3 de novembro de 2017

MULHERES VAZIAS



              - Tais Luso
Hoje escreverei não sobre a mulher guerreira, forte, que tem o instinto para acolher e apaziguar. Não vou falar daquela mulher madura, vencedora e que faz por merecer a honra que carrega. Não quero tratar hoje da mulher culta, da responsável, da trabalhadora. Dessas já falei noutra postagem - aqui - como um ser muito especial.

Quero abordar uma outra mulher que, gostando ou não, faz parte do nosso Universo. E lastimo por ser de difícil digestão. É ela que se deixa levar por uma mídia, cujo objetivo é vender beleza para seduzir e provocar em tempo integral; falo de um ser vazio. Não quero dizer que sejam desleixadas com sua aparência. Não é isso. Mas há anos observo um declínio na maneira de ser de muitas mulheres. Há grande obsessão pelas academias, com o foco em definir toda musculatura feminina para algo mais pesado, de uma estética nada delicada. Também de usufruir de vários procedimentos cirúrgicos – que nem haveria necessidade. Já são bonitas. Mas é uma neura por ter um corpo sarado e provocativo. Não aplaudo essa forma de ser.

Mulher não é só corpo; mulher é espírito, delicadeza, companheirismo, atitude e inteligência. E sedução, na hora certa. Silicone nos seios virou sinônimo de mulher poderosa – a expressão é delas.
Então, lá vão elas com um decote generoso, exibir a nova comissão de frente; lá vão elas com um bumbum novo, enxertado, que lembra aqueles puxadinhos de casa de pobre que vão emendando as peças pequenas; lá vão elas com os lábios de Angelina Jolie que por não ser natural, fica um repolho sem formato; lá vão elas com uma cinturinha tão fina que mostra que o bisturi andou por ali tirando alguma costela. Quanto sofrimento!
Numa entrevista na televisão, com várias dessas mulheres artificiais, uma delas ainda não satisfeita, mostrou vontade em aumentar mais os seus lábios. E a boquinha da figura já estava um gamelão! Essas são as mulheres que se acham poderosas. Confesso que até gostaria de ver seu novo bocão com dentes brancos como a neve. Como era um programa de televisão, veio a pergunta da apresentadora:
Mas vale a pena tanto sacrifício?
Ah, só vale, a gente sente a autoestima lá em cima, os homens adoram!
Putz, isso é de uma pobreza e de um servilismo tão doentio que me nego a comentar mais. Quando a coisa afeta os neurônios é porque a causa está perdida. Então, nada mais resta a dizer.
Mas é certo que um dia, no crepúsculo de suas vidas, essas mulheres entrarão em profunda depressão, não encontrarão mais sentido em suas vidas vazias, até o dia que tudo se vestirá de pó. Que pena.



________________________________________



54 comentários:

  1. Concordo inteiramente com tudo o que escreveu!
    Eu acrescentaria até que a maiorias das mulheres que fazem esses acertos da natureza, acabam muito mais feias e artificiais. Acho uma pobreza de espírito!

    Beijinhos e um bom fim-de-semana:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabel, eu queria fazer um comentário
      quanto ao texto, mas não queria ficar
      lá atrás sendo o último a ser lido pela
      dona da pensão. Quanto ao que eu acho
      do texto é o seguinte; tenho um amor e
      um respeito tão grande pelas mulheres que
      não me vejo na condição de concordar com
      a dona do Blog, que por sinal tem um valor
      desse tamanho no meu conceito, por isso eu
      queria que ela entendesse que tudo o que
      gostamos nos é tão difícil, tão pecado ou
      tão proibido, que quando uma ou algumas
      mulheres se pegam sem dinheiro suficiente
      para mudar o mundo decidem, entre elas, a
      mudar a si mesmas.
      Eu também não gosto de peitinhos, bumbum
      ou coxas siliconados e principalmente de
      cinturinha Olívia Palito, mas como proibir que
      alguém possa retocar uma obra que Deus fez
      no corpo dele? Com outras palavras; amo as
      mulheres e a sua maneira audaciosa e decidida
      de lidar com as coisas, com o próximo e com
      elas mesmas.

      Um beijo, Isabel e um beijo à Taís, minha
      amiga querida.

      silvioafonso


      .

      Excluir
  2. Olhe Taís, concordo plenamente com sua reflexão. Está difícil enfrentar essa sociedade que se entregou à teoria do "TER" - fisicamente, pois mentalmente vê-se uma pobreza enorme. Atributos físicos, implantados a um preço exorbitante, em cirurgias em prol da beleza, nem um pouco natural, imperam absurdamente. Até quando submeter-se-ão a essa escravidão corporal? Quanto vazio...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Já escrevi em certa ocasião sobre essa tal beleza que chamei de "Monumento de silicone". Infelizmente é muito grande o número de mulheres que embarcam nessa ilusão. E grande também o número de homens que são enganados pelo visual sem pensar no resto. Parabéns por mais essa excelente crônica da vida.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Taís,
    como você está cortante hoje (rss). Sai de baixo, (rss).
    Acho melhor deixar este bisturi de lado, embora você tenha razão.
    É a sociedade de consumo que assim o pede, não esqueça! e elas sem senso crítico vão obedecendo cegamente a essa senhora arrogante que ordena cada vez mais e com mais força.
    Esta coisificação de tudo já parece uma luta perdida. Mas nem por isso deixarei de aplaudir a sua coragem de trazer à reflexão seu ponto de vista. Durante quase dois meses, acompanhei da minha janela as aulas de uma academia ao ar livre. Predominantemente feminino, e o peso que elas carregavam me deixava aflito.
    Cheguei a pensar algumas baboseiras, depois esquecia e ficava admirando aquela energia gasta daquela maneira e dizia para mim mesmo quanto desperdício! (rss)
    Beijos, minha amiga,
    um bom final de semana,

    ResponderExcluir
  5. A situação é preocupante...
    Você está certíssima, somos muito mais do que um par de seios e um bumbum grande.
    Quando uma mulher tenta, em demasia, chamar atenção e porque está sozinha de si. Sei que tem certos procedimentos que são necessários, o problema esta no excesso deles. A busca da beleza exagerada está tirando a identidade de muitas pessoas.

    ResponderExcluir

  6. É muito interessante essa tua crônica, porque bem no fundo disso tudo, não há verdade que seja compatível com aquilo que desesperadamente as copiadoras de beleza buscam, porque já houve a moda dos seios pequenos, das mulheres redondinhas na Renascença, elas são simplesmente as adeptas do bisturi e não tem jeito...Também sou a favor das pessoas que têm o tempo como seu aliado e cuidam da saúde, saindo do sedentarismo, do visual e principalmente da parte espiritual, porque essa será eterna.
    Tudo com muita paz e harmonia...
    Saber envelhecer é ter o tempo como aliado, e quem não o tem como aliado, fará dele seu pior inimigo.
    Mas tempo implica sabedoria...
    Parabéns Tais sou tua fã de carteirinha!

    ResponderExcluir
  7. Visitando, li com toda a atenção o texto proposto. Uma crónica muito interessante. Numa próxima oportunidade comentarei com mais detalhe.

    Fiz-me seguidor e linkei seu blogue no meu
    .
    Tomo a liberdade de me atrever a anunciar o meu, e de uma amiga (Larissa Santos) blogue afecto à poesia. ( Ou tentativa disso, lool)
    Ainda muito bebé, precisando de ajuda a fim de crescer e poder chegar à idade adulta
    .
    Linke: https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/
    .
    Querendo, gostaria que nos seguisse. Visite-nos pois esse será o nosso estímulo a fim de cada vez fazermos mais e melhor.
    Desejo um dia feliz

    ResponderExcluir
  8. Comparto tu interesante crónica, perdido todo atributo de belleza añadida , viviendo por mantener proporciones inimaginables la mujer se va perdiendo a si misma quedando solo un cascarón vacío con el pasar del tiempo...
    Abrazo Tais

    ResponderExcluir
  9. É amiga. Eu até entendia, se essas cirurgias fossem feitas por elas. Por qualquer coisa que não está bem e as faz não viver de bem com o seu corpo. Por exemplo, eu vivi até aos 50 anos com um terrível complexo. Com o meu metro e cinquenta e sete, achava-me muito pequena. Mas a idade não traz apenas cabelos brancos. Ela traz também sabedoria e hoje entendo que o que me faz melhor ou pior, não é a altura ou largura do meu corpo. É o modo como encaro o mundo, o modo como trato o meu semelhante.
    Mas o que faz essas mulheres quererem ser deusas da beleza, é quererem agradar ao homem. Ou seja enquanto umas lutam para se imporem na sociedade e para serem tratadas como iguais, outras só sonham com a escravidão.
    E assim vai o mundo.
    Abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  10. Puxa vida! Que crônica bem escrita e tema bem abordado. Tá cheio por aí de mulheres que se virarmos do avesso, não cai nada... E não só mulheres SSIM COM ESSAS MANIAS ... MAS O PIOR É QUE SE FIZESSEM ISSO PRA SE GOSTAR MAIS,SERIA UMA COISA! MAS FAZEM PRA AGRADAR OS HOMENS...HAJA MENTE VAZIA!
    Algumas nem podem passar perto de roseiras pois um espinho pode fazer desinflar todas as siliconagens como murcham as boias das crianças na praia,rs... MELHOR MESMO NEM FALAR! BS, CHICA

    ResponderExcluir
  11. Querida Tais: creovque ambas nos vamos conociendo, yo sé muy bien que clase de mujer eres y lo afortunado que es Pedro de tenerte. Un gran abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Y muchos cariños a los dos desde mis vacaciones en Argentina

    ResponderExcluir
  13. Que pena, também digo eu, Tais! Ao ler o comentário da nossa Elvira lembrei-me do meu caso Sou baixinha e aqui em Portugal sempre usei salto alto para aumentar a minha estatura; fui para o Brasil quando tinha 24 anos e lá, com o grande calor, usar salto alto incomodava ; um dia dia disse para mim mesm " mas que estúpida eu sou; ando aqui a sacrificar-me e, logo que tiro o salti fico baixa; estou a enganar a quem? " Comecei a usar o salto mais baixo, e o calor deixou de incomodar os meus pezinhos, Até hoje faço isso, salto alti quando necessário e que seja de modo a não me incomodar. Como te disse, a minha filha é professora, passa muito tempo de pé e, embora seja baixa, teve a sensatez de começar a usar o calçado baixo, confortável, pois se fizer o contrário sofre com dores na coluna. Amiga, essas mulheres que retratas aqui dizem que fazem essas cirurgias para agradarem os homens, mas eu acho que isso é por elas mesmas; pelo que vejo com os homens que conheço, eles não apreciam esses seios enormes abarrotados de cilicone Eu semote disse " sofrimento quero só o qua a vida me der" e por isso dificilmente me submetrei a semelhantes coisas . Tenho uma prima no Brasil que já se submeteu a várias; a última foi para cortar os seiox ( pela idade estavam caidos e grandes) ; ficou viuva há dois anos e a cirurgia foi depois ; nem imaginas, Tais, teve uma infecção tão grande que quase morreu; além disso os medicos tiveram que limpar os seios e um deles ficou com um buraco que até se nota quando anda de roupas leves, e agora eu pergunto : para quê? Ela é uma mulher bonita, jeitosa , cm 65 anos; tem 3 gilhos, 3 netos e nenhum problema fianceiro; foi procurar sofrimento para quê? Se quiser arranjar um novo companheiri, não precisa nada disso, pois tem qualidades que por si só bastam. Espero, sinceramente, que lhe tenha servido de lição, mas... não sei!! Se calhar agora vai tentar preencher o buraco que ficou depois da infecção. Bela crónica, amiga, numa é poca em que as aparências contam muito e em que a simplicidade é uma qualidade muito esquecida. A velhice chegará também para estas mulheres e, se ela já é difícil de aceitar para as mulheres " normais " , imagina o que será para estas, quando toda aquela " estrutura " desabar. Beijinhos e um bom fim de semana
    Emilia

    ResponderExcluir
  14. Quando não se é feliz ... procura-se muitas vezes no ERRADO!!!
    Bom fim de semana!
    https://mgpl1957.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  15. Tais,
    é bom ler os seus textos, que em minha perspectiva são muito "produtivos" no processo de crítica social e de alerta consciências bem formadas.

    sem alardear feminismos exacerbados com que por vezes somos confrontados, a Tais, com seu estilo ponderado e interpelante, leva muito bem a água ao seus moinho, no caso a emancipação da mulher de modelos e estereótipos sociais que a subjugam e diminuem como ser humano.

    quer dizer, a minha amiga, à gritaria estéril, prefere a pedagogia serena e eficaz. cumprimento-a por isso mesmo - pelas suas oportunas escolhas e a "eficácia" do seu estilo de escrita.

    beijo

    ResponderExcluir
  16. O pior, Taís, é que quem cai na tentação de começar a fazer alterações no seu próprio corpo, começa a ficar viciado neste tipo de cirurgias... pois haverá sempre um qualquer pormenor que continuará a desejar mudar... e estou apenas me referindo às cirurgias que se fazem em prole da vaidade...
    Sei que seu post, é focado apenas em mulheres... mas vi ontem no Daily Mail, umas fotos do Rodrigo Alves, que me deixaram de queixo caído... aquele que se quer fazer parecer com o Ken da Barbie... e que no limite... como já mudou tudo o que haveria para mudar nele mesmo... pretende agora considera a hipótese de transformar-se numa ela...
    Ainda por cima, vi a personagem vestida com um fato de Halloween por estes dias... traumatizei!!!! Só visto, porque nem dá para descrever!...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  17. Taís minha querida! tem muitas mulheres assim,vazias, parece que a cabeça é oca e não pensa nos seus atos, atitudes, como se veste e se comporta diante da sociedade. temos que nos valorizar. Amei mais uma crônica bem escrita. Parabéns! Grata pela visita, volte sempre, um fim de sema feliz. Bjus

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde, querida Tais,
    crônica bem chamativa, muito boa como sempre, pois tens o dom da escrita.Às vezes, me dá pena destas pobres mulheres que para causar na sociedade precisam usar artifícios tão cruéis como o bisturi e o silicone. São tão pobres de espírito que ainda o fazem para que os homens gostem, antes deveria ser feito para se gostarem mais.Tenho visto umas aberrações, boca feito uma gamela, bumbum exagerado, enfim tudo que você citou em sua crônica. Gostei muito. Beijos!

    ResponderExcluir

  19. Taisinha, esta tua crônica tão atual diz bem do mundo em que vivem certas mulheres. É certo, também, que há um tipo determinado de homem que se encaixa nesse modelo da mulher fútil, vazia, de mau gosto e sem o mínimo refinamento cultural. Mas também é certo que essa mulher vazia serve para realçar os valores relacionados com a mulher que é o seu oposto, qual seja, a mulher dedicada à família, religião, educação, cultura, trabalho e solidariedade etc. Este é o modelo de mulher que engrandece uma nação.
    Parabéns pela bela crônica.
    Um beijinho daqui do escritório

    ResponderExcluir
  20. querida Taís! Mais uma crônica daquela que lemos e relemos refletindo. tens razão a mulher para ser valorizada tem que se valorizar em primeiro lugar. E tem muitas por ai que em nome da modernidade tem a cabeça vazia e só faz besteiras ou não faz nada! vegeta por ignorância. Em nome da beleza, tem mulheres se mutilando. Ser vaidosa, se cuidar sem exageros nada contra, mas a cabeça vazia leva aos extremos. Amei sua crônica mais uma vez. grata pela visita, tenha um abençoado Domingo. Abraços, boa noite!

    ResponderExcluir
  21. Servilismo - numa só palavra você falou tudo, Tais.
    Vim te agradecer pela visita ao meu blog, e te dizer que já passei por aqui, já gostei, e, com certeza, voltarei sempre! :)
    Beeeijos!!!

    ResponderExcluir
  22. É um desperdício de vida, transformam-se em verdadeiros alienígenas/os. Aqui onde moro é o bairro das academias e dos shoppings, onde encontramos esse tipo de mulheres e homens, elas siliconadas eles cheios de anabolizantes, artistas globais, e ainda a mania de magreza! Acabam se desfigurando tanto que dá pena, não imagino como uma pessoa se transforma assim em verdadeiros robôs em nome de uma beleza eterna, que no final das contas nunca atingem.
    Ótima sua crônica, insuperável, parabéns.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  23. Excelente sua crônica,querida amiga Taís.
    De mulheres vazias que só pensam em beleza o mundo está cheio.
    Escravas ,consumistas e dificimente felizes.

    Obrigada pela visita.Você demorou muito.Ponha meu blog na sua lista de alguns blogs amigos para receber minhas atualizações.

    Beijos sabor carinho e um domingo de paz

    Donetzka

    ResponderExcluir
  24. Seres que se transformam em objetos para serem admiradas na sua imagem de falsa beleza. Pessoas com baixa auto estima que recorrerem a futilidades para se sentirem amadas e desejadas. Quanto desperdício no objeto da alienação
    Beijos e um feliz domingo Taís

    ResponderExcluir
  25. Muy de acuerdo estimada Tais.

    Siempre he pensado que si durante nuestras vidas corremos tantos riesgos de salud,es lamentable el constante anhelo de supuestas mejoras en apariencia, con los peligros que esto conlleva, además de esa cada día más extendida costumbre en los hombres de llenar su cuerpo con tatuajes.

    Un beso.

    ResponderExcluir
  26. Uma boa e pedagógica abordagem, Taís! Felicito-te.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  27. Olá querida Taís, infelizmente tudo o que você falou está correto, muitas mulheres estão apenas preocupadas com sua aparência física e agradar aos homens que perdem sua própria identidade e fisionomia. Estamos caminhando para um caminho de que apenas a artificialidade e brutalidade serão o padrão de beleza aceito, o que não é natural e nem saudável.
    Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  28. Encontramos tantas por esse mundo que para elas o que vale é a beleza física,a escultura do corpo que no final ficam horríveis e até com o corpo meio másculo.
    Fazer uma academia para a saúde concordo,mas para ter um corpo escultural e a cabeça vazia,isso é um tempo que perdem ao longo da vida,pois ficarão idosas e não haverá academia que corrija.rs
    Adorei o texto Taís.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  29. Querida Taisamiga

    Uma mulher dessas é a minha Raquel; está tudo dito em sete palavras.

    Qjs do Henrique, o Leãozão e abç para o Pedro (que nunca lá vai à NOSSA TRAVESSA)

    ResponderExcluir
  30. Olá, Taís. Beleza de texto! Concordo plenamente. Não sei o que anda acontecendo com a humanidade. Sou de uma época em que nossas misses (Marta Rocha, Ieda Maria Vargas, Terezinha Morando e outras) não podiam ter uma marquinha de plástica, por mínima que fosse. Apenas a beleza natural. Hoje, as candidatas sentem-se gloriosas com a quantidade de plásticas já feitas. Quanto mais, melhor. Vivemos a era do consumismo, do marketing, do comércio da beleza artificial. Mas o pior de tudo é ver que essas mulheres (e homens, também) já vivem exclusivamente para isso. Cabeça asolutamente vazia. Vai chegar o tempo em que os cemitérios virarão extensos depósitos de cilicone e botox. Abração.

    ResponderExcluir
  31. Olá Tais querida,
    Você sempre coloca bem as palavras amiga. Disse certo!
    "Eu sei que tudo passa, tudo passará..."
    O problema está no exagero e onde é colocado o foco. Lamentável.
    Boa semana.
    Beijos, Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  32. Está aqui um homem que não só não adora como acha horroroso.
    Vê-se tão bem que é tudo falso, plástico.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  33. Pois é....Dizem que os homens adoram, mas esquecem que os homens têm
    duas cabeças e uma pensa pouco e a outra não pensa, só deseja....
    Desculpe as palavras, mas não compreendo como a mulher deixa de ser
    valorizada, para acreditar nos falsos piropos dos homens.
    Mas há de tudo em ambos os lados...É o que vai valendo...
    Beijo
    ,

    ResponderExcluir
  34. Tais, minha Amiga, que texto cheio de verdade sobre as pessoas que vivem da aparência e para a aparência. O consumismo de produtos e práticas para se parecer mais jovem é cada vez maior. E quanta pobreza de espírito, meu Deus!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  35. Bom dia, Taís
    Que texto tão verdadeiro, amiga
    Aqui no prédio tem uma toda botocada e siliconada mas não paga o condôminio.
    Fico indignada!
    Lamentável e vergonhoso.
    Te desejo uma linda semana.
    Beijinhos carinhosos de
    Verena e Bichinhos.
    Te desejo uma semana

    ResponderExcluir
  36. É triste de se constatar, pois a autoestima tem a ver com sua identidade e o que fazem leva tudo para o espaço, pois o tempo não perdoa e quando se olharem através dele não se encontrarão mais.... bjs

    ResponderExcluir
  37. Cronica perfeita, na forma e no conteúdo; cara amiga Tais.
    Um abração. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  38. Querida Taís
    Começo por responder à sua questão (comentário no meu blog).
    Sim, o chão do Skywalk é de vidro, tal como informo no slide onde mostro a foto do mesmo. Por isso eu não fui lá, sofro de vertigens.

    Falemos da sua postagem.
    Acho excelente a forma como aborda o problema. Há anos publiquei um post versando este assunto, baseando-me numa história que li numa revista acerca de uma mulher, mais ou menos anónima, que vivia para o culto do corpo.
    Infelizmente existem muitas mulheres com as características que você descreve.
    E digo infelizmente porque, ao vê-las, pergunto-me:
    Foi para isto que a Mulher lutou anos e anos? Quanto sofrimento envolveu o simples direito a voto? E tantos outros direitos da Mulher que só a duras penas foram conseguidos...
    Estas "barbies" que vivem só para agradar ao homem - nem sequer é por elas mesmas que o fazem - quando a idade lhes pesar, o que têm para oferecer a quem com elas conviver? (partindo do princípio que, nessa altura, têm a atenção de alguém...)
    Sempre fui apologista de que devemos cuidar do nosso corpo. Sempre fiz exercício e cuidei bem da minha alimentação, mas... é tudo! Bocados postiços que os use quem com isso for feliz.

    Dias alegres e felizes lhe desejo.

    Votos de uma boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  39. Taís:
    lo has resumido muy bien: mujeres vacías. Aunque también cada vez hay más hombres dispuestos a pasar por el quirófano para hacerse cirugías estéticas.
    Cuando se trata de malformaciones, la cirugía ayuda mucho. Pero cuando se abusa, la persona operada parece más bien un muñeco, como tú dices, vacío.
    Ótima semana e beijos.

    ResponderExcluir
  40. Querida Vizinha/Escritora, Taís Luso, boa noite !
    O exagero é insuportável, em tudo.
    Conheci uma delas que preferiu a morte, ao
    envelhecimento. Morreu com a boca literealmente
    esgaçada, de tanta plástica para corrigir as
    rugas do rosto.
    Texto oportuno. Parabéns, Amiga.
    Um carinhoso abraço e uma feliz semana.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  41. Olá Taís, sua crônica é um recado bem dado à essas mulheres, sou a favor da cirurgia reparadora, qdo a pessoa perde sua auto estima devido a alguma cicatriz indesejada, um erro médico ou qq coisa semelhante.
    Se ela bem pensassem economizaria a grana para investir em algo produtivo, será que não sabem que depois dos 60 não há plastica que segure nenhuma pele , tudo vai por água abaixo...santa ingenuidade! Parabéns pelo recado! Muito bom e bem pensado. Amei!

    Boa e abençoada semana.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  42. Taís, a coisa está feia. A moda pegou tanto que as 'siliconadas' e 'malhadas' hoje, são as preferidas dos chefões do trafico no Rio. E mais: elas também sabem usar um fuzil AK-47. Pode?
    Beijo, minha amiga.

    ResponderExcluir
  43. Tais
    meus parabéns por este texto que está um primor.
    viver da e para a aparência, será que é viver, será que são felizes, ou será tudo e apenas uma fachada.
    gostei muito desta critica construtiva.
    beijinhos e boa semana.
    :)

    ResponderExcluir
  44. Muito bons tens comentários.
    De fato, há mulheres que não conseguem superar esta pressão feita por esta sociedade machista que nos exige um mundo de sacrifícios para nos tornarmos mais objetos à mercê do mundo masculino.
    Bom teu alerta! Gostaria que mais e mais mulheres pudessem ler.

    abraço
    Lola

    ResponderExcluir
  45. Uma triste realidade, mulheres vazias de personalidade que compensam tentando uma aparência que chame a atenção, não medindo muitas vezes os riscos para a sua saúde.
    Excelente crónica.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  46. Os homens notam esse tipo de mulher a léguas e, acho eu, que não apreciam lá muito. E os que ainda ficam na dúvida, todo o seu interesse se evapora quando elas abrem a boca e dizem asneiras ou banalidades. A mulher deve ser um todo coerente e qualquer artificialismo (seja ele corporal, comportamental, etc.) soa quase sempre ridículo. Lembro-me de uma mulher famosa (pelas cirurgias e pelo resto...) que à pergunta "o que é estar vivo?", respondeu "estar vivo é o contrário de estar morto".
    Magnífica crónica, parabéns pela forma e pelo conteúdo.
    Bom fim de semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  47. Olá Tais!
    Eis uma crónica para as ditas cujas - ocas, fúteis, fininhas, plastificadas -lerem, imprimirem, emoldurarem, colocarem em lugar de destaque.
    Cruzei-me uma vez com a mulher "famosa" de que fala o Jaime Portela. Depois de tantos retoques aqui, ali, acolá, não passa de um "saco de plástico andante". Tristeza!
    Mais uma bela crónica.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  48. Que feliz cronica Taís!
    Eu tenho visto estas "pobres poderosas" e ao mesmo tempo vejo a Elza Soares e vejo como elas serão daqui a alguns anos e sei que viverão os restos dos seus dias chorando num cantinho qualquer e os tais homens que as elogiam virarão o rosto para as novas poderosas.Lastimável amiga o que a mídia faz com estes pobres seres escravos de um modismo perigoso.
    "Mens sana in corpore sano" esqueceram tadinhas.
    Aplausos amiga pela beleza de lucides e critica perfeita.
    Beijo de paz amiga.

    ResponderExcluir
  49. Como foi feliz nessa crônica amiga,estão esculpindo corpos que não existem,dentes de uma brancura que não existem,estão clonando as bonecas e deixando diferentes das pessoas,e nada mais dá na cara,do que o artificialismo,sou a favor de quem se cuida,afinal saúde e uma beleza própria de si,caminham de mãos dadas,mas o artificialismo,ridiculariza...Pior que meninas novas e lindas,fazer de tudo para ficarem estereotipadas...Parabéns!

    ResponderExcluir
  50. Boa tarde querida Tais.
    Seus cronicas são sempre muito bem escritas. Eu creio o seguinte amiga. Todos tem que está bem consigo mesma. Se tem mulheres que acham que uma cirurgia plastica vai ajuda-las e elas tem condições o porque não ? Na minha humilde opinião elas devem fazer para se sentirem melhor, não para agradar ninguém. Afinal eu acho que nenhum homem merece um sacrifício desse. Afinal toda cirurgia plastica tem riscos. Eu nunca fiz cirurgia plastica, mas confesso que deveria ter feito. Tenho seios fartos, são ate elogiados, mas eu acho grandes e me incomodam muito. Não fiz na época, mas jovem uma cirurgia por achar que se tratava de vaidade. Hoje eu penso que se minha mente fosse aberta como hoje teria feito. Não é porque Deus nós deu um corpo, que não podemos mudar o que não nós agrada. Mas infelizmente muitas mulheres só pensam na beleza externa e se esquecem que a verdadeira beleza vem de dentro pra fora. E resolve a mudar tudo, uma cirurgia em cima de outra e ao final se torna uma obsessão e na maioria das vezes não acaba bem. Um belo dia amiga. Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Mirtes, concordo com cirurgia plástica quando essa estiver ligada à saúde, para arrumar um lábio leporino, seios que prejudicam a coluna pelo seu peso etc, etc. Mas cirurgia para aumentar o bumbum, aumentarem os seios exageradamente, e toda essa frescura, esse vazio em que muitas vivem, isso não compactuo, é vulgaridade demais. E os lábios, vê-se cada coisa esquisita, horrorosa...rs
      Um beijo, querida. Tenho certeza que pensamos igual.

      Excluir
  51. A situação é preocupante...
    Você está certíssima, somos muito mais do que um par de seios e um bumbum grande.
    Quando uma mulher tenta, em demasia, chamar atenção e porque está sozinha de si. Sei que tem certos procedimentos que são necessários, o problema esta no excesso deles. A busca da beleza exagerada está tirando a identidade de muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  52. Boa noite Tais.. mais uma maravilhosa postagem..
    é o que a mídia tem feito com quem se deixa levar por ela..
    já escrevi uma poesia sobre tal assunto..
    muitas pessoas realmente tem uma aparência linda.. mas será que dentro delas a gratidão, a beleza interior vestida de bons sentimentos impera..
    cobrem-se de maquiagem, alimentam grifes pq nunca podem repetir um vestido numa festa senão vão ficar faladas.. metem silicone em tudo.... e as vezes acham que mostrar bunda e peito faz a alegria da galera.. a única coisa que ganham são olhares famintos que lançam sentimentos de sexo e tudo mais..
    além claro do interior da pessoa que tem que ser serena, ter bons pensamentos eu admiro muito as unhas nas mãos.. acho divinal as unhas francesinhas que muitas vezes vcs usam.. tem leveza..
    lembro outro dia que um cantor num programa disse.. eu quero uma mulher assim.. guerreira, que esta do nosso lado sempre.. pq ter ao lado uma que só quer festa e aparecer na sociedade.. não acrescenta muito não.. vi vários amigos buscarem beleza e terminarem no divórcio.. pq nunca é o bastante.. beijos meus Tais linda virada de ano.. feliz sempre a vc e a familia..

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís