7 de junho de 2013

TERAPIA ONLINE


- Tais Luso de Carvalho

Li na BBC Online, um artigo muito curioso: foi implantado, numa Universidade ao sul da Califórnia, a terapia online, o psicólogo virtual. Entendo, são tantos serviços oferecidos online, tantos cursos, tantas compras, tantos livros, tanto tudo – que tudo se encontra. Como a vida anda fácil... Que coisa, não? Quem diria: terapia online!

Há anos, contávamos nossos amigos nos dedos, e sabíamos quem eram; amizade se formava através da escola, da vizinhança, do trabalho ou em clubes. Hoje é diferente e surpreende pela facilidade: a gente passa a ser amigo do amigo do teu amigo virtual! Ficou complicadinho.

Bem, entrando no assunto, terapia, essa sempre foi feita no consultório do psicoterapeuta. Marcamos as consultas semanais e lá vamos nós tentar pôr a cabeça em dia. Conforme o estrago em que se encontra a criatura, as idas e vindas poderão ser mais intensas.

Infelizmente, meu agir não se adapta muito a certos modernismos e não faria terapia online. Como ficaria uma conversa sem podermos avaliar os gestos, o olhar ou sentir segurança de estar apenas duas pessoas conversando? E por que online? Por que tanta comodidade em lidar com algo que é tão nobre – nossa mente?

O artigo também fala em busca de ombro amigo – do psicólogo virtual... Mas terapia não tem ombro amigo; é o desvendar de nossos atos, de nossas reações, consequências, nossas buscas e de muitos porquês. Terapia é buscar a verdade. São tantas as perguntas, tantos os questionamentos, que não consigo imaginar isso online.

Ainda estou num processo de reciclagem para aceitar tantos modernismos, acho que vou morrer me reciclando. Tento rever melhor meus princípios, meus valores para poder entender e me acostumar com certas coisas, mas a educação que se recebe forma raízes profundas, seja na época que for. Mas tento ver tudo como evolução dos costumes. Ou sentir-me mais evoluída por ser informatizada. Evolução? Depende do ponto de vista de cada um.

Nossas crianças já foram afastadas de uma infância saudável: pular, subir em árvores, brincar de roda, com bonecas, carrinhos, ler gibis e escolher seus heróis... São pessoas criadas dentro de apartamentos, com tablets e smartfones nas mãos, com dezenas de aplicativos – é o brinquedo contemporâneo. E solitário. Nunca vivemos tão isolados como agora.

E para nós – adultos complicados –, aparece a psicoterapia online! Mais um serviço. Quase um aplicativo:

Hãa... tá com problemas? Faz um download lá no terapeuta e vê se resolve!
Coisa estranha... Não duvido de mais nada.

Diz o artigo, que tudo é filmado pela webcam: a expressão corporal, o sorriso, o olhar...
Pra começar, é difícil captar a expressão – online – para uma visão de análise: tem gente que vê uma câmera e já faz mil caras e bocas. Aparece um tique-tique nervoso. Tudo fica falso diante de uma maquininha de foto ou filmagem. Eu, me desmonto! Acho defeito até no fundo do olho.

Se ao tirar aquele horror de foto no Detran, tipo 3x4, e minha vontade é de me matar, o que eu não faria defronte a uma câmera com um terapeuta olhando se falo a verdade ou se tento fugir da situação?

Existem coisas que não podem ser virtuais. E não tenho a mínima ideia do que seremos daqui a 50 anos. Mas por certo saberemos. Ou melhor, nossos descendentes terão de se virar, clicando lá seus 500 toques por minuto à procura de comunicação e afetos. Não vai ser mole.
Mas, penso assim.



32 comentários:

  1. Limerique

    Veja que coisa assaz formidável
    À distância a loucura é curável
    A internet agora
    A qualquer hora
    Mexe no seu id por preço razoável.

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Mesmo que sua mente esteja boa
    E que análise soe como coisa a toa
    Deixe-se pela internet levar
    E virtualmente se analisar
    Nas ondas da web sua mente voa.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Não estava em paz com meus bichos
    Mas na internet encontrei um nicho
    Contemplando o monitor
    Do outro lado o doutor
    Concertando mentes com capricho.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Pois pode ser analisado o pobre
    Aquele que não tem grana que sobre
    Basta ter computador
    Então acessa o doutor
    E transforma-se em paciente nobre

    ResponderExcluir
  5. Limerique

    Hoje me senti vazio, sem poética
    Ingressei numa atitude cética
    Procurei ajuda então
    Na web achei solução
    Comecei fazer análise internética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jair, realmente a Internet é solução para muitas coisas: voamos longe, pesquisamos, lemos, a usamos para distração, buscamos tudo, encontramos gente... Mas a mente não se verga: o caminho é outro! É coisa séria.
      Estão muito criativos esses Limeriques!

