4 de março de 2012

SILVA, O EXEMPLO DO ABANDONO

Este é o Silva!


- Tais Luso de Carvalho

Estou escrevendo esta história, não apenas em cima de minhas emoções, mas também usando a razão. 
Certos fatos registram meu encantamento,  enquanto outros  ficam a dever. E hoje deixo aqui toda a minha indignação por gente que não merece nada da vida; por gente que não se preocupa com o sofrimento de quem quer que seja. São inescrupulosas, sem ética e sem sentimento.
Trata-se da história de um animalzinho, velho, cego e meio surdo. E  deve ter sido esse o fato de estar abandonado.  Muitos animais são abandonados nas férias, pois atrapalham a vida de encantadoras famílias. O animal está velhinho? Não serve mais para nada? Dá trabalho? Ah... larga lá no parque que ele se vira... Não é assim? 
Meu filho, antes de trabalhar, leva seus dois cachorros no parque. E nesta manhã deu de cara com este cachorrinho da foto: velho,  cego  e abandonado, dando topada em bancos, árvores e muros. E prestes a ser atropelado. Foi largado aí... - disseram alguns que lá estavam. Centenas de animais são soltos na época de férias. Ou basta estarem doentes para que sejam descartados. 
Meu filho voltou ao seu condomínio para deixar seus cachorros, e rapidamente retornou ao parque para buscar o cachorrinho sem nome.
Em seguida telefonou para nos contar o que estava acontecendo. Bem, o cãozinho abandonado, já recebeu um nome: SILVA! 
Por que meu filho teria colocado o nome de Silva? Fiquei curiosa e perguntei a ele - por telefone. 
 – Sei lá, mãe, foi o primeiro nome que me veio à cabeça...
Nada vem à nossa cabeça sem um motivo! Silva tem a cara do Brasil pobre, e não do Brasil das elites. O nome escolhido saiu sem pensar? Não. Estava lá no seu inconsciente.
De imediato veio à nossa mente a clínica veterinária que cuida dos animais da família. Silva foi para a clínica, passar por uma avaliação e pernoitar por lá para não ficar na rua, com fome, sede e ser atropelado.  Logo pensaríamos no seu futuro.
Lógico que alguém dirá: mas porque não fazem isso com os humanos em vez de todo esse nhenhenhe com um cachorro? Essa pergunta sempre está presente quando alguém toma uma atitude em defesa dos animais; quando se tenta fazer um bem. Existe sempre um chato comparando animal com gente.
Mas o que tem a ver uma coisa com a outra? O que tem a ver ajudar animais com  ajudar gente? Por que misturar estas coisas? Ninguém deveria se preocupar quando a proposta é fazer o bem - a quem quer que seja. A preocupação deveria existir no caso de abandono e maus-tratos.  E falando a verdade, esse tipo de pessoa não se preocupa em ajudar ninguém, é tudo balela. 
Pessoas que agem com tanto egoísmo em relação aos animais só podem estar doentes. É incompreensível que alguém não consiga ficar calado diante de fatos tão tristes. E vimos que, no  período mais difícil de sua vida, quando mais precisou, o animalzinho foi abandonado.   Que dizer de pessoas desse nível?
Mas estas perguntas talvez sejam feitas pelas mesmas pessoas que saem em férias, abrem as portas de seus carros e soltam seus animais de estimação na estrada; que soltam os animais nas praças ou esquecem deles nas praias.  Atos assim é que não podem ser esquecidos.
Estas coisas  me enojam e fazem com que a cada dia eu acredite menos na nossa espécie: gente que destrói, que cobiça, que despreza, que inveja, que mente, que mata. 
Mas que bom que temos também o outro lado da moeda: pessoas sensíveis, com coração e razão; pessoas que se preocupam em fazer o bem; que fundam ONGs, que doam sangue, que doam órgãos e que se preocupam em preservar o planeta. Que se preocupam com aqueles que estão agonizando. 
Mas o caso do Silva já foi resolvido. Creio que um animalzinho velho, cego e surdo jamais seria adotado. Hoje já tem o seu lugar para morar: um hotel para cães num bonito sítio, e as despesas serão divididas entre nossa família. Assim será cuidado até o final de seus dias.
Estamos aguardando o próximo sábado para visitar o Silva, nosso mais recente amigo.


Após o banho, indo no carro de meu filho para sua nova casa...



32 comentários:

  1. Pois é Taís,
    Só vou repetir aqui o que Leonardo Da Vinci disse: "Chegará um dia no qual os homens conhecerão o íntimo dos animais; e nesse dia, um crime contra um animal será considerado crime contra a humanidade".
    Abraços e parabéns pela sensibilidade, eu a compartilho com você, JAIR.

    ResponderExcluir
  2. Oi Tais,

    o seu filho não poderia ter achado nome mais adequado.
    São os Silvas do nosso país!
    E quantos Silvas ainda temos por aí, perambulando pelas ruas, esperando alguém que os enxergue!

    beijos e ótima semana

    Leila

    ResponderExcluir
  3. Tais, dei uma passadinha por aqui antes de sair para o curso, mas seria apenas para uma leitura... Então dei de cara com o Silva e aqui estou comentando! Ele emociona a gente! O 'final' da história dele me encheu de alegria, sinceramente fez lágrimas deslizarem por minha face numa mistura de sentimentos: enquanto alguns abandonam (tristeza), outros cuidam, salvam, amam (esperança). Você foi exata quando mencionou a importância de fazer o bem, e não importa a quem: animais, pessoas, plantas. Temos mais é que cuidar de todas as criações de nosso Pai Celestial, que abrandar este nosso coração egoísta e permitir que ele seja preenchido por novos amigos, como o Silva.

    Desejo dias felizes a ele, no novo lar! E muitas bênçãos para você, seu filho e suas famílias, pela atitude exemplar. Mesmo presenciando tantas cenas tristes, a esperança se renova quando me deparo com relatos comoventes como o seu, aqui neste texto.

    Um forte abraço, pra você e outro pro Silva - não esqueça de transmiti-lo quando for visitar nosso amiguinho! rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Tais,claramente você define,.
    O que é amar ao próximo...
    Muitas interpretações, mas poucas atitudes.
    Proximidade é proximidade, plantas, árvores,pessoas animais,e o “meio” é sempre o lugar presente do qual estamos desfrutando.
    Jesus Cristo foi claro em suas definições, mas as pessoas com suas religiões deturpam...
    Impecável!
    Texto e mais que isso!
    Atitude!
    Izildinha

    ResponderExcluir
  5. O Silva evidencia muito mais do que seu próprio abandono, em tuas palavras pude sentir a amplidão de tua análise, o retrato de uma sociedade indiferente, engessada, rígida - que com certeza encerra suas grandes, honrosas e belas exceções, como teu filho, o gesto dele e o teu, esta crônica que "vomita" o que sente, e que desperta a consciência de tanta gente.

    Uma semana ótima, boa visita ao Silva.
    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo gesto do teu filho que logo se compadeceu do Silva.

    Que bom que ele teve sorte. Tantos outros já haviam passado e nem olhado, certamente,não?

    Beijos,parabéns,chica

    ResponderExcluir
  7. Salve o Silva!

    E também as pessoas de boa vontade como você e seu filho que, se não repreentam a maioria, pelo menos mostram que o Homem pode ser, se quiser, sal da terra e luz do mundo, como ensinou aquele carpinteiro pobre.

    1 bj
    Cesar

    ResponderExcluir
  8. Adorei o Silva! Que lindo gesto do teu filho.Junto-me ao teu desabafo.O abandono seja de pessoas , ou de animais deveriam ter a compaixão e o carinho que merecem.
    Pertenço a uma Associação de Proteção aos animais e me emociono com situações assim.Se cada um fizesse a sua parte não haveriam Silvas perambulando abandonados pela rua.
    Parabéns amiga por esta crônica! Que sirva de conscientização e de alerta!
    Tenhas uma semana feliz e abençoada.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  9. O Silva certamente no seu intimo agradece o novo tratamento e saberá
    certamente, pela voz, que não foi o
    seu antigo amigo (?), que lhe deu um fim de vida digno.....
    É que casos semelhantes, acontecem
    com os humanos, abandonados em lares, hospitais, ou na casa do cão lá de casa.....Mundo ingrato..
    Como sempre...adorei sua crónica....
    infelizmente verdadeira.
    Parabéns pelo filho que criou...
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. É uma característica cadas vez mais forte da nossa sociedade - descartar o que não nos serve mais.

    Sejam coisas, animais ou pessoas.

    Infelizmente.

    ResponderExcluir
  11. Oi Taís que bom saber que há um animalzinho a menos sofrendo nas ruas.Minha vizinha já recolheu alguns também, quando os encontra não consegue deixar de recolhe-los, e os leva pra casa,cuida, leva ao veterinário, diz que não consegue passar simplesmente e deixá-los sem abrigo. A transformação é imediata.Ficam lindos e cheirosos.Minha admiração à todas essas pessoas que como você e seu filho, conseguem fazer o bem sem olhar a quem (como se diz no ditado)
    Cachorrinho não é gente, mas por isso mesmo são totalmente indefesos e merecem todo nosso amor.
    Para finalizar, quero dizer que fiquei super feliz com seu comentário lá no Expresso do Interior e fiquei honrada com sua opinião.Obrigada.

    ResponderExcluir
  12. Que o Silva seja muito feliz em seu novo lar!!
    Ps: adoro qdo vc visita meu blog pois adoro suas crônicas- nem sempre comento, mas sempre as leio!

    ResponderExcluir
  13. Olá, Tais!

    Bonito gesto, esse do seu filho!

    A história de abandono de animais, especialmente de cães,é coisa que também se pratica por aqui, e com demasiada frequência.E a irresponsabilidade do acto começa, em muitos casos,no momento da compra: levianamente, sem ter em conta que eles exigem cuidados que custam dinheiro; e que também crescem ... acabando para muitos donos por perder a graça que lhe acharam quando eram pequenos...
    E depois vêm as férias...e o cachorro é um estorvo, abandonado na rua, ou à porta do canil.
    Por todo este país, as Câmaras Municipais gastam "fortunas" para manter cães que os donos abandonaram; é uma vergonha de comportamento de gente irresponsável-e também condenável.

    E obrigado pelo simpática visita, que com muito gosto retribuo.

    Um abraço.
    Vitor

    ResponderExcluir
  14. Compreendo sua indignação. Se falamos de animais, que falemos de animais! São muitos os cães, sobretudo, abandonados. Em minha cidade isso ocorre frequentemente e tem se tornado mesmo um caso de saúde pública. Há gente que não consegue ter piedade por um animal; teria, porventura, por uma pessoa?

    (gostei do nome dado... rs)

    Abraços,

    ResponderExcluir
  15. Taís querida,

    Infelizmente o que vemos por aí e isto...todos os dias.E a revolta que sentiu é a mesma que me domina todos os dias quando vejo a quantidade de animais sendo maltratados.Mas você falou uma verdade,em um país onde os idosos são abandonados,crianças sáo deixadas na lata de lixo o que se poderia esperar em relação aos animais?Mas enquanto pessoas como você e seu filho agirem desta forma,ainda resta uma esperança.

    Também indignada fico eu e não posso fazer nada.


    Bjssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  16. fico indignado com histórias de abandono de animais,com certeza o nosso amigo silva ja deu muitas alegrias aos seus donos que agora o abandonaram. Comigo aconteceu algo parecido ,no dia de natal sai pra fazer uma caminhada e tirar fotos 'meu hooby,entrei em um barracão abandonado, e encontrei duas cachorrinhas recem desmamada em uma caixa de sapatos,eu ja tenho um cachorro ,e não queria mais ,porque sei que quem cria tem que cuidar e não é facil. Mas elas morreriam de fome se eu não as levasse para casa,não hesitei,hoje elas tem um lar ,comida e carinho,chamam - se lucy e nina...ps a lucy ficou doente e eu não tinha dinheiro para leva-la ao veterinário,mas não poderia deixa-la morrer,levei ao veterinário e paguei com cartão de crédito parcelado. elas são a alegria da casa.

    ResponderExcluir
  17. Taís, olha que grande coincidência! Ainda pouco estava no meu blog CRÔNICAS fazendo uma postagem justamente sobre outra vertente desse tema. Eu diria que estava na outra ponta.

    Quando terminei, vi no meu painel que vc tinha postado e pulei pra cá. Aí, eu li o teu texto...

    Sobre isso faço uma pergunta: O que poderia se esperar de uma sociedade que tolera mães que abandonam um bebê, tão indefeso quanto um animalzinho, em lixeiras, bueiros, caçamba e etc.?... E mães que abandonam seus filhos em hospitais quando descobrem que eles têm uma doença grave a qual lhes darão muito trabalho?... E pessoas e autoridades que fecham os olhos para crianças sendo seviciadas, exploradas, espancadas até a morte... Sim, por que o que vemos nos noticiários é apenas uma pequena amostra da realidade!

    Sua atitude e de seu filho foram louváveis e me encheu de emoção!

    Lendo seu texto lembrei-me da “Vidinha”, uma cadela e seus 10 filhotes, de apenas um dia, que foram abandonados aqui na portaria do meu condômino dentro de uma caixa de papelão. Eu a batizei com esse nome. Isso, infelizmente, é comum aqui onde eu moro. Seres humanos (humanos?) são capazes de coisas terríveis!

    Mas como vc bem disse, não são todos, graças a Deus! Ainda existem pessoas nesse mundo que faz toda diferença. Pessoas dispostas a doar-se um pouco mais, ir mais além do que julgam ser apenas dever; somente uma boa ação do dia.

    Quem tem amor pra dar acaba por descobrir que essa fonte é inesgotável!

    Quanto a “Vidinha”, ela também teve um final feliz. Deu um pouco de trabalho, mas conseguimos arrumar um lar para ela e para cada um dos seus 10 filhinhos.

    Bjo grande amiga!
    Sueli Gallacci

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, querida amiga Tais.

    Nossa...
    Faço minhas as suas palavras.

    Aqui eu tenho cinco gatinhos que foram abandonados quando nasceram.

    Em Belo Horizonte não existe ONGs para amparar os animais. Eu acho tão estranho...

    Seu filho foi fundo, ao escolher o nome Silva pra ele.

    Muitas bênçãos!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. A mulher foi feita da costela do homem,
    não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior,
    mas sim do lado para ser igual,
    debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração para ser amada." (Maomé)
    E realmente isso que Deus fez e graças ao primeiro casal hoje todo ser
    humano da face da terra são descendentes de Adão e Eva .
    Um Feliz Dia Internacional Das Mulheres.
    Beijos no coração.
    Evanir.

    Amada que postagem magnifica se tivesse metade de pessoas com coração tão bom quanto o seu o Mundo seria bem mais bonito.

    ResponderExcluir
  20. Querida Tais,passo aqui nesta Dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher para deixar meu carinho e mil flores para enfeitar tua caminhada.Felicidades e na tua alma a eterna primavera. Bjs. Eloah

    ResponderExcluir
  21. Taís, enquanto houver pessoas como o seu fiho, com sensibilidade e vontade de ajudar o próximo, seja animal ou pessoa, o mundo não está perdido. Parabéns pela educação e carinho que você deu ao seu filho, ele está transmitindo tudo que recebeu de seus pais. Bjs

    ResponderExcluir
  22. Olá!Boa tarde!
    Belo texto!
    Estes dias estava navegando na NET, e encontrei um texto de autoria desconhecida, que dizia o seguinte, mais ou menos, que vem bater um pouco com seus escritos:
    Porque eu ajudo animais e não gente?
    -Porque não existe um projeto nacional(MINHA CASA,etc) para animais
    sem lar, não existe SUS, para animais doentes,não existe Conselho Tutelar, para animais por omissão da sociedade e do Estado, e porque não existe aposentadoria, para animais que puxam carroças, trabalhos escravos, e depois são aposentados!Penso eu, também!
    Obrigado pela participação em meu blog! Muito feliz e honrado!
    Bom final de semana!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  23. Aqui em casa temos também um cachorrinho, que foi salvo de morrer na rua, já doentinho. Foi muito maltratado também nessa ocasião. Tinha um olho quase cego e o outro com uma cicatriz que provoca problemas o tempo todo, mesmo com, aproximadamente, dois anos. Agora está com nove. E como eles são agradecidos e nos amam, não é?
    Uma beleza o texto e a ação.
    Eliane F.C.Lima ("Literatura em vida 2)

    ResponderExcluir
  24. Tenho um blog que comecei agora pelo motivo do Google ter deletado meus seguidores, passei e vi seu blog e gostei,e quero deixar um convite: Gostava que fizesse parte de meus amigos virtuais no blog Peregrino e Servo, retribuirei de seguida. Obrigado.

    ResponderExcluir
  25. Taís, que maravilha que o "SILVA" encontrou alguém como seu filho, pessoas como ele é exceção e também em extinção nesse mundo. Abraço e parabéns pela iniciativa da família.

    ResponderExcluir
  26. Taís, que maravilha que o "SILVA" encontrou alguém como seu filho, pessoas como ele é exceção e também em extinção nesse mundo. Abraço e parabéns pela iniciativa da família.

    ResponderExcluir
  27. Taís, estou emocionada e com o nariz vermelho após ler tua maravilhosa crônica. A fruta não cai longe do pé. Se teu filho tem um coração sensível e generoso, imagino por quê.
    Fiquei emocionada em saber que houve uma solução para o Silva. Essas coisas me cortam o coração. Os humanos racionais fazem coisas inimagináveis. E para aqueles que criticam a defesa dos animais, eu tenho perguntado: O que você fez nos últmos dias por alguém? E nunca há resposta, pois só sabem criticar: fazer, nada!
    Parabéns pela crônica. Parabéns pela atitude dessa família maravilhosa e humana no sentido real da palavra.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Deise Beserra01:29

    Que atutude mais linda!! Adoro os animais e jamais faria isso que esse dono ou "MALDONO" fez com esse pobre animalzinho, indefeso, sem ter condições de pedir socorro ou qualquer tipo de ajuda.

    Parábens pela atitude da familia, são pessoas como vocês com este tipo de atitude que ajuda a salvar o planeta, essa terra de quase ninguem, pessoas desumanas que só pensam no próprio umbigo e os demais que se danem.

    Parábens e felicidades sempre, adoro o seu blog!!

    PS: Diga ao Silva que ele é muito simpático e sortudo por ter encontrado vocês!!


    Beijos
    Deise Beserra

    ResponderExcluir
  29. Só agora este texto me caiu sob os olhos (meio antigo isso né?) Bom.. o que quero comentar é o seguinte . Tomo a liberdade de copiar um paragrafo seu para ilustrar:

    Logicamente alguém dirá: mas por que não fazem isso com os humanos ao invés de todo esse 'nhenhenhe' com um cachorro? Essa pergunta sempre está presente quando alguém toma uma atitude em defesa dos animais; que se tenta fazer um bem. Existe sempre um chato paranóico de plantão.

    Porque não fazer com os humanos? Porque umcão vai ser agradecido pelo que vc faz por ele, mas um humano provavelmente vai decepcionar vc. Tirei um Pinscher da rua quase morto, cuidamos dele e ele vivue conosco 12 anos tornando- se parte da familia. Minha pergunat é: Se eu tivese tirado um humano das ruas e colocado dentro da minha casa, quem me garante que ele não cortaria nossas gargantas pra nos roubar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sig, você já respondeu, não tenho o que contestar.
      Só tenho a dizer que cada um faça o que achar melhor, o que sua consciência mandar.
      Adoro animais, não preciso dizer, né? Tenho vários textos sobre eles, na coluna da direita, no índice. Também já tive cavalos, cachorros, tartarugas, coelho, e passarinho que peguei na rua, ferido, e cuidei. Faria muito mais se morasse numa casa!

      Sempre bom ter seus comentários.

      Excluir
  30. Tais, gostei demais de sua crônica do ABANDONO. Linda e parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liliane, obrigada!
      Pelo visto você está conhecendo, andando por aqui... rsr
      Mande seu e-mail! As letras de seu blog impedem os comentários.
      beijo.

      Excluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso