8 de março de 2018

A ILHA MAIS PERIGOSA DO MUNDO



                     - Tais Luso

Hoje trago para vocês uma curiosidade muito interessante: a Ilha da Queimada – considerada a ilha mais perigosa do mundo – também chamada de Ilha das Cobras. Um lugar que ninguém quer pisar. Fica em São Paulo, a 30 km do litoral, próxima das praias de Itanhaém e Peruíbe. São 43 hectares de rochas e mata, descoberta em 1532 pela expedição de Martim Afonso de Souza. Ali, vivem por volta de 4 mil cobras ilhadas. Aranhas, escorpiões e baratas enormes. É tudo que eu gosto!
Confesso que ao ver o documentário fiquei horrorizada, e quero que vocês tenham uma sensação semelhante da que tive. Amiga é para essas coisas, proporcionar adrenalina! (risos)
Há uns 12 mil anos, ao terminar a última glaciação na Terra (Pleistoceno), o nível dos oceanos subiu e essa parte de terra foi cercada pelo mar.
As serpentes - jararacas - que ali viviam provavelmente eram iguais às do continente. Porém, como não haviam mais ratos ou mamíferos, essas serpentes passaram por um processo de adaptação, começaram a subir em árvores para serem as predadoras das aves migratórias que pousavam por lá. E agora se alimentam de lagartos, centopeias, caracóis e sapos, o que por lá aparecer. A Jararaca Ilhoa, seu nome atual, é capaz de ficar 6 meses sem alimentar-se, por isso esse grande número de serpentes na ilha, o que faz dela a rainha do pedaço.
Com a extinção de animais, o veneno da Jararaca-Ilhoa tornou-se 5 vezes mais potente que o da Jararaca comum (do continente) pois elas precisavam matar a presa rapidamente, antes que ela voasse para outra área, impossibilitando a refeição. Seu veneno mata um homem em 1 hora, com terríveis dores: mata por insuficiência renal, necrose do tecido muscular, hemorragia cerebral, hemorragia intestinal... E não tem volta, é só dar um adeusinho à vida e partir conformado - se por lá alguém aportar.
Essa Jararaca Ilhoa, não tem predador. O acesso à ilha é proibido pela Marinha do Brasil, permitindo apenas,  analistas ambientais e cientistas, mediante autorização prévia e acompanhados de médicos. Fora isso, tudo o mais é proibido, inclusive a pirataria, que burla a lei para vender as cobras no Mercado Negro. A Marinha Brasileira faz uma visita anual na ilha para a manutenção do farol que desde 1920, foi automatizado, após as cobras terem atacado a família que fazia a manutenção do Farol - o qual  todos morreram.
Então? Alguém ainda com vontade de passear por lá?


< VEJA VÍDEO >


Jararaca Ilhoa - Ilha da Queimada






57 comentários:

  1. Pode até ser u7maq linda ilha, mas tô foooooooooooooooooooora! Me borro de medo de cobras... CREDO! Beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Nem vou ver o filme. As cobras apavoram-me mesmo que sejam inofensivas. Quando era menina onde vivia havia muitas, dessas inofensivas. Minhas mãe queimava farrapos quase todos os dias, para as afugentar. Um dia era menina, sete ou oito anos estava a fazer uma cópia quando uma me passou pelas pernas. Era macia e gelada. Fiquei tão assustada que ainda hoje quando recordo parece-me senti-la nas pernas.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Taís, estive a ver o video é mesmo impressionante, quantas cobras meu Deus, eu é que nunca iria lá.
    Obrigado por esta interessante partilha.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus! Que ilha! Amiga, tenho medo de cobras até nas fotos, consegui ler todo artigo mas essa foto é terrível! essa ilha tem um formato de um lagarto gigante, deve ser a petrificação de um dragão gigante. Essas cobras se resolverem sair dai, vai ser um Deus nos acode.
    postagem curiosa mesmo . que jesus as conserve lá na ilha com seus venenos.Boa noite amiga!

    ResponderExcluir
  5. Tais do Céu... Chega de me safar das "cobras humanas"... Não acha? Essa "ilha" não tem nada de "paradisíaca", mas sim de "demoníaca". Quero distância!
    Abraço.

    ResponderExcluir

  6. Que coisa, Escritora, Taís Luso !
    Mas que local apropriado para mandar, para lá,
    certas "pessoinhas" que traíram o meu País ...
    Um texto de arrepiar.
    Parabéns, também, pelo "Dia Internacional da
    Mulher ".
    Um fraterno abraço, Vizinha.
    Sinval.



    ResponderExcluir
  7. Thanks, but no thanks!!!
    Bjs, bfds

    ResponderExcluir
  8. Querida Taís
    Adoro animais, mas tenho verdadeiro pavor de aranhas e cobras.
    Aí no Brasil têm enguias? O formato é parecido com a cobra, e os apreciadores dizem que é um peixe delicioso. Pois a minha fobia por cobras é tão grande que nem consigo comer enguias. Nem ver!
    Vi o vídeo com um olho aberto e outro fechado...
    E pensei para comigo - o sítio ideal para lançar certos criminosos (predadores sexuais, por exemplo...)

    Agora me vou e espero não lavar nenhuma cobra atrás de mim :)))))))))))

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  9. Tais, gosto sempre muito do que escreve e tão bem! Assim que noto que há post seu vou logo lê-lo. Mas hoje ...fujo de tão real que ela é... Mas agradeço!
    Bom fim de semana. Eu vou agora mesmo passá-lo a Fátima (vou só... mas ao encontro da Mãe) Beijos

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Taís!
    Sim eu já sabia e sempre visualizava essa Ilha apesar de estar entre Itanhaém e Peruíbe,mas dá para vê-la na praia da Enseada no Guarujá(Litoral Paulista).
    Só de olhar dá muito medo!
    Parabéns pelo texto!
    bjs e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde!
    Tenho fobia,pânico, medo, sei lá, de cobras.
    Beijo. Bom fim se semana

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela excelente crônica, aliás, como acontece com todos teus escritos.

    ResponderExcluir
  13. Gostei de ler. Existe quem goste dos perigos :))


    PS: Ocorreu um erro, saída dum tema. Hoje o tema é do:-
    Gil António:- Fogo de Amor: O Infinito da Mélica Ternura
    .
    Bjos
    Votos de boa Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  14. Taís,

    Eu já conhecia, tempos atrás vi este documentário
    sobre esta ilha, é impressionante e haja
    adrenalina, viu, amiga!...
    Mas, saliento o teu talento na arte de escrever,
    muita competência na realização de abordar
    o assunto.
    Agora, dispenso o passeio ao vivo, aliás quem
    passear nesta ilha, fica muito bem ao morto!...rss

    Um final de semana maravilhoso com o teu alto astral
    e novas crônicas ao vivo aqui, para nós, teus leitores
    fãs, que aguardamos este momento precioso de leitura.

    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  15. Está vendo só? É assim que se conhece quem é amiga, falando de cobras e lagartos tudo bem, agora falar de baratas gigantes isso é demais, é muita inimizade junta!! Pega leve...hahahahahahah.
    Amei a cronica.
    Beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  16. Martim Afonso de Sousa foi um nobre, militar e administrador colonial português. Foi o primeiro donatário da Capitania de São Vicente e governador da Índia !
    também tenho bastante curiosidade para aprender mais sobre esses homens que não tinham medo nem das cobras !!!
    beijinhos Tais,
    vou ver o video
    Angela

    ResponderExcluir
  17. i love snakes, and don't afraid, but i hate beatles, i'm afraid :(

    ResponderExcluir
  18. Que curioso! Não conhecia e, se não fosse a tua habilidade narrativa, nem leria pois tenho horror de cobras!
    Declino, pois, o amável convite!
    Bjinho, Tais

    ResponderExcluir
  19. Bom dia, querida Tais,o vídeo é horripilante, nossa! tenho muito medo de cobras e elas até parecem querer saltar da tela.Não conhecia nada sobre este assunto, gostei da informação e muito bem escrita por você, minha querida escritora. Creio que ninguém em sã consciência queira dar uma volta nesta ilha. Obrigada pela informação, valeu muito. Tenha um abençoado final de semana. Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Tais

    grande país o Brasil que tem uma ilha apenas para cobras! rss
    nós aqui cobras venenosas apenas a víbora, uma cobrazita pequena, cujo veneno não mata, mas lança peçonha! rss.
    e aparece, por vezes, onde menos se espera!

    em compensação, à nossa escala, temos um ilhéu para as cagarras!
    tivemos um Presidente que adorava visitar o ilhéu.
    esse Temer aí, não visita a ilha das Cobras?
    que pena! rss

    inteligente e pedagógica sempre, sempre...
    amei ler, Tais.

    beijo, minha amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manuel,
      rsss, pois olha, meu amigo, a ideia não é ruim, seria uma excursão inesquecível e segura para 'todos os passageiros' do enorme 'Trenzinho da Alegria' que explodiram o Brasil, pois a fauna lá é riquíssima! Nada a preocupar...
      bj, amigo, um ótimo domingo!

      Excluir
  21. Apreciei imenso a sua explicação, mas passei por cima das fotos e nem o vídeo consegui ver.
    Fobia completa desses animais....;))!
    Beijinhos e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  22. O que é a natureza... A mudança, as adaptações das espécies para sobreviver em condições diferentes...
    apesar de arrepiante, belo tema!
    Abraço,
    Adh2bs

    ResponderExcluir
  23. Tais, começo por dizer que a crónica li (e aprendi), mas o vídeo não vi, não vi, não vi!
    Fujo de bichos que rastejam: cobras, lagartos, lagartixas, jacarés, crocodilos, cágados, iguanas, camaleões, sanguessugas… fujo até de minhocas.
    Fujo de ratos, aliás, tenho um medo tão irracional de ratos, que nem desenhados em papel consigo olhar.
    De baratinhas não fujo, mas de baratas grandes, daquelas que rastejam e voam, eu fujo gritando.
    Por tudo isto, não estou interessada em “conhecer” a bicharada da Ilha da Queimada.
    Para terminar, deixa que te diga que também fujo de GENTE QUE RASTEJA. Me enoja mais que barata suja. Gente que rasteja é bicho nojento!
    Ilha da Queimada?! Mulher, do que te lembraste!!!!!
    Beijo e bom fim-de-semana.
    (É culpa tua, Tais, é culpa tua, este meu rastejante comentário.)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsss, menina, isso é fobia!! Eu tenho fobia de barata porque voam e se escondem, me assusto porque perco o domínio sobre elas. Cobras tenho medo, sim, mas dá para ficar longe, a barata me agride dentro do meu território e não suporto, parto para uma guerra campal, não durmo enquanto não extermino.
      Mas te entendo, tanto quanto as outras amigas que não viram o vídeo, aliás, não tem nada demais, apenas a história da ilha...rss
      Beijinho!

      Excluir
  24. Foi com a leitura desta belíssima crônica que fiquei sabendo da existência Ilha da Queimada, que, como dizes, é "considerada a ilha mais perigosa do mundo – também chamada de Ilha das Cobras". São 43 hectares lotados dessas cobras, que em parte aparecem nas duas imagens e no vídeo da tua postagem. Quem se habilitará a um passeio nessa Ilha das Cobras? Sei que tu jamais chegaria perto dela. Eu faria essa visita à ilha? É um assunto para ser pensado (caso as autoridades permitam). Parabéns pela crônica e pelas imagens desses bichinhos.
    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  25. Los reptiles me dan un poco de fobia, incluso cuando los veo en el zoológico, no me detengo demasiado.

    Besos

    ResponderExcluir
  26. No conocía la existencia de esta isla pero con 4 mil cobras ilhadas. Aranhas, escorpiões e baratas enormes, paso, paso de ella y tomo nota de tu advertencia.

    Beijos, Tais

    ResponderExcluir
  27. Amiga Taís, esses dias recebi muitos abraços, reais e virtuais.
    É engraçado como um simples abraço faz-nos sentir bem.
    em qualquer lugar ou língua.É sempre compreendido...
    E abraços não precisam de equipamentos, pilhas ou baterias especiais,
    É só abrir os braços e os corações...

    Guarde este abraço da amiga Lourdes e tenha um lindo início de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia, muito obrigada, querida, pra você também um abraço e meu carinho! Uma ótima semana.

      Excluir
  28. Aterradora essa ilha, minha Amiga Taís. Li a sua crónica. Vi o vídeo. E calculo que ninguém se atreva a pôr lá os pés...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  29. Minha querida cronista Taís Luso: nos Açores não tem cobras. Mataram todas, isto faz tempo. Problema ecológico posterior? Nenhum. Solução, só uma. Napalm, a arma química mais terrível que se conhece, muito usada na Guerra do Vietnã. Onde encontra composto biológico, incendeia. Naturalmente conhece a foto de crianças vietnamitas, numa estrada, correndo nuas e pegando fogo.
    Então, napalm nas cobras, Taís. Conheço esta história sim, é um pesadelo maior do que bala perdida. Beijo, querida amiga!

    ResponderExcluir
  30. Bom dia, Taís
    Cruzes! Tô fora...rs
    Não sabia.
    Amei ler a crônica.
    Linda semana para você.
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  31. Por Dios de los cielos, Tais!
    Vaya lugar para ir de paseo, poner una mante en el suelo y sacar la merienda. Me imagino al destacamento militar que le toca ir cada año a revisar la isla, las piernas temblorosas de los soldados esperando oír las órdenes con su nombre. Feliz semana.

    ResponderExcluir
  32. Fica a 30 Km... mas as cobras não nadam?... :-O
    Isso é muito perto da costa...
    Nunca tinha ouvido falar desta Ilha, pelo que adorei ler por aqui... o seu tenebroso historial!
    Decididamente... esta será uma ilha... para nenhum Robison Crusoé, botar defeito... até porque não sobreviveria... :-D
    A natureza é uma caixinha de surpresas... sempre em adaptação constante...
    Como uma ilha sem água potável, está assim tão carregada de vida... ou antes... de simpáticas bichezas... prontas a acabar com qualquer tipo de vida...
    Adorei sua crónica, Tais! Já tive por aqui hoje, o meu momento National Geographic... :-D que adoro assistir na TV por cabo, por conta de curiosidades assim, neste âmbito...
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  33. Ciertamente un lugar un tanto peligroso que para nada me gustaría visitar aunque parece muy bonito.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  34. Há lugares do Brasil que adoraria visitar, mas, quanto a este.... não sei! Serã que poderiamos sobrevoar esta ilha de helicóptero e , de lá de cima admirar este inferno? Bem, se assim fosse, acho que seria interessante. Afinal, deve ser um espectáculo nunca visto e, que me conste, cobra não voa. Amiga, hoje a tua crónica foi de arrepiar, embora eu, de longe, não tenha qualquer problema com estes belos bichinhos. Belos, temos de concordar que são, não é verdade? Beijinhos, amiga e tudo de bom
    Emilia

    ResponderExcluir
  35. UI,ui! que horror, são horripilantes. Adoro viajar, mas desta ilha estou fora, rs,rs,. Interessante a história e fico maravilhada ao ver a adaptação para sobrevivência das espécies.

    ResponderExcluir
  36. OI TAÍS!
    NOSSA, ME ARREPIEI, NÃO QUERO IR MESMO.
    MUITO INTERESSANTE, TÃO PERTO E NÃO SABIA TUDO ISSO SOBRE A ILHA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  37. Bom dia. Se calhar sou maluco mas, confesso, gostava de visitar, embora dentro das regras de segurança.
    .
    * Se te amar for pecado ... Então sou um Pecador *
    .
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  38. Nunca tinha ouvido falar dessa ilha. Ainda bem que avisou, pois podia passar lá perto e ter vontade de desembarcar... rsrs... Fiquei impressionado com o vídeo e nem quero imaginar a cena com 10 cobras dessas na cama...
    Continuação de boa semana, amiga Taís.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  39. Lá fora a noite estava bonita, e as cobras respiravam fundo para não esquecer o cheiro da gente que adentrou a ilha inesperadamente. E com elegante displicência disseram é "agora ou nunca" que faremos a "limpeza" da Capital da República, enquanto os barcos zarpavam de volta para São Paulo depois de deixarem os políticos de Brasília, gozando o recesso da Páscoa nesta Santa Ilha.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  40. Nossa Taís, depois de alguns dias sumido daqui encontro estas Jararacas aprontando, kkkk.
    Tinha lido sobre esta ilha e pensava que ela fora usada para os subversivos na quela dita dos anos 60. Uma postagem para ler sexta-feira meia noite,kkk.
    Mas muito boa em informações Taís. Engraçado como elas convivem entre si.
    Um abraço amiga e vou me atualizar por aqui e lá no Pedro.
    Beijo amiga e um bom fim de semana para vocês.

    ResponderExcluir
  41. Boa tarde querida Tais.
    Essa ilha seria muito útil, diminuiria bastante os crises hediondos. A cada crime contra crianças e incapazes os criminosos seriam jogados la, seriam jogados de dois a dois, um dos criminosos, teria que filmar e postar na rede social. Assim os outros pensariam duas vezes em praticar crimes. Melhor que pena de morte no Brasil. Pois se tivesse matariam pobres e ricos sairiam ileso. Seria matou, se condenou a essa ilha kkk. Não necessariamente crimes hediondos, mas também quem agisse contra a nação, como no caso dos políticos corruptos, que roubaram todos nós rsrs. Não temo cobras, mas de barata tem nojo. Um lindo dia para você e o Pedro. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  42. Eu ficaria bem longe de tal ilha...
    Para além do sentimento de perigo, esses bicharocos repugnam-me!
    A minha irmã sofre de ofidiofobia, tem pesadelos desde menina. Se ela lesse a tua crónica, logo à noite tinha de tomar calmante.
    Ótima inspiração científica a partir dos sentimentos que o vídeo provocou, uma partilha ímpar e impactante...
    Grande abraço, querida Amiga.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde, desconhecia totalmente a Ilha da Queimada, é perigosa para o ser humano, mas, certamente útil para ser estudada.
    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderExcluir
  44. Puxa, realmente uma curiosidade medonha... Estranha ilha!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  45. Taís, passei para desejar um excelente fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  46. Então aqueles bichos serpentes têm a sua propria ilha para viver em paz.Falando, lento e compreensível eu gostava muito de ouvir a explicação do orador.
    abraços

    ResponderExcluir
  47. Un sitio para no visitar. Gracias por la información para no incluirla en mis viajes.
    Feliz vin de semana.
    Un fuerte abrazo amiga Tais.

    ResponderExcluir
  48. Misericórdia! Eu não iria de jeito nenhum! Já nem gosto de praia/mar... com "habitantes" desse gênero, então... rs. Mas o seu texto é delicioso de ser lido!
    Sobre o meu blog, é o seguinte: meu filho mudou configuração, nome, endereço... ele realmente ficou mais site que blog, mas como diz uma amiga... vamo que vamo assim mesmo. O endereço é: www.jussaraneves.com.br
    Para comentar na última postagem e participar do concurso cultural que está rolando por lá, use o link abaixo:
    http://www.jussaraneves.com.br/2018/02/todas-as-estrelas-da-ceu-impressoes-sobre-a-obra-e-um-concurso-cultural.html
    Abraço!

    ResponderExcluir
  49. A natureza a surpreender. Uma ilha de cobras! Julgo que eriçam a pele a qualquer um só de imaginar!, mas vi o vídeo com calma.
    Saber não ocupa lugar.
    Grata, amiga.
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  50. Horripolantemente lindo.....hihihi
    Desculpem, mas eu levava para lá dois ou três...
    Beijo

    ResponderExcluir
  51. Boa noite doce amiga,, bah srs lembrei do filme Indiana Jones,, na qual ele ao ter de entrar numa tumba, diz, tinham de ser cobras srs
    com estas não se brinca,
    como diziam os antigos, solta essa bandidagem toda numa ilha assim ou na amazonia, assalto ia cair generosamente sr
    uma linda noite a vc, bjs meus Tais

    ResponderExcluir
  52. ¡Qué espanto voy a esa isla! ¡Prefiero ver el vídeo y hacerme una idea del peligro de esa isla y de esa serpiente! :(
    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  53. Fazia tempo que não passava por aqui, sempre um prazer pela diversidade... abraços!

    ResponderExcluir
  54. Você disse baratas enormes? Eu tô fora! Não posso nem ver uma imagem de barata que tenho tremeliques e é possível ouvir um berro meu ahaha. As cobras eu tenho receio, mas medo não.
    Deveriam acabar com todas as cobras, não acha? São perigosas e matam os lindos passarinhos.

    ResponderExcluir

AOS AMIGOS

Muito obrigada por sua participação nos comentários.
Comentários anônimos não são postados. Identifique-se.
Abraços a todos
Taís