      Obrigada!

      Excluir
  6. Não sei se gargalho ou se choro !
    O serviço é pago ?
    Fico aqui imaginando qual seria a especialização do profissional.
    - No que vc é especializado?
    - Sou especialista online...
    Ai gzuzis ! kkkkkk
    Beijão Tais

    ResponderExcluir
  7. Limerique

    O mundo está se tornando irônico
    Já predomina o androide biônico
    Com crises existenciais
    Por desconhecer seus pais
    Então recorre ao Freud eletrônico.

    ResponderExcluir
  8. Bem... hoje é o 'delivery' de tudo... nada mais me espanta... não que aceite, mas é assim e, ou nos adaptamos ou ficamos à margem da 'tida evolução'... Será mesmo? Emoções? Sentimentos? Analisados online? Acho que o terapeuta necessita urgentemente de uma terapia 'tête-à-tête'...
    Bjs. Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Célia,
      Na minha opinião, os relacionamentos estão ficando piores, há muitas carências, muito desequilíbrio, muitos equívocos. Estamos apressados demais para chegarmos não sei onde.

      Beijos, Célia.
      Obrigada.

      Excluir
  9. Tais, que a demanda no setor da psicoterapia tende a aumentar, é fato! Daí a tecnologia, para dar conta de tanta necessidade nesse mundinho bem maluco em que vivemos... Mas, sinceramente, psicoterapia online para mim é o mesmo que dizer que abraços virtuais e reais/presenciais proporcionam a mesma sensação! Não faço planos de aderir tão cedo, gosto dos relacionamentos - e das terapias - aos moldes antigos. Mas posso apostar que muitos da nova geração adorarão a ideia, justamente por ser 'lançamento', novidade no mercado... Quanto à eficiência, sei não! rsrsrs

    Adorei, você sempre muito 'antenada', e com aquela ironia que dá gosto de ler! Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tais.
      Até aqui não precisei de terapia, apesar de me achar muito louca. Meu filho já fez e foi excelente pra ele.Acredito que mesmo Online, e ou por telefone, ao expor nossos problemas,ansiedades e tudo o mais, acabamos por desabafar, claro, isto pode trazer algum efeito benéfico momentâneo, mas como tratamento deixa a desejar. Prefiro ver pessoalmente a cara do médico, e acredite já desmarquei consulta neste sentido(acho que estou precisando de terapia)Brincadeirinha.Mas é sério, acho que os gestos o olhar falam mais do que palavras e concordo plenamente com você.E ainda tem a questão da confiança.
      Excelente a crônica e o tema.
      Gosto da tua franqueza e tua transparência.
      Um grande abraço.

      Excluir
    2. Oi, Lourdinha, terapia não é pra louco: pra louco é remédio ou camisa de força, rsrs.
      Gosto da terapia como um auto-conhecimento, e graças a esse, podemos resolver algumas pendências no nível das emoções.

      Beijos e meu carinho, gosto de sua visita, amiga!

      Excluir
    3. Suzy querida, certas tecnologias não podem funcionar nesse campo, no campo da mente e das nossas emoções. Há de se ter confiança no profissional, mas... desse jeito?

      Beijos, amiga!

      Excluir
  10. Claro que não Taís, só quis brincar um pouco, embora no campo emocional, as vezes também, se faz necessário alguma medicação. Tenho que passar também por uma reciclagem para me adaptar à estas novas práticas, ainda mais se tratando da nossa mente e das nossas emoções que influenciam diretamente no nosso estado de saúde.E com saúde não se brinca.Acho um pouco arriscado.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs, mas eu entendi, Lourdinha! Também brinquei, só faltou mais ênfase no "rsrs". Fiquei rindo por aqui... Você disse tudo, e como influenciam!!

      Beijos, querida!

      Excluir
    2. Bjs. Tais ,
      Sou sua fã.
      Te admiro por ser verdadeira nas suas opiniões, por sua inteligencia, e seu carinho para com seus leitores.
      Um Bom final de semana.
      Obrigada,

      Excluir
  11. Tais, nem tudo pode ser feito à distância. Tenho dificuldades até para fotos (rss). Nunca ficam naturais. Imagina, então, falando com o terapeuta através da telinha e dizendo: espera um pouco, tocou a campainha (hehehe). Não há comunicação perfeita pelo computador. Gosto do olho no olho, do sentir, em todos os aspectos. Ganhei uma nova máquina fotográfica, semi-profissional, que ambicionava. Mas não aprendi, ainda, a lidar com ela. Esse desenvolvimento tecnológico tem seu lado positivo, em termos de desenvolvimento. Mas o ser humano tem complexidades que ele não resolve. Tenha uma linda semana. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marlene, a Internet tem seus lados positivos e negativos. E vemos que estão misturando muitas coisas, o que só pode dar em lambança. Máquinas não passam emoções; como lidar com elas, então?

      Beijos, boa semana, também!

      Excluir
  12. Querida Tais
    É difícil acompanhar tantos modernismos, não?
    Adorei o seu texto
    Tenha uma linda e abençoada semana, querda
    Beijinhos carinhosos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  13. Eu ja tive bons amigos virtuais... mas relacao virtual pode ateh ser profunda... mas ela eh fragil. facto!

    ResponderExcluir
  14. Terapia psicológica online? Estou sabendo por você, Tais. O computador veio para facilitar a vida da gente, mas dentro de certo limite, que neste caso é ultrapassado, certo? Como você, fico imaginando até onde estas novidades podem chegar.
    Valeu a postagem. Meu abraço.
    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A máquina está aprendendo a se 'humanizar' e a responder a sinais emitidos por pacientes, como fariam os médicos. Assim está no texto!
      Acho que vou morrer sem ver tudo...e nem gostaria!
      Abraços, Jorge!
      Obrigada.

      Excluir
  15. Como dizem os atuais sociólogos, vivemos a modernidade líquida. Estamos na sociedade individualista, numa fase de transição, mais perdidos do que nunca! Ótimo texto. Boa reflexão! Um grande beijo! :)

    ResponderExcluir
  16. O mundo Virtual avança, não se sabe até onde pode chegar, sabemos que o se humano não é prefeito, pergunto, "como pode o virtual substituir a humanização imperfeita na perfeição?"
    Certamente que virtual no futuro tem como única função, o esclarecimento sobre um tema interessante.
    ag

    ResponderExcluir
  17. Oi, Taís, dei conta de chegar aqui!!!

    Só consigo se for pelo Google Chrome, pelo Firefox, nem pensar! E quando penso que vou conseguir postar o comentário... vai tudo para a área de congelamento! Rsssssssssssssssss
    Bom, em toda a minha vida, fiz apenas uma tentativa de terapia e achei um saco! Fui a uma psicóloga e, meia hora depois que comecei a falar sobre o que me levara até ali, um despertador tocou informando que o meu tempo acabara! Além disso, achei horroroso aquela história dela sentar-se em um sofá, de frente para mim, com cerca de três metros de distância! Ah, gosto de falar mais de perto, olhar melhor os olhos do meu interlocutor, perceber melhor suas expressões faciais! Minha visão já não é a mesma com um óculos multifocal! Rsssssssssssssssssssssss
    O certo é que não voltei, daí que uma terapia on line não me apetece. Na próxima encarnação, quem sabe? Rsssssssssssss
    Bjsssssssssssss, quérida, Deus a abençoa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cléa, sei bem do que você fala! Parece algo mecânico. Entendo que terapia tem de ser algo muito profissional, mas nem tanto, já que estamos a confiar num profissional que desvendará muito de nossa alma. Distância demais, não é o 'artigo'. Existe um meio termo.

      Beijos pra você.

      Excluir
  18. Mais uma vez cá estou, desta vez deixo impressão digital. Este comentário é abrangente e exalça a qualidade e diversidade das temáticas apresentadas. Parabéns e deste retângulo à beira mar plantado lhe mando um abraço fraterno.
    ARFER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Arfer, muito obrigada por sua presença e por seu comentário sempre bem-vindo.
      Um abraço pra você, também!

      Excluir
  19. Olá amiga Taís
    Vim aqui saber se você já faz parte do meu mosaico de parceiros e se ainda não faz, dê uma visitinha e se gostar seria uma prazer para mim

    Abraços,
    Trocyn Bão - thiago

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thiago, sim, já faço parte do mosaico.
      Um abraço.

      Excluir
  20. Tais, temos opiniões semelhantes. O ser humano tem uma tendência de querer facilitar tudo, deixar tudo mais cômodo, mais fácil, mais acessível. Tudo bem que pra muitas coisas, as mudanças são extremamente necessárias. Mas pra uma terapia?

    Existe um certo limite evolucionista. Falando em futuro, acredito que logo menos implantarão o sistema de holografia. Mas se as próprias webcams já possuem um sistema pouco eficaz para mostrar os detalhes de expressão, imagine quanto não demoraria até o tal holograma ficar perfeito? Se ficar!

    Existem coisas, minha amiga, que não devem sofrer evolução. Como você ressaltou em seu texto, a mente é valiosíssima para ser tratada assim.

    Não conheço o sistema, mas de longe me parece que é uma evolução enfraquecida (e muito) do tratamento psicológico. Um trabalho falho com resultados falhos.

    Beijo

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso