me matou.
    Imagina a dor e o medo que passei.
    Conseguiu tudo, menos me traumatizar.
    Fui mais forte do que o "bandido."
    Parabéns, vizinha, e um carinhoso
    abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  31. Creo que su comentario de hoy nos deja la evidencia del espíritu de justicia y de dar a todas las cosas su justo aprecio que yo vewngo observando en sus comentarios desde que tengo el placer de pasar a leer sus posts. Es muy cierto que tan importante como la formación científica es la actitud humanista de hacerse cargo de lo que el projimo puede estar pasando y temiendo.

    En justicia reconocer lo que está bien hecho, así que me uno al reconocimiento a esa buena actitud profesional, un abrazo Franziska

    ResponderExcluir
  32. Como compreendo o seu trauma, minha Amiga. Durante anos sofria só de pensar que tinha de ir ao dentista. Até que encontrei um que soube lidar bem comigo...
    Uma boa semana, Tais
    Um beijo.

    ResponderExcluir

  33. Gostei muitíssimo do que li agora, Tais! Os traumas são dolorosos e que bom que encontrou um profissional sensível, competente e que a fez superar "os pavores". Realmente, há situações em que nos "fantasiamos" de coragem para poder encarar os desafios...
    Sua maneira de escrever é cativante!
    Bjs e boa semana...

    ResponderExcluir
  34. Eu, particularmente, nunca tive medo de dentista, pois sou de opinião de que se tratar dos dentes dói, piores serão as dores futuras, se não tratá-los. Bela crônica Taís! Acredito que depois desta bela homenagem e do comentário do feito pelo Pedro, a agenda do Dr. Luis Artur esteja lotada nos próximos dez anos. Rsrs.

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderExcluir
  35. Yo siempre le temí a los dentistas, amiga Tais... hasta que una de mis hijas se recibió de dentista!!!

    Un beso.

    ResponderExcluir
  36. Las visitas a los dentistas no suelen ser agradables, pero si vemos los buenos resultados y uno pasa el miedo y el dolor por ello.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  37. Anônimo08:57

    Querida Tais!

    Fiquei muito emocionado ao ler esta grandiosa homenagem! Posso dizer que fui e sou um profissional privilegiado de ter pacientes tão especiais quanto vocês, que buscam algo mais que a técnica e resultados. A relação humana está acima de tudo, sou muito grato de tê-los também como amigos e mestres nesta arte.
    Um grande beijo e muito obrigado pelas palavras.

    Luis Artur

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!! Mas que honra Dr Luis Artur! Essa postagem com esse seu comentário ficarão na minha história. Constato que traumas a gente supera, basta pegarmos a pessoa certa, o profissional certo. Que essa minha história sirva para ajudar tantos outros que tenham uma história parecida com a minha; que acreditem, que busquem e encontrem uma solução. Acredito que "aquela cadeira" não será mais meu drama!
      Muito obrigada digo eu!
      Beijo.

      Excluir
  38. Uau! Fiquei de boca aberta... e não estou na cadeira do dentista...
    Amiga, consegue-me uma consulta com o Dr. Luís Artur, que eu marco viagem no primeiro avião...
    O meu dentista é brasileiro, qualificado, competente, simpático, e tem consultório mais próximo, em Lisboa, mas eu troco. Troco, porque dentista que trata tão bem uma amiga minha, merece que me sente na cadeira de um avião, e dessa, sim, eu tenho medo, pânico, horror, terror, aversão, etc., etc.
    É assim mesmo Tais, os bons profissionais merecem ser homenageados publicamente.
    Gostei!
    Beijo para ti, abraço para o Dr. Luis Artur.

    ResponderExcluir
  39. Que lindo Taís esta definição de profissional na qual enquadrou o Dr Luis, que sabe como ver gente sentada na sua cadeira e não uma bolsa cheia de dinheiro para os preços muitas vezes abusivos e serviços nem sempre justificativos. Que bom vencer medo seja ele qual for, é irracional e deve ser combatido mesmo e com ajuda é tudo de bom. Isto me faz lembrar do medo terrível que tinha de defunto e com muita luta o venci.Mas isso é assunto para uma cronica ou conto,kkk.
    Parabéns a você e ao Dr. Luis bom no que faz.
    Bom feriado amiga com paz e alegrias.
    Beijo de paz.
    Obrigado sempre pelo carinho desta família Luso.

    ResponderExcluir
  40. Amiga Taís, assumir nossos medos já é um passo para vencermos. Não é fácil mas conseguimos. Por exemplo, ainda hoje tenho muito medo de viajar de avião. Mas, mesmo com medo, sempre que posso viajo. Tenho medo de lagartas, ainda hoje não venci meu medo. Não tem jeito! Acredito que tudo depende do nosso psique. Gostei muito da sua crônica amiga, nos leva a refletir e muito. Abraços

    ResponderExcluir
  41. jajajaja, es cierto, el dentista es un trauma insuperable, pero hay que intentarlo superar, si con la sedación no nos enteramos.
    Gracias querida Tais por tu compañía.
    Un placer leerte.
    Besos!

    ResponderExcluir
  42. Boa tarde, querida Tais,além de perder o medo, ganhou de presente a visita e comentário do nobre 'Dr Luis Artur Zenni Lopes, é uma honra, hein!
    Imagine, se o meu dentista, Dr. Carlos, fosse deixar uma mensagem para mim, com certeza diria: pois é, dona Marli, vamos ter que deixar a sua cirurgia para outra ocasião, quando a senhora estiver mais calma, e eu nem pulei na cadeira rsssssssssssss. Eu não sei se é o medo ou a covardia que me fez passar mal, no dia em que ele teria que fazer o procedimento.Fico feliz por você ter vencido seu medo ou trauma, agora pode levar seus amigos para uma passada de broca rsssssssssss. Gostei muito de sua crônica, pois como sempre nos conta algo que faz acontecer uma epifania em nossa vida, obrigada, minha querida. Bj

    ResponderExcluir
  43. Felizmente que existem pessoas que para além de serem bons profissionais, têm também um lado humano fortíssimo.
    Linda e merecida homenagem ao seu dentista.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco


    ResponderExcluir
  44. Un saludo a ese gran dentista preocupado por su paciente sin dejar de lado a la persona que como seres guardamos temores que muchas veces no son entendidos o simplemente se ignoran y pasamos a ser un "paquete" que hay que "arreglar" ..
    Excelente crónica Tais
    Fuerte abrazo

    ResponderExcluir
  45. Querida Taís
    Gostei muito desta tua crónica que, focalizando-se em dentistas, me parece querer realçar o “vencer os medos”.
    Relativamente a dentistas confesso que nunca me meteram medo, apesar de, quando jovenzinha de 17 anos, ter desmaiado na cadeira do meu dentista. Ele, sim, ficou assustadíssimo, pensando que eu desmaiara com as dores. Não, o que me fez desmaiar foi o ruído da broca. Mas o senhor era um verdadeiro amor, e dali em diante, sempre que me punha a broca nos dentes fazia-o aos bocadinhos – brocava 1 minuto, parava. Sente-se bem? Sim, doutor, pode continuar… Acho que ele sofria mais do que eu. ))
    De facto, o medo do dentista é quase generalizado, o que, a mim, que nunca tive medo deles, me causa uma certa estranheza. Mas conheço muitas pessoas, incluindo meus dois genros, que têm a boca (os dentes) numa miséria, exactamente pelo medo do dentista.
    E nota que os dentistas, agora, não são nada de meter medo. O meu tem um televisor no tecto, baixa completamente a cadeira (ficamos praticamente deitados) e a ver TV até nos esquecemos de onde estamos…  Então isto não é uma maravilha???
    Vencer o medo do dentista como vencer qualquer outro trauma nem sempre é fácil. Há especialistas (no campo da psicologia) que podem ajudar, e muitas vezes - diria mesmo que na maioria das vezes – as pessoas conseguem ultrapassar esses problemas.
    E viver sem medos é a coisa melhor que existe!
    Sei que me alonguei um pouco (um muito!!!) mas não quero deixar de realçar a linda homenagem que prestas ao teu dentista que, acredito, é mais que merecida, a avaliar pelos teus lindos dentes… Independentemente do resultado, é de louvar o seu procedimento humano para contigo. É que, infelizmente, os profissionais de saúde nem sempre agem desse modo. Ainda hoje a minha filha foi fazer uma ecografia e vinha furiosa com o procedimento incorrecto, mal-educado, desumano… etc., etc. da médica que a atendeu. Apetecia-me dizer que foi uma besta, mas se calhar parece mal…
    Vamo-nos vendo por aí.

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  46. Ah! Esqueci-me de dizer...
    Não sou medrosa, não tenho medos, dum modo geral... mas tenho medo de cobras e de aranhas.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  47. Querida amiga,trauma,fobias são terríveis...
    Sei bem o que é isso,e quando me exponho a eles é como se eu quebrasse uma pedreira por dia,porém a satisfação depois, é indescritível.Parabéns!

    ResponderExcluir
  48. Medo de dentista toda a gente tem, é como andar de avião...
    Mas há dentistas que sabem contornar esses medos e nem parece que estivemos lá.
    Gostei da sua crónica, vai fazer com que alguns leitores percam esse medo...
    Bom fim de semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  49. Cara Tais, pois, um amigo espiritualista diz que quando olhamos para o medo ele olha para gente, que o medo é uma criação mental (que toda criação mental quer ser manifestada); e nossas criações mentais são filhos paridos por nós, daí a dificuldade de vencer o medo. Mas o bom da coisa é quando paramos de criar o medo, ficamos livres dele.
    Ah, como nos sentimos bem quando somos contemplados por bons serviços profissionais, independente da área de atuação dos mesmos.
    Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana, por coincidência, final da nossa Feira do Livro deste ano.

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